sábado, fevereiro 11, 2017

SOCIEDADE: INTELIGÊNCIA ESTÁ NA CAPACIDADE DE PENSAR EFICIENTE

Imagem: Shutterstock


"A inteligência não é uma nota de um teste de QI, mas sim a capacidade de descobrir o que quer da vida", garante o psicólogo Robert Sternberg. Vem de encontro ao pensamento, do sociólogo suíço, Philippe Perrenoud quando, discorreu sobre o tema " saber mais é ter relações de força". 
Diógenes - o Cínico.
O que o psicólogo Robert Sternberg e Sociólogo Philippe Perrenoud, têm em comum?. Ao meu ver, a maneira como devemos ser elemento transformador na Sociedade daqui pra frente, a começar pela mudança no sistema educacional. Os dois debatem sobre o mesmo tema.  Segundo Perrenoud, "Sabemos transformar decímetro em centímetro, mas o que sabemos sobre autoestima, agressividade, angústia"? O que vamos usar mais? Como uma coisa tão presente na vida está ausente na escola que pretende preparar para a vida?”, Philippe Perrenoud. Ele não afirma, que esta é a solução dos problemas para amenizar conflitos e as relações interpessoais, mas, um dos caminhos, para chegarmos ao um consenso. Mesmo porque, é provado que existem várias espécies de inteligências.

Segundo o cientista norte-americano, o psicológo Howard Gardner detectou 7 tipos mais comuns entre nós. Mas, sem dúvida, nota-se que ser inteligente, está correlacionado com a capacidade de entendimento do que está em nossa volta. Inteligência e Cultura são duas coisas distintas: Enquanto a Cultura, aprendemos o que já foi dito e assimilado, por outras pessoas, a inteligência transforma o aprendizado, em outro entendimento à partir de uma nova opinião formalizada por nós mesmos. Mas, sem dúvida nenhuma, hoje o saber é relação de força. À partir do momento que tomamos conhecimento, sobre vários estudos, passamos a entender o melhor o comportamento das pessoas e da Sociedade, no geral. A seguir o texto do psicólogo. Eu resumiria, nas palavras Socratianas: "Quanto mais eu penso que sei, menos eu sei, eu só sei que nada sei". Boa Reflexão.


Você já percebeu que foi insensível com alguém ou deixou que os sentimentos influenciem as decisões e julgamentos? Há psicólogos como Robert Sternberg, da Universidade Cornell, nos Estados Unidos, que defendem um novo modelo educacional que ensine as pessoas a pensar de maneira mais eficiente.

“Vemos pessoas que tiram ótimas notas na escola, mas que são péssimas como líderes. Ao mesmo tempo em que há técnicos muito bons sem qualquer tipo de ética".

"A inteligência não é uma nota de um teste de QI, mas sim a capacidade de descobrir o que quer da vida e encontrar maneiras de chegar lá", afirma Sternberg, citado pela BBC. Por isso, vale a pena seguir algumas dicas.

1. Reconheça seus pontos fracos. Acha-se mais inteligente do que a média? Isso é o que os cientistas chamam de ‘superioridade ilusória’ e explicam que é particularmente frequente entre as pessoas menos capazes. Tem tendência para negar os seus defeitos? Este tipo de propensão influencia as ideias e a forma de viver. Mas, os psicólogos defendem que é possível se treinar para identificar estas tendências e acabar com elas.

2. Calce as 'sandálias da humildade'. Nenhum homem deveria ter vergonha de admitir que errou, até porque isso faz dele uma pessoa mais sábia, defendia o poeta Alexander Pope. Hoje, ser uma pessoa ‘mente aberta’, que lida melhor com as incertezas, é fundamental. Esta humildade intelectual torna-o mais capaz de questionar os limites do seu conhecimento e dá uma maior capacidade de se colocar ‘na pele dos outros‘.

3. Discuta com você mesmo. Evite as tendências negativas. Tente olhar para uma questão de vários ângulos e discuta as suas convicções.
Fonte: