Loira do bem ∞ : Maio 2012

terça-feira, maio 29, 2012

Pitaco By Loira do Bem ..'QUER IR AO SHOW DE ALMIR SATER DE GRAÇA'?


28/05/2012 12h36 - Atualizado em 28/05/2012 12h36

Seja criativo e ganhe ingressos para o show de Almir Sater em Cascavel

São 15 pares de ingressos esperando por você, participe!

Por Redação



RPC TV
Almir Sáter (Foto: Divulgação/RPC TV)
 Namour photo 


Almir Sater vem a Cascavel para um show no sábado (2 de junho). Se você é fã do cantor e quer assistir ao show, basta ser criativo.
Como participar
Crie um verso que contenha o nome da novela das seis, Amor Eterno Amor. Os autores das frases mais inspiradas ganham um par de ingressos para o show.
O concurso começa a valer nesta segunda-feira (28) e você pode enviar suas frases até a quinta-feira (31), ao meio-dia. A participação é restrita a moradores de Cascavel e região. 
Resultado
Os vencedores serão anunciados às 18 horas de quinta-feira (31) aqui no site da RPC TV. 
Onde retirar os seus ingressos
Os vencedores poderão retirar seus ingressos na RPC TV em Cascavel, na sexta-feira (1), das 9 às 18h, mediante a apresentação de documento que comprove a identidade do vencedor. A RPC TV Cascavel fica na Rua Alexandre de Gusmão, 1413 - Maria Luiza.
O show será realizado no Teatro Emir Sfair a partir das 21 horas do próximo sábado.

sexta-feira, maio 25, 2012

Coluna Homem Pantaneiro - Conheça Almir Sater

Homem Pantaneiro

Coluna Homem Pantaneiro - Conheça Almir Sater.


Laura Toledo
Almir Sater é um dos grande nomes da música brasileira.
Almir Sater é um dos grande nomes da música brasileira.
O violeiro, compositor, cantor e ator que universalizou a cultura pantaneira através da música, Almir Eduardo Melke Sater, ou apenas Almir Sater concedeu uma entrevista especial à nossa coluna "Homem Pantaneiro".

Nascido em Campo Grande (MS), Almir Sater desde os doze anos já tocava viola e gostava do mato e sons da natureza. Aos vinte anos mudou-se para o Rio de Janeiro para estudar Direito, mas desistiu da carreira de Advogado, tornando-se um músico, confirmando que sua escolha profissional não foi em vão.

Seus sucessos, às vezes de sua autoria ou com sua interpretação, como "Um violeiro toca", "Chalana", "Trem do Pantanal", "Comitiva Esperança" remetem os ouvintes a um lugar no qual é possível vivenciar momentos únicos à natureza. Ele compartilha o Pantanal através do doce tom de sua voz.

A entrevista aconteceu quando o artista passava por Campo Grande (MS), convidado a participar do Projeto Músicas e Sons, realizado pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no dia 22 de maio.  O objetivo do evento é resgatar projetos como o Show Prata Da Casa (1982), que marcaram a história do Estado, trazendo ao palco do Teatro Glauce Rocha grandes nomes da música regional. 

Na entrevista, Almir comenta o que mudou nesses 30 anos de sua trajetória, fala sobre a cultura pantaneira, a importância da preservação do Pantanal, a expedição"Comitiva Esperança" (1985) e conta ainda uma experiência inesquecível que vivenciou nos solos pantaneiros.

Confira agora o bate-papo com o compositor que diz cantar suas músicas para que as pessoas as ouçam de olhos fechados:

Como é voltar para este mesmo palco depois de 30 anos, estando com as mesmas pessoas que fizeram e ainda fazem a história da música regional? O que mudou?

Almir SaterMudou nossa aparência, a cor dos nossos cabelos (risos). Há trinta anos o festival foi um marco, todos nós jovens felizes tocando para Campo Grande, para nossos amigos, com um desafio imenso de lotar o teatro. E é bom poder voltar depois de 30 anos e ver que nós sobrevivemos da música e sobrevivemos como pessoa.  A grande importância foi a gente fazer o primeiro disco envolvendo uma geração de músicos e artistas daquela época já que a nossa cidade tinha uma certa efervescência cultural. Não só a nossa cidade, o mundo tinha essa efervescência de música de qualidade, compositores talentosos, que hoje eu sinto um pouco de falta do "criador". Ainda sinto a mesma efervescência desse grupo, a mesma emoção pela arte, pela música e isso é muito bonito.
Hoje temos bons instrumentistas, bons cantores, mas aquela pessoa que do nada tira alguma coisa que emociona alguém, pega uma caneta e de repente escreve uma poesia , isso eu sinto falta...e naquela época sobrava
.

Qual é a importância de levar a cultura pantaneira para outras regiões?

AS:
 Sempre que você leva a sua cultura a outras regiões, tendo uma intimidade, há uma facilidade maior em expandi-la, você consegue abrir portas. Cantar músicas da nossa região é uma forma simpática de se inserir no cenário cultural, ao invés de cantar um blues, um rock `n Roll, você chegar a outros lugares cantando a cultura de seu povo, eu acho muito bonito.Qual sua opinião sobre a necessidade de preservação do Pantanal?

AS:
 Eu acho que o Pantanal é um lugar que se auto protege, a não ser onde existe o grande impacto perto das grandes cidades pantaneiras. Onde existe muita concentração de gente é difícil você conseguir preservar porque as pessoas vão ocupando espaço, a cidade vai crescendo, vai criando gente, e as pessoas precisam de espaço, e assim começam a criar uma certa ambição em relação a região, plantando pasto e derrubando tudo. Mas isso se dá devido a influência da proximidade da cidade. Mas no Pantanal, lá no fundão mesmo, ele é até muito preservado comparado com outras regiões. Existe um medo de pessoas que vem de fora com o intuito de realizar atividades econômicas intensivas, o qual o Pantanal não se presta, tem que tomar cuidado com isso, mas existem leis para isso, e devem ser cumpridas.Onde você busca inspiração para compor suas músicas?

AS:
 No estado de espírito. Às vezes eu estou num lugar que não é o ideal, mas eu fecho meus olhos e vou para onde eu quiser. A música me embala, ela até me faz acreditar que eu estou nesses lugares. O importante é estar feliz, em volta dos meus parceiros e poder tocar junto. Não sou um compositor solitário, que trabalha sozinho, eu gosto de trabalhar em parceria, onde a gente se divirta. Quando a música não sai, a gente joga um baralho, daí ela sai (risos). O segredo é estar bem consigo mesmo, no meu caso. Uma das primeiras músicas que eu aprendi a tocar e que ajudou muito na minha trajetória foi o Trem do Pantanal, do Paulo Simões e Geraldo Roca, era uma música diferente, com uma linguagem um pouco mais pop, e essa fusão deu muito certo.Como foi a experiência de participar da "Comitiva Esperança", viagem ao Pantanal que completa este ano 27 anos?

AS:
 Comitiva Esperança foi um trabalho nosso (Paulo Simões e Zé Gomes) onde tínhamos muito tempo sobrando e resolvemos fazer um trabalho de pesquisa, de conhecimento da cultura pantaneira, que é o nosso cenário predileto. Saber o que rolava de música e de sons em lugares tão isolados e tão preservados em sua cultura. Fizemos músicas, um pequeno documentário e temos muitas histórias pra contar depois de quase trinta anos. Percebo que essa expedição valeu a pena.Você pode contar uma experiência inesquecível vivenciada no Pantanal?

AS:
 Um dia nosso carro quebrou no meio do Pantanal, e o Pantanal não é um bom lugar para você andar a noite, descalço e sem lanterna, e naquele momento nós não tínhamos nada disso. Aí eu e minha mulher saímos andando, coloquei o meu filho de cavalinho nos ombros e ela pegou nosso outro filho e colocou no ombro dela, paramos debaixo de um pé de paratudo, uma árvore da família dos Ipês, que tem uma flor amarela muito linda, uma árvore medicinal também, e todos os vaga-lumes do mundo estavam naquela árvore. A partir daquele momento, nós seguimos tranquilos a pé, achando que com um cenário daquele nada de ruim podia nos afetar. Nosso medo de cobras, dos bichos peçonhentos que geralmente aparecem a noite, sumiu depois daquele cenário dos vaga-lumes, daquela árvore de natal natural, e ai a gente percebeu que ali só era paz e alegria.Texto: Laura Toledo (Estagiária Jornalismo - Portal Pantanal Ecoturismo)Jornalista Responsável - Carla Layane

quinta-feira, maio 24, 2012

25/05 ALMIR SATER EM MAFRA -SANTA CATARINA



 Almir Sater se apresenta em Mafra, em Santa Catarina, pela primeira vez, em uma única apresentação e Imperdível. 

