Loira do bem ∞ : 05/24/11

terça-feira, 24 de maio de 2011

Almir Sater diz que Capital merece o Aquário do Pantanal

Almir Sater diz que Capital merece o Aquário do Pantanal
Rachid Waqued
















O legítimo “pantaneiro” cantor e compositor Almir Sater fechou a cerimônia de assinatura da autorização de início das obras do Aquário do Pantanal com um show ao ar livre nos altos da Avenida Afonso Pena. Assediado por fãs antes de começar a apresentação, no palco o artista deu as boas-vindas à emblemática obra de educação, ciência, cultura e turismo tocando sucessos que remetem à realidade pantaneira, à nostalgia da viagem no famoso trem, às comitivas de gado.

Em uma rápida conversa antes de iniciar a apresentação, Almir Sater comentou a iniciativa de implantação do espaço. “Eu estou conhecendo agora o projeto, achei muito bonito, acho que Campo Grande merece um projeto desses, moderno, e que traz um pouquinho do Pantanal, das nossas águas, dos nossos peixes para cá. Acho uma beleza”. Uma meta do governo com o empreendimento é expandir a divulgação da região pantaneira, no aspecto turístico e como modelo de conservação, e tornar Mato Grosso do Sul mais conhecido mundialmente.
Em discurso e entrevistas, o governador André Puccinelli reforçou a meta de associar a “grife Pantanal” a Mato Grosso do Sul, aproveitando que o Estado detém em seu território 67% do bioma, porção bem maior que a abrangida pelo Mato Grosso e países vizinhos. Para o cantor, compositor e defensor do Pantanal Almir Sater, é mesmo necessária a valorização da região. “Acho que ainda está de forma tímida o Pantanal para o mundo. Temos que ser um pouco mais agressivos no marketing”, opinou.

Em um ambiente montado junto ao local onde ocorreu o lançamento, visitante podem ver um pouco do projeto que mostra detalhes internos de como será o Aquário e um grande painel que representa a visão externa. Para quem acompanhou o evento na noite desta segunda-feira, a visita foi ao som da trilha sonora de Almir Sater.

fonte: http://www.msnoticias.com.br/?p=ler&id=65005

Almir Sater deixa o Paraná em estado de glória, multidões compareceram.

























Verdadeira multidão com frio gelado e coração acalorado, estiveram nos shows do Almir Sater desde o inicio da turnê dia 19 em Maringá, Londrina e Cascavel. Hoje para encerrar com chave de ouro, sucesso absoluto de público, Campo Mourão também.
As filas dobravam quarteirões, todos visando os melhores lugares do teatro, já que o ingresso não foi numerado, todos ansiavam pelos melhores lugares.















E a procura pelo show foi tanta, que não houve outra alternativa, mediante os apelos da plateia do lado de fora, o de colocar cadeiras extras, nos corredores do teatro, para atender a demanda e multidão.
É "Sr."Sater comprovado que um show só num dia só, não dá ou então muda  o local,
porque no sul, em especial Paraná, o público é fidedigno e comparece mesmo para prestigiar o artista.
Uns fãs de sempre, novos seguidores, interessante é saber que são fãs de todas as idades, de 0 a 100 anos, e o show um espetáculo à parte. Os músicos que acompanham o artista vibram na mesma sintonia, energia e tudo flui redondinho, aliás a banda toda, seja em quarteto ou com os 08 no palco, é sempre um show à parte. Carlão de Souza é uma sumidade e o Rodrigo Sater no violão de aço, arrasa com "O Vento e o Tempo".

Toninho Porto arrasando no baixo acústico.
Que o diga o sanfoneiro abaixo então é o "BIXO," tocando, eu amo som de sanfona, remete a aquela coisa genuína de infância, de quitutes, festa junina, é um som alegre, bonito de se ouvir.

Almir Sater renovou seu repertório, mescla de forma eclética e equilibrada.
Desta forma, o artista consegue o impossível, agradar gregos e troianos, Até os desavisados que pedem Romaria, ops, vamos lembrar, é do mestre Renato Teixeira, minha gente.
Claro que talento e o sincronismo entre ambos  é tamanho que as pessoas devem enxergar que é um só, mas embora estejam juntos como parceiros na música, seus repertórios são separados. por favor....lembre-se disto nas próximas.
Ouvir canções como O Vento e o Tempo, Cubanita, Luzeiro, Kikiô, Maneira Simples, No Rastro da Lua Cheia é como aquele famoso "cartão" impagável.
Eu sou totalmente a favor de Beethoven, "ninguém devia JAMAIS barganhar com um artista".
Porque a arte na verdadeira concepção da palavra, não deve ser taxada, rechaçada. mas respeitada, e ...Cabecinha no Ombro, maravilhosa está..
E eu não vou deixar de dar meu "pitaco"-  "feedback" é importante para qualquer empreendedor, mas causa certa "frustração" sobre a falta de "Cavaleiro da Lua" - na minha opinião essa música é vital para o show, afinal trata-se de um som diferenciado, incorporando ao show mais irreverência, um puro rock and roll e mesclando com as velhas canções de novelas, as de praxe, que são as conhecidas da mídia e da maioria do público. 
No final do show, não são só palavras de "marqueteira", quando digo nas divulgações, que energia entre artista e público fui tão natural que a impressão é ter estado na sala de visitas, completamente à vontade, após show até beijos foram distribuídos em todos os cantos do teatro para a plateia.
É fato: Ele tem recebido os fãs, sedentos por um autógrafo, foto ou até um dedinho de prosa, por que não uai?. Afinal, artista vai sempre aonde o povo está...É a "Ordem natural das coisas" e por esse mundão de nosso Deus, que Almir Sater tem se apresentado, claro dentro do possível, tem atendido centenas de fãs, entre os quais, a Silvana e seu namorado, que deu de presente "surpresa" o show do músico para ela assistir pela 1 vez.
Almir Sater , Silvana e namorado no palco do Teatro Marista.















*fotos foram enviadas pela Silvana/Londrina/Pr. No mais, deixo um abraço bem especial a todos, fiquem ligados nas novidades e em breve "Agenda de Junho de Almir Sater" como sempre "bombadissima", shows em Minas, São Paulo, Santa Catarina, enfim vamos aguardar ..que de "devagar também é pressa".
Próximos shows de Maio.

22 Maio Campo Mourão -PR
23 Mai Campo Grande- MS "inauguração do Aquário"
26 Mai Juiz de Fora, MG - Cine Theatro Central.
Namastê