Loira do bem ∞ : 03/02/09

segunda-feira, 2 de março de 2009

Isso também "Vai Passar".

Sofremos muitas perdas importantes ao longo do caminho, mas podemos extrair aprendizado até na amargura, e deixar que a dor, como tudo na vida, assim como vem também se vá.  De vez em quando, a vida parece que saiu dos trilhos: um grande amor vai embora, uma pessoa querida morre, um amigo trai, um filho se muda para outro país, o emprego de anos é perdido inesperadamente, aquele concurso não vingou.
Num piscar de olhos nossos sonhos, projetos e planos  viram frustrações ou pesadelos, que parecem não ter fim.
Nestes momentos é difícil manter a serenidade, além da  raiva e da dor, e por mais que muitos digam que a situação é passageira, a sensação é de que vai durar para sempre. Como encarar a questão não é caminho dos mais fáceis. Algumas pessoas tendem a criar subterfúgios emocionais que dificultam o retorno da vida aos trilhos. Seja como for que você reage à situação, uma coisa é certa: ficar parada na estação é que não pode. Além de procurar um ombro amigo, também é essencial aceitar a dor como um componente do processo e não brigar com ela.

Monja Coen disse certa vez: "Na dor, seja a dor", segundo ela, esse sentimento é importante para nos mostrar onde está o problema e nos estimular a perseguir o caminho da cura: "Cada obstáculo, dificuldade ou perda, uma entrada, uma possibilidade de mudança, um novo encontro" e talvez um novo recomeço.


A boa notícia é que a medida que acumulamos experiências, é possível que fique mais fácil lidar com as inevitáveis perdas. Mais do que a maturidade, o psicoterapeuta Fábio Oliveira, chama isso de "maturescência", pois enquanto vivermos, estaremos numa longa jornada de amadurecimento e transformação que, consiste em aceitar que tudo absolutamente, tem início, meio e fim.

Extraído  do texto de Thays Prado e adaptado. Fonte: Revista Bons Fluídos, 2009 -Março.

E, eu acrescentaria que "apesar de tudo" estagnados é que não podemos ficar, nunca sabemos onde o nosso destino vai dar, mas pode ser que na próxima parada ou estação, há uma nova possibilidade, um novo recomeço.Só vamos saber se ousar e  arriscar!.