Canções como Trem do Pantanal, Cavaleiro da Lua e as clássicas Tocando em Frente e Chalana, fazem parte do repertório do renomado artista. O show mescla com as músicas do seu mais recente Album "7 Sinais", sem deixar de lado o toque magistral e ímpar de viola, que o tornou consagrado.
Considerado um dos artistas mais completos da nossa música, Sater desponta entre os 30 maiores ícones brasileiros, apontado pela Revista "Rolling Stone Brasil", entre os melhores instrumentistas.

Com dez álbuns solos gravados e centena de shows lotados por todas as regiões do país, o músico tornou-se um dos responsáveis, pelo resgate da viola de 10 cordas. Com um toque mais sofisticado ao instrumento, acrescenta estilos como blues e rock, embalados pela pegada do folk, uma mistura folclórica, erudita e popular. O Músico é um dos poucos que não deixou a emoção de lado e a música flui de seu coração e do interior da alma num tom mais intimista com sua plateia.
O Artista será acompanhado pelos músicos renomados de sua banda - Papete (percussão), Antonio Porto (contra baixo- acústico e elétrico), Guilherme Cruz ( violão de 12 cordas), Marcellus Anderson (acordeon), Gisele Sater (backing vocal) e o violonista Gabriel Sater.



SERVIÇO:
Show Almir Sater e banda.
Data: 25/05/12 - sexta-feira.
Cidade: Mafra- Santa Catarina
Local: Cine Teatro Emacite.
Endereço: Rua Vitorino Bacelar, 63- Centro.
Horas: 21h00
Investimento em Valores R$:
PRIMEIRO LOTE -Promocional - R$80,00  "ESGOTADO".
Valor Individual- R$ 100.00
Ponto de Vendas:
AUTO POSTO SUSIN (+ taxa de R$ 2.00)
Endereço: Rua Felipe Schmidt 576, Centro. (47) 3642-4414.
ONLINE: OKINGRESSOS -(SUJEITO A COBRANÇA DE TAXAS EXTRAS PARA PAGAMENTO COM CARTAO DE CREDITO)
http://www.okingressos.com.br/Evento.aspx?id=1133
INFORMAÇÕES: (47)-9146-6169

quarta-feira, maio 23, 2012

Uma noite de fazer chorar, com as músicas que Mato Grosso do Sul mais gosta de ouvir



Campo Grande, Quarta-Feira, 23 de maio de 2012

23/05/2012
Uma noite de fazer chorar, com as músicas que Mato Grosso do Sul mais gosta de ouvir.

