terça-feira, abril 30, 2013

Sermões e Caixa de Lenha.( Trecho do Livro 'Pollyana").

Trecho do diálogo entre  Reverendo Paul Ford  ePollyana .
— Gosta de ser pastor?
— Se eu gosto? Mas que pergunta estranha! Porque perguntas isso, minha menina?— Nada. Pelo modo como olhava. Fez-me lembrar o meu pai. Ele costumava ter esse ar, às vezes.
O homem sorriu tristemente.— E o que é que ele dizia?— Claro que ele dizia sempre que sim, mas dizia também que não continuaria a ser pastor nem mais um minuto se não fosse por causa dos “textos de júbilo”.
— Era assim que o pai costumava chamar-lhes — disse ela a rir. — É claro  que a Bíblia não lhe chama assim, mas são todos aqueles que servem para animar e reconfortar as pessoas: Uma vez quando o pai se sentiu muito triste contou-os.
Havia oitocentos textos desses.
— Oitocentos?
— Sim,  textos que dizem às pessoas para ficarem contentes, para se alegrarem. Era a esses que o pai chamava “textos de júbilo”.
— Ele dizia que se sentia logo melhor quando os contava. Dizia que se Deus se deu ao incômodo de nos dizer oitocentas vezes para ficarmos contentes e alegres era porque queria que nós também o disséssemos uns aos outros.

"O que as criaturas querem é encorajamento. Em vez de censurar constantemente os defeitos dum homem, falai às suas virtudes. Procurai tirá-lo da senda dos maus hábitos. Sustentai, fortificai o melhor do seu eu, a parte boa que não ousou ou não pode ainda manifestar-se. A influência dum belo caráter é contagiosa, e pode revolucionar uma vida inteira... As criaturas irradiam o que trazem no cérebro e nos corações. Se um homem se mostra gentil eserviçal, os seus vizinhos pagarão na mesma moeda e com juros... Quem procura o mal, esperando encontrá-lo, certo que o encontra. Mas quando alguém procura o bom, certo de encontrá-lo, encontra o bom.

- Deus que me ajude – vou tentar! exclamou animadamente o pastor. Em seguida tomou as notas já escritas, rasgou-as e lançou-as para o ar, de modo que no chão, dum lado da cadeira, se podia ler: “A maldição eterna desça sobre voz...” e do outro lado: “... escribas, fariseus e hipócritas”, Foi assim que o reverendo Paul Ford pronunciou no domingo um sermão famoso, verdadeiro toque de clarins em apelo ao que havia de melhor no imo de cada homem, de cada mulher, de cada criança que o ouviu...
Nota:  "Pollyanna"é um romance de Eleanor H. Porter, publicado em 1913 e considerado um clássicoda literatura infanto-juvenil, republicado nos anos 90.  a menina orfã, que através do "Jogo doContente", ensinado por seu pai, e desenvolve sempre uma  atitude otimista, mediante o pessimismo e osintempéries da vida.

Moral da História: “Não posso imaginar um Deus a recompensar e a castigar o objeto de sua criação.― by Albert Einstein.

Nenhum comentário: