quarta-feira, 28 de setembro de 2011

CONFÚCIO, EDUCAÇÃO E DESEJOS EMMANOEL GOMES

PROFESSOR E HISTORIADOR, MEMBRO DA ACADEMIA VILHENENSE DE LETRAS.
emmanoel-mardulce@hotmail.com 




Todas as pessoas sabem o quanto um bom modelo de educação é fundamental no desenvolvimento de um país e no combate aos desmantelos sociais. Estamos vivendo, em Rondônia, um momento especial, nunca tivemos o poder público tão afoito, com um discurso voltado para a educação de forma tão aberta. Sei da dificuldade de se modificar o que historicamente está estabelecido. No Brasil e nas barrancas desses rios amazônicos, se estabeleceu uma cultura de desanimo e pessimismo que impede muitas pessoas de acreditarem e colaborarem com novas possibilidades e mudanças.
Existe um desgaste gerado pela imoralidade política, corrupção deslavada e completa ausência de compromisso dos dirigentes, excetuando-se algumas poucas pessoas. Esse quadro fez com que a maioria dos cidadãos perdesse a fé em relação às mudanças tão necessárias nos vários gargalos sociais, como educação, segurança e saúde.
Sabemos que o processo de desmonte dos valores sociais passa necessariamente pelo desmonte da educação e acima de tudo, desmonte do mais importante personagem neste processo todo que é o professor.
Interessante observar o caminho traçado por “autoridades e burocratas” em relação às possíveis soluções para resolver o abismo existente nos serviços sociais brasileiros, sendo a educação o principal deles.
No geral, as soluções apontadas para melhoria da educação não passam de paliativos, pois simplesmente não observam uma coisa fundamental: o professor.
"Um professor afeta a eternidade; é impossível dizer até onde vai sua influência." (Henry Adams)
Todas as propostas apresentadas são acompanhadas de questões como aumento da carga horária dos professores sem aumento de salários. Mudanças no planejamento escolar e melhor qualificação do professor. Temos a impressão de que o profissional mais desqualificado do mercado é o professor.
São completamente equivocadas as soluções que não enxergam que a solução dos problemas na educação será apontada por seu principal responsável o professor.
Absolutamente tudo dentro de uma escola deve existir se for para auxiliar, ajudar, amparar, motivar, valorizar, prestigiar aquele que é o fundamental na tal relação ensino aprendizagem.
Quem realiza, possibilita, gera e revela o ato do aprendizado é aquele que foi diluído ao ponto de “quase não existir” na atual escola brasileira, o pobre professor.
Todos pelo professor, esse ser mágico que pode fazer a diferença ao adentrar a sala de aula e encantar, maravilhar, iluminar o futuro desse mais pobre ainda, país de bananas e bananadas.
Um movimento em prol da educação está ocorrendo no município de Vilhena envolvendo os trabalhadores e vai gerar resultados maravilhosos.
Estamos engendrando vários diálogos com os principais personagens ligados a educação pública e privada. Professores dos três níveis, municipal, estadual e federal. Técnicos das redes, o delegado de ensino e o secretário municipal de educação.
A coisa está andando e logo apresentaremos resultados concretos como, uma melhor colocação no ENEM e outras avaliações de caráter nacional.
Primeiro, sabemos que as questões devem levar em consideração que ensino médio e superior terá resultados melhores se as mudanças se iniciarem na alfabetização, nos primeiros anos da vida escolar.
Podemos e estamos discutindo melhorias no ensino médio, porém essas melhorias não podem perder o horizonte da necessidade de melhorarmos os anos iniciais.
É fundamental entendermos o belo momento que temos. Por mais que alguns critiquem, temos na atual conjuntura um governador que dialoga, pondera, e ouve as pessoas. Um governador que sabe a necessidade de buscar novos caminhos. Uma pessoa que é sensível a questão da educação, cultura, arte e história, e que está priorizando caminhos que possam levar as tão desejadas melhorias.
Existe a necessidade de se entender que a educação brasileira sempre viveu em crise, porém não há nada que nos impeça de enfrentá-la.
Em qualquer país desenvolvido do mundo, o modelo educacional se relaciona com a ideia de se construir uma inteligência que seja capaz de pesquisar, administrar, produzir e defender suas riquezas materiais e culturais, e assim, promover junto a todos que estejam na sombra da pátria o bem comum.
A turma do mal, que sempre se junta ao grupo dos que pretendem o fracasso e pessimismo, aos que sobrevivem de achaques, extorsão e covardias, aos que simplesmente perderam a fé. Esses não compreenderão o momento único por que passamos.
Governos anteriores, principalmente o último, apregoavam que professor precisava criar vergonha na cara e ir trabalhar. Apregoava que sucesso financeiro não tinha nada a ver com educação, que governo tinha que atuar somente na abertura de estradas e citava seu próprio exemplo como alguém que não acumulou a obesa riqueza que possui como resultado de um dia ter ida à escola.
