sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Administração e Marketing — "culturalização de negócios".


—"Culturalização de Negócios".
Culturalizar segundo dicionário "Forjar novos processos culturais". É pouco explorado ainda, mas bem difundido entre países europeus e visionários empreendedores. 
É criar um sincronismo e somas. "

Para Administradores de empresas, é mais fácil entender, porque o que mais falamos na faculdade, é em sistemas, (aberto, semiaberto e fechado), e de preferência visão holística (a totalidade), assim como deve, ser para um músico criar uma melodia, um cientista uma teoria, um ferreiro, um médico, qualquer pessoa, que se dedique a sua profissão ou ofício. "Não basta entender por partes, mas o Todo". É complicado entender a visão de um administrador, porque, ela certamente, vai estar além do campo linear, (limitado) de visão, ou deveria estar. Por que estou a falar isso?... O que tem a ver com a "culturalização de negócios"? Tudo, pois se trata do "valor agregado à marca".
O que Itaú Cultural, Mc Donald´s (McDonalds vai distribuir 10 milhões de livros na América Latina em 2014), e outras empresas, terão em comum?..."livros". Ao estimular a leitura, estão fixando ainda mais a sua marca no mercado de forma positiva e por consequência a fidelização.  A organização se torna mais humana, e ao mesmo tempo, envolve a sociedade no processo. Produtos e Preços se assemelham entre si, mas esse campo pouco explorado, é bastante eficaz, e cria uma nova dinâmica no mercado, um diferencial que sobressai sobre em um determinado produto ou marca.

E verdade seja dita, já havia criado isso no meu blog e perfil desde 2006, no Orkut, a Música ímpar de Almir Sater, com o estímulo da leitura (Ler é preciso), Preservação ( meio ambiente) , que agregam e somam ao Artista,  a mensagem é uma só e para o bom entendedor: .— quem almeja o bem, porque deseja aprender (conhecimento = Livros) — adquire outra  consciência , um "futuro melhor" ( cidadania e meio ambiente) e Almir Sater é o elo desses 2 caminhos, e cabe a Sociedade, envolver se no processo de mudanças, valores e somatizações. Não é óbvio?. Nem precisava explicar. risos... até Freud entende!.