Loira do bem ∞ : Abril 2017

quinta-feira, 27 de abril de 2017

VIVER EM CONDOMÍNIO EXIGE BOM SENSO

Morar em condomínio exige algumas regras básicas: tolerância, jogo de cintura e bom senso, pois “Condomínio” significa “propriedade comum”. A propriedade, portanto, possui vários donos – chamados de coproprietários ou condôminos - e formam um grupo. São pessoas diferentes compartilhando os mesmos espaços. O comportamento cordial e altruísta melhora, e muito, a qualidade de vida de todo o conjunto de condôminos

No entanto, essa consciência de limite e espaço é para poucos, na boca de ‘quase’ todos seja proprietário ou inquilino, quando estão envolvidos em algo que vão atingi-los, a resposta é o jargão pobre “pago condomínio em dia”. Infelizmente esquecemos que “o direito de um termina quando começa o do outro”, e que a propriedade está no limite do seu espaço privado. Então, não cabe justificar atitudes antissociais e tendenciosas, do tipo ‘pagam o condomínio em dia’, que é o “rateio mensal de todas as despesas assumidas em conjunto”, e que todos os demais também arcam e pagam.
Trata-se de um compromisso moral e não o passaporte para liberdades egoístas, ações que vão de alguma forma tumultuar o ambiente por capricho, falta de educação ou excesso de vaidade e ego. Quando uma pessoa se justifica dessa forma os seus excessos, demonstra ser grosseira e soberba de má educação e formação, das quais acha que o mundo gira em torno do seu umbigo, não saiu ainda do estado de “criança mimada” onde suas vontades devem ser sempre satisfeitas e aceitas e sem  nenhuma consideração alheia. Morar em condomínio exige civilidade, empatia e atitudes sensatas, indispensável que aja a efetiva colaboração de cada um.

Morar em prédio é diferente de morar em casa, temos que colocar os interesses coletivos em primeiro lugar, um dos caminhos para resolver os problemas comuns e inerentes ao convívio em condomínio. Para isso o respeito e bom senso devem vir antes do ego, individualidade e da arrogância, e humildade para repensar nossos atos, atitudes e nas situações que ajudam a formar sentimento de coletividade. Ao desrespeitar as normas de convivência, além da moral e dos bons costumes, comprometer o bem-estar de toda a comunidade, também fere a ética cristã (tudo aquilo que causa dor, sofrimento e constrangimento aos outros), não é coisa de Deus, é certo. E se agimos pela omissão "vista grossa" permite que outras pessoas ocupem nosso espaço, fortalecendo-se com ele e, muitas vezes, se impondo em detrimento de muitos que ficaram à margem e excluídos totalmente do processo decisório.

Então, sejamos os fazedores da harmonia, boa convivência e coerentes entre o agir e o falar. Viver em condomínio exige destreza, são para pessoas elegantes em atitudes, educação, bom senso, boas maneiras e que saibam se colocar no lugar dos outros, o dinheiro, objetos e adornos ficam em último lugar, são apenas adereços voláteis, traz segurança e 'respeito' social, mas de nada nos serve, sem qualidade e formação, enquanto indivíduo.
Baseado em fontes consultadas no Google sobre ' difícil arte de (con) viver em condomínios'.
Fotos - Internet Google. 

