src="https://apis.google.com/js/platform.js" async defer> {lang: 'pt-BR'}

sábado, 22 de julho de 2017

Noite Inesquecível - Beto Guedes & Eduardo Araújo em Juiz de Fora.

Uma Noite Inesquecível com Beto Guedes e Eduardo Araújo no Cultural Bar em Juiz de Fora, no próximo dia 22 de Setembro no mesmo palco. Dois dos maiores ícones da Música Popular Brasileira revisitam suas trajetórias e apresentam seus grandes sucessos até hoje imortalizados por diversas gerações. O espetáculo será realizado por Jackson Martins Produções & Eventos e Cultural Bar e promete ser inesquecível.
  

Beto Guedes sobe ao palco primeiro. O Cantor, compositor, músico e multi-instrumentista vêm com sua música para encher os corações de esperança e abrir as janelas do coração. No “repertório, os clássicos de sua autoria como “Sol de Primavera”, “Amor de Índio”, “O Sal da Terra”, Feira Moderna”, “Vevecos Panelas e Canelas”, sem faltar a eletrizante “Maria Solidária” – tema de abertura da novela Coração de Estudante da TV Globo não vão faltar. O artista contagia emoção ao celebrar temas como a paz, a natureza, o amor, e compartilha o palco com uma afinadíssima banda, composta pelos músicos Arthur Rezende (bateria), Adriano Campagnani (baixo), Ian Guedes (guitarra) e Cláudio Faria (teclados).

Em seguida, para perpetuar o importante momento, o eterno roqueiro da jovem guarda Eduardo Araújo encerra o evento. Acompanhado de sua banda relembra suas canções atemporais como ‘O Bom’ e “Vem quente que estou fervendo”.

Com mais de 30 discos gravados e sua veia criativa sempre em alta, em 2013 – compositor e cantor lançou o CD "Lado a Lado" com ritmos country rock, voltado à música de raiz. Em 2014, com a presença dos seus amigos Sérgio Reis, Renato Teixeira, Victor e Léo, Landau, Marcelo Viola e Tadeu Franco gravou o DVD ‘50 Anos de Carreira ao Vivo’ onde revisita sua trajetória consagrada. O disco conta com releituras de ‘Um Violeiro Toca’, ‘Ave Maria no Morro’, ‘Moreninha Linda’, ‘O Menino da Gaita’ entre outras do cancioneiro popular.

Sempre presente nos programas mais conceituados de TV e rádios, o roqueiro mostra que ‘A Aventura Não Termina’ ao escrever o livro de suas memórias “PELOS CAMINHOS DO ROCK” mesmo nome de um dos mais importantes discos de sua carreira. A Assessoria de Imprensa a cargo de Paula Granja (31) 99649.2968 e os ingressos disponíveis no Site www.acesseingressos.com.br

Ao público presente, certamente uma explosão de emoções!

  

SERVIÇO:
Uma Noite Inesquecível – com Beto Guedes e Eduardo Araújo & Bandas.
Quando: 22 de Setembro de 2017 – sexta-feira. Inicio às 23h00.
Local: Cultural Bar Av. Deusdedith Salgado, 3955 | Teixeiras | Juiz de Fora MG.
Valores dos Ingressos:
Primeiro Lote:
Mesa com 04 cadeiras: R$ 500,00
Pista individual: R$ 100,00 (inteira) – R$ 50,00 (meia- entrada).
Ponto de Vendas:
Online: www.acesseingressos.com.br
Físicos:
* ZINE CULTURAL
* SOL E NEVE (JARDIM NORTE)
* SHAPE (INDEPENDÊNCIA)
* SHOPPING DOS CLUBES - Rua Halfeld 622, Galeria Bruno Barbosa loja 42, Centro.
Combos especiais Hotel Green Hill ( Ingressos, hospedagens e translado ida e volta)
reservas@hotelgreenhill.com.br | 32 3236 4000 – opção 2 | WhatsApp: 32 9 9112 0395
Realização: Jackson Martins Produções & Eventos e Cultural Bar.
Assessoria de Imprensa: Paula Granja (31) 9.9649-2968
Mais Informações: Evento Oficial https://www.facebook.com/events/

terça-feira, 18 de julho de 2017

Filosofando ao som do Rock and Roll

As escolhas definem você ou você é definido pelas suas escolhas?


