sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Julgando os outros conforme a visão de terceiros -A Raposa e o Lenhador

Reza uma lenda que  um lenhador acordava às 6 horas da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha. Só parava tarde da noite. Ele tinha um filho, lindo, de poucos meses e uma raposa, sua amiga, tratada como bicho de estimação e de sua total confiança.
Todos os dias o lenhador ia trabalhar e deixava a raposa cuidando de seu filho. Todas as noites, ao retornar do trabalho, a raposa ficava feliz com sua chegada.
Os vizinhos do lenhador alertavam que a raposa era um bicho, um animal selvagem, e portanto, não era confiável. Quando ela sentisse fome comeria a criança. O lenhador, sempre retrucando com os vizinhos, falava que isso era uma grande bobagem. A raposa era sua amiga e jamais faria isso.
Os vizinhos insistiam:
“Lenhador, abra os olhos! A raposa vai comer seu filho”.Quando sentir fome, comerá seu filho!”
Um dia o lenhador, muito exausto do trabalho e muito cansado desses comentários, ao chegar em casa viu a raposa sorrindo como sempre e com sua boca totalmente ensangüentada....
O lenhador suou frio e sem pensar duas vezes, acertou o machado na cabeça da raposa...
Ao entrar no quarto desesperado, encontrou seu filho, no berço, dormindo tranqüilamente e ao lado do berço uma cobra morta!!!!!!!O lenhador enterrou o machado e a raposa juntos.

Moral da Estória: Se você confia em alguém, não importa o que os outros pensem a respeito. Siga sempre o seu caminho e não se deixe influenciar e, principalmente, nunca tome decisões precipitadas,pautadas em experiências do passado ou porque convive ou já conviveu com gente ardilosa,dissimulada e gananciosa.
Cada ser humano carrega em si, suas vivências, cultura e princípios e valores. Não podemos generalizar pessoas.
Quantas vezes,em nossas vidas, somos precipitados em julgar as pessoas, pelo que o outro vem nos dizer,sem nem mesmo questionar  se de fato é a verdade sobre tal pessoa ou argumento. Acostumados a desconfiança,medo de ser traído, passado para trás, não damos oportunidades de seguir em frente, e cortamos de nossas vidas,pessoais ou profissionais, laços e elos essenciais para a nosso crescimento e abundância. 
Na Bíblia existe citações que nos fazem refletir sobre ao fazer um pré julgamento ou até embasados em opiniões de terceiros,que nem sempre representam a verdadeira,mas que agem de acordo com seu próprio interesse.
Em eclesiástico,nos diz que "Todo o que é consultado dá o seu conselho,mas há conselheiros que só atendem a si próprios.
Vê bem com quem te aconselhas,informa-te primeiro quais são os seus interesses,porque eles pensam dentro de si próprio.
Não suceda talvez que finque na terra uma estaca e te diga: O teu caminho é bom ,e  ao mesmo tempo,se ponha à parte para ver o que te acontecerá.
Consulta sobre santidade com um homem sem religião,/com um injusto sobre justiça,/com uma mulher sobre outra que ela tem ciúme/com um covarde a respeito da guerra / com um negociante acerca do tráfico de mercadorias./com o comprador sobre a venda,/com um invejoso sobre o reconhecimento,/com o ímpio sobre piedade,/com o desonesto sobre honestidade,/com o operário do campo sobre qualquer trabalho,/com o jornaleiro por ano sobre o que ele deve fazer durante um ano ,/com o servo preguiçoso a respeito do muito trabalho,/
Nunca te aconselhes com estes sobre tais coisas;mas comunica continuamente com um homem santo, que tu reconheceres nele fiel temor de Deus. forma dentro de ti um coração de bom conselho, porque não tens outra coisa de maior preço do que ele. Mas sobretudo pede, ao Altíssimo que dirija teu caminho em verdade.
Uma  palavra má transtornará o coração;porque nem todas as coisas convém a todos;nem todas as pessoas se comprazem das mesmas coisas. 
Isto vem reforçar que muitos a fim de preservar algo que julgam ser seu e para garantir seu próprio interesse,pessoal ou profissional ,semearão dúvidas,incertezas e desconfiança nos corações de seus semelhantes,através de ardilosas armadilhas.
Assim como os que se sentiam incomodados pela lealdade da raposa, existirá aqueles que virão e nos dirão
-Não te fies neste colaborador,futuramente ele pode vir a colocá-lo em condições de prejuízos financeiros"
-Não confie neste relacionamento, poderá ser traído(a), e serás motivo de chacota ou vergonha ou grande amargura.
-Não leve esse projeto adiante, ele não está mesmo apresentando resultados imediatos.não vale a pena.
-Não faça aquela viagem ela talvez não será fortuita. Não crie laços ou amizade com esta pessoa, ela poderá ser motivo de grande decepção.talvez não seja confiável.
E,nós,amadores,desconfiados, ou até ressabiados, por viver experiências no passado semelhantes,acatamos por impulso,medo ou precaução.
Quando na verdade, tudo que um individuo assim deseja é ,tirar do caminho, o que considera a "pedra" no dele, talvez por ser  menos evoluído,e não doutrinado espiritualmente,não se libertou ainda do egoísmo e das fraquezas de ser  ganancioso, materialista, individualista ou inseguro quanto as suas habilidades pessoais ou profissionais.
"Quem decide um caso sem ouvir a outra parte não pode ser considerado justo, ainda que decida com justiça." (Sêneca)


Desejo Paz e Bem !!!