sexta-feira, outubro 10, 2014

Sociedade: Facas de dois gumes.

Pitaco Polêmica:Uma Faca| dois gumes.Eu estou-me “coçando” para perguntar ao senhor que postou essa foto, no g+ numa alusão a bolsa família, e as palavras "equivocadas" de Voltaire, insinuando que a bolsa família favorece a "vadiagem". Segundo os historiadores e até onde eu compreendo, embora Voltaire achasse que seria possível um estado justo e tolerante, ele nunca encarou com bons olhos a população mais pobre, desprezando-a completamente. Ele era contra a tirania, seja ela do Estado ou da Igreja e totalmente a favor do estado laico e que todos os cidadãos tinham direito de manifestar o pensamento livre.
Embora admire o brilhante Voltaire, considero um demagogo sobre a igualdade social. Para ele era de "vital importância ter pobres", e com ganhos o suficiente apenas para garantir as necessidades básicas, pois assim estariam sob o jugo da burguesia e sem escolhas.. Um ser “sem escolhas é um ser dependente” sob a visão dele. Uma preocupação egoísta de que assim teria "mão de obra" permanente para exercer os trabalhos. 



"Que deve um cão a um cão, um cavalo a um cavalo? Nada. Nenhum animal depende de seu semelhante. Tendo porém o homem recebido o raio da Divindade que se chama razão, qual foi o resultado? Ser escravo em quase toda a terra". Na concepção dele, devem fornecer trabalhos úteis à classe proletária e não os presentear com a ociosidade, pois, se isso ocorresse, ele não mais se sujeitaria ao trabalho, ao ser independente, o cidadão não estaria mais sob o jugo, e faria suas próprias escolhas.

"Se o mundo fosse o que parece dever ser, isto é, se em toda parte os homens encontrassem
subsistência fácil e certa e clima apropriado a sua natureza, impossível teria sido a um homem servir-se de outro".
A sociedade se dividia em opressor e oprimido, ricos e pobres. Um egoísta visando benefício próprio. Sem contar que não seria nenhuma ofensa afirmar que o seu discurso de igualdade era uma falácia, sabendo que ele também vivia de tráfico negreiro e do mercantilismo, usando o escravo como moeda de mercado. E aqueles que se julgavam incapazes, deveriam ser aculturados (domesticados) sic...
"Todos os homens seriam necessariamente iguais, se não tivessem precisões. A miséria que avassala a nossa espécie subordina o homem ao homem - O verdadeiro mal não é a desigualdade: é a dependência".

Então acredito que ao colocar um Voltaire criticando a bolsa família, nos remete de que o Capitalismo não quer dignidade e oportunidades iguais para as pessoas, pelo contrário, quer “pobres dependentes” como diz Voltaire, ou seja, "dependentes de um sistema para sobreviver, mas nunca livres para escolher do que quer viver".

"Tal como é, impossível o gênero humano subsistir, a menos que haja infinidade de homens úteis que nada possuam. Porque, claro é que um homem satisfeito não deixará sua terra para vir lavrar a vossa. E se tiverdes necessidade de um par de sapatos, não será um referendário que vo-lo fará. Igualdade é pois a coisa mais natural e ao mesmo tempo a mais quimérica".

Em outras palavras ele jamais seria mesmo a favor do assistencialismo.Ou seja o tiro saiu pela culatra no final.
Pesquisa:"Dicionário Filosófico". por Voltaire.
Voltaire, Tratado de Metafísica, cap. I (Os Pensadores). São Paulo: Abril, 1978.