domingo, 27 de abril de 2008

Viver a vida dos outros...







Há pessoas que ao em vez de olharem para os progressos, sucessos, coisas e fatos positivos de sua própria vida, ficam o tempo todo prestando atenção e "vivendo" as outras pessoas, querendo para si o que as outras têm, querendo ser o que as outras são, querendo viver o que as outras pessoas vivem.

São pessoas que fazem da "inveja" o seu padrão de relacionamento humano.
Não conseguem viver a própria vida e com isso atraem para si o descaso e o desdém dos normais. São dignos de pena,pois jamais conseguirão livrar-se de suas próprias amarras que as levam ao fracasso.É preciso dominar a inveja. O invejoso não consegue a necessária paz para empreender, para ser pro ativo, para realizar coisas certas em benefício de sua empresa,das pessoas,de seus subordinados, de seus superiores.

Ele está sempre "alerta",vendo, estudando, observando o que os outros estão falando, o que os outros estão fazendo, o que os outros estão ganhando, o que os outros estão sentindo. Nessa obsessão de "viver a vida alheia", o invejoso perde a si próprio e não sabe mais do que é capaz de pensar, realizar ou sentir.

Essas pessoas precisam de ajuda.A pessoa invejosa é uma pessoa doente que não suporta a si própria, não suporta sua imagem e somente consegue se olhar através do espelho do sucesso alheio.

Pode parecer antigo falar de "inveja" em pleno 2006, mas sempre é preciso falar dela, pois é um mal que precisa ser dominado por quem queira ter sucesso.

Dominar a inveja é o primeiro passo para ser feliz! EM TODOS OS LUGARES TEM!!!
(*) Adaptado de texto do Prof.Marins.

Podemos enganar a tudo e a todos...mas a nós mesmos? mas pra nós mesmos? não.Bem
a nós mesmos não"(Aditive -Entre o sentido e a razão).

O que é necessário para mudar uma pessoa é mudar sua consciência de si mesma.
Abraham Maslow

Podemos enganar-nos hoje, enganar-nos amanhã, mas a melhor prova da verdade é a realidade, a prática que mostra quem tem valor e quem não tem.(Amilcar Cabral).

Para resumir toda essa reflexão...
A cobra e o vaga-lume.

Era uma vez uma cobra que passou a perseguir um vaga-lume.Ele fugia rapidamente, com medo da feroz predadora e a cobra nem pensava em desistir.Fugiu um dia, e ela não desistia; dois dias e nada...No terceiro dia, já sem forças, o vaga-lume parou e disse à cobra:
- Posso te fazer três perguntas?
- Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas já que vou te comer mesmo, podes perguntar...
- Pertenço a tua cadeia alimentar?
- Não.
- Te fiz alguma coisa?
- Não.
- Então, por que queres me comer?
- Porque não suporto te ver brilhar...

O palestrante usou essa fábula para ilustrar o que ocorre entre os indivíduos mais especificamente a inveja. A vontade mais inconfessável do invejoso é a de devorar o outro, mas, na impossibilidade dessa antropofagia,vomita sobre ele todo o veneno.

Publicada por Froilam de Oliveira.