segunda-feira, fevereiro 04, 2008

O MENINO QUE QUERIA SER UMA TELEVISÃO


Vale a pena ler e refletir :
Uma professora pediu aos alunos que fizessem uma redação e nela o que eles gostariam que Deus fizesse por eles. À noite, corrigindo as redações, ela se depara com uma que a deixa muito emocionada.
O marido, nesse momento acaba de entrar, a vê chorando e diz:
 O que aconteceu ? Ela respondeu:  Leia.
Era a redação de um menino:
— Senhor, esta noite te peço algo especial: me transforme em um televisor. Quero ocupar o seu lugar. Viver como vive a TV de minha casa. Ter um lugar especial para mim, e reunir minha família ao redor...Ser levado a sério quando falo... Quero ser o centro das atenções e ser escutado sem interrupções nem questionamentos.

Quero receber o mesmo cuidado especial que a TV recebe quando não funciona. E ter a companhia do meu pai quando ele chega em casa, mesmo que esteja cansado. E que minha mãe me procure quando estiver sozinha e aborrecida, em vez de ignorar-me. E ainda que meus irmãos "briguem" para estar comigo.

Quero sentir que a minha família deixa tudo de lado, de vez em quando, para passar alguns momentos comigo. E, por fim, que eu possa divertir a todos. Senhor, não te peço muito. Só quero viver o que vive qualquer televisor!.

Naquele momento, o marido de professora disse: — Meu Deus, coitado desse menino. Nossa, que coisa, esses pais!
A professora olha para seu marido e diz: :
 —  Essa redação é do nosso filho!.

2 comentários:

Anônimo disse...

oi amiga vou te contar eu vivi um tempo na infancia sem energia eletrica e sem tv, nossas tardes começavam com meu (querido) pai ensinando futebol no campinho p/meus primos e os meninos dos sitios vizinhos e nos as meninas brincando depois a gente se juntava e ouvia estorias de meu saudoso nono que eram muitas (o conde de montecristo era a preferida dele) a gente sabia de cor que saudade...me emociona lembrar...mas os pais deviam saber que os filhos so crescem e amadurecem quando sao amados de verdade nos que convivemos todos os dias com crianças sabemos da importancia da familia dos limites na vida delas...da mao da mae na hora de preparar o lanche do carinho contido no puxao de cabelo na hora de pentear...
beijao amiga
maria helena

Loira do Bem disse...

POis é Maria Helena,um tempo de infância feliz,genuína que hoje contribui para ser quem voce é, essa pessoa com dignidade cultural e moral.Nas palavras sábias
do educador Rubens Alves: “Poesias são coisas vistas ao contrário. Não é coisa de pensamento. É coisa de olhar.” (Alves, 2006, p. 48) O olhar da criança, como o do poeta, nos remete ao contato com a natureza, o encontro com o original e do Self.
Como os salmões, que deixam o mar e voltam às nascentes de águas cristalinas onde nasceram os poetas desejam voltar às suas origens (eles sabem que lá está a origem da alma). A criança é esse lugar onde tudo está iniciado e tudo já existe.Olhar para criança interior que habita em todos nós é utilizar o olhar do poeta, é voltar às origens. É lá que mora a verdade que os adultos esqueceram ou negligenciaram.

Hoje,infelizmente estamos tão "robotizados" com a era digital,globalização,que esquecemos destes detalhes tão pequenos,que fazem toda a diferença no futuro.

Um Beijo Maria Helena, obrigada pela visita no blog.