Loira do bem ∞ : 10/21/10

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Você é resiliente?

Para Eduardo Carmello, autor do livro Supere! A Arte de Lidar com as Adversidades (Ed. Gente), os indivíduos resilientes normalmente são pessoas que possuem uma combinação das características abaixo apresentadas:



• São auto confiantes: acreditam em si e naquilo de que são capazes de fazer.
• Gostam e aceitam mudanças: encaram as situações de estresse e adversidade como um desafio a ser superado.
• Têm baixa ansiedade e alta extroversão: são abertos à novas experiências e formas de se fazer as coisas.
• Têm auto conceito e autoestima positivos: conseguem administrar seus sentimentos e suas emoções em ambientes imprevisíveis e emergenciais.
• São emocionalmente inteligentes: conhecem suas emoções, sabem administrá-las, sabem automotivar-se, reconhecem emoções em outras pessoas e sabem manejar relacionamentos.
• São altamente criativos: procuram constantemente por inovações.
• Dispõem de uma eficaz capacidade de resposta: mantém altos níveis de clareza, concentração, calma e orientação frente a uma situação adversa.

• Eduardo Carmello não acredita que uma pessoa consiga ser 100% resiliente. “Seria a mesma coisa que dizer que somos invulneráveis ou super-heróis que suportam tudo e todos.

• Podemos ser resilientes em determinados momentos e/ou circunstâncias e não sermos tão competentes em outros!
• “Quando mais resiliente for o indivíduo maior será o desenvolvimento pessoal; isso torna uma pessoa mais motivada e com capacidade de contornar situações que apresente maior grau de tensão... Permitir-se sentir dor, recuar e, às vezes, enfraquecer para em seguida retornar ao estado original... Um indivíduo submetido a situações de estresse que tem a capacidade de superá-las sem lesões mais severas (“rachaduras”) é
um resiliente.”http://www.artigos.com/artigos/sociais/administracao/recursos-humanos/resiliencia-1443/artigo/

• “Resiliência não significa ausência de sofrimento. A diferença é a forma de vivenciá-lo. Pessoas resilientes têm grande capacidade de adaptação."Ana Maria Rossi,psicóloga.
• "Elas sofrem, mas reúnem forças e se reposicionam". Carmem Rittner, psicóloga.

• Um estudo conduzido pela ISMA-Br revela as características dos resilientes:
Autoestima :97% dos resilientes têm essa qualidade em alta. Eles transformam obstáculos em desafios, com a certeza de poder superá-los.
• Flexibilidade :86% mostram grande capacidade de adaptação, lançando mão da criatividade para superar as situações adversas.
• Sentido de vida :78% possuem objetivos bem definidos e um claro porquê para sua existência. http://saude.abril.com.br/edicoes/0282/bem_estar/conteudo_212059.shtml
PROCESSOS-CHAVE DA RESILIÊNCIA
• SISTEMA DE CRENÇAS
(o coração e a alma da resiliência)
1. Atribuir sentido à adversidade:
• Valorização das relações interpessoais (senso de pertencimento);
• Contextualização dos estressores como parte do ciclo de vida da família;
• Sentido de coerência das crises: como desafios administráveis;
• Percepção da situação de crise: crenças facilitadoras ou constrangedoras.

2. Olhar positivo:
• Iniciativa (ação) e perseverança;
• Coragem e encorajamento (foco no potencial);
• Esperança e otimismo: confiança na superação das adversidades;
• Confrontar o que é possível: aceitar o que não pode ser mudado.

3. Transcendência e espiritualidade:
• Valores, propostas e objetivos de vida;
• Espiritualidade: fé, comunhão e rituais;
• Inspiração: criatividade e visualização de novas possibilidades;
• Transformação: aprender e crescer através das adversidades.

• PADRÕES DE ORGANIZAÇÃO
4. Flexibilidade:
• Capacidade para mudanças: reformulação, reorganização e adaptação:
• Estabilidade: sentido de continuidade e rotinas.

5. Coesão:
• Apoio mútuo, colaboração e compromisso;
• Respeito às diferenças, necessidades e limites individuais;
• Forte liderança: prover, proteger e guiar crianças e membros vulneráveis;
• Busca de reconciliação e reunião em casos de relacionamentos problemáticos.

6. Recursos sociais e econômicos:
• Mobilização da família extensa e da rede de apoio social;
• Construção de uma rede de trabalho comunitário: família trabalhando junto;
• Construção de segurança financeira: equilíbrio entre trabalho e exigências familiares.

• PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO
7. Clareza:
• Mensagens claras e consistentes (palavras e ações);
• Esclarecimentos de informações ambíguas.

8. Expressões emocionais “abertas”:
• Sentimentos variados são compartilhados (felicidade e dor; esperança e medo);
• Empatia nas relações: tolerância das diferenças;
• Responsabilidade pelos próprios sentimentos e comportamentos, sem busca do “culpado”;
• Interações prazerosas e bem-humoradas.

9. Colaboração na solução de problemas:
• Identificação de problemas, estressores, opções;
• “Explosão de ideias” com criatividade;
• Tomada de decisões compartilhada: negociação, reciprocidade e justiça;
• Foco nos objetivos: dar passos concretos; aprender através dos erros;
• Postura proativa: prevenção de problemas, resolução de crises, preparação para futuros desafios.(Strengthening family resilience (Walsh , 1998) in Psicologia em Estudo, Maringá, v. 8, num. esp., p. 75-84, 2003).

•  “O problema não é o problema. O problema é a sua atitude com relação ao problema” Kelly Young
• “Pense no papel que atribui a si mesmo. Não é bom ser vítima nem ser herói, é bom ser humano.”Yeda Mazepa, psicóloga.
• “A adversidade desperta em nós capacidades que, em circunstâncias favoráveis, teriam ficado adormecidas” Horácio
Eduardo Carmello é consultor organizacional e educacional, diretor da Entheusiasmos Consultoria em Talentos Humanos. É também especialista em Gestão Estratégica de Pessoas e Qualidade de Vida no Trabalho e realiza palestras e treinamentos voltados a orientar as pessoas como se comportar diante de uma situação adversa para não ter o seu rendimento profissional comprometido.site: http://www.entheusiasmos.com.br/. Autor do livro Supere! A Arte de Lidar com as Adversidades (Ed. Gente),

Motivação Pessoal | A importância da Resiliência

RESILIÊNCIA: Fortaleza e Flexibilidade.
Quantas vezes, nos deparamos com situações adversas, que muitas vezes não estamos preparados para digeri-las ou vive-las, mas, mesmos assim somos condicionados a buscar uma força sobre humana para que possamos dar a volta por cima e continuar "Tocando em frente",- isso é um dos fatores que nos levam a ser considerados resilientes. saiba mais ..

• “A palavra vem do latim “resílio”, que significa voltar ao estado natural.”

A resiliência é um termo oriundo da física. Trata-se da capacidade dos materiais de resistirem aos choques e que até a década de 60, era empregado somente para o campo da física mecânica, para descrever a capacidade de um material voltar ao seu ponto de origem após ter recebido um choque. Ex: a espuma.

Esse termo passou por um deslizamento em direção às ciências humanas e hoje representa a capacidade de um ser humano de sobreviver a um trauma, a resistência do indivíduo face às adversidades, não somente guiada por uma resistência física, mas pela visão positiva de reconstruir sua vida, a despeito de um entorno negativo, do estresse, das contrições sociais, que influenciam negativamente para seu retorno à vida.

Assim, um dos fatores de resiliência é a capacidade do indivíduo de garantir sua integridade, mesmo nos momentos mais críticos,retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica”.

Na ecologia: é a capacidade que tem um ecossistema(ou uma espécie) de recuperar seu funcionamento ou desenvolvimento após ter sofrido um trauma;

Na economia: é a capacidade que tem de voltar a uma trajetória de crescimento após ter sofrido uma crise;

Na física: é a capacidade da resistência de um material diante de um choque.

Na Psicologia: é a capacidade de assumir e ultrapassar um trauma;

Na Informática: é a capacidade de um sistema ou rede continuar em funcionamento em caso de pane.

• Com o passar dos anos, o termo fez seu caminho e foi adotado por inúmero estudiosos desejosos de mudar de ângulo de visão e focalizar as possibilidades do ser humano mais do que suas patologias e dificuldades...

• A resiliência é uma capacidade inata de todo ser humano, de aproveitar [absorver] — consciente ou inconscientemente — os recursos [apoios] do seu entorno familiar e social [outros seres humanos], para desenvolver suas capacidades de viver, crescer, dar e cuidar de outras pessoas e, quando necessário, sobreviver [às situações dramáticas] e, a partir delas, aprender e fortalecer-se.” Resiliência: Um olhar diferente sobre a tragédia humana. Carlos Arturo Molina-Loza.

• “As pessoas não podem saber se vão ou não ficar com raiva quando algo inesperado acontecer em suas vidas, mas podem sim definir quanto tempo vão querer ficar alimentando esse sentimento, assim como fazer para canalizar essa emoção com uma ação construtiva...Resiliência não é uma personalidade e sim uma habilidade de gerenciar um conjunto de características e/ou atitudes para lidar adequadamente com as situações consideradas adversas”.(Eduardo Carmello, autor do livro Supere! A Arte de Lidar com as Adversidades)

• “80% das pessoas diminuem a eficácia de suas competências quando passam por situações que interpretam como imprevisíveis, adversas, turbulentas ou ameaçadoras.

20% conseguem manter-se competentes em ambientes de pressão e utilizam suas características afetivas, comportamentais e cognitivas para enfrentar uma situação adversa com sucesso...O ser resiliente é aquele que decidiu interpretar a adversidade como uma circunstância e um aprendizado da vida e escolheu a inteligência e a esperança em vez da vitimização e do desespero.”Yeda Mazepa, psicóloga.

• “A ideia de resiliência pode ser comparada às modificações da forma de uma bexiga parcialmente inflada, se comprimida, adquirindo as formas mais diversas e retornando ao estado inicial, após pressões exercidas sobre a mesma. (Dr. Alberto D'Auria: 2005)

• Situações imprevistas e inesperadas proporcionam simultaneamente riscos e oportunidades.
• Pessoas resilientes conseguem "fazer do limão uma limonada",
• Indivíduos resilientes sonham alto, e os seus sonhos envolvem outras pessoas, que provavelmente se inspirarão com seus exemplos de humanidade e senso coletivo.”
(Rosley Sulek Buche Barros, psicopedagogia)

*Resiliência: Definição: (Professora Sandra Maia Farias Vasconcelos, Dr.).