Loira do bem ∞ : Maio 2014

sábado, 17 de maio de 2014

Almir Sater convida a Todos para participar do Leilão Senepol

Se Almir Sater convoca não tem discussão, vem já!
|Almir Sater| Senepol| = |Credibilidade|.
Almir Sater um dos parceiros da raça alguns anos, e faz um convite aberto a população, para ao Leilão Virtual dos 15 anos de Senepol a ser realizado no dia 30 de Maio.
Assista o vídeo:

Convite Senepol no Facebook na Página em homenagem ao Almir Sater.

Ler é preciso: Machado de Assis é para AMPLIAR não simplificar


 
APOIADO e Integralmente o Prof. Alcides Villaça, literatura brasileira da USP vide polêmica gerada pela então escritora paulista Patrícia Engel Secco, sobre em "simplificar" o Obra do Imortal Machado de Assis vide link http://veja.abril.com.br/noticia/celebridades/de-machado-de-assis-a-shakespeare-quando-a-adaptacao-diminui-obras-classicas
Cara escritora, me perdoa por não conhecê-la até então, mas usando de suas próprias palavras, faço as minhas, "As redes sociais estão cheias de exemplos de prejulgamentos e linchamentos baseados em equívocos de interpretação” a começar pela sua infeliz ideia.
Almir Sater em 2010, em entrevista para meu Blog, perguntas feitas pela fãs, na época da Comunidade do Orkut, disse algo que se encaixa no que penso  sobre "simplificar" a obra de Machado de Assis:

Em relação as obras particulares é igual as pessoas invadirem sua casa e ir entrando, né, o artista, você invadir a obra dele significa mais ou menos isto, entrar na sua casa sem permissão, ninguém gosta.. 

—A Arte nunca deveria aspirar à popularidade, mas o público deve aspirar a se tornar artístico. Oscar Wilde.

Machado de Assis mais “simplesinho”?

A você, que acha que sabe por que os jovens não gostam de ler Machado de Assis e entende ser necessário “simplificar” os seus textos:

Machado de Assis não é pra ser “gostado” como sorvete de limão ou chocolate. Machado é um problema pra qualquer criatura inteligente (por favor, tente se preocupar). Ele relativiza os valores que servem de colchão pras nossas vidas. Ele aprendeu na prática (era mulato, meu bem) que é duro nascer pobre e sem voz. Ele viu e entendeu logo todas as falcatruas de quem está no poder. Pior que isso: ele não achava que as classes subjugadas tivessem qualquer outra intenção que não a de serem classes dominantes. E se aparelhou para sobreviver, e viver bem. Ele viu e entendeu que talvez não valha a pena tanto esforço por idealismos condenados ao fracasso, conforme a História Política (que Maquiavel estudara tão bem) já provou. Ele imaginou que o esforço de ser sublime não compensa na barganha da próxima esquina. Ele piscou o olho para nós porque sabia muito, e também não sabia o que fazer com suas melhores intenções, e sua secreta poesia, e seu inconfessável sentimento do trágico. E ele nos provou que tudo isso só passa a existir com o aparelhamento certeiro de uma linguagem, de uma fala absolutamente pessoal, com um sujeito já dentro.
E aí vem você é quer “facilitar” tudo isso, minha cara? Você não sabe o quanto custou para aquele mulato lúcido nos mostrar o mapa das nossas minas mais íntimas, da sociedade violenta que cochila dentro de nós? Pois saiba que os jovens leitores para quem apresento, como professor, os textos de Machado, se revitalizam com essas questões e agradecem pelo fato de que existe um artista que lhes dá forma e expansão. Com o texto dele, começam e recomeçam as mais vivas discussões.
Caso queira aprender a redigir sem “dificultação”, sugiro começar com a fórmula sujeito + verbo + complemento, até atingir outras sequencias possíveis e enfim começar a ler - é o que te desejo - um texto do verdadeiro Machado de Assis. Do autêntico. Qualquer falsificação jogue imediatamente no lixo.


Por Prof. Alcides Villaça, docente em literatura brasileira da USP.
Fonte: Perfil Facebook. 

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Comportamento: Vida Saudável:Terapias Relaxantes

3 tratamentos para você relaxar sem a ajuda de ninguém

Nada melhor do que cuidar de você mesma, certo? E por que não ir além da beleza? Além de optar por alguns procedimentos estéticos e por passar uma tarde no salão, que tal investir em terapias relaxantes? Aprenda 3 passos simples.
Automassagem
Composto de uma base de madeira e várias hastes de aço flexível, o massageador de cabeça é um ótimo investimento. Com movimentos suaves para cima e para baixo, você relaxa a fáscia da região – membrana que encobre toda a estrutura óssea, músculos e órgãos e, com as tensões diárias, enrijece e perde a mobilidade. Isso sem falar que as pontas do “aparelhinho” são revestidas de material macio, que proporciona uma espécie de cafuné. Bastam cinco minutinhos, de preferência no final do dia, para recobrar a calma e dar ordem de despejo ao stress.
Reflexologia
Os pés possuem pontos reflexos que representam as várias partes do corpo. Além disso, como nos sustentam o dia todo, são alvos fáceis da tensão e do cansaço. Para revigorar a região, uma boa alternativa é recorrer à massagem. Utilize um pedaço de bambu com aproximadamente um palmo de comprimento. De pé, apoie-se numa cadeira e pise devagar, com um pé de cada vez, rolando o bambu para a frente e para trás e forçando os dedos do pé bem abertos em direção ao chão. O bambu pode ser encontrado em casas de jardinagem e paisagismo. Na falta dele, você pode usar um cabo de vassoura.
Terapia do som
Poucas coisas tocam tão fundo na alma quanto à música. Estudos mostram que ela atravessa a parte do cérebro que funciona como um filtro racional e atinge diretamente a área das emoções. Para trazer bem-estar, basta que ela represente algo para você: tenha uma letra que expresse o que está sentindo, uma melodia que alegre o seu coração. Já alguns estilos, como a música clássica, possuem efeitos relaxantes comprovados: reduzem os batimentos cardíacos e a ansiedade.

Fonte: Site zastros 

sábado, 10 de maio de 2014

"selfie literário": Campanha para o incentivo a Leitura. Ler e entender é preciso.

 Ler é preciso e  entender mais ainda. Um dos vídeos mais sensacionais que eu já vi. "Não sou um homem, sou uma dinamite” Nada define mais que Nietzsche, do que esta sua frase. Porque ele é de fato uma bomba, um efeito transformador. Explosivo. Uma coisa é certa, depois que se conhece Nietzsche, jamais seremos os mesmos, em ideias, em juízo, em valores. Chega a ser libertador. Pragmático e Lógico. Após 100 anos ainda continua a fazer barulho.
"Desconfio de todos os sistemáticos e me afasto de seus caminhos. A vontade de sistema é uma falta de retidão". Por Nietzsche.. 


Foto: Assim Falava Zaratustra.
Eu não sou um homem eu sou uma dinamite!. Por Nietzsche. 

A escritora, poetisa e atriz, a artista Elisa Lucinda, lançou na rede social uma campanha extremamente educativa e que estimula a troca de conhecimento, assim como o hábito para Ler. E, claro, eu não poderia ficar de fora "selfie literário". como ela mesmo explica "Campanha de incentivo à leitura, promovendo o "selfie literário". Vem com a gente, manda sua foto ou vídeo e... Eu também quero ler!

quinta-feira, 8 de maio de 2014

PRESENTE DE MÃE: |ALMIR SATER EM PORTO ALEGRE| EM MAIO 2014|


A Eazzy Entretenimento traz a Porto Alegre o maior violeiro do Brasil – Almir Sater – em um show especial em homenagem ao Dia das Mães. Com certeza um presente que irá emocionar toda a família!

A música de Almir Sater conversa, emociona e desperta emoções diversas. O artista é um dos poucos que não deixou a emoção de lado e a música flui de seu coração, com originalidade, sem subterfúgios ou aparatos tecnológicos, transborda em sentimentos, na forma real, capaz de penetrar até nas almas mais blindadas e aguçar a comoção.

O Cantor apresenta-se acompanhado de uma banda formada por Marcellus Anderson (gaita), Guilherme Cruz (violão), Rodrigo Sater (violão), Reginaldo Feliciano (contrabaixo) e Gisele Sater (backing vocal).

No repertório, canções como Tocando em frente, Um Violeiro Toca Trem do Pantanal e Chalana, que foram consagradas pelo público e solicitadas na plateia.

O show mescla com o CD "7 Sinais", que conta com participações especiais de Luiz Carlos Borges e Dominguinhos sem deixar de lado a técnica ímpar e o magistral toque de viola indispensável nas suas apresentações, que o tornou consagrado.

Almir Sater está entre os 30 maiores ícones brasileiros da guitarra e do violão apontado pela Revista Rolling Stone Brasil.

Foto Divulgação: Roberta Guarino.
 Release Artista
Almir Eduardo Melke Sater é um violeiro, compositor e instrumentista brasileiro e atuou em novelas como ator. Seu estilo caracteriza-se pelo experimentalismo e sua música é descrita como folk. Agrega uma sonoridade tipicamente caipira da viola de 10 cordas, o folk norte-americano e também com influências das culturas fronteiriças do seu estado, como a música paraguaia e andina. E o resultado é único, ao mesmo tempo reflete traços populares e eruditos, despertando atenção de públicos diversos.
Com mais de 30 anos de carreira sólida e 10 discos solo gravados, Almir tornou-se um dos responsáveis pelo resgate da viola de 10 cordas, sendo reinventada, o músico acrescentou um toque mais sofisticado ao instrumento, estilos como blues e rock, embalados pela pegada do folk, uma mistura de música folclórica, erudita e popular, considerada atemporal.

|Ingressos à venda |
Segundo Lote

Mezanino: 110,00
Plateia Alta: 150,00
Plateia Baixa: 170,00
Plateia Gold: 240,00

:: Política de descontos
50% de desconto| Idosos - Mediante apresentação de documento de identidade no ato da compra e acesso ao teatro::
20% de desconto | Estudantes - Mediante apresentação de carteira de estudante e documento de identidade no ato da compra e acesso ao teatro::

CANAIS DE VENDA:
Internet Online: www.ingressorapido.com.br| 4003.1212
Tele Entrega - 9799.0919 - SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA (Somente Dinheiro)
Pontos de Vendas Físicos: – SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA
Formas de Pagamento: dinheiro, cartão de crédito e cartão de débito, exceto Banricompras.

*MY TICKET MOINHOS
Rua Pe. Chagas, 327, loja 06 - Moinhos de Vento - Porto Alegre – RS - fone: (051) 3273.3383
Horário de funcionamento: Segunda à Sexta das 09:00 às 18:00h. Sábados das 10:00 às 16:00h
*MY TICKET ANDRADAS
Rua dos Andradas, 1425, loja 69 - Centro - Porto Alegre – RS -Fone (51) 3312.4244
Horário de funcionamento: Segunda à Sexta das 09:00 às 18:00h.
Informações:

Realização
|Eazzy Entretenimento|

O conto de “As mil e uma noite” não funciona na vida real.

O que penso e sem demagogia direita ou esquerda, mas como homens de bem ou cidadão comum. Qualquer um de nós, está sujeito a cometer ou ser vítima do erro ocorrido com a Fabiane, como uma suposta sequestradora de crianças e magia negra na página de rede social, o Guarujá Alerta, que gerou uma comoção da qual se derramou sangue inocente, culminando com um trágico desfecho. vide link http://glo.bo/1j1X0xS
“Sherazade e agregados estão protegidos pelo conto de “As Mil e Uma Noite”, de onde adotou o sobrenome no lugar do original, Barbosa, “segundo ela mesma”“, com seguranças, carros blindados, posição social, apoio político e de poderosos.
Para quem não conhece, trata-se de contos de origem indiana, persa e árabe e Sherazade, a virgem eleita como esposa de um rei que tinha por tradição desposar uma mulher por dia e matá-la antes que o sol da manhã seguinte se erguesse no horizonte, para evitar que fosse traído, como o fora pela primeira mulher que havia tomado como esposa.
Temendo ter o mesmo destino, Sherazade usava de um estratagema perspicaz e todas as noites o entretinha contando histórias que nunca tinham fim, para que no dia seguinte o rei procurasse saber como terminavam. Bem perspicaz e apropriado não¿.
Tomara que ao fazer justiça por nossas próprias mãos, nunca sejamos o responsável por um sangue inocente ou ter um dos nossos, vítimas de um engodo destes. Cobrar, exigir, sim das autoridades, até Mudanças e projetos de Leis,
Jamais estimular o povo a ir pra ruas fazer o papel que cabe a Justiça Brasileira. Assim é com a pena de morte, qualquer desafeto ou antagonista, pode disseminar uma calúnia sobre nós sem nos dar chance de defesa e com a Internet, as coisas são ainda mais facilitadas.
E nós, os cidadãos comuns, como faremos? A quem recorremos antes que uma tragédia desta aconteça? . Deixamos de histórias que funciona só no mundo virtual ou irreal. A vida pede mais cautela, analisar os dois lados sobre a mesma situação. As consequências poderão ser bem piores do que pensamos, ao achar que esta é a solução mais apropriada.
Não se pode considerar “justo e com bondade” quem não permite a outra parte ao direito de defesa. Não se deixem influenciar ou aceitar manipulação por pessoas que ganham milhões sem correr nenhum risco. Se estiver descontente com um governo, o faça nas Urnas, exija no bairro, manifesta contra a violência e a falta de segurança, mas para as autoridades competentes. Nada justifica essa monstruosidade. Amanhã pode ser um de nós, vítimas da mesma crueldade e sem chance para reclamar.
#Justos Sim #Justiceiros Jamais! Pensamos nisso!.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Show de Almir Sater em Anaurilândia emociona fãs pela simplicidade

Evento beneficente ao Hospital de Câncer de Barretos ocorreu no parque de exposições e foi contratado através da Empresa LC Empreendimentos

Acácio Gomes

Redação Nova News

Em uma época em que verdadeiras superproduções musicais têm tomado conta dos eventos sertanejos pelo Brasil, o show do cantor, compositor e instrumentista Almir Sater emocionou o público presente na noite deste sábado (03), no Parque de Exposições de Anaurilândia, justamente pela simplicidade. De botina estilo “Uberabão” e chapéu de couro, sentado em seu banquinho de madeira, o sertanejo, acompanhado de seus músicos, arrancou aplausos e gritos de uma verdadeira multidão que compareceu ao evento que integra o 2º leilão “Direito de Viver” que beneficia o Hospital de Câncer de Barretos (SP).
Almir Sater interpretou os grandes clássicos da música sertaneja e pantaneira (Foto: Acácio Gomes/Nova News)
Uma verdadeira multidão, que lotou mesas, camarotes e pista, vibrou ao som de clássicos como “Trem do Pantanal”, “Tocando em Frente”, “Comitiva Esperança”, “Peão”, “Um Violeiro Toca”, “Chalana”, entre outros. Por vários momentos, o sanfoneiro da banda, Marcelus Anderson, que traz em seu currículo o fato de já ter integrado, por vários anos, o grupo Canto da Terra, foi convidado por Almir Sater a tocar o chamamé instrumental no melhor estilo pantaneiro. Esses também foram momentos de grande vibração por parte do público. Uma das canções executadas foi o clássico “O Jacaré”, de Maciel Corrêa.

Apesar de suas poucas palavras e estilo aparentemente tímido, Almir Sater interagiu com o público, que o elogiava a cada apresentação e até pedia a execução de algumas músicas que marcaram a carreira do violeiro. Antes da execução de alguns sucessos, ele chegou a contar alguns “causos”, explicando as circunstâncias em que certas músicas foram compostas. Entre os nomes citados por ele como “companheiros de estrada”, estão Renato Teixeira e Sérgio Reis, que têm em suas discografias vários sucessos compostos pelo violeiro e também defendem o estilo sertanejo raiz.
Almir Sater interagiu com o público, que o elogiava a cada apresentação (Foto: Acácio Gomes/Nova News)
Segundo a comissão organizadora, o show superou as expectativas, uma vez que, contou com a participação maciça da população de toda a região e até fãs de outros estados vieram acompanhar o evento. Segundo Adolfo Casado, todo o trabalho é realizado por prazer já que, nas palavras dele, o Hospital de Câncer de Barretos, que oferece atendimento totalmente gratuito a seus pacientes, tem feito a diferença na vida de muitas pessoas. “Abraçamos esta causa por prazer e por amor. Entendemos que aquela entidade realiza um trabalho exemplar que precisa ser apoiado por todos”, explica Casado.

