segunda-feira, fevereiro 27, 2012

Administração e Marketing: Networking - faz toda a diferença profissional.

Você  sabe o que é "Networking"? 
 
 "É um termo bem similar para a administração, o que não acontece, para muitos que são leigos", vale a pena ler e conhecer sobre. Segundo Gerusa Mengarda, gerente de relacionamento da Gelre: "Network é toda a sua rede de conhecimentos, contatos são apenas aquelas pessoas que você conheceu mas não cultivou como amigos". Networking é a união dos termos em inglês "Net", que significa "Rede" e "Working" "Trabalhando"". O termo, em sua forma resumida, significa que quanto maior for a rede de contatos de uma pessoa, maior será a possibilidade de essa pessoa conseguir uma boa colocação profissional.

"Um bom relacionamento ou uma boa imagem é um grande capital", afirma o professor e coordenador de Pesquisa da Cásper Líbero Laan Mendes de Barros. "Para aumentar a rede de contatos, é importante estar aberto a fatores novos, conhecer novas pessoas". Para colocar-se no mercado, todas as oportunidades devem ser aproveitadas. "Até mesmo atividades culturais fora do horário de trabalho podem ser importantes para criar condições para um rede de contatos", informa o professor. No entanto, o profissional deve ser natural na sua busca por relacionamentos. "Não pode também ser um chato, que não desliga do trabalho o tempo todo, os relacionamentos devem ser naturais".

Ética é o topo da lista de prioridades para a imagem de um profissional."Os valores éticos devem ser muito claros, para que fiquem gravados na sua caminhada entre seus pares, isso é o mais importante e fortalecerá automaticamente sua rede de contatos", confirma o professor Barros. Para ele, manter os valores éticos bastante claros é mais importante do que qualquer fórmula pronta para o networking.

"Não se deve lembrar dos contatos apenas quando se precisa de um favor", conta a gerente da Gelre. O cuidado existe para que o profissional não seja visto como aproveitador ou superficial. "Não pode ser como político, que só abraça crianças em época de eleição", compara o professor. "Enviar correspondência como cartões de Natal e aniversário é um gesto interessante", de acordo com a gerente da Gelre. No entanto, "isso deve ser deixado para os relacionamentos mais próximos, para não cair no erro de lotar sempre a caixa de correspondência de alguém que nem sabe direito quem o profissional é", lembra o professor.

"Passar de uma conversa superficial para assuntos polêmicos ou íntimos em um piscar de olhos é inadequado, mesmo que o contato ache interessante discutir assuntos íntimos com você, pode ficar receoso em recomendá-lo na esfera profissional. O relacionamento deve ser construído, conversar generalidades é um bom modo de começar a conhecer alguém;

O cuidado não significa, necessariamente, evitar emitir opiniões pessoais. "Cada vez mais se discute a falta de separação entre as vidas pública e privada de um profissional, o ideal é ter um discurso consistente e coerente de valores éticos tanto em uma quanto em outra e lembrar que a postura pessoal é considerada por muitas empresas como um complemento da ética no trabalho", lembra o professor da Cásper Líbero. Afinal o que é fazer Networking? Segundo Patrícia Woff," É estabelecer uma rede de relacionamentos com um grupo de pessoas que poderão exercer influência positiva em sua carreira". Atualmente, não basta apenas sermos competentes, é essencial que saibamos manter a nossa empregabilidