sábado, 15 de dezembro de 2012

É DIA DE ROCK BEBÊ - DADO VILLA-LOBOS AO VIVO

 















"Nada ficará pra sempre como antes, eu sei" ...  Hoje é dia de "Dado Villa-Lobos, ao Vivo...
É hoje! #DadoAoVivo !!!
17h30 começa a cobertura online completa do ensaio!
Eu mesmo (Dado Villa-Lobos na voz e guitarras), Laufer ( Baixo ), Caio Fonseca ( Teclados, violão e guitarra), Gunther Fetter ( Teclados, guitarra ) e Lourenço Monteiro ( Bateria) vamos estar ensaiando as músicas do álbum "O Passo do Colapso" no estúdio da Rockit. Até logo! Abs www.dadovillalobos.com.br


 

Novo Trabalho solo de Dado Villa-Lobos COLAPSO Webvideo 

O Colapso

Vou derreter o chão
Descer o morro
Minhas lágrimas são como fogo
Do chão ao céu
Do sangue ao pó
Sob a calma de um silêncio
Ensurdecer
Eu sou a força e o que move o desejo dos deuses
Eu sou
O espelho da assombração.
Vou sedar o riso de tanta gente
Paralisar a vontade do ser
Lhe acordar no feitiço de um sonho
Dizendo uma verdade absoluta
Que eu sou a força e o que move o desejo dos deuses
Eu sou
O espelho da assombração.
Que eu sou o mar que engoliu a cidade
E o reino de deus
O parágrafo da conclusão.
Vou me deitar no chão da sua calçada, eu vou
Descer com a última estrela do céu.
Nada ficará pra sempre como antes, eu sei

Almir Sater dá show de talento e contagia público


 
Cantor e compositor das ‘modas de viola’, cantor esteve no Sesc-Bertioga nesta sexta (14)

Por Eliana Cirqueira

Bertioga recebeu na noite desta sexta-feira (14), a grande visita de um dos violeiros mais importantes do país, Almir Sater. Dono de uma musicalidade interpretativa e que mistura estilos, ele é capaz de retratar como poucos a realidade regional do Brasil, com a chamada ‘moda de viola’ ou música de ‘raiz’. Ouvir suas canções é percorrer trechos do Brasil que muita gente só conhece pelas novelas ou pelas histórias contadas pelos parentes que migraram para cá.
Esse artista natural de Mato Grosso do Sul trouxe à Bertioga um pouco do seu talento, com o seu 10º trabalho, o álbum ‘7 Sinais’ e alguns de seus maiores sucessos, apresentados no show que aconteceu no Ginásio de Esportes do Sesc-Bertioga, no Jardim Rio da Praia, e reuniu um público empolgado e que cantou todas as suas canções, desde ‘Chalana’, ‘Um Violeiro’ até ‘Ando Devagar’.

Exclusiva

Antes da apresentação, Almir Sater concedeu entrevista exclusiva ao JCN (Jornal Costa Norte) e a TV Costa Norte – Canal 48 UHF (que nos próximos dias deverá exibi-la). O cantor falou um pouco do seu trabalho, do show e de suas inspirações enquanto cantor, compositor, instrumentista, violeiro e até como ator. Acompanhe:

JCN – Almir, essa é a segunda oportunidade do público de Bertioga acompanhar o seu show. O que podemos esperar?

Almir Sater – Vontade de tocar viola, um som bem acústico, bem sincero. Queremos fazer um show bem bonito para vocês.

JCN – A sua música sofre influência de vários estilos ou o seu estilo é que influencia os novos cantores da música caipira e sertaneja do Brasil?

Almir Sater – Eu sou um compositor que aprendi sozinho, autodidata como falam. Então minhas músicas quando eu componho são um apanhado de coisas que eu gosto, de artistas que eu gosto. Na verdade, o compositor faz aquela nova leitura do que ele ouve e acaba saindo uma outra coisa.

JCN – No dia-a-dia o que mais inspira o seu trabalho?

Almir Sater – Compor. A melhor sensação do mundo é quando do nada você tira uma música que emocione alguém, quando você puxa um papel e faz uma poesia e aquela pessoa lê e se emociona. Esse é o nosso trabalho.

