Loira do bem ∞ : 12/24/14

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Reflexão:"O fazedor de chuva taoísta” .

Resumindo: A Mudança começa primeiro em nós, do indivíduo para o Coletivismo.
Feliz Ano Bom, Fazedores.

“Houve uma terrível seca, numa região da China, onde vivia R. Vilhelm amigo de Jung e tradutor do I Ching. (…) decidiram mandar buscar um fazedor de chuva. …

O homem veio numa carroça coberta, um pequeno velho ressequido, quando saiu da carroça, pediu que o deixassem sozinho numa pequena cabana em frente da aldeia; mesmo as suas refeições deviam ser deixadas no exterior diante da porta. Não se ouviu falar mais dele durante três dias, pois, não somente choveu, mas houve uma grande caída de neve, o que nunca se tinha visto nesta época do ano. Muito impressionado,Wilhelm procurou o fazedor de chuva na cabana e perguntou-lhe como podia ter feito chuva e mesmo neve.

O fazedor respondeu: “Eu não fiz a neve; não sou responsável por isso”.
Wilhelm insistiu: havia uma terrível seca até à sua vinda e depois, passados três dias, houve grande quantidade de neve.
O fazedor de chuva respondeu: “Oh! Isso eu posso explicar. Veja, eu venho dum lugar onde as pessoas estão em ordem; estão em Tao; então o tempo também está em ordem. Mas chegando aqui, vi que as pessoas não estavam em ordem e também me contaminaram. Por esse motivo fiquei sozinho até estar de novo em Tao, e então, naturalmente, nevou». (Hannah, 1981: pp 21)

Sob o ponto de vista de Jung : “A única forma que temos de fazer alguma coisa, é no indivíduo, é em nós mesmos. É o princípio do fazedor de chuva: quando o indivíduo está em
Tao – local onde os opostos estão unidos – há uma influência inexplicável sobre
o ambiente (…) Há em nós um lugar onde os opostos estão unidos e nós devemos
aprender a ir visitá-lo, permitindo assim à luz voar pelo mundo.”  (Hannah, 1981
pp.82 – 83)

Reproduzido do blog ANOITAN