Em função da truculência, intimidação e arrogância, impedia os diálogos. Falou por oito anos sem construir um único dialogo sincero, fraterno e democrático. Fez tanto que atualmente precisa ser protegido por vários seguranças pagos pelo Estado, com o seu, meu, nosso dinheiro que, aliás, falta tanto na educação pública.
Meu velho pai, com sua simplória sabedoria, divulgava um dito popular que bem cabe aqui, “quem muito conversa dá bom dia a cavalo”. Essa é a mais clara expressão que podemos aplicar ao passado recente de Rondônia.
Duas propostas estão sendo encaminhadas a partir desses diálogos com trabalhadores em educação em Vilhena e estamos certos da boa colheita que teremos muito breve.
Em primeiro lugar, temos claro que a escola é lugar por excelência de saber, cultura e arte. Não podemos permitir que as piores experiências da cultura nacional encontrem “abrigo” em tão nobre espaço do saber.
Chegou a hora de todos os professores e demais trabalhadores da educação atuarem severamente para que os péssimos exemplos “culturais” expressadas em músicas como Créu, Lapada na Rachada, A Bicicletinha, O Pente e tantas outras que afrontam a inteligência e valores morais ocupem o ambiente que deve ser visto como “um templo sagrado do saber”.
A escola é um edifício com quatro paredes e o amanhã dentro dele. (George Bernard Shaw, dramaturgo irlandês)
Não devemos duvidar de que os baixos índices de aprovação nas provas nacionais estão relacionadas com o estrago provocado pelo lixo cultural existente em nossas escolas, principalmente em eventos como gincanas, feiras e festas juninas. Nós professores na maioria das vezes fazemos de conta que a bestialização da escola e nossos alunos é um processo natural e não podemos fazer nada.
Em minha sala de aula quem manda, sou eu. Em minha escola quem deve exercer a maior influencia, nós professores e não o Big Brother Brasil, Gu- Gu, e demais prostituição dos valores culturais existente na porca mídia nacional. 
A escola, ao contrário, deve abrigar a rica arte brasileira através de nossa grande poesia, literatura, escultura artes plásticas e musicalidade de artistas nacionais e locais como: Djavan, Maria Rita, Rita Lee, Legião Urbana, Engenheiros, Chico Buarque, Milton Nascimento, Ton Jobim, Vinícius, Gonzagão, Almir Sater, Renato Teixeira, Keila Castro, Gilson Maciel, Marcos Biezek, Mário Miléo, Bado, Ceissa, Márcia Brasileiro, Binho, Ernesto Melo, Celma Ernandez, Baaribú Nonato etc. 
É preciso criar espaço para os alunos possuidores de talentos seja nas artes plásticas, música, teatro, desenho, poesia, literatura, dança etc. É incrível como nossas escolas foram dominadas por tão pobres expressões da arte e cultura nacional. 
"A Arte evoca o mistério, sem a qual o mundo não existiria."
René Magritte.
Se houver a militância em prol dessa causa teremos outra escola. A busca pela compreensão da grande cultura nacional como a obra de Chico Buarque de Holanda, ou a capacidade mínima de se conhecer e interpretar Fernando Pessoa e demais expoentes da cultura, deve se juntar a luta para se compreender melhor a matemática, história, física etc.
O resultado será extraordinário. Em Vilhena estamos refletindo profundamente essas questões, inclusive, a AVL, Academia Vilhenense de Letras tem participado com seus membros aprofundando os diálogos. Vários poetas da academia, artistas plásticos e músicos estão aderindo à nobre militância e contribuirão para que essa idéia frutifique.
Outro ponto fundamental que está em discussão é o modelo da avaliação. O modelo atual é impraticável, gerador dos péssimos resultados nas avaliações nacionais, regionais e até municipais. O atual modo de avaliação não se parece nem de longe com o que se exige do aluno nas avaliações e experiências do ENEM.
Precisamos levar um modelo de avaliação para o período entre o sexto ano do ensino fundamental e terceiro ano do médio que se assemelhe ao ENEM e demais provas dos vestibulares.
A questão é muito simples, vamos aplicar o simulado de acordo com cada nível escolar sendo um simulado para cada bimestre, esse simulado vai gerar uma nota que será aumentada pelas tarefas, provas, avaliações e trabalhos posteriores. Teremos uma avaliação seqüenciada, continuada onde o aluno vai produzir em função da necessidade de melhorar a nota e sentir que as atividades o ajudarão a passar no ENEM.
Todas as atividades de sala de aula deverão se relacionar com as quatro grandes áreas do ENEM.
No ano passado, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) passou a cobrar o conteúdo do ensino médio dividido em quatro áreas do conhecimento: linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; matemática e suas tecnologias; e ciências da natureza e suas tecnologias.
Os resultados e sucesso de cada aluno dependem do padrão cultural acumulado na jornada escolar do aluno.
Com o melhoramento desse padrão cultural e um modelo de avaliação mais parecido com a avaliação do ENEM, poderemos crer em melhores resultados e até numa paridade entre o desempenho de nossas escolas públicas em relação às escolas privadas.

01 de Outubro Almir Sater faz show em Dourados MS na Unigran

28/09/2011 10h56

Almir Sater faz show no Salão de Eventos da Unigran



Almir Sater
O consagrado violeiro Almir Sater faz show no próximo sábado no Salão de Eventos da Unigran. O espetáculo vai ter início ás 22h, com ambientação especial e sistema de som e iluminação de última geração. O jovem instrumentista Paulo Arguelho abrirá o show.
A apresentação imperdível contará com atendimento vip e buffet de alimentos com mesa de frios com queijos, embutidos, acompanhamentos e mesa de saída. A lista de bebidas inclui cerveja, vodka, whisky, champanhe, vinho, refrigerante, suco e água.
A plateia será dividida em três áreas: hot zone, pista e camarote. Os organizadores avisam que as mesas para a hot zone já estão esgotadas. A hot zone é a área exclusiva do show que terá whisky 12 anos e champanhe importada. Restam apenas 10 unidades para mesas da pista e 50 convites para os camarotes.
Informações sobre aquisições de mesas pelo telefone (67) 9972-1778. Aceita-se pagamento em cartão de crédito em até três vezes sem juros. Servidores da Prefeitura de Dourados e do Estado tem desconto de 20% na compra de camarotes.
Paulo Arguelo, tem 20 anos, é um iniciante violonista de Campo Grande. Sua paixão pelo violão e principalmente pelo chamamé veio de seu pai e maior professor Sérgio Arguelo.
Seu estilo musical pode ser rotulado como chamamé instrumental, e reúne influências da música “Correntina” (chamamé argentino) e da paraguaia (polca), aliadas a tradição sul-mato-grossense. Suas maiores influências musicais são: Marcelo Loureiro, Almir Sater, Zé Corrêa, pioneiro do chamamé correntino no Brasil, Rudi y Nini Flores, Gabriel Sater, Juanjo Domínguez, Raphael Rabello e Yamandú Costa.

Multiplicidade
 

Almir Sater nasceu em Campo Grande. Seu contato com a cidade grande veio muitos anos depois, quando, já adulto, foi para o Rio de Janeiro, estudar Direito na Faculdade Cândido Mendes. Em menos de três anos, Almir descobriu que, definitivamente não seria um advogado. Na solidão que a cidade grande lhe impôs, descobriu na viola sua grande amiga, dedicando-se completamente ao instrumento.
Hoje ele desponta como um dos instrumentistas mais conceituados do país e reverenciado pela maneira como apresenta o som da viola caipira. Tornou-se um dos responsáveis pelo resgate da viola de 10 cordas. O músico acrescentou um toque mais sofisticado ao instrumento, estilos como blues e rock, embalados pela pegada do folk.
Em 1984, esteve a frente da “Comitiva Esperança”, que percorreu, durante três meses, mais de mil quilômetros da região do Pantanal, pesquisando os costumes e a música do povo sul mato-grossense. Sater atuou como ator nas novelas “Pantanal (1990)” e “A História de Ana Raio e Zé Trovão” (1991), da extinta Rede Manchete; “O Rei do Gado” (1996) e “Bicho do Mato” (2006) da Rede Record. No cinema, protagonizou “As Bellas de Billings” (1987), de Ozualdo Candeias e fez participação especial no curta “Caramujo Flor” (1988) de Joel Pizzini.
No repertório de seus shows destacam-se clássicos como “Trem do Pantanal”, “Cavaleiro da Lua”, “Tocando em Frente” “Um Violeiro Toca”, dentre outras.

Fonte: http://www.caaraponews.com.br/noticia/cidades/5,23750,almir-sater-faz-show-no-salao-de-eventos-da-unigran


terça-feira, 27 de setembro de 2011

Almir Sater encanta fãs em Ponta Grossa Pr





Público lota teatro em Ponta Grossa, para prestigiar som de viola de Almir Sater.

Violeiro Almir Sater encerra sua agenda aberta ao público em Setembro, com um super show em Ponta Grossa, no Paraná.

Vivian de Irati e Almir Sater
Fãs de diversas cidades compareceram para prestigiar o artista e se sentiram maravilhados com o carisma, simpatia e simplicidade dele. Devido a correria não consegui postar antes, mas recebi diversos emails, depoimentos nas mídias sociais, sobre. E diga se passagem foi o "SHOW"  pois Almir Sater fez alegria da galera ao tocar e cantar músicas, como Cavaleiro da Lua, Kikiô, É Necessário e claro, as de novela como Tocando em Frente, Chalana, Um Violeiro Toca, etc e tal..e levando o público ao delírio com suas geniais instrumentais.
Perfeito.
Algumas fotos enviadas do evento.

Rosemery e Almir Sater
 Mais fotos pelo site
http://www.eventospg.com.br/?pagina=galeria&qual=258

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Pitaco de Loira EU SOU grata

Bom Dia....pessoas e pessoas...


Eu vou começar a semana,agradecendo nos últimos  dias do mês de Setembro, e que venha Outubro com toda a energia e força cósmica, que sejamos um ímã para magnetizar a abundância e prosperidade a Todos.

Lembrando que abundância, não se refere somente a dinheiro, bens materiais, mas a tudo que almejamos e atingimos, no sentido de saúde, amor, harmonia, laços verdadeiros, sejam eles, profissionais ou pessoais, enfim... que culminem com êxito e a busca pela excelência e resultados positivos.


E...pode até parecer "piegas", mas como hoje é o dia do raio rosa, do amor e da harmonia, queroantes de tudo agradecer a todos, os que  no meu facebook compartilharam o link do Blog sobre a agenda de Almir Sater postada.
Foram 441 pessoas, e isto com certeza faz a diferença ....como diria Raul Seixas, formigas juntas, formam um exército.


Portanto...
Muito Grata, Muito Grata e Muito Grata !!!!
A todos, os que me seguem no Orkut, Twitter, Facebook, Blog enfim..por essa corrente voltada para o Bem !!!
"A gratidão desbloqueia a abundância da vida. Ela torna o que temos em suficiente, e mais. Ela torna a negação em aceitação, caos em ordem, confusão em claridade. Ela pode transformar uma refeição em um banquete, uma casa em um lar, um estranho em um amigo. A gratidão dá sentido ao nosso passado, traz paz para o hoje, e cria uma visão para o amanhã. " ( Melody Beattie ) -
Que todos possam estar envolvidos nesta mesma sintonia, e que, aqueles que mantiverem contato, seja por email, telefone, mídias sociais, enfim  estejam em Paz.

Assim como eu desejo a Paz 
Que todos os seres estejam em Paz
Assim como eu quero a Felicidade 
 Que todos os seres alcancem a felicidade
Assim como eu desejo a saúde 
Que Todos os seres sejam saudáveis...
Que todos os seres sejam ditosos,
Que todos os seres sejam harmoniosos,
Que Todos os seres sejam vitoriosos !!!
Assim o é, assim seja, assim será...


Feliz Semana em Luz e Paz a Todos !!! e que venha a agenda de Almir Sater de Outubro, para "acender a Luz e Iluminar" a tudo e todos. O Mundo precisa de PAZ !!!

domingo, 25 de setembro de 2011

Pitaco de Loira: “Eu sou um marketeiro?” Sim, você é!


O marketing faz parte do nosso dia a dia e é impossível excluí-lo de nossas vidas. Querendo ou não, somos todos, sem exceção, “marketeiros” e a relação entre nós e o marketing torna-se responsável por todas as conseqüências positivas daquilo que fazemos.


Se você neste momento está questionando: “Eu sou um marketeiro?” Sim, você é! E todas as pessoas que você conhece e já viu. Cada indivíduo tem o seu jeito de fazer marketing e todos estão humanamente capacitados a alcançar grandes resultados em determinadas áreas.


Mas a questão que desejo expor é: o marketing se limita somente aos negócios? Definitivamente não. A palavra marketing ultrapassou as fronteiras da mercadologia e entrou em nosso vocabulário cotidiano.


Usamos o termo “marketeiro” a qualquer pessoa que proporcione um impacto positivo a outra, através de uma atitude ou por meio de palavras. Você já fez ou falou algo que gerou satisfação a alguém? Então você fez marketing com esta pessoa. Podemos dizer que tudo que gera satisfação, resulta em marketing. O amor, a amizade, a palavra amiga, um bom produto ou serviço de qualidade prestado, enfim, qualquer coisa que satisfaça e gere contentamento é marketing. 


Desta forma, ouso dizer que a maior eficácia do marketing é o bom relacionamento.
Relacionamento é algo que deve propor benefícios mútuos, satisfazer reciprocamente, obter e proporcionar vantagens, realizar algo onde todas as partes sintam-se bem sucedidas e felizes. Isto é marketing! 


Como já dito, o marketing, seja onde for, tanto nas organizações como em qualquer área de nossa vida, tem por finalidade proporcionar satisfação a alguém. Não existe marketing negativo. Enganar, mentir, fingir dar algo bom, tirar proveito de situações com persuasões momentâneas, negociações injustas ou práticas ilícitas, isto não é marketing.


O marketing é uma reação, ele só aparece após uma boa ação executada. Se porventura esta reação foi negativa, o marketing simplesmente não existiu.


O melhor marketing é o pessoal, ou seja, praticar a bondade que habita dentro de cada um de nós para beneficiar aos outros, motivo pelo qual vivemos neste mundo. Dependemos uns dos outros para obtermos sucesso e sermos vitoriosos.