JCN – Você pode ser considerado um artista completo e chegou a fazer boas e inesquecíveis participações em novelas do Benedito Rui Barbosa, como ‘Pantanal’ e o ‘Rei do Gado’. Tem alguma expectativa de voltar a atuar em trabalhos próximos?

Almir Sater – Não. Eu não tenho mais condições de fazer novela. Foi muito bom, me ajudou muito, ajudou minha música, meu trabalho. Mas eu não consigo mais deixar de fazer meus shows, cumprir meus compromissos para fazer novela. É uma pena. Até tentei e não consegui. Então, eu acho que para mim isso é página virada já.

JCN – Sobre esse seu último albúm, ‘7 Sinais’, o que o público vai encontrar?

Almir Sater – Esse show não é em cima do disco ‘7 Sinais. Não sou muito de seguir disco e disco. Vou tocando um apanhado das coisas que eu gosto, que funcionam no show, músicas que as pessoas me pedem. E ai vai um pouco de cada disco e também um pouquinho do ‘7 Sinais’.

Fonte: http://www.costanorte.com.br/blog/editorias/cidades/bertioga/almir-sater-da-show-de-talento-e-contagia-publico 

Assista a entrevista na íntegra:

FELIZ ANIVERSÁRIO IZA

  “Abençoados os que esquecem, porque aproveitam até mesmo seus equívocos”. (Friedrich Nietzsche)

Ano passado, tinha tudo para ser um ano bom, novos projetos, as coisas se alinhando, de repente, muita coisa, se transformou assim num piscar de olhos, sem que até hoje, eu entendesse o por quê., mas mesmo assim, continuei meu caminho, pensando mais no bem, no que novas possibilidades poderiam acontecer. 

 Eu nunca fui de ficar olhando para o passado, ou não, de ficar remoendo mágoas ou ressentimentos, de injustiça que me fazem, pelo contrário, elas podem me ferir no dia, na semana, mas, depois, eu sinto mais compaixão do que qualquer outro sentimento, e sempre vejo pelo lado bom, de repente, algo saiu de nossa vida, porque, não estava vibrando na mesma energia, sintonia ou sincronismo e acredito que o futuro, sempre reserva coisa boa, para quem,  tem uma alma boa, livre de apego, de vaidade, picuinhas ou qualquer sentimento que eu defino como "negativo" e de baixa densidade.

Mas, uma das coisas, que por mais que eu tente, ainda me dói e me sinto engessada, é a perda de uma das minhas melhores amigas, aos 34 anos de idade. 
Buda está certo, quando ele menciona, que existe 4 verdades e todos estão relacionadas com o sofrimento. Ou seja, aprendemos a lidar e con(viver) com ele, mas vire e mexe ele está ali, nos cutucando.

A ultima vez que vi a Iza, feliz, foi quando ela me ligou, de madrugada, logo após ao show do Almir Sater, no Citibank Hall, ano passado, no dia 17 de Setembro, para contar como foi o show, o set list, enfim, ela passou a gostar da música dele, a partir de que ouviu Cavaleiro da Lua,  já que era fã de Rock, mais especificamente de U2. Também, estimulada pela sobrinha de 7, 8 anos na época, que ficou encantada com o violeiro Sater. 
 E é assim mesmo quando a gente ouve certas músicas de Sater, logo a gente se identifica por causa da pegada de blues e rock, similar a guitarra dos roqueiros. 

Pra mim, dias após isso,  foi muito surpresa, quando recebi o telefonema dela, dizendo que havia sido operada de urgência  e estava no hospital, aguardando exames de ressonância, etc e tal...creio que 12 dias de agonia, porque no dia 4 de Outubro,  quando marcaram a outra cirurgia, devido a gravidade, pensei, que seria um dia de vitória, porque, era justamente no dia de São Francisco de Assis, da qual sempre tive devoção e afinidade com o santo. 

Se houve ajuda, infelizmente não foi carnal, porque, lá ela entrou, entubada, e lá ficou até o fatídico dia do seu falecimento 23 para 24 de Outubro. foi um soco no meu estômago, bem dado,  uma das pessoas mais íntegras, decentes, bacanas, que pude encontrar neste mundo virtual e trazer para o real, havia ido embora., de forma estúpida,...