Na semana passada quando se comemorou o dia do Rock and Roll (13 de Julho) foi bom rever na TV “Ricki and the Flash – De Volta pra Casa” pelo canal HBO. E assisti de novo, desta vez com um olhar mais apurado sobre o drama. O filme é estrelado por Mery Streep, bastante confortável no papel de roqueira, canta de verdade, e ainda conta com a presença do músico e cantor de rock Rick Springfield, além da boa trilha sonora, que inclui até Bruce Springsteen (My Love Will Not Let You Down). O enredo é baseado segundo Diablo Cody, em sua sogra, que cantou rock' n roll por muitos anos.
 
Ele gira em torno de uma mulher que abandonou a vida pacata do lar, 03 filhos e marido para perseguir o seu sonho, ser uma estrela de Rock. Com mais de 50 anos agora, ainda se apresenta com a banda The Flash em um pequeno bar e trabalha de dia num mercado, para completar a renda. A situação financeira é complicada e precária, e, as oportunidades minguadas e restritas, por estar agora, envelhecendo. Sem ver os filhos há anos, até que um dia, recebe um telefonema do ex-marido que a filha passa por uma crise existencial, de um divórcio complicado e pede ajuda a ela ( Às vezes filhos precisam da mãe), mesmo tendo uma madrasta como “mãe”.

Porém, não é fácil se perdoar e ser perdoada, pois os seus filhos guardam profundos ressentimentos, pelo abandono, das quais eles também nunca a procuraram e será muito difícil conseguir a redenção, além do enorme abismo que os separam no presente e as cobranças do passado. Oscar Wilde define isso “No início, os filhos amam os pais. Depois de certo tempo, passam a julgá-los. Raramente ou quase nunca os perdoam.” Porém, ele mesmo sabe a resposta: “Não sou jovem o suficiente para saber tudo.”. Porque só com a maturidade é que podemos compreender as escolhas dos outros, sem julgá-los com tanta rispidez.



Na verdade, Ricki não está voltando para a casa, como sugere o título em português, pois enormes barreiras os separam agora, são estranhos uns aos outros, mas para um encontro consigo mesma, com ex-marido, filhos e conhecidos. O filme, embora seja um roteiro mais para clichê, vem com uma boa dose de reflexão sobre sociedade patriarcal, e o questionamento da própria Ricki - que os filhos parecem compreender mais os “pais ausentes” do que as “mães ausentes”.

Provavelmente devido à sociedade machista e seletiva, onde sonhos, projetos e as livres escolhas são privilégios de homens. Para as mulheres, só restam os papéis de observadoras e resignadas com sua própria sorte, não para desbravar, ousar e ter escolhas que vão além do casamento, filhos e uma vida rotineira. Como diria Nietzsche "Nunca é alto o preço a pagar pelo privilégio de pertencer a si mesmo." Mesmo que nos dão as costas, porque os outros querem ser livres para viver suas escolhas, no entanto, nos aprisionam nas delas ( o marido não fez nada para ajudar ou estimulá-la para realizar o seu sonho). Nossas escolhas quase sempre não vêm de encontro, com o que os outros esperam de nós, e parece ser as certas, naquele momento, e não temos bolas de cristal, para prever o resultado delas no futuro e não há como voltar ao tempo, para refazê-las, de forma diferente.














Talvez seja nisso que consiste a beleza e o mistério da vida, a soma das experiências, dos acertos e desconcertos, em sua plenitude. E, atire a primeira pedra, quem um dia, quando velho, não se arrepender das escolhas feitas, para agradar aos outros, seguiu o comportamento padrão de uma sociedade hipócrita e egoísta, mas que não mede esforços para pôr o dedo em riste, diante do fracasso, falhas alheias.  

