sexta-feira, fevereiro 19, 2016

LINGUAGEM SOLTA DE ALMIR SATER E RENATO TEIXEIRA INEBRIAM O AR

Dezembro passado, dia 11 - Almir Sater e Renato Teixeira lançaram em parceira, pela primeira vez e em todas as plataformas digitais e à venda nas Melhores Lojas, '"AR" - que levam as iniciais dos Artistas. Almir e Renato em poucas palavras, explicam a beleza singular deste trabalho inovador e ousado, juntos perpetuam a derradeira Arte. Enquanto o parceiro Teixeira define o projeto como Folk moderno - entre o urbano e o rural , Sater define de modo mais arrojado: Nem folk nem country - mas voltadas para suas influências rock and roll. Seja o que for o estilo que define o disco, colocando tudo na Cumbuca, parecido com o que Robert Plant - ex Led Zeppelin, define: Música Híbrida.
Uma mistura de rock, música erudita, bluegrass, folk, country, bucólica e tudo o mais onde a sensibilidade artística alcance.
Abaixo trechos desta relevante prosa:

Foto: Capa CD"AR" - Crédito Eduardo Galeno.


UM ÁLBUM DE LINGUAGEM SOLTA


AR é um álbum de linguagem solta, sem pretensões maiores, ou sem pretensão alguma. "Começamos a fazer as músicas para nós mesmos. Não estávamos esperando nada por isso", diz Almir Sater. "Ficamos seis anos com esse material, até que decidimos jogá-lo nas mãos do Eric Silver (produtor norte-americano)", lembra Renato Teixeira.
Eric apareceu com duas funções: deu a costura e um prazo. "Ele fez o disco acontecer", diz Almir.

Mais do que isso, imprimiu um diálogo inédito no álbum, entre a música do campo brasileira e a música country norte-americana. E fica claro que tudo é uma questão de arranjo. Uma mesma canção, como a abertura de D de Destino, poderia ser mais ou menos caipira se não tivesse o órgão Hammond B3 de Mike Rojas, a sensacional linha de baixo do próprio produtor Eric Silver, a bateria de Wayne Killius ou os vocais de Tania Hancheroff e Vicky Hampton, todos norte-americanos. É a forma de tratar a música que a faz mais ligada a um ou outro território.

A alma que o disco vai ganhando é a de um gênero que também fala português chamado folk, que surge em sua origem da ideia de folclore. E aparece no momento em que uma cena nova e rica de canções cheias de verdade, embaladas por violões com cordas de aço, pianos e vozes em coro.
De qualquer forma, não é como um disco de folk que Almir Sater "enxerga" o que ouve em AR. "Não me parece country nem caipira.. Não sei... Fomos buscando nossas influências e a coisa foi tomando essa forma", explica.

Ele diz que perdeu a conta das vezes em que ouviu D De Destino quando recebeu o áudio do produtor Eric Silver, que finalizou o material em Nashville, nos Estados Unidos: "Eu estava na estrada, em uma viagem longa, e não consegui parar de ouvir."

Renato prefere passar o resultado do disco por outro filtro. Ele acredita no folk moderno como uma espécie de terceira via para a música do campo, nem na extremidade do caipirismo clássico nem na ponta do sertanejo romântico e urbano, mas percebe mais o rock dos anos 1970 dando as cartas. E tem bons argumentos para isso. A mesma D de Destino é, para ele, um rock.



Almir fala de um aspecto curioso de sua formação, algo que fica mais evidente agora. A música caipira, sobretudo a de Tião Carreiro e Pardinho, conta com sua reverência eterna, mas ele mesmo não é um exemplo de ouvinte das modas de viola. "As pessoas não sabem, mas gosto muito do rock and roll que os ingleses faziam nos anos 70". Ele cita Eric Clapton, John Mayall e seus Bluesbrakers, Marc Knopfler e Jethro Tull. Sua viola tem em AR uma intenção muitas vezes de guitarra ou de violão. Ela cria climas no acompanhamento, mas raramente rasqueia ou faz solos.

Uma outra canção de destaque faz da Festa de Santo Reis uma balada roqueira setentista. Noite dos Sinos, cantada por Almir, é de elevar o ouvinte a dois pés acima do chão. Um clima que produtores americanos são mestres em criar na música country, com uma liberdade envolvente de pianos, violões, órgão Hammond e vozes, mais baixo, bateria e bandolim. Ao vivo, deve virar uma daquelas orações redentoras.

Bicho Feio é outro ponto de conexão entre as linguagens em comum de dois países que nem falam o mesmo idioma. Almir faz um arpejo em escala menor, com frases ágeis, que lembra muito o blueglass americano. E o melhor é que ele nem havia percebido isso.


Por Julio Maria | O Estado de São Paulo | 18/02/2016
Leia na íntegra: Cultura | Estadão

quinta-feira, fevereiro 18, 2016

Planeta Sustentável: O quão verde são as nossas atitudes?

VOCÊ E UMA PESSOA DE ATITUDES VERDES?
"As pessoas têm que cuidar melhor da natureza, para que as futuras gerações possam viver bem" Almir Sater enfatizou numa entrevista em Uberlandia, nov/2007. Portanto, todos nós sabemos que o violeiro é a favor da conservacionismo do planeta verde.
E nós? Então vamos checar o quão verde são as nossas atitudes?
Partindo deste princípio a IDEC, Instituto de defesa do consumidor criou a campanha: "MUDE O CONSUMO PARA NÃO MUDAR O CLIMA". O objetivo é o da conscientização e já que somos fãs de grande Artista, vamos seguir em frente, melhorando cada dia mais as nossas atitudes, para preservar o verde de nosso planeta.
Faça o teste e veja se você está dentro das atitudes verdes:
ENERGIA ELÉTRICA
1- Em sua casa você utiliza lâmpadas fluorescentes?
A- não.
B- utilizei apenas durante o racionamento de energia elétrica em 2.001
C- sim, apenas nos ambientes em que a luz fica acesa por mais de 4 horas seguidas.

2- Na hora de comprar os aparelhos elétricos:
A- Você nem pensa em avaliar o consumo de energia.
B- Dá uma olhada na quantitade de energia, mas não é fator que determina sua escolha.
C- O menor consumo de energia é um dos critérios considerados na hora da escolha.

3- É costume na hora de lavar a louça ou a roupa:
A- Ligar qualquer um das duas máquinas mesmo sem utilizar a capacidade máxima.
B- Na maioria das vezes ,mas nem sempre, junta a roupa ou louça até alcançar a capacidade máxima da maquina.
C- Você sempre espera atingir a capacidade máxima para ligar a máquina.

 ÁGUA
4- EM SUA CASA:
A- Você não desliga a torneira ao ensaboar a louça ou escovar os dentes.
B- Quando se lembra da importância, de economizar a água,mantém a torneira fechada enquanto ensaboa a louça ou escova os dentes.
C- Mantém a torneira fechada ao ensaboar a louça e escovar os dentes.

5- NO BANHEIRO:
A- as válvulas dos vasos sanitários são dessas convencionais.
B- as válvulas dos vasos sanitários são dessas convencionais,mas você pretende trocá-las assim que possível.
C- Os vasos sanitários são equipados com caixa acoplada ou válvula que utilizam apenas 6 litros.

6- QUANTO TEMPO O CHUVEIRO FICA ABERTO ENQUANTO VOCÊ TOMA BANHO:
A- 15 minutos.
B- entre 5 a 10 minutos.
C- Não mais que 5 minutos.

7- A CALÇADA EM SUA CASA OU PRÉDIO É:
A- lavada com mangueira normal.
B- lavada com mangueira de alta pressão ou balde.
C- Varrida e, quando lavada,usa-se a água reaproveitada.

LIXO E RECICLAGEM
8- EM SUA CASA:
A- Você não separa o lixo.
B- Separa e encaminha material para a reciclagem, mas não lava as embalagens sujas ou joga as embalagens sujas no lixo comum.
C- Você separa todos os materiais recicláveis, dando uma lavada( com a água que se lava a louça), nas embalagens recicláveis e encaminha o material separado para os projetos de coleta seletiva ou doa para os catadores.

9- NA HORA DE COMPRAR:
A- Você escolhe os produtos independentemente se eles tem embalagens desnecessárias ou se são recicláveis ou não.
B- Você evita produtos com embalagens desnecessárias e dá preferencia a produtos cuja embalagens são recicláveis.
C- Você evita produtos com embalagens desnecessárias , dá preferência a embalagens recicláveis e liga para o serviço de consumidor das empresas,questionando o que fazer com embalagens não recicláveis.

ALIMENTOS
10- Você Compra:
A- Apenas alimentos convencionais.
B- Alimentos orgânicos,quando é possível.
C- Alimentos orgânicos e na falta de algum produto,dá preferência aos convencionais da estação,(que necessitam nenos agrotóxicos).

11- EM SUA CASA:
A- muita comida é jogada fora,pois ela apodrece antes de ser consumida.
B- Já conseguiu reduzir a quantidade de comida que vai para o lixo ao planejar melhor as compras,mas ainda joga fora, pois compra por impulso.
C- Comida não se joga fora. você compra frutas,verduras e legumes a granel e apenas o que vai se utilizado.

TRANSPORTE
12- VOCÊ USA O CARRO:
A- para ir a qualquer lugar, mesmo pequenas distâncias.
B- As vezes, evita tirá-lo da garagem, mas na maioria das vezes não consegue mudar o hábito e acaba usando-o até para distâncias curtas.
C- Sempre que possível,pega carona,anda a pé ou utiliza transporte público.

13 - VOCÊ É DO TIPO:
A- Que não calibra o pneu regularmente,não verifica a água e o óleo,nem faz revisões periódicas do veículo. só vai para a oficina quando o carro quebra.
B- Que calibra os pneus, regularmente e troca o óleo n o tempo recomendado, mas não tem o hábito de fazer revisões ou manutenções preventiva no veículo.
C- Usuário exemplar,que respeita sempre os prazos para a troca de peças e faz revisão e manutenção regulares.

RESULTADO:
Para saber o tipo de consumidor e se é uma pessoa de atitude verdes, some as respostas de cada letra A, B e C.

MAIORIA RESPOSTAS C:
Parabéns.Você é um consumidor cidadão. Continue assim procure sempre melhorar os seus hábitos de consumo e ajude a conscientizar os que estão a sua volta: amigos, parentes, colegas de trabalho.

MAIORIA RESPOSTAS B:
Você parece ser um consumidor consciente, mas pode melhorar. Mais do que estar consciente, ainda precisa mudar de fato os hábitos de consumo, está no caminho certo, mas precisa acelerar o passo.

MAIORIA DAS RESPOSTAS A:
Você anda alienada, mas calma:Nunca é tarde para mudar.  Reflita sobre os impactos sociais e ambientais de seus hábitos de consumo e comece já a mudança.


"Acho que a reciclagem de lixo é muito importante. Tenho viajado por aí e nota-se o grau de civilização pela quantidade de lixo que encontra-se nas ruas. Se você começar a rodar por esse Brasilzão, você vai ver que têm muitas diferenças com lugares muito sujos, muito mal cuidados e lugares limpos. Acho que é educação. A ecologia começa com a educação em casa"(Almir Sater) - entrevista Maringá, 20 de maio de 2001.

 Portanto que seja só de VERDE o nosso planeta. Senão..."Treme a Terra, Perde a Paz"(João Bá e Almir Sater).
O Texto sobre Atitudes Verdes e o Teste foram extraídos da Revista Bons Fluídos, edição 111, Junho 2.008.

quarta-feira, fevereiro 17, 2016

GENTILEZA OU RUDEZA – A ESCOLHA É NOSSA.



“Até que ponto você vai na vida depende de você ser gentil com o jovem, compassivo com o idoso, misericordioso com o esforçado e tolerante com o fraco e o forte. Porque algum dia na vida você terá sido todos eles.” ― George Washington Carver - botânico, inventor, cientista e agrônomo norte-americano.

Imagem: Giusseppe Domínguez poeta.

Reza a lenda que pessoas machucadas ferem outras, há fundamento, porque por trás de uma pessoa raivosa ou arrogante, há alguém que quer externar ao mundo, suas dores, angústias, frustrações e amarguras passadas. Mas, não podemos transferir aos outros, todas as nossas tristezas e desapontamentos, como uma metralhadora giratória. Só vamos acumular mais dores e desconcertos. Muitas vezes ferir também as pessoas erradas. No Filme ParaNorman – há uma frase assim: “Passou tanto tempo lembrando-se das pessoas más, que se esqueceu de lembrar-se das boas”. 

É verdade, focamos tanto nas experiências ou pessoas que nos feriram, sabotaram e  foram indiferentes que não lembramos mais, daquelas que nos alegraram, deram oportunidades e fizeram a diferença em nossa vida, em algum momento. Sermos mais gentis conosco, porque só assim seremos mais assertivos com os outros. 

Os outros também têm o direito de suas escolhas, de não compartilhar de nossos sonhos, sentimentos ou ideais, o que não quer dizer que por isso somos menos respeitados, mas talvez as afinidades, propósitos não sejam compatíveis com os nossos. Nem sempre tomamos o caminho certo também e escolhemos as pessoas certas, que nos fez felizes, mas certamente naquela ou em outra ocasião, era a escolha mais correta. 

A internet tem sido palco dessas ações, pessoas  sempre com uma pedra na mão, julgando, criticando, condenando, desdenhando das outras, e quando não atingem o objetivo, se fazem de vítimas da situação. Não expõe suas opiniões mas provocações.  Não podemos fazer dos outros, o depósito para despejar nosso lixo emocional. Porque certamente elas também em algum momento tiveram ou têm experiências parecidas como as nossas, no entanto buscam um comportamento mais assertivo e menos antissocial. Se assim não fosse, só restariam dois lugares para nós: a prisão ou hospício. Para isso que existem as regras sociais, a tal da polidez.

As más experiências ou frustrações, que vivenciamos não farão as nossas atitudes e vida melhores agora, ou apagar de dentro de nós, as nossas cicatrizes, marcas ou perdas com as relações destrutivas. Podemos optar por alimentar essas mágoas e ressentimentos ou continuar vivendo e crescendo com as experiências. 

O que fazer, então?. Criaremos um novo padrão mental. Ocupar o nosso tempo para adquirir Sabedoria, Superação, nos cobrar ou  nos culpar menos, perdoar-nos mais. Buscar por atitudes mais positivas, investindo pesado em nós, a começar pelo Respeito. 
"Só quem se respeita, consegue ter respeito pelos outros". 
Ao invés de ocupar nosso tempo, em maldizer, proferir palavras ferinas, provocar atritos, fazer fofocas e intrigas, e se alimentar de energia negativa, vamos buscar entendimento, ler, estudar, pesquisar mais.  Descobrir nossas reais habilidades, metas e sonhos. 
Pode ser que o outro não nos amou como queríamos, mas nos amou de algum modo. Pode ser que aquele patrão ou chefe,  não nos deu o devido valor, mas quem sabe não era o lugar que deveríamos estar, pode ser que aquele amigo nos magoou, mas nós também o machucamos  até inconscientemente algumas vezes. O inferno nem sempre foram os outros. Às vezes lutamos, sabotamos, sofremos porque nunca nos perguntamos, se todas aquelas coisas de fato pertenciam a nós. São inúmeras as possibilidades para desbravar, alcançar a autorrealização, sem precisar se ferir sempre.

Subam a montanha com Friedrich NietzscheAquilo que não me mata, só me fortalece” e desçam mais leves, com a certeza de que se agimos com retidão, compaixão, justiça, bondade e amor, não serenos nós, os amargurados e raivosos.  

A vida é muito breve, curta e fugaz para agir e ser, apenas seres medíocres e mesquinhos, que só provocam dores, sofrimentos, discórdias e constrangimentos aos outros, mesmo os malvadinhos segundo nossa percepção. Certas horas, sabemos que  não vamos suportar ser “gentis” com tanta parvoíce ou falta de bom senso de alguns, mas deixa que eu lhes diga, humanos têm rompantes, é óbvio. Mas voltamos para o trilho de novo, o caminho da gentileza. E descobriremos que não existem finais, apenas recomeços.

domingo, fevereiro 07, 2016

Theatro NET Rio anuncia shows de Almir Sater para Março.

Almir Sater leva sua arte e moda de viola para o Rio de Janeiro.
Rio de Janeiro se rende mais uma vez a moda de viola de Almir Sater. Segundo o site do Theatro NET Rio Almir Sater apresentará três espetáculos imperdíveis em Copacabana. O Artista sobe ao palco nos dias 21, 22 e 23 de Março, previsto para as 21h00. 

Os ingressos já estão à venda e direcionados para o link do Ingresso Rápido  no Site Theatro NET Rio. Os valores variam de 180 a 70 reais ( Inteiras e meias) de acordo com a posição do palco. Assinantes do Apontador, CARAS, O Globo e Cliente NET têm descontos nas aquisições, que variam de 30 a 50% conforme a empresa.

No palco, acompanhado de sua banda, Almir Sater  revisita sua carreira de mais de 30 anos de sucesso e de estrada. Em suas apresentações, canções como Tocando em Frente, Chalana, Comitiva Esperança, Trem do Pantanal, No Rastro da Lua Cheia e as belas instrumentais não devem faltar. 

Com 10 discos solos gravados, em Dezembro passado  (11), o Artista em conjunto com Renato Teixeira, parceiro musical e amigo de longa data, lançaram nas plataformas digitais, seu mais novo projeto intitulado “AR”, surpreendendo a todos com a bela novidade.

Gravado entre o Brasil e Nashville (EUA), com produção do norte-americano Eric Silver e distribuído pela Universal Music, o álbum traz 10 músicas inéditas compostas por eles, sendo que três delas levam assinatura com outros parceiros. Em “Amor Leva Eu” com o produtor e músico Eric Silver, “D De Destino” a canção de trabalho, com Paulo Simões e o country “Bicho Feio”  do violonista Rodrigo Sater, irmão de Almir.  
Sem dúvida, um disco ímpar e contagiante que agrada em cheio todas as gerações.  O CD “AR” já se encontra à venda nas melhoras lojas do país e nas plataformas digitais.

segunda-feira, fevereiro 01, 2016

Sociedade: Respeito e Honra


Muito ouvimos dizer, que “educação vem de berço”, mas na prática é bem diferente. A julgar pela quantidade de falta de respeito, agressões verbais e manipulações na Internet. E por incrível que pareça não vêm de jovens, os mais opressores, mas das pessoas maduras e muito delas, em torno da terceira idade, infelizmente. Parece que a Internet liberou tudo aquilo que essas pessoas por anos estavam entalados dentro delas, reprimidas e contidas. Virtudes como a cordialidade, o bom senso, a cortesia, empatia e o respeito passam longe, elas querem por querem, seu ego satisfeito. Respeito, Honra e Dignidade são coisas do passado.