Para Edemir Palmeira, o apoio da população é fundamental e, nas palavras dele, torna o trabalho mais fácil. “Ano passado, quando realizamos o primeiro evento, conseguimos encaminhar ao hospital cerca de R$ 81 mil. Neste ano, o show de Almir Sater já está pago, além disso conseguimos mais de 110 cabeças de gado que serão leiloadas neste domingo (04) e ainda teremos a renda dos convites do almoço, portanto a expectativa de recursos arrecadados é ainda maior”, explica ele, ao dizer que a credibilidade da instituição abre muitas portas na realização de ações como esta.

 
Organizadores comentam sucesso do evento (Foto: Acácio Gomes/Nova News)
Segundo Ademar Capuci, a mobilização da população é algo admirável e digna de elogios. “É maravilhoso observar o engajamento das pessoas com esta causa que não é apenas um hospital, mas é um projeto muito grande".

O povo não está apenas esperando pelos políticos, mas fazendo a sua parte e de uma forma bem feita”, disse ele. Capuci ainda explicou que a meta é expandir os atendimentos por todo o Estado e adiantou que até o país vizinho, o Paraguai, já deverá começar a ser orientado por Barretos a fim de obter tecnologia suficiente para atender melhor seus pacientes com câncer. “Não vamos acabar com os casos de câncer, mas se Deus nos der saúde, vamos acabar com a mortalidade provocada por esta doença”, finalizou.
Imagens: Acácio Gomes/Nova News
 
 Fonte:
Nova News

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Medieval: O por que do Mês de Maio ser o mês das noivas.

 
Foto de noivacomclasse.com

Durante a idade média, a maioria se casava no mês de junho (início do verão, para eles), porque como tomavam o primeiro banho do ano em maio, em junho o cheiro ainda estava mais ou menos suportável. Entretanto, como já começavam a exalar alguns "odores", as noivas tinham o costume de carregar buquês de flores junto ao corpo, para disfarçar. Daí surgiu Maio como o "mês das noivas" e a origem do buquê explicadas.
Para os celtas era o início do Festival de Beltane, o da fertilidade, simbolizando a união entre as energias masculina e feminina, o casamento entre o Deus e a Deusa, a Rainha de Maio, a Virgem.
Uma festa alegre, em que as mulheres usavam coroas de flores e todos dançavam ao redor das fogueiras. Eles acendiam duas fogueiras, pois o costume é de passar entre elas para se livrar de todas as doenças e energias negativas. Nos tempos antigos, costumava-se passar o gado e os animais domésticos entre as fogueiras com a mesma finalidade.
Daí veio o costume de "pular a fogueira" nas festas juninas. 




Uma das mais belas tradições, trata-se de um mastro enfeitado com fitas coloridas. Durante um ritual, cada membro escolhe uma fita de sua cor preferida ou ligada a um desejo. Todos devem girar trançando as fitas, como se estivessem tecendo seu próprio destino, colocando-os sob a proteção dos Deuses. É costume pagão jamais se casar em Maio, porque o festival era dedicado a honra da deusa.
Com o domínio da Igreja Católica e a criação da Inquisição, cujo objetivo era eliminar de vez as antigas crenças, e 1200 para cá, a Igreja Católica proibiu qualquer espécie de festividades, desde o casamento que não fosse outorgado por eles e declarou Maio como o mês de Maria, a mãe e rainha, transformado a festividade em rito da igreja. Como vemos nada é novo, apenas adaptado. 


Fonte e Foto: Blog Site Google: Livros sobre História Medieval,  Tradições Celtas e Inquisição e Igreja.