 
Paula Maciulevicius
Prata da Casa emocionou ao relembrar três décadas. "A gente espera que se repita daqui 30 anos e se der, daqui 60 anos", brincou Almir Sater. (Foto: Simão Nogueira)
"A emoção é a mesma daquele momento. Muitos amigos, autores que a gente não vê todo dia sob o mesmo manto sagrado da música", definia Celito Espíndola. "Pode escrever que vai rolar emoção", antecipava Almir Sater.
Eles já previam parte do sentimento e do público ao voltar ao palco com as mesmas músicas de 30 anos atrás, do LP "A Prata da Casa". Reviver três décadas era o proposto desde o início e se cumpriu, logo na primeira música.
Quem abriu a noite foi o grupo "Acaba". Ao subirem ao palco, ainda nos últimos ajustes, o que se viam eram olhos curiosos, ansiosos e até em êxtase de ver tudo de novo, com um gosto ainda melhor, de pitadas de saudade.
Eles mal haviam começado a entoar os ritmos do Pantanal e as palmas eram calorosas. Aplausos de emocionar quem viveu aquele festival e de quem via pela primeira vez. O público era uma mistura só. Os jovens presentes eram como os rostos da época, hoje acompanhados dos pais.
"Ainda criança aprendi o caminho do pântano e embora sem pena, aprendi a voar", foi cantado em coro. As luzes verdes do cenário contrastavam com o branco usado pelo grupo. Ao fechar a canção o público pediu bis.
Grupo Acaba abriu a noite. Bastou que eles subissem ao palco e ecoassem os ritmos pantaneiros declarando aberta oficialmente a sessão nostalgia. (Foto: João Garrigó)
Logo no primeiro intervalo, entre a primeira e a segunda música, uma pausa para homenagem justa. A entrega de uma placa a personagens principais de grandes acontecimentos, ao jornalista Cândido Alberto Fonseca e a pioneira da cultura no Estado, professora Maria da Glória Sá Rosa.
O segundo a subir ao palco foi Cláudio Prates, com a canção "Carne Seca", mas os suspiros vieram com Paulo Gê em "Descuidado". "Não sou nada mesmo, sou um coitado, que num dia descuidado você fez se apaixonar". As letras da noite eram poesia por si só. A nostalgia do público era sentida a cada começo de canção, em "Solidão", de João Figa, nas primeiras palavras, ele já arrematou aplausos e lágrimas.
Celito Espíndola, depois Hermanos Irmãos, trio composto de Jerry Espíndola, Márcio de Camilo e Rodrigo Teixeira, que homenagearam José Boaventura. Em seguida, foi a vez de Lenilde Ramos roubar a cena. Munida de sanfona e o tom de voz que só ela tem, animou a plateia, já antecipando o que viria. "Cantando moda de viola, só não faço chover, mas bem que eu controlo o tempo", Coração Ventania, de Carlos Colman.
Em determinado momento o teatro parou. Parou para ouvir a voz e o violão de Geraldo Roca "dança mochileira que eu toco a guitarra". Era possível ouvir a respiração das pessoas mais próximas. O olhar apaixonado de casais que viveram uma história de amor com a trilha sonora da noite. A nostalgia de quem mesmo sem perceber, voltou ao tempo.
"Minha vida cigana me afastou de você", na voz inconfundível de Tetê Espíndola. (Foto: Simão Nogueira)
"Quyquyô viu tudo lindo, tudo índio por aqui.
Índio América, teus filhos, foi Tupi, foi Guarani"
(Foto: Simão Nogueira)
O que a Prata da Casa apresentou fez emocionar até mesmo quem não viveu o começo da carreira de cada um deles. Com os mais experientes, alguns de cabelos brancos, filhos e até netos. A mesma música tocou para gerações ali. A voz apresentando o show era do jornalista e locutor Ciro de Oliveira. Cada vez que chamava uma das pratas, uma história que remetia o público às canções tocadas no começo das FM's.
"A primeira vez da maioria deles foi comigo", brincou. O que ele queria dizer era que como locutor, foi ele quem colocou as músicas sul-mato-grossenses nas rádios em uma época em que o ouvido era o caipira.
A mais velha dos Espíndolas roubou a cena com uma música a seu gênero, para lá de ousada. "Só sou mulher o suficiente quando faço amor com gente", cantou Alzira.
Caminhando para fechar o ciclo, Guilherme Rondon subiu ao palco, depois "Quyquyô", de Geraldo Espíndola e "Sonhos Guaranis", de Paulo Simões.
O timbre da voz e a canção de Tetê Espíndola fez o Glauce Rocha todo cantar "Oh meu amor, não fique triste, saudade existe pra quem sabe ter". Ali era saudade pura, sentimento que todos tinham. Dos mais novos aos veteranos. A atmosfera da noite despertou saudade até em quem vivia tudo pela primeira vez.
Enquanto o velho trem atravessava o Pantanal, conduzido por Almir Sater, a plateia era quem fazia viagem. A volta ao ano de 2012 estava pertinho já. A todo momento, uma canção despertava a emoção nos olhos. Havia quem fazia discrição e devagarinho enxugava as lágrimas. Outros que deixavam escorrer mesmo ao som de "como se o sol e a lua se esparramassem pelo chão", Almir e Geraldo entraram no coração do público e o desfecho foi ainda mais nostálgico.
"Velhos amigos nunca se perdem, se guardam para certas ocasiões", cantou a Prata da Casa. (Foto: Simão Nogueira)
"Velhos amigos nunca se perdem, se guardam para certas ocasiões, conhecem o perigo,vmas fazem de conta que o tempo não ronda seus corações". O Glauce Rocha lotado aplaudiu de pé. Palmas calorosas e um sorriso no rosto de quem reviveu as lembranças de 30 anos em uma única noite.
"Eu já quero comprar para daqui 30 anos", brincava os amigos José Manfrósio e Johny Medeiros. Os dois estiveram ali no festival que originou o LP. "Eles representam a alma de Mato Grosso do Sul, eles conseguem trazer esse sentimento de saudade e de felicidade. Foi o que eu senti", descreveu Manfrósio.
"Eu estive em 1982, sentado naquela parte", apontou. "Eu fiquei emocionado e não é piegas, porque eu chorei quando tocou Descuidado, minha esposa era minha namorada na época, cada hora eu relembrava o passadao e vendo que está todo mundo aqui, foram para frente. Estou muito emocionado", tentava definir a sensação. "Saí diferente, saí diferente para melhor".
"A gente espera que se repita daqui 30 anos e se der, daqui 60 anos". Foi assim que Almir Sater e os demais "Prata da Casa" fecharam a noite de 30 anos de história.

segunda-feira, maio 21, 2012

ALMIR SATER PARTICIPA DE DVD EM CAMPO GRANDE NESTA TERÇA FEIRA


18/05/2012 10h36

Novos arranjos e letras consagradas vão estar em DVD do Prata da Casa

Capa do LP de 1982. Agora, registro será em DVD 
Aline dos Santos

Com novos arranjos e com as boas e velhas músicas consagradas. Esta é a fórmula do show Prata da Casa para que os amantes dos ritmos regionais viagem 30 anos no tempo.
Em maio de 1982, um festival no Glauce Rocha reuniu nomes como Almir Sater, Grupo Acaba, Paulo Simões, Carlos Colman, Lenilde Ramos, Geraldo, Celito, Alzira e Tetê Espíndola.
Na próxima terça-feira, os cantores voltam ao palco do teatro da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) para celebrar três décadas de história em DVD. Em 1982, o resultado do encontro musical foi registrado em LP, o já esquecido disco de vinil.
Antes de chegar ao ouvido do público, a música rola é nos ensaios no Estúdio 45, em Campo Grande. Lá, voz e instrumentos se harmonizam em novas roupagens.
A música tocada como samba ou valsinha vem na “embalagem” de valsa veneziana. Umas pitadas de acordeon e o arranjo ganha outra sonoridade.
Segundo o produtor Anderson Rocha, a maioria dos artistas faz voz e violão. “A Lenilde canta e toca gaita. O Geraldo Espíndola, toca violão”.
Os cantores têm o apoio de um quarteto, formado por Sandro Moreno (bateria), Adriano Magoo (teclado e acordeon), Marcelo Ribeiro (baixo) e Romário (violão).
Na terça-feira, sobem ao palco do Glauce Rocha: Almir Sater, os irmãos Tetê, Alzira, Celito e Geraldo Espíndola, Grupo Acaba, João Figar, Guilherme Rondon, Geraldo Roca, Paulo Simões, Carlos Colman, Lenilde Ramos, Cláudio Prates, Paulo Gê e o grupo Hermanos Irmãos, com participação especial de Rodrigo Sater, que prestarão uma homenagem ao músico José Boaventura.
O show começa às 19h30, mas os ingressos esgotaram em duas horas. O teatro tem capacidade para 700 pessoas.

domingo, maio 20, 2012

ALMIR SATER EM TREZE TÍLIAS SC- SHOW BENEFICENTE.

Almir Sater fará no próximo 27 de Maio, um show beneficente em Treze Tílias, SC, em prol da Comunidade Linha Pinhal.
Lugar onde o artista, gravou parte da novela Ana Raio e Zé Trovão, da qual mantém amigos e segundo entrevista, ano passado, quando esteve visitando os amigos de tempos passados, ao  se apresentar em Joaçaba, na abertura "Natal Encantado", um profundo respeito e carinho por todos.
Ao ponto, de reservar em sua tão concorrida agenda, uma data especial, para participar deste evento, e que, com certeza, deixará marcas especiais em todos que comparecer.


SERVIÇO:
Show Almir Sater e Banda.
Data: 27/05/12- Domingo.
Cidade: Treze Tílias- SC.