E não se sentem envergonhados ou param para refletir, a ação de suas palavras e quando não conseguem atingir o alvo, a manipulação emocional ( de opressor para o oprimido), em segundos o vilão virou a vítima. O orgulho por não estar certo, ou por receber uma resposta assertiva, mas sem amaciar o ego ou a vaidade, é pecado mortal para algumas pessoas. Elas quase nunca aceitam uma negativa, ou limite para a insensatez. Como se todos tivessem obrigação de servir, adular e acatar suas ideias, por mais inusitadas que sejam. Acho que a canção de Cora Flora, uma cantora canadense abaixo, representa bem esses sentimentos: "Eu não estou aqui pra alimentar sua autoestima" e nós precisamos crescer emocionalmente, e acredito que tudo comece com a Cultura e a humildade. Nós não vamos mudar o conceito que os outros fazem de nós, se não mudarmos o conceito que fazemos de nós mesmos. Leandro Karnal, historiador e professor mais afamado da Internet em uma de suas dissertações nos atenta para uma importante reflexão “Só se ofende quem não se conhece”. Fato este que passei a tomar como verdade. Quem tem autoestima, amor próprio e autorrespeito, dificilmente parte para a ignorância e sedentos pela humilhação do outro, como prêmio pela insegurança ou misérias humanas.
O outro não pode ser o depósito do nosso lixo, dos nossos erros, fracassos, desconcertos e frustrações.
A partir do momento que eu me reconheço e com autoaceitação, perdoo a mim mesma pelos meus defeitos e deficiências, eu crio um novo mecanismo, em que as pessoas já não têm mais poder de me ferir e a frustração, a negativa faz parte de convívio social. Não podemos agir como crianças birrentas que não podem ser contrariadas o tempo todo, e que os demais condicionados a nos agradar, a adular, ou satisfazer todos nossas expectativas. Nem todas as pessoas vão nos amar, nem todas vão nos aceitar e nem todas vão nos valorizar, mas tem por obrigatoriedade seguir o código de honra, de nos respeitar.
É certo que não temos controle sobre pessoas, coisas e só estamos conectadas a elas.

 

 Geralmente as pessoas machucadas sentem necessidade de machucar outras. E isso também não é o caminho para a cura. Criamos um ciclo de negatividade e nos ferindo ainda mais.
Sejamos menos rústicos, a vida é muito breve para tanta arrogância, agonia e competitividade. Se for para competir, que seja na elegância, na assertividade e autocontrole. E se isso não tiver reciprocidade, simplesmente feche a porta e siga em frente sem raiva.
 Há tantas estradas, janelas esperando para ser abertas ou desbravadas.Não precisamos levar junto o lixo dos outros ou que criamos com nossa criancices.

Respect & Honour
Respeito e Honra.
Cora Flora – cantora canadense.
Eu sou uma velha alma num corpo jovem
Nós somos todos infinitamente iguais com únicos desafios e bênçãos
Eu respeito e honro meus sentimentos
Eu respeito e honro a mim mesmo
Eu acredito e apoio meus verdadeiros sentimentos
Eu respeito à voz da minha alma
Eu não estou aqui pra alimentar sua autoestima
Eu respeito e honro você, mas se você
não for reciproco eu vou embora.
Eu respeito e honro meus sentimentos
Eu respeito e honro a mim mesmo
Eu expresso e honro meus sentimentos
Eu espero respeito de volta
Eu estou aqui pra fazer brilhar a luz do meu amor
e ser minha verdadeira beleza azul e maravilhosa alma
E se minha luz mostrar suas sombras
Você pode resistir ou você pode crescer
E se sua luz me mostrar minhas sombras
Eu vou te honrar e crescer.
Julgamento, ciúmes, fofocas e depreciamento de energia
Nós só nos bloqueamos de ser o melhor que podemos ser
Nós estamos designados para harmonia
Eu estou aqui pra te respeitar e te honrar
Enquanto estou me respeitando e me honrando também. 
Blessed Be!