Ela que acreditava tanto em minhas orações, decretos, energia de cura, e eu não pude fazer nada, por ela. . quase chutei tudo no meu altar, até dar de dedo para Deus, eu fiz, mas, depois, o coração fica sereno, e entendemos, que uns vão cedo, outros tarde, mas de um jeito ou de outro todos vão, um dia. 

Lembro que uma das conversas, eu dizia que não gostaria de ter túmulo em lugar nenhum, porque quero que as pessoas me amem, sintam necessidade de mim, enquanto estou por aqui neste planeta, não depois, levar flores e chorar no meu túmulo, pela minha partida. mas em vida, que me olhem nos olhos, me amem ou me deixem, mas com motivos, não por egoísmo e ela não, dizia, que até nisso, queria algo chique, lugar bonito e exuberante, como o Rio Sienna, na França, e assim, infelizmente, foi feito, conforme sua vontade.  suas cinzas foram jogadas nas margens do lugar, onde ela queria para sempre ficar. um lugar, segundo ela, bonito.

Acho que tudo poderia passar pela mente dela, menos que ia desencarnar tão cedo, aos 34 anos,  projetos de casar, ter 2 filhos, estavam sempre entre nossas conversas,  assim como o brilho nos olhos quando se descobriu apaixonada por um rapaz, durante uma viagem de férias. 

Projetos de vida, sonhos, ideais, tudo de repente, se esvaiu ...só restou a lembrança, as boas risadas, enfim...mas, assim, como eu prometi, que durante o tempo que estivesse no hospital, eu jamais ficaria sem saber notícias, eu agora, faço pelo segundo ano, de aniversário,  uma nova homenagem...

Eu não sei qual o significado da vida, de nascer, viver e morrer...mas com certeza, ela fica mais valiosa, quando temos a oportunidade, ter ao nosso lado, ainda que por um espaço curto de tempo, amigos tão verdadeiros, tão inteiros e presentes assim.
        
Para uma das minhas melhores e inesquecíveis amiga#forever saudade.
Hoje (15) de Dezembro... se Izabel estivesse entre nós, seria seu Aniversário... é o segundo que infelizmente, não tenho o privilégio de escrever um recado, e receber uma resposta ou de ligar ou mandar flores sei lá.. mas eu não esqueci .. ao baladar das 0:00...


... que o céu esteja a part
ir de agora em festa Te celebre ... que os anjos ao seu lado soem as trombetas.. e que até que nos encontremos de novo, segundo a oração celta, voce esteja guardada na palma de suas mãos..

 Uma coisa é certa, ética, bom senso, honestidade com certeza, no seu reduto foi colocado na mais perfeita ordem!..

#Parabéns #...
Tais pessoas nos passam confiança e faz com que acreditemos naquilo que não vemos.
Existem pessoas na nossa vida que são eternas. São eternas porque nos ensinam muito.

São pessoas que tem o seu jeito de encarar a vida. Pessoas que sorriem quando querem chorar, brincam quando enfrentam problemas e lutam quando pensam em desistir.

Estas pessoas nos ensinam que a vida é feita de momentos que devem ser aproveitados.

Tais pessoas nos passam confiança e faz com que acreditemos naquilo que não vemos. Passam para nós a sabedoria de viver e aproveitam cada momento como se fosse o último.

Mas a verdade é que estas pessoas vão embora um dia. Infelizmente tem que nos deixar.

Começamos então a sentir muita falta delas. Às vezes choramos e tentamos esquecer, mas não é possível. Pois estas pessoas já fazem parte da nossa vida.

A despedida não é fácil, mas temos que aceitar que a felicidade não é eterna e que momentos bons não duram muito.

Mesmo assim temos que levantar as nossas cabeças e lembrarmos de tudo aquilo que estas pessoas nos ensinaram. Lembrarmos que estas pessoas acreditavam sim, em nós.

Por mais dor que venhamos a sentir, é bom lembrarmos que estas pessoas não deixam de existir, desde que sigamos tudo aquilo que nos foi ensinado.
autoria by Lukas Pymentel