Show Beneficente em prol da Comunidade Linha Pinhal.
Abertura dos portões: 17:00 hs.
Horas: 19:00 hs.
Local: Parque da Feira- Centro.
Investimento em Valores R$:
Mesas e Cadeiras (Ingressos limitados):R$ 25.00
Pista: R$ 15.00
Pista Estudantes : R$ 10.00
Ponto de Vendas:
*-Treze Tílias -SC -
Secretaria de Turismo:- Informações (49)3537-1444
Café da Pepa: "point" centro da cidade.
*-ARROIO TRINTA -SC:
-Lanchonete e Pizzaria Pit Stop. Endereço:Rua XV de Novembro,595-Centro-(49)3535-1700
Site: www.lanchonetepitstop.com.br
*-SALTO VELOSO-SC:
Restaurante e Lanchonete Portal Velosense.
Rua Costa e Silva - Rod SC 453 - Acesso a cidade -Bairro Linha Santo Antonio - (49)3536-0569.
*-VIDEIRA- SC-
Sorveteria Boneco de Neve.
 Rua 15 de Novembro, 409-.(49)3566-0163
*-IBICARÉ -SC -
Supermercado Itapuí.
Rua 1º de Maio,35- Centro.(49)3538-0135
ÀGUA DOCE -SC.
Av. Independência, 538 - centro- (49) 3524-0184

ALMIR SATER ARRASTA MULTIDÃO | CHUVA E GUARDA CHUVA EM SHOW |

ALMIR SATER ARRASTA VERDADEIRA MULTIDÃO, EMBAIXO DE CHUVA, EM GOIÁS.

O artista e sua banda se apresentaram no domingo passado, dia 13 de Maio, e com um toque para lá de especial neste grandioso evento. Pessoas de todas as regiões compareceram, para prestigiar o renomado artista. Um dos mais respeitados do nosso cenário musical.
Nem a chuva espantou o público na última noite do 3º Festival Gastronômico Chica Doida, de Quirinópolis, encerrado nesta madrugada. Foram 4 dias de inúmeras atividades às margens do Lago Sol Poente.



O encerramento foi em grande estilo. Almir Sater reuniu uma multidão, que mesmo debaixo da chuva fina que caiu não arredou o pé do local. O público cantou e se emocionou com as canções do cantor sul-mato-grossense. Algumas pessoas usavam capas e outras, guarda-chuva para se proteger, enquanto outras não se importavam em se molhar. Era a oportunidade de ver a apresentação de um grande artista.
Durante uma hora e meia, Almir Sater cantou sucessos como Chalana e Tocando em Frente, além de muitas músicas “pantaneiras”. Na viola mostrou porque é um dos maiores violeiros do país.

Ascom – Prefeitura de Quirinópolis.

sexta-feira, maio 18, 2012

Robert Plant: clássicos do Led Zeppelin em DVD beneficente


qui, 17/05/2012 - 15:56
Material será lançado dia 19 de junho.

Em setembro de 2009 vários músicos de renome britânicos, incluindo Robert Plant, realizaram um concerto beneficente na O2 Arena, Londres, aonde parte da renda foi destinada a clinica de musicoterapia Nordoff-Robbins. Um DVD com os melhores momentos da apresentação será lançado no próximo dia 19 de junho pela MVD.

No show, Plant executou três canções, das quais duas, 'Whole Lotta Love' e 'Black Dog', são dos seus tempos no Led Zeppelin. A terceira, ‘Fixin’ to Die’ é um cover de Bukka White, famoso cantor de blues, lançada por Plant no seu álbum "Dreamland" de 2002.

Além do ex-vocalista do Led o DVD também conta com Tom Jones, Joss Stone e David Grey. No final, todos os astros se reúnem no palco para cantar 'Let it Be' dos Beatles.

A Nordorff-Robbins usa a musicoterapia como uma forma de tratar pessoas com autismo, demência, AVC, lesões cerebrais e depressão. Segundo o site da fundação, a clínica entrega mais de 50.000 sessões de musicoterapia por ano em lares, hospitais, escolas e casas de saúde próprias. Além de desenvolver uma série de outros projetos que visam levar a música para cada vez mais pessoas que vivem em comunidades distantes.

Tags:
led zeppelin
robert plant
Fonte:
Whiplash!

