Loira do bem ∞ : 04/18/15

sábado, abril 18, 2015

Ler é preciso: 18 de Abril | Dia do Livro Infantil














 O Dia Nacional do Livro Infantil é comemorado em 18 de abril, data de nascimento de Monteiro Lobato, grande escritor da Literatura infantojuvenil.
A data não foi escolhida ao acaso: trata-se de uma justa homenagem a Monteiro Lobato, escritor que, como poucos, dedicou-se à literatura infantil no Brasil.
 O Dia Nacional do Livro Infantil foi instituído em 2002, ano em que foi criada a Lei 10.402/02, registrando a data de nascimento de Monteiro Lobato como o dia oficial da literatura infantojuvenil. Escritor vinculado ao Pré-Modernismo brasileiro que contribuiu com obras célebres para o público adulto, Lobato deixou também um enorme legado para a literatura infantojuvenil, já que mais da metade de seus livros era dedicada a esse público. Sua primeira história infantil, A menina do narizinho arrebitado, foi publicada em 1920, e o sucesso do livro fez com que outros tantos surgissem, imortalizando as personagens Dona Benta, Pedrinho, Narizinho, Tia Nastácia, Emília, o Visconde de Sabugosa, entre outros, que posteriormente seriam eternizados no famoso programa de TV produzido no final dos anos 1970 até meados dos anos de 1980 e retomado no final dos anos de 1990 até meados dos anos 2000.

Monteiro Lobato foi o primeiro escritor da literatura infantojuvenil a perceber a necessidade de inserir nas histórias para as crianças e os jovens elementos da cultura nacional, como os costumes do povo do interior e as lendas de nosso folclore. Fez isso de maneira única, combinando a identidade brasileira aos elementos da literatura universal, como a mitologia grega. Foi também o precursor da literatura paradidática, cuja principal característica é permitir que a criança aprenda enquanto brinca e lê.

Nascido em Taubaté, estado de São Paulo, no dia 18 de abril de 1882, Monteiro Lobato transformou-se em “gás inteligente” — definição bem-humorada que costumava dar à morte — no dia 04 de julho de 1948. Durante seus 66 anos de vida contribuiu intensamente para a literatura brasileira, transformando-se em referência no assunto. Para celebrar o dia da literatura infantojuvenil, escolha um dos vários títulos de Lobato e boa leitura!

Títulos da literatura infantojuvenil de Monteiro Lobato:
1 – Reinações de Narizinho;
2 – Viagem ao céu e O Saci;
3 – Caçadas de Pedrinho e Hans Staden;
4 – História do mundo para as crianças;
5 – Memórias da Emília e Peter Pan;
6 – Emília no país da gramática e Aritmética da Emília;
7 – Geografia de Dona Benta;
8 – Serões de Dona Benta e História das invenções;
9 – D. Quixote das crianças;
10 – O poço do Visconde;
11 – Histórias de tia Nastácia;
12 – O Picapau Amarelo e A reforma da natureza;
13 – O Minotauro;
14 – A chave do tamanho;
15 – Fábulas;
16 – Os doze trabalhos de Hércules (1º tomo);
17 – Os doze trabalhos de Hércules (2º tomo).

Por Luana Castro
Graduada em Letras | Site brasilescola
Imagem: reprodução Internet

Entendendo Paulo Freire: “Educar é se encharcar de sentido”.


Nome: Paulo Freire
Data de Nascimento: 19/09/1921
Cor dos olhos: Castanhos
Local: Recife/PE.
Raça: Humana.

“Educar é se encharcar de sentido”. Paulo Freire.

Aprender não é acumular conhecimento, estes são voláteis e superados, menos a capacidade de continuar, pensar a realidade. É sempre possível aprender, é um sujeito que aprende e não o mundo. Se educar é impregnar de sentido nossa vida. Educador é aquele que ajuda que constrói que dá sentido a isso. Ele é animador do que comunicador. O aluno tem que caminhar por si mesmo, com autonomia intelectual, a escola de cidadão para e pela cidadania. E não ser restritos, mas cidadãos plenos, segundo ele, a escola é a cidadã que exerce internamente, decisões democráticas. O aluno é protagonista, não em acatar normas. (eu entendo como aguçar a curiosidade, buscar pensar por si mesmo, formar opinião sobre, a escola deveria ser a ponte e não a solução suficiente e centralizadora em ideias).
O sistema segura, freia e não estimula pessoas para o aprendizado. Alguma coisa está errada, a escola não deveria ser burocrática, hierarquizada. O sistema tem dificuldade em aceitar Paulo Freire, não é lógico e (deveria ser dialógico / linguagem). E não ser apenas opressão, puramente unilateral e exercer o papel de doutrinalizador, mas o de formar gente em dialéticas. A contradição é o berço do diálogo. O conflito não pode gerar antagonismo. Solidariedade é condição de sobrevivência, conhecimento serviu para destruir o planeta, tornando o insustentável, a ética do mercado apregoa o Sonhar, mas Paulo nos mostra que este é um mundo possível, não pode fazer tudo, mas é possível melhorar. O mais importante é o Respeito. Freire respeitava o outro, não estressava e nem humilhava o outro, separando o bem do mal, mas busca pela teoria do diálogo, que se torna libertadora. Foi isso que chamou atenção de outras economias, o instituto Paulo Freire até o momento catalogou 90 países que estudam a teoria de Paulo Freire.   
Para ele, aprendiz é um sujeito, ele tem que ser respeitado em sua própria identidade. Só aprendemos quando aquilo faz parte de nosso projeto de vida. E isso faz parte da energia humana, capacidade de entender o porquê está neste mundo, a humildade diante do conhecimento e do mundo deve ser despertada por um professor.

Uma síntese copiada e retirada Canal TV Escola | Instituto Paulo Freire 
Conheça um pouco mais Paulo Freire, considerado o mais célebre educador brasileiro, com atuação e reconhecimento internacionais, entre as maiores universidades renomadas.

http://www.paulofreire.org/