sábado, 15 de abril de 2017

REDE DE RELACIONAMENTOS

No filme Coração de Cavaleiro, o Rei Edward ao desfazer uma injustiça e sagrar o jovem Willian, até então ‘farsante’,  com o título “ Sir “ no  torneio,  disse:  “Seus amigos lhe amam, se eu não soubesse mais nada sobre você, isso já me bastaria”. Ou seja, é  incalculável o valor da amizade, de laços leais e sinceros.
Um passaporte que abre portas para os que valorizam caráter e ações coerentes. Aqueles que têm essa sorte devem cultivar os seus amigos como verdadeiros tesouros e se eles estiverem ao redor, a felicidade é dobrada e as dores são menores. E para ter esse privilégio que são para poucos, porque nem todos, estão dispostos a aceitar o outro, com sua cultura e juízo de valores diferentes, sem gerar preconceitos e atritos e  manter uma rede de relacionamentos saudáveis e desenvolver  sentimentos assertivos,  além de exercitar a via de mão dupla,  e muito respeito.
Vamos imaginar quantas pessoas desde a nossa infância até os dias atuais passaram pela nossa vida, vizinhança, escola, trabalho, academia, faculdade, igreja ou lazer. Quantas delas nunca  mais ouvimos falar, e talvez nem vê-las mais. Então,  não seria interessante,  rever ou reatar alguns desses laços que no passado, talvez nem todos, mas certamente vários contribuíram para nossa formação
Uma rede de relacionamentos enriquece nossa vida em todos os sentidos, é um caminho-chave para alçar voos ou permanecer firme no chão.  Muitas vezes, por medo  de  ferir ou decepcionar, nos fechamos  em um casulo e criamos muros intransponíveis. Mas não fomos feitos para viver isolados, precisamos um dos outros, em afeto, reconhecimento e oportunidades.  Certo, para algumas pessoas não seremos “bons” o suficiente por mais que desejamos e  da mesma forma que outras não serão para nós também, por mais que dizem.  As relações interpessoais exigem flexibilidade, focar mais nos pontos fortes de cada um, e menos nos defeitos, aprender a ouvir mais e se colocar no lugar do outro. A psicologia nos diz que quando criticamos as pessoas, aliviamos as nossas frustrações.
Sim, também há relacionamentos que fazem muito mal, são peçonhentos e abusivos. Por isso, colocar numa balança e avaliar as ações e atitudes, assim como no “Coração de Cavaleiro” - “Você foi medido, pesado, avaliado e considerado insuficiente”. E, então mesmo dolorido, seguir em frente, as  perdas e frustrações nos ajudam a crescer, como diz o roqueiro Humberto Gessinger  “Perdoa o que puder ser perdoado e esquece o que não tiver perdão”.  

Em algum lugar, cedo ou tarde, vamos cruzar com pessoas que esperam uma oportunidade de estar no time dos que soma, multiplica e partilha, sejam interesses, afinidades, ideias, até mesmo as diferenças, porque estarão unidas não por protocolos ou classes, mas por coração, e não é pieguice.  O que vale é o aprendizado, sem se apegar a pequenas coisas, nem nas opiniões, nem nos detalhes.  Às vezes, o que falamos dos outros é o que enxergamos em nós, sem se dar conta.  Viver é correr riscos, estar alerta e em movimento constante no aprendizado e escolhas, porém, mais triste será continuar em círculos, sem nunca dar nenhum passo para evoluir e continuar a ser a mesma pessoa, enquanto a vida passa, sem piedade ou compaixão. 

FT: acervo pixabay - free imagens. 

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Show Tocando em Frente chega a SJC neste fim de semana

O compositor, cantor e violeiro Almir Sater e sua inseparável viola de 10 cordas, se apresenta no Clube Luso Brasileiro em São José dos Campos, neste sábado (15), ao lado dos também renomados Renato Teixeira e Sérgio Reis para show emocionante.
  
Juntos, o trio vão exibir o espetáculo “Tocando em Frente” – sinônimo de sucesso e público por onde passa. Com repertório simples e emocionante, os artistas têm contagiado multidões ao juntar seus estilos e trajetórias consagradas, como se fosse o quintal de casa, com causos e interações.


FT Rob Black

No palco, acompanhado por uma banda magistral, os músicos revisitam e alternam as canções marcantes de suas carreiras como "Trem do Pantanal" e as clássicas: "Um Violeiro Toca", "Tocando em Frente",  “Romaria”, “Amanheceu Peguei a Viola”, “Rei do Gado”, “A saudade é uma estrada longa”, “Comitiva Esperança”, “Coração de Papel” entre outras. Ano passado, Almir e Renato lançaram em parceria o CD de inéditas “AR” – e o disco foi premiado pelo Grammy Latino como “Melhor Álbum de Música Raízes Brasileiras” e também fará parte do repertório do show.


 








Ainda restam poucos ingressos – conforme anunciado pelos organizadores em evento oficial no FACEBOOK  

Depois de uma maratona de shows, Almir Sater encerra agenda de Abril no MS – seu estado natal – evento corporativo(somente convidados) e outro aberto ao público em geral, este em Campo Grande, no Shopping Bosque dos Ipês. Para ter acesso ao show é necessário consumir em compras no valor mínimo de R$ 100,00 e trocar o cupom pelo ingresso. Mais Informações: (67) 3304.5555 e os convites são limitados.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Jantar ao som da viola de 10 cordas de Almir Sater em SBC

Hoje, logo mais à noite o Restaurante São Francisco recebe o violeiro Almir Sater e Banda, para ‘Jantar Show’ em São Bernardo do Campo/SP. Toda a vez que o artista se apresenta no local, é um dos espetáculos mais disputados pelos fãs e clientes da conceituada casa. 


FT Charles Geraldo.

No palco, o músico revisita suas canções mais populares como ‘Trem do Pantanal’, ‘Um Violeiro Toca’, e ‘Tocando em Frente’ entre outras. As músicas do último CD solo ‘7 Sinais’ e o mais recente ‘AR’ gravado em parceria com Renato Teixeira e distribuído pela Universal Music também não deverão faltar nesta noite especial, muito menos o toque magistral de viola que o tornou consagrado.

O Disco muito elogiado pelos fãs, público e crítica especializada no geral foi premiado com o Grammy Latino 2016, como ‘Melhor Álbum de Música Raízes Brasileiras’. Os artistas gostaram tanto da feitura do projeto anterior que já estão em fase final de gravação de ‘MAIS AR’ previsto para lançamento ainda este ano.

 
 
Foto montagem do 'encarte CD AR'  by Eduardo Galeno.
 
Além reviver as canções maravilhosas e as atuais deste que é um dos mais completos artistas brasileiros, os presentes ainda vão degustar do conceituado ‘Frango com Polenta’ especialidade da casa há mais de 50 anos e famosa na região.

 
                                                           FT Rosely Sousa.
As reservas são feitas através do telefone (11) 4396-2255 e sem dúvida um programa imperdível nesta sexta-feira, que vai agradar em cheio todas as gerações.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Almir Sater se apresenta em Mococa nesta terça

Almir Sater se apresenta em Mococa nesta terça (04) – em mais um show incrível, com Open Bar e Open Food. No palco, acompanhado por uma banda, o músico revisita suas canções marcantes como "Trem do Pantanal" e as clássicas: "Um Violeiro Toca", "Tocando em Frente" e "Chalana", bem como os seus discos mais atuais, o último solo “7 Sinais” e o inédito “AR”, sem deixar de lado o toque magistral de viola que o tornou consagrado.
Foto: Maida Garcia Magalhães
Com mais de 35 anos de carreira e 11 discos gravados, o compositor, cantor e violeiro Almir Sater, um dos artistas mais completos, graças ao seu virtuosismo, continua a encantar gerações. Dono de um talento ímpar e versatilidade como instrumentista, Almir Sater foi apontado pela Revista "Rolling Stone Brasil" entre os 30 maiores ícones brasileiros da guitarra e do violão na edição de 2012.

Em 2015, gravou o CD “AR” em parceria com Renato Teixeira nas plataformas digitais https://umusicbrazil.lnk.to/DDeDestino - sites e lojas virtuais.

Com produção do norte-americano Eric Silver, o álbum navega por diversas vertentes e influências musicais, do folk ao rock Anos 70, sem deixar de flertar com o purismo da música caipira e a poesia bucólica e logo caiu nas graças do público, admiradores, fãs, crítica especializada e foram contemplados no 27º Prêmio de Música Brasileira de 2016, como melhor dupla regional, em junho passado.

Fotos CD "AR" - Eduardo Galeno/ Agencia Produtora.


O disco também foi indicado em duas categorias no 17º Grammy Latino 2016 -“Melhor Música da Língua Portuguesa” com a canção “D De Destino” – e premiado como “Melhor Álbum de Música Raízes Brasileiras”( na disputa com os também renomados Alceu Valença e Elba Ramalho), em Las Vegas. Os artistas gostaram tanto da feitura do projeto anterior que já estão em fase final de gravação de MAIS AR previsto para lançamento ainda este ano.

Também obteve grande destaque ao aceitar convites para representar personagem de violeiro em novelas como “Pantanal” e “Rei do Gado”, além de Ana Raio e Zé Trovão e Bicho do Mato (2006).

SERVIÇO:
Almir Sater e Banda
Quando: 04 de Abril de 2017
Onde: Vale Imperial  - Mococa/SP
Valor: R$ 200,00 a R$ 300,00 por pessoa (Dependendo da localização da mesa).
Serão comercializadas mesas com oitos lugares divididas em três setores.
ADQUIRA JÁ O SEU CONVITE.
Parcelamos em até 4x no Cartão de Crédito.
Ponto de Venda: Supermercado São Domingos.
Dúvidas, clique aqui ou pelo telefone (19) 99215-5625.