Estamos aqui não só para servir, mas para bem servir.


Satisfazer é amar, respeitar, interagir com as pessoas de tal forma, que a satisfação com um produto, serviço, atitude ou palavra, seja apenas um detalhe. E o que venha brilhar como destaque num relacionamento ou concretização de um negócio, seja você!


Este é o verdadeiro marketing. Pense nisso e pratique!


Fonte : http://www.revistavbs.com/site/index.php?option=com_content&view=article&id=1815-o-marketing-e-eu&catid=262&joscclean=1&comment_id=52#josc52

Almir Sater emociona público paranaense em União da Vitória PR

Almir Sater emociona público paranaense no show realizado em União da Vitória
com casa cheia, emoção e muito som de viola -o Teatro Luz iluminou por completo !!! Hoje o artista segue para Ponta Grossa,encerrando sua agenda com chave de ouro no Teatro PAX - logo mais a noite.



Assista entrevista de Almir Sater concedida durante a passagem de som 





Vejam fotos do evento retirados do site http://www.radiodestaque.com.br/album.php?id=182













sábado, 24 de setembro de 2011

Pitaco de Loira: Sua Tarefa é sempre para um lugar.

Muitos não estão trabalhando na sua posição designada
O Espírito Santo é o único que sabe onde os seus  dons irão florescer e a que lugar você pertence.Jesus entendia a importância de estar no lugar certo na hora certa. “ Deixou a Judéia, retirando-se outra vez para a Galiléia. E era-lhe necessário atravessar a província de Samaria” (João 4.3,4):

*As pessoas certas estão esperando por você no lugar certo da sua Designação (Rute1-4)
*Os milagres certos sempre ocorrem quando você está no lugar certo (João 6.19-21)
*Prosperidade e provisão estão sempre disponíveis quando você está no lugar certo (João 6.12,13)
*Favor sempre flui para você quando você está trabalhando no lugar certo.(Rute 2.3-18)
Aconteceu com Rute quando Boaz, o próspero dono de terras, a observou trabalhando em seu campo.
Aqueles que você mais ama podem não discernir de fato o lugar a que pertence.
Você pode ter de sair de um lugar de conforto para entrar num lugar de promoção.
O lugar que frequentemente parece ser o lugar errado pode tomar-se o lugar certo. Pode ser onde você faz as relações douradas de sua vida.
Os melhores relacionamentos são sempre gerados em lugares terríveis e circunstâncias difíceis.
Quando você estiver no lugar a que você realmente pertence, você descobrirá o entusiasmo pelo seu trabalho.
A sua Tarefa jamais será para alguém que seja perfeito, ou você não teria lugar para ir.
A sua Tarefa nem sempre será para um ambiente perfeito. Você pode ser o designado para leva-lo a um novo nível de excelência.
Aquilo que você faz acontecer para outros, Deus fará acontecer para você.
Faça seu trabalho com tal zelo que você se tome o objeto da conversa de outros.
A crise financeira pode deixa-lo vulnerável.
Talvez você tenha concordado com a oportunidade de trabalho disponível que era mais conveniente ou acessível. No profundo do seu coração, você se tomou frustrado e descontente. Seus maiores dons continuam adormecidos; não descobertos. não discernidos, sem uso; sem recompensa.
Se você não estiver onde Deus o designou, comece a mexer-se. Converse com seu conselheiro, seu chefe e sua família. Descubra onde você poderia exceder e faça o seu melhor.
Quando você está no lugar certo, as pessoas certas se movem em sua direção.
Um dia de favor vale mais do que mil dias de labor.
Quando você está no lugar certo, você amará o que faz. Você não requererá o constante encorajamento e a motivação dos outros. Pelo contrário, estimulará os outros ao seu redor.
Quando você estiver no lugar certo, haverá uma alegria natural que criará um ambiente incrível de motivação para outros.
Uma história intrigante ocorre em 1 Reis 17. O profeta Elias é orientado a ir ao ribeiro de Querite.
Lá ele encontra seu milagre de provisão durante a fome. Os corvos o alimentam diariamente, e o ribeiro o supre com água. Ele estava no lugar em que devia estar naquele momento.De repente, ocorre a crise. O ribeiro secou. Os corvos não retomaram com alimento. Por quê? Sua Tarefa havia mudado.escassez pode ser uma dica de que é hora de fazer uma mudança geográfica em sua tarefa.Jesus instruiu Pedro a ir pescar. Quando ele pegou o peixe, havia uma moeda para pagamento do imposto na boca do peixe. Por quê? Pedro estava onde havia sido designado.
Quando você está na sua posição de Tarefa, você notará coisas que outros talvez ignorem. O alfaiate nota a falta de um botão. O cabelereiro vê que as raízes dos cabelos precisam ser fortalecidas novamente. O mecânico ouve um som no motor do seu carro que ninguém mais ouve.
Não ande a passos lentos, sem objetivo na vida. A vida é muito preciosa para ser jogada fora.
Muitos jamais descobrem a que lugar eles pertencem, consequentemente nunca recebem as colheitas financeiras que Pai celestial está ansiando por lhes dar.
Fonte: Cap 12 livro 31 razões por que as pessoas não recebem a sua Colheita financeira Mike Murdock

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Almir Sater fala sobre o show em Ponta Grossa e que será emocionante.