Fonte: RockWay - http://www.rockway.com.br/robert-plant-classicos-do-led-zeppelin-em-dvd-beneficente#ixzz1vC5LreNQ
© 2009-2012 Todos os direitos reservados

quarta-feira, maio 16, 2012

ALMIR SATER SHOW 26 MAIO MORRO DA FUMAÇA -SC


ALMIR SATER SHOW 26 MAIO MORRO DA FUMAÇA -SC. "Região de Criciúma.. vamos lá ..IMperdível.!!!

O Turismo de Morro da Fumaça, na Bela e sempre Terra de Santa Catarina, convidando a todos, para esse evento grandioso, de 18 a 27 de Maio - com a presença, de um dos mais completos artistas da nossa música, Almir Sater e mega banda, no sábado 26 de Maio... a começar pelas organizadores do evento, gentis e elegantes ao enviar a Programação para postar aos fãs.
"Quando Todos somos Um e Um é o Todo " By Led Zeppelin.



Almir Sater leva multidão no Aniversário de Maringá

'E bom ser do bem" . cada vez mais acredito que esse é o caminho...

As comemorações de festividade do aniversário de Maringá, promovidas pelo Provopar, em parceria com a Sociedade Rural, levaram mais de 115 mil pessoas no Parque de Exposições Francisco Feio Ribeiro nesta segunda-feira (14).
Depois de um final de semana e prolongado com o feriado na segunda, em comemoração ao aniversário da cidade de Maringá, culminaram com um "tiro certeiro" nos corações dos maringaenses e região, ao colocar o show beneficente de Almir Sater, como chamariz, e, tendo como objetivo, o da solidariedade e espírito comunitário, com a doação de 01 kg de alimento não perecível, para entidades beneficentes.
Segundo informações, 15.000 convites, leia-se " capacidade máxima",  foram retirados,nos postos de distribuição, para assistirem ao show do artista, no parque de exposições.
Almir Sater, como sempre, cumpriu à sua parte, através da magia de suas violas, mais uma vez, fez brilhante apresentação e através de sua música, despertar entre as pessoas, a empatia e a importância de partilha para o bem da coletividade.
De acordo com os números da Sociedade Rural, 115.706 mil pessoas passaram pela feira, sendo que muitas famílias aderiram à campanha do Provopar e levaram as doações de alimento. 
“Os maringaenses demonstraram mais uma vez o espírito solidário e contribuíram em massa, com a campanha, da qual as doações, serão, repassadas  pelo Provopar,  às entidades assistenciais da cidade. 
"Todos os anos essa parceria com os portões abertos tem sido sucesso, e esta edição não foi diferente. Só temos a agradecer a cada pessoa que foi a parque e levou um quilo de alimento. Muito obrigada”, diz a presidente do Provopar, Bernadete Barros, agradecendo também o apoio de voluntários, Tiro de Guerra e Edson Mudanças.
O show do cantor Almir Sater foi outro sucesso, que comemorou o aniversário de Maringá. “No feriadão muito gente aproveitou para ficar o dia inteiro no Parque, visitar e conhecer todas as atrações e finalizar na belíssima apresentação do Almir Sater, que fechou com chave de ouro nossa festa de aniversário. Mais uma vez realizamos uma linda festa, marcada pela solidariedade”, finalizou Bernadete.
Assistam  o vídeo da apresentação de Almir Sater, que emocionou o público presente e contagiou a platéia. sempre regado de muita emoção.

HOJE ALMIR SATER EM GUARULHOS SP SHOW IMPERDÍVEL.

HOJE ALMIR SATER  NO TEATRO ADAMASTOR EM GUARULHOS SP
SUCESSO ESTRONDOSO ANO PASSADO QUE O TRAZ DE VOLTA - UNICA APRESENTAÇÃO E IMPERDÍVEL.


Guarulhos recebe novamente, um dos shows mais badalados do ano!!! À partir de 10 de Maio, abertura da Bilheteria do Teatro Adamastor, para compra de Ingressos para o show de Almir Sater no próximo 16 de Maio. A bilheteria funcionará das 14 às 19:00 horas e no dia do espetáculo, até seu inicio.
Almir Sater e sua mega banda ao vivo, se apresentam no Teatro Adamastor, no próximo 16 de Maio. Unica Apresentação.
O Músico, apesar de ter atingido à excelência técnica, é um dos poucos (ainda), que deixa a emoção fluir de dentro do seu coração e de sua alma.
A sinergia com o público flui de forma tão natural que a impressão é estar na sala de visita do artista, num tom mais intimista.
Almir Sater é considerado um dos artistas mais completos, sendo citado pela "Revista Rolling Stone Brasil", entre os 30 maiores ícones brasileiros.
Sua música envolve diversos ritmos, desde o folk ,pegadas de rock e blues e as misturas fronteiriças do seu estado, MS, como a andina e paraguaia, polcas e chamamés.
Entre violões, sanfona, contrabaixo e percussão, que complementam o espetáculo, sem deixar de lado, o toque da viola magistral que o tornou consagrado.


SERVIÇO:
ALMIR SATER E BANDA AO "VIVO".
Data: 16/05/12 - quarta-feira.
Cidade:Guarulhos-SP
Horas: 21h.
Local: TEATRO Adamastor (696 lugares)
Av. Monteiro Lobato, 734 – Bairro Macedo -Guarulhos - São Paulo
Informações: Produtora: (11)4427-4360 / (11)4427-7986 / (11)7861-2915-
Ponto de Venda:
AMR Sign
Av Tiradentes 2386 - Macedo - Guarulhos-SP-Fone: (11)2440-0748
Bilheteria do teatro. - Abertura à partir de 10 de Maio.
Funcionamento das 14h às 19h. Ou até o início do espetáculo.Aceitamos pagamentos em cheque ou dinheiro.
INGRESSOS ONLINE:
Call Center (11) 2122-2457
Investimento em Valores R$:
Inteira R$ 100,00.
Promoção R$ 70,00. (Leitores do Jornal Guarulhos Hoje (com recorte)).
Meia R$ 50,00. (Estudantes, Maiores de 60 anos e Aposentados).

Duração: 90 minutos.
Recomendação:
 Livre.  

Pitaco By Loira do Bem. A Internet é o bixo.. maior advento.


Verdade seja dita ...A Internet é o bixo..!!! Almir Sater made in states.....
Isolda e Tristão.
O maior advento é a Internet, alguns podem até torcer o nariz, mas não tem como não admitir, que em questões de segundos as informações estão em tempo real, e mundialmente. Basta apenas um clique.. e todos estamos interligados e conectados... Não é a toa que nos países como EUA e Europa, o blogueiro tem um papel primordial nesta troca e dinâmica de informações. por que falo isso? .. Hoje recebi uma DM (mensagem direta) de uma pessoa que mora nos EUA... e adivinhem? ela queria todos os detalhes do show de Santa Catarina, em Mafra.
 Ou seja mal postei sobre nas redes e do outro lado do mundo, já havia alguém (super) interessado em comprar os ingressos para os familiares no Brasil. Isso me faz pensar, como Zeppelin anos atrás, cantava, sobre tanta coisa no passado, poderia ser evitado, se a tecnologia fosse tão eficaz e veloz como o de agora..a começar pelos romances... já que deveria ser o amor a mover toda a energia no mundo!!!

-Romeo and Juliet - não teriam aquele trágico final, se ...existisse, o correio eletrônico...Tristão e Isolda, este, não seria ludibriado pela atual mulher, quando ela passou a mensagem codificada de forma contrária e propositalmente de Isolda para ele, 
ah, e Beethoven? (Minha Amada Imortal), com certeza, não seria tão vingativo e evitaria, de anos a fio levar uma vida(tão) amargurada e ressentida, sem saber que sua carta nunca chegara ao destino como ele imaginara.. enfim.. ou quem sabe, até tragédias seriam evitadas, além de rompimentos e laços, a dama de companhia de Desdêmona, por exemplo, para evitar represálias, enviaria um email oculto, alertando-os, sobre as tramóias de Iago e sua trupe, que não se conformava com a bravura e êxito do vitorioso, o mouro Otelo, galgava o seu posto e honrarias, e, como se não bastasse tal habilidade (ainda, era amado incondicionalmente por Desdêmona), atingindo-o na sua parte, mais vulnerável: a insegurança e o ciúme por sua bela mulher, levando-o desconfiar de sua lealdade.

Enfim, penso que tanta coisa poderia ser evitada ou (re)construída, mal entendidos sendo desfeitos, se bem que estes, tem alguns, que nem emails velozes são capazes de dar um final feliz..
Como diz Mario Quintana -"Se o homem não tivesse preguiça de caminhar, não teria inventado a roda". Ainda bem...