quarta-feira, 22 de outubro de 2008

"O melhor amor" **



Essa semana,todos os jornais,falam numa só coisa:no amor obssessivo e doentio de um rapaz,que,incorfomado,com a rejeição,transformou a vida de todos,culminando com um desfecho em um final trágico e dolorido;

Buda diz que a causa do sofrimento está no'apego",ou seja,tomamos posse do outro,das coisas,e não abrimos mãos delas,e quanto "apegados",deixamos sentimentos como egoísmo,individualismo,raiva,ressentimento,ignorância,orgulho,ditar as regras de nossas vidas;

Acho que faz sentido,porque quando mais apego,mais sofremos,por medo ou insegurança,
e não nos libertamos e nem deixamos o destino seguir a ordem natural das coisas;

Segundo,a crônica,de Affonso Romano Sant´Anna,podemos dividir esse sentimento em dois,e cabe a nós,distingui-lo:

Com a palavra Affonso Romano:

"Uma vez ouvi alguém dizer:"O melhor amor é aquele que provoca em nós os nossos melhores sentimentos".Isto já tem mais de trinta anos,mas retomo a frase agora,

É uma frase intrigante.Primeiro,porque instila a idéia de que existe um "melhor amor",se é assim,então deve existir um "pior amor".

Isso desestabiliza a idéia de que o amor é sempre uma coisa una e indivisível,que é em si sempre algo sublime,fora de nós,e que não sabem lidar com ele.

Numa conversa banal,alguém disse que fulano era especialista em murchar mulheres,ou seja,transformava mulheres viçosas em cinzas e apagadas matronas como um trem que se afastasse deixando-as murchas na estação.

Tem gente,portanto,que tem DNA,de sanguessuga.Crava o dente na alma do outro e a esvazia.
No entanto,a convivência amorosa,deveria trazer vida,alegria,comunicabilidade,enfim,despertar em cada um o que cada um de melhor tem.

Alguém vai dizer:"isto também ocorre do lado feminino.e eu não sei? Marlene Dietrich,que o dia,em O anjo azul,como uma aranha no cio,uma ganfanhota perversa,vai destruindo o indefeso e apaixonado velho professor,

Portanto,se há um melhor ou pior amor,há o amor que mata e amor que vivifica.
Alguém vai indagar:mas por que há gente que fica presa ao pior amor?por que sofre insônias? por que fica grudada no telefone que não toca? por que continua dando presentes e recebendo rejeição de volta? por que tolera certas humilhações públicas e íntimas?

É que nem sempre se pode sair de um pântano,de uma areia movediça,se agarrar-se a um galho,corda ou outro tipo de socorro.

E as neuroses é como o cigarro.o fumante,mesmo,sabendo que o vício mata,nem sempre consegue libertar-se.E assim,com quem deixou a bebida,sabe que não se deve tomar um trago nem por brincadeira,quem já sofreu burramente por causa de um amor ruim deve precaver-se.

O melhor amor é aquele que desperta em nós os nossos melhores sentimentos.

Aí,então,nossa pele remoça,os olhos brilham e somos capazes de atravessar os anos numa fecundante aura.

-Extraído do Livro "Tempo de Delicadeza",da crônica intitulada,"o melhor amor",de
Affonso Romano de Sant´Anna.

Show de Almir Sater é esperado ansiosamente em ITAPIRA



ALMIR SATER É ESPERADO ANSIOSAMENTE EM ITAPIRA

Até a sexta-feira,dia 24, a cidade de Itapira será palco de uma série de atividades alusivas às comemorações de seu aniversário de 188 anos.

Entre os eventos previstos o mais esperado é o show com o cantor, ator e instrumentista, Almir Sater na quinta-feira, dia 23,às 20h,no Parque Juca Mulato.

Consagrado como um dos nomes mais importantes da música brasileira Almir Sater deverá apresentar ao público sucessos que consagraram sua carreira e músicas de seu novo CD.

A Secretaria de Cultura de Itapira estima que o público do show deverá superar o volume registrado em outros eventos musicais no Parque Juca Mulato e reforça que nessa data será montada uma estrutura de apoio para o público presente.

fonte
http://www.acomarca.com.br/site/valor.php?noticia=627

* NEM PRECISA DE DINOSSAUROS PARA ESSE PARQUE TREMERRRRRRR
É O ALMIR SATER QUE FARÁ ISSO ACONTECER...ULA LÁ. LÁ...

TEMPO DE DELICADEZA





Sei que as pessoas estão pulando na jugular das outras.Sei que viver está cada vez mais dificultoso.

Mas,talvez por isto mesmo ou talvez devido a esse maio azulzinho,a esse outono dentro e fora de mim,o fato que é o tema da delicadeza,voltou a se infiltrar,

delicadamente,nesta crônica,varando os tiroteios,sequestros,palavras ásperas e os gestos grosseiros,que ocorrem nas esquinas da televisão e do cinema com a vida.

Tudo é questão de estilo.a delicadeza não é só uma categoria ética.
Vivemos numa época em que nos filmes americanos os amantes se amam violentamente e em vez de sussurrar "I love You" arremetem "fuck you",

Sei que alguém vai dizer:-com delicadeza não se tira um MST -com sua foice e fúria- dos prédios ocupados.

Mas quem poderá negar que o poder tem sido igualmente indelicado com os pobres deste país,por 500 anos?

Sei que vão dizer:a burocracia,o trânsito,os salários,a polícia,as injustiças,a corrupção e o governo não nos deixam ser delicados.

-e eu não sei ???

Mas de novo vos digo:sejamos delicados.E,se necessário,for,cruelmente delicados.

Trechos retirados da crônica "Tempo de Delicadeza",de Affonso Romano de Sant´Anna,

Que Voce tenha,então,uma tarde delicada
beijos fraternos,

as fotos foram cedidas por Zé Ayusso,da comunidade de Almir Sater,para enfeitar ainda mais meu blog,afinal,nada mais delicado do que delicamente conviver com as flores"