No meio das frustrações, descobrimos que pessoas têm percepções diferentes das nossas, e mesmo que não corresponda as nossas expectativas, devemos respeitar. Comove a cena do casamento, onde o parceiro dela se desfaz de sua guitarra para comprar as passagens e roupas para ir ao enlace de um dos filhos. Chegando lá é tratada com indiferença, e não ocupa lugar na mesa dos familiares dos noivos, as quais ela, de forma resignada finge não se incomodar. Quando uma das convidadas pergunta de onde ela conhece o noivo, a resposta é hilária: “De uma mesa de cesárea”. 

Quanto à pergunta no início da postagem acho que vou pela visão de Sartre: - “Viver é isso: Ficar se equilibrando o tempo todo, entre escolhas e consequências.” Apesar dos perrengues, as pessoas nos julgam pelas escolhas, mas uma coisa é certa, o Rock nunca nos envelhece, podemos ficamos obsoletos para as pessoas, não com ele.

sábado, 15 de julho de 2017

SHOWS OFICIAIS DE ALMIR SATER | AGENDA

AGENDA OFICIAL - SHOWS DE ALMIR SATER 2017 em Cartaz).
 Você já sabia é claro "AR de Almir Sater e Renato Teixeira goo.gl/SD3nmJ
¯\_(ツ)_/¯ é o “Melhor Álbum de Música Raízes Brasileiras do Grammy Latino 2016.
No Compasso da viola de Almir Sater saiba onde ela 🎸vai estar


Imagem: Carlota Fotografia/ CG
JULHO 2017
01/07/17 - Curitiba/PR - Local: Teatro Guaíra
05/07 - Teatro RioMar Fortaleza
06/07- Teatro Riachuelo Natal
07/07 Teatro RioMar Recife
21/07 - São Paulo - SP - "Tocando em Frente" - Espaço das Américas
22/07 - São Paulo /SP  -  "Tocando em Frente" - Espaço das Américas.
27/07 - Agudos - SP - Praça Pública
29/07 - Cruz Alta - RS - 37ª Festival Coxilha Nativista.
+ Shows Tocando em Frente link Oficial da turnê   http://tocandoemfrente.net

AGOSTO 2017
06/08 - São Caetano do Sul/SP - Teatro Paulo Machado de Carvalho
12/08 - Fartura/SP - Show Corporativo.( evento fechado).
18/08 - Cascavel/PR - Show "Tocando em Frente" - Tuiuti Esporte Clube
19/08 - Foz do Iguaçu/PR - Show "Tocando em Frente" - Hotel Rafain

24 de agosto - Teatro Bradesco Rio de Janeiro
25 de agosto - São Paulo/SP - Teatro Bradesco SP
28/08 - Florianópolis/SC - Centro Integrado de Cultura - CIC - "Show Beneficente".
30/08 - Pelotas/RS - Teatro Guarany 
31 de agosto - Porto Alegre /RS Teatro do Bourbon Country
SETEMBRO 2017 
01 de setembro - Novo Hamburgo/RS - Teatro Feevale 
Mais novidades vem por aí...Aguardem ∞ ♬•¨¯`•♩∞ "Tudo que a gente precisa é de +AR puro" - 🌳📲📀😜Aproveite! AR Disponível nas plataformas digitais: https://umusicbrazil.lnk.to/DDeDestino  Lojas e Sites virtuais.
 
*Escritório de Almir Sater | Contato Shows e eventos.
Claudete Faria | email: claudetefaria@uol.com.br
☎ +55 (11)4485-1539/ (11)4485-3049/ (11)9.7546-3850

sexta-feira, 30 de junho de 2017

ALCEU VALENÇA EM JUIZ DE FORA

ALCEU VALENÇA se apresenta no Capitólio, em Juiz de Fora, dia 11 de agosto. No palco, o cantor revisita suas composições recentes, redescobre preciosidades escondidas e recria seus grandes sucessos: “Coração Bobo” “Anunciação”, “Como Dois Animais”, “Tropicana”, “Cavalo-de-pau, “Táxi Lunar” e “Belle de Jour” faz parte do repertório entre outras”. 



 As obras de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro, considerado os pilares da construção da identidade musical nordestina, também estão presentes, temas como “Baião”, “Xote das Meninas”, “Vem Morena”, “Sabiá”, “Pagode Russo” e “O canto da Ema” reafirmam com vigor que, assim como a embolada, o forró de todos os tempos também não tem parada e são atemporais.

Além de ser uma referência musical, Alceu Valença  se destaca em outras áreas culturais com a mesma habilidade, como roteirista e diretor “A Luneta do Tempo” ou escritor literário (“O Poeta da Madrugada”, editora Chiado) e sempre entre os mais lembrados para premiações. Em 2015, com o CD/DVD VALENCIANAS ao lado da Orquestra Ouro Preto venceu todas as categorias em que foi indicado, ao PRÊMIO DA MÚSICA BRASILEIRA. Em 2016, concorreu ao prêmio do 17º Grammy Latino como “Melhor Álbum de Música de Raízes Brasileiras” pela trilha sonora do filme “A Luneta do Tempo”.

Este ano, o cantor Pernambuco é o artista que mais recebeu indicações ao 28° PRÊMIO DA MÚSICA BRASILEIRA – edição 2017 que acontece em 19 de julho, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro e concorre com dois lançamentos, em três categorias. A trilha sonora do filme A LUNETA DO TEMPO (Deck), escrito e dirigido por Alceu, aparece na categoria PROJETO ESPECIAL. O filme entrou em circuito no primeiro semestre de 2016, tendo recebido dois kikitos no Festival de Cinema de Gramado.

O CD/DVD VIVO! REVIVO! (Deck), que concorre na categoria ÁLBUM REGIONAL, reúne o repertório do cantor na fase inicial de sua carreira, na década de 70. Gravado ao vivo no Teatro Santa Isabel, em Recife, o álbum recria canções emblemáticas, repletas de metáforas e psicodelia, como “Sol e Chuva”, “O Casamento da Raposa com o Rouxinol”, “Papagaio do Futuro”, “Molhado de Suor”, “Espelho Cristalino”, entre outras. Também indicado como MELHOR CANTOR REGIONAL.

Alceu Valença sobe ao palco ao lado de Paulo Rafael (guitarra e violão), Tovinho (teclados), Nando Barreto (baixo) e Cássio Cunha (bateria). Ao público presente, uma noite inesquecível, recheada de sucessos e emoção. O espetáculo é uma realização de Jackson Martins Produções & Eventos que sempre traz para Minas, os artistas mais renomados e conta com o apoio cultural da Rádio Itatiaia, Jornal Tribuna e as redes de Televisão SBT e Globo.

SERVIÇO:
Alceu Valença e Banda em Juiz de Fora.
Quando: 11 de Agosto de 2017 – Sexta-feira.
Onde: Capitólio eventos - Juiz de Fora/MG
Abertura da casa: 21h00 – Show: 22h00.
Valores de Ingressos para o Primeiro Lote:
Mesa Setor 1 ( com 4 cadeiras): R$  450,00
Mesa Setor 2: ( com 4 cadeiras): R$ 400,00
Pista individual: R$ 100,00 e meia-entrada: R$ 50,00
Ponto de vendas:
Online: www.acesseingressos.com.br

Físico:
* ZINE CULTURAL
* SOL E NEVE (JARDIM NORTE)
* SHAPE (INDEPENDÊNCIA)
* SHOPPING DOS CLUBES - Rua Halfeld 622, Galeria Bruno Barbosa loja 42, Centro. 
Combos especiais Hotel Green Hill ( Ingressos, hospedagens e translado ida e volta)
reservas@hotelgreenhill.com.br | 32 3236 4000 – opção 2 | WhatsApp: 32 9 9112 0395
Realização: Jackson Martins Produções &Eventos.

Assessoria de Imprensa: Paula Granja (31) 9.9649-2968
Mais Informações: Evento Oficial Alceu Valença Facebook 

Fotos divulgação: Yanê Montenegro.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Ponto de vista sobre Victor Frankenstein, o filme.

Eu não conhecia até então, essa adaptação do romance da Mary Shelley no filme Victor Frankenstein, tendo James McAvoy como protagonista.  Embora a trama seja diferente do livro e de enredos anteriores,  mas o assunto é o mesmo,  a obsessão pela imortalidade.


A releitura gira em torno da amizade do cientista visionário  com o corcunda Igor interpretado por Daniel Radcliffe ( eterno Harry Potter). Ao vê-lo, num circo como atração bizarra, o estudante Victor descobre que este tem amplo conhecimento de anatomia humana, o ajuda a escapar. Através de seus métodos pouco ortodoxos, o livra da corcundice, porém o seu mestre é um cientista excêntrico  e obcecado pela imortalidade e sem  limite sobre quanto a ética. Fiel ao amigo, ele tenta salvá-lo antes que a loucura vá longe demais e das terríveis consequências. A maior parte de comentários sobre a trama gira em torno do possível romance entre os personagens centrais, em cenas  abordadas de forma sutil. Há quem diga que o “médico monstro” é fissurado por corpos e perfeição e por isso usa de seus experimentos, para criar a criatura perfeita, ao seu bel prazer.  Eu vou focar em outros pontos, porque acredito que o Victor talvez seja egoísta demais para amar a alguém a ponto de tê-lo como prioridade, e até então só encontra dor e indiferença nos seres humanos.

Para entender Victor e sua alma complexa é preciso mergulhar na sociedade da época, sem dúvida, ele era um excêntrico, cheio de culpas, à frente do seu tempo e  por ser o segundo filho, relegado e negligenciado pelo pai, sem reconhecimento ou estímulo.  O primeiro filho era o único herdeiro e quem recebia a herança e título, os demais dependem da generosidade deste depois, em mesadas. Ele era o segundo filho, os sonhos e ambições do estudante eram bem maiores que o mundo que o cercava e além da perfeição, a busca por reconhecimento acadêmico e afeto familiar também é um fato a considerar. E, como toda a pessoa sabedora do seu talento, possui pouco traquejo ou paciência para frivolidades sociais, ele destoa de todos no convívio, e deixa se dominar pelo ego por ter uma inteligência acima dos demais, esnoba os seus professores e colegas da faculdade, por não acompanhar seu raciocínio mais racional. 

 
No parceiro, ele encontra o que lhe falta, talvez o sentimento de posse sobre o outro, seja mais pelo “conflito de interesses” a partir do envolvimento da mulher com o amigo, que poderão surgir.  Além de egocêntrico, não se devemos esquecer a sociedade machista e patriarcal mais acirrada ainda na época.  E, ele já tem uma ideia formada sobre os próprios mestres e amigos, como ineptos, imagine quanto à mulher, o que para ele, seria uma perda de tempo envolvê-la entre eles, pois traria distração ao amigo, para manter seus objetivos traçados. 
O que torna  interessante esse filme,  exceto o diálogo ensaiado do detetive que os persegue,  é a obsessão de Victor pela imortalidade, e em sua loucura, em cessar a morte física e a partir dos seus experimentos científicos, retornar à vida a quem cedo partiu. Talvez, se deva a culpa que o acompanha pela morte do seu ente mais querido, tão admirado por todos, e assim, obter o amor fraterno e o  valor, tão ausente na opinião do seu pai, um homem autoritário e desprovido de compaixão.  
 
Victor deverá aprender pela dor mais uma vez, como um simples mortal, de que não pode mudar o rumo das coisas e tampouco da morte, que suas experiências trarão mais dor do que vida. Segundo Nietzsche “É preciso reinterpretar a morte!”.  Embora irreversível, pode ser menos dolorosa a aceitação,  se celebrarmos a vida, o momento presente, da melhor maneira possível, livres de amarras e  a viver da maneira mais digna, isentos de culpas,  sem causar dor ou sofrimento a nós e aos nossos semelhantes. 

E se causamos ... "Defeitos não fazem mal, quando há vontade e poder de os corrigir" nos lembra Voltaire, então é sempre tempo de mudar o nosso caminho, se inadequado aos outros e, sobretudo a nós mesmos.

Fonte das Imagens: Internet.