quinta-feira, 6 de novembro de 2014

COMPORTAMENTO | A vida é muito curta para levarmos a sério todas as situações.




Imagem: Reprodução do Site Eu Bem Melhor.

HUMOR e ALeGRIA

Viver bem exige: identificar o que deve ser levado a sério e rir do resto.
O HUMOR é um poderoso instrumento de que uma pessoa dispõe para RELATiVizAR seus problemas e se diSTAnCiAR, com alegria, do que não é importante.

Os problemas existentes são para serem resolvidos e depois celebrarmos as conquistas. O que não é realmente um problema ou não tem solução, deixa o tempo transformá-los em histórias.

A vida é muito curta para levarmos a sério todas as situações, portanto, temos que identificar o que deve ser levado a sério, para não nos preocuparmos com as demais circunstâncias,
ocasionais e temporais.

Significativo número de vezes, uma situação que nos parecia muito grave e poderia tomar proporções desastrosas nas nossas vidas, que nos assustava e nos colocava numa
condição de impotência, e o tempo, mesmo sem a nossa intervenção, modificou o nosso entendimento e possibilitou que o problema encontrasse seu próprio caminho, afastando-
se de nós ou sendo transformado por ele.

O riso revelando a manifestação da alegria contida na vida; a despreocupação; a leveza para suportar os nossos transtornos; a identificação do que é real ou imaginário (o que é fato ou sensação); a busca pela solução do problema ou permitir que o tempo nos revele o valor da preocupação (o tamanho do problema e suas consequências)... atuam como solventes na maioria dos nossos desconfortos e na dimensão ou consequências da ansiedade, portanto, evitam estragos.

A vida adquire uma configuração diferente e melhor quando conseguimos nos manter tranquilos, rindo daqueles problemas que são pouco ou nada importantes, nos preparando,
convenientemente, para o enfrentamento dos problemas realmente identificados como sérios.

Os problemas nos colocam numa condição assustadora, de alerta, com dificuldade em encontrar uma solução, principalmente a melhor, e procuramos transferir os problemas
para outras pessoas ou entidades, conforme a cultura e a crença religiosa.

A estratégia do riso ou de nos preocupar, efetivamente, apenas com o que é importante (considerando que não devemos nos preocupar com pequenas ou insignificantes coisas),
nos possibilita, de repente, perceber que a dificuldade que nos parecia tão grande na realidade não é, e começamos a encontrar saídas, até para escolher a que melhor nos convém
no momento.

O bom humor é pura magia. na realidade, as nossas dificuldades - a maioria dos nossos
problemas - são gerados pela nossa imaginação, como atividade exclusiva do nosso padrão negativo de pensamentos e, podemos, responsavelmente, rir deles como terapia
facilitadora de soluções. E quando houver um problema sério, temos que saber que estamos aparelhados com os meios necessários para o enfrentamento e a superação de todos os
problemas, pois quase todo problema tem solução (o que não tem solução não é problema), quase toda solução pode ter erro e quase todo erro pode ser corrigido com vantagens.

Se agruparmos em duas categorias os reveses humanos, poderemos classificar em dRAMA e COMédiA. é conhecida a fórmula: dRAMA + TEMPO = COMédiA.

Observado com sabedoria, aquilo que nos fez chorar ontem pode nos fazer rir hoje, e podemos explorar como aprendizado o que houve de positivo no episódio anterior.
Podemos lamentar todos os dias a morte de uma pessoa querida, mas também podemos valorizar o tempo que nos possibilitou o convívio e identificar o que vivemos de melhor
com essa pessoa, até rir de algumas situações.

Toda vez que nos sentirmos desesperados, com uma sensação emocional ruim e manifestação orgânica de desconforto, abraçado pelo pânico, vale a pena lembrar e aplicar o exercício desta reflexão e aprendizado natural: tudo é uma questão de tempo, ele é transformador.

E, quando possível, depois de termos feito a nossa parte, podemos acionar o botão mágico da “paciência” ou “deixa para lá”. Pois não temos solução para todos os problemas e, como simples mortais, não somos obrigados a acertar sempre. Temos a obrigação de procurar fazer sempre o melhor que as circunstâncias possibilitam.

Copyright© 2014 por Sergio Mingrone. Título Original: Palavras sinceras sobre medo - desejos - conquistas - prazeres (Um novo olhar sobre a vida).