Loira do bem ∞ : 05/18/16

quarta-feira, 18 de maio de 2016

AR de Almir Sater e Renato Teixeira entre os finalistas do Prêmio Música Brasileira.

AR de Almir Sater e Renato Teixeira entre os finalistas do Prêmio Música Brasileira.
De acordo com o site Premio Musica Brasileira http://www.premiodamusica.com.br/conheca-os-finalistas-do-27o-pmb - "AR" de Almir Sater e Renato Teixeira concorre em duas categorias, a seguir:

CATEGORIA REGIONAL
ÁLBUM ‘AR’, de Almir Sater e Renato Teixeira, produtores Almir Sater e Eric Silver. 


E DUPLA
Almir Sater e Renato Teixeira (‘AR’).


Gravado entre o Brasil e Nashville (EUA), com produção do norte-americano Eric Silver, o álbum traz 10 músicas inéditas compostas por eles. O disco leva o selo Som de Gringo e distribuído pela Universal Music, já se encontra à venda nas melhoras lojas e plataformas digitais, entre os mais vendidos. Renato Teixeira e Sérgio Reis também concorrem na Categoria Regional como Melhor Cantor pelo disco (‘Amizade Sincera II’)
.


Vale lembrar que Almir Sater e Renato Teixeira foram vencedores em 1991 no 4º Prêmio da Música Brasileira como autores de Tocando em Frente, como melhor canção na categoria MPB, na voz de Maria Bethânia. Sater no mesmo ano levou mais 2 premiações: Melhor Solista (instrumentista) e melhor canção instrumental (Moura), uma das mais belas já criadas pelo músico e compositor.

No dia 22 de junho, serão conhecidos os vencedores da 27ª Edição do Prêmio da Música Brasileira, em que Gonzaguinha será homenageado. A cerimônia deste ano será no Theatro Municipal do Rio de Janeiro e será transmitido ao vivo, pelo Canal Brasil (tv a cabo).



Sem atrelar a rótulos, mas incutidos em suas influências musicais e culturais, o novo projeto de Almir e Renato navegam pelas vertentes do Folk ao country, do bluegrass ao rock anos 70, sempre envoltos pelo purismo da música rural e a poesia bucólica. 
 
Renato Teixeira define mais como MPB caipira devido sua forte influência pelo Folk e Almir dá um toque especial com pegadas de bluegrass, rock e Folk, por ser um violeiro mais roqueiro. É o que demonstra nas palavras deles ao avaliar o conjunto da obra.

 Seja qual for o rótulo que definem o disco, reafirmo não importa, mas que o Prêmio tenha um único endereço, o da Serra da Cantareira.