Publicado em: 23/09/2011 - 06:00
Por Paula Schamne
Divulgação

O repertório conta com músicas de vários discos. O cantor e compositor está em turnê pelo Paraná. Integrantes do Clube do Assinante têm vantagens na compra de ingressos

Cantar a vida simples do homem do campo, o amor do sertanejo é uma das marcas de Almir Sater, consagrado violeiro, músico e compositor. Sater volta ao palco de Ponta Grossa neste domingo, trazendo no repertório vários sucessos dos mais de 30 anos de carreira.

O show, que conta com apoio do Clube do Assinante DC, acontece às 20h30, no Cine-Teatro Pax. Ingressos estão sendo vendidos a R$ 100, com direito a meia-entrada. Assinantes do Diário dos Campos têm 20% de desconto na compra do ingresso na sede do jornal.


De personalidade simples e natural, carismático, Almir Sater é exímio violeiro, além de cantor, compositor e instrumentista. Ele nasceu em Campo Grande (MS) e foi criado ao som da viola.

Seu estilo se caracteriza pelo experimentalismo e sua música agrega uma sonoridade tipicamente caipira da viola de 10 cordas, do folk norte-americano, com influências das culturas fronteiriças do seu estado, como a música paraguaia e andina. Sua trajetória musical sempre foi marcada por grandes feitos.

Em 1988, foi escolhido por unanimidade pela crítica para participar da abertura do Free Jazz Festival. Também ganhou dois prêmios Sharp (hoje Premio da Música Brasileira) nos anos 90.

Almir Sater conta que o público de Ponta Grossa poderá ouvir grandes sucessos da carreira, como Trem do Pantanal, Cavaleiro da Lua, Tocando em Frente, Um Violeiro Toca, Chalana e outras.“Tocamos canções de vários discos, valorizando a música de viola”, diz. A emoção e o encantamento que o som causa no público, Sater atribui ao prazer de fazer música. “Gosto muito de compor, de tocar. Faço música para mim. Se não me agrada, também não agradará meu público”, diz. Segundo ele, para ter sucesso e conquistar o público, a música precisa ter arte, emoção. “Se tiver arte, tudo bem. Senão, a música não chega à esquina”, avalia. “Música é coisa séria”, fala.

Sobre o público, Sater diz ter na plateia “da criancinha à vovozinha”. “É um público bem diversificado, que gosta de viola, de música de raiz. Também há fãs de novelas, já que muitas músicas minhas foram trilhas sonoras de novelas”, brinca. O músico, que esteve recentemente na cidade, diz que é um prazer tocar no Paraná. “Eu me sinto honrado. As pessoas me acolhem com muito carinho e sabem ouvir música”, diz. “É um público especial. Minha banda e eu faremos um show muito bonito na cidade”, comenta.


Além de Ponta Grossa, a turnê também passou por Foz do Iguaçu e União da Vitória.

Informações através do telefone (42) 3220-7777.

Quer ganhar ingressos? Participe do sorteio no site do DC. Preencha o cadastro e concorra a pares de ingressos
https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dEdwSXc1X2Zpdkp2cVhZYUNOVXV5ZlE6MQ
Acesse o Link 

Entrevista SIMPLESMENTE ALMIR SATER

SIMPLESMENTE ALMIR SATER
20, September 2011 
Em sua passagem pelo Teatro Municipal de Barueri (SP), o cantor nos concedeu uma entrevista exclusiva.

De Mato Grosso para o Brasil inteiro, Almir Sater é um artista que pode ser chamado de completo. Em seus dez álbuns solos se encontram algumas das composições consideradas obras-primas brasileiras. A viola, sua velha companheira, dá o tom de sua personalidade musical e uma identidade inigualável a suas canções.
Senhor da serenidade, Almir não define seu trabalho como sertanejo, explicando suas influências do folk, rock e pop norte-americano e britânico. Mesmo assim, o cantor aceitou conceder uma entrevista para o SertanejOnline, onde ele explica suas influências, escolha de repertório e o “segredo” de seu sucesso…

SertanejOnline – Como você escolhe o repertório? Ele vai mudando conforme o show?
Almir Sater – Têm músicas que soam bem quando a gente toca, têm músicas que funcionam bem pra estúdio. Eu toco três ou quatro vezes, e quando eu acho que eu me atrapalho um pouco com a letra ou com o acorde, então eu deixo pra lá. Não que eu não goste da canção, na verdade é que ela não funciona bem para aquele momento. Aos poucos eu vou tocando as músicas que vão fluindo. O show tem que ser fácil, tem que ser gostoso, então tem muitos improvisos, muitos instrumentais e músicas que não podem faltar.

SO- Para você, qual música não pode faltar na setlist?
AS- “Trem do Pantanal” é uma música que não é minha, mas antes de eu pensar em gravar um disco eu já cantava ela naquelas rodinhas de colégio. É uma canção de um amigo meu. Eu ia gravar no primeiro disco, mas acabei gravando no segundo. Depois, eu comecei a tocar e nunca mais parei de tocá-la. Todo show que eu faço eu toco essa música.

SO- Qual música não pode faltar para os fãs?
AS- Ah, “Tocando em Frente” e “Chalana”. Engraçado, eu nunca pensei em gravar “Chalana”. Quando eu fiz a novela “Pantanal”, o personagem deu muito certo. No dia em que fui renovar o contrato com a Rede Manchete, o diretor da novela me perguntou se eu sabia cantar essa música. Eu disse que sabia e ele me pediu para cantar e gravar na hora. Achei loucura, já que nem tinha um violão nas mãos. Ele acabou me convencendo, e quando entramos no estúdio, Sá e Guarabyra estavam gravando. Foi ai que peguei o violão de Guarabyra e gravei.
Quando eu vi a cena do barquinho subindo e a música entrando… vi que ficou muito bonito, me emocionou. Nós tínhamos gravado no sábado de manhã, sem nenhuma pretensão. Era só para entrar numa ceninha. Nós relaxamos e gravamos.

SO- Então, para você, não existe uma fórmula certa para o sucesso?
AS- É, a gente vê que essas coisas são assim, não tem segredo de sucesso… Tem que relaxar. É igual a um jogador de futebol que às vezes não consegue nem chutar o pênalti de tão travado que está. Tem que encarar na brincadeira.  No começo da carreira ninguém conhecia meu trabalho, porque basicamente a gente tinha que passar o tempo todo fazendo composições. Logo, você começa a viajar e fazer shows, e de repente consegue uma projeção ou um espaço na música brasileira para ficar trabalhando. É uma nova adaptação a cada fase.

SO- Projetos?
AS- Projetos sempre têm um monte, né? Meu projeto agora é ficar viajando pelo Brasil, tocando viola, fazendo música. É prazeroso fazer shows. A parte mais gostosa da música é cantar e tocar no palco. No estúdio é bom também, é mais intimista e muito gostoso. O último CD que eu fiz foi o “7 sinais”, faz uns 5, 6 anos…

SO- Mas você tem vontade de lançar um CD novo?
AS- Ah, eu tenho, né? Tenho até música pronta. Hoje em dia disco é filantropia, e filantropia se faz quando é possível.

SO- E a parceria com Renato Teixeira?
AS- Comecei a fazer um projeto com o Renato Teixeira no ano passado. Fizemos metade do projeto, este ano ainda não encontrei com ele nenhuma vez. Ele é meu irmão, meu parceiro. A gente tem tudo a ver.
A primeira vez que eu escutei um disco no Renato, eu pensei “não estou sozinho nesse mundo”. Todas as nossas músicas foram aproveitadas, e isso é raro. Eu sou compositor, ele é compositor e, na arte de compor, nosso universo é muito próximo. Às vezes a gente está compondo juntos e rola um entrosamento diferente. Por exemplo, não adianta eu mandar uma fita pro Renato ouvir, ele não funciona assim… a gente tem q ter tempo livre pra sentar e tocar.
Vamos fazer muitas canções juntos ainda. É que estou trabalhando muito e o Renato também está fazendo muitos shows.

SO- Você tem um grande público que está presente nas mídias sociais. Você acompanha a repercussão da sua carreira na internet?
AS- Fico sabendo de algumas histórias. Acompanho uma coisa ali, outra aqui. A questão é: esse tipo de coisa absorve muito tempo. Um tempo atrás, eu perdi meu laptop, deixei ele no taxi. Aquilo me deu uma liberdade, porque antes disso eu chegava ao hotel e já ligava aquele negócio. Já tinha um monte de manchetes, notícias boas, noticias ruins… Até ia arrumar outro, mas deixei pra lá. Em casa tenho um, mas quando viajo, nem levo.

SO- Por que você não tem um site oficial?
AS- A partir do momento em que eu tenho um site, eu sou responsável por ele. Qualquer informação oficial é responsabilidade minha e eu sou um cara irresponsável. Não quero também falar o que eu sou, o que eu comi hoje, quantos quilos eu estou pesando, sabe? Acho que isso é muita vaidade. Tem muita coisa superficial, mas muita coisa boa também.

SO- Você costuma dizer que não é sertanejo, e sim roqueiro…
AS- Desde menino eu sou roqueiro e sempre gostei de folk americano, inglês, boliviano, andino e movimentações folclóricas. Eu gosto muito desse som popular. O rock é um gosto de menino. Não era um rock tipo Little Richard, era um rock mais progressivo, mais pop.
Eu apenas descrevo o interior do Brasil, e tenho também influências da música folclórica brasileira, como catiras. Mas isto não é proposital.
Nós todos somos um pouco influenciados pelo pop internacional. Quando minha geração escutou Beatles pela primeira vez… nossa! E depois Pink Floyd, com um som lindo! A música inglesa é muito bonita!

Fonte: http://sertanejonlinecolunas.tumblr.com/post/10450300126/simplesmente-almir-sater

Almir Sater encanta o público e artistas no Citibank Hall

18/09/2011 20:08

Almir Sater leva o som da viola para o Citibank Hall, no Rio.

Foto: Graça Paes / Mural da Fama
Por Graça Paes
Na noite de sábado, dia 17 de setembro, o ritmo sertanejo tomou conta da Barra da Tijuca, o cantor Almir Sater se apresentou no palco do Citibank Hall, na Zona Oeste do Rio. Na plateia ilustre os amigos Castrinho acompanhado da esposa Andreia castrinho e de amigos, o ator Luciano Vianna com a namorada Michele Soares e a cunhada Priscila Soares e os atores Antonio Pitanga e Tamara Taxman.  
Foto: Graça Paes / Mural da Fama
Almir Sater, cantor e violeiro, ficou nacionalmente conhecido quando integrou o elenco da novela "Pantanal", de Benedito Ruy Barbosa, na extinta Rede Manchete em 1990. Pouco depois, em 1991, protagonizou a novela "A História de Ana Raio e Zé Trovão", de Marcos Caruso, na mesma emissora.

Seu estilo musical agrega folk e o sertanejo de raiz, com pitadas de música paraguaia e andina; mescla traços eruditos e populares, por isso seu público é tão grande e eclético. Alguns de seus melhores trabalhos foram em parcerias com Renato Teixeira, Paulo Simões e Sérgio Reis (com este último apenas nas novelas "Pantanal" e "O Rei do Gado").
Com mais de 30 anos de carreira, Almir já gravou 10 álbuns, sendo "Estradeiro" (1981) o primeiro e "7 Sinais" (2006) seu último trabalho com músicas inéditas. Ele é considerado um dos principais responsáveis pelo resgate da viola de 10 cordas,  agora com um toque mais sofisticado, acrescentando estilos como blues, rock e folk.
Foto: Graça Paes / Mural da Fama

Reproduzido de  Graça Paes / Mural da Fama.
Pitaco de Loira:
Como é de praxe, com sua simplicidade e seu carisma peculiar Almir Sater atendeu os fãs, após o show, no camarim. Uma destas fãs e sortudas da tão concorrida disputa ( filas foram formadas) para estar perto do artistas, foi a Silvia abaixo que me enviou foto em tempo real através do FB.

A professora Marcela, na foto abaixo também ao lado do Artista, da nossa Comunidade do Orkut que sempre prestigia os shows do violeiro por esse mundão afora.
Que venha os próximo, então.












Almir Sater em Ponta Grossa, próximo 25 de Setembro -Imperdível


































SERVIÇO:
Data:25/09/11-Domingo
Cidade:Ponta Grossa -Pr
Horário:20:30
Local: Teatro PAX
Endereço: Rua Antonio Russo,28 -Oficinas
Tel:(42) 3223-4377// 3229-1906
Investimento em Valores R$
R$ 100.00 (inteira)
R$ 50.00 ( estudantes,pessoas de terceira idade acima de 60 anos e professores de rede pública)

Assinantes do Diário dos Campos têm 20% de desconto na compra do ingresso na sede do jornal.Inf: (42) 3220-7777
Pontos de Vendas:
Letras Mega Store
End: Rua Ermelindo Leão,703 Loja 18/22 -Olarias
Tel:(42) 3028-9800
Copiadora Manarim
www.copiadoramanarim.com.br
Rua Cel Bittencourt,689- Centro- Tel(42)3224-5322
Informações:
Rádio T
Endereço:Rua Ermelindo Leão, 1055-centro -Ponta Grossa-Pr
Inf:Tel(42) 3220-9000
Realização:
www.mantovanipromocoes.com.br
Apoio: Diário dos Campos
O Jornal dos Campos Gerais
MIX 94,7 FM

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Almir Sater agita aniversário do Paraíso das Orquideas em Medianeira PR


21.09.2011

Almir Sater - Paraíso das Orquideás: 21/09/2011

Ainda nos festejos do primeiro aniversário o Paraíso das Orquideás trouxe na noite de quarta-feira (21), o show com Almir Sater.
O show dá inicio para a miniturnê no Paraná, que o artista inicia Hoje, nas cidades de Foz do Iguaçu (22), União da Vitória (23) e Ponta Grossa(25) e vem "quebrando tudo" na viola, claro..
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +
  • +








http://www.independenciaam.com.br/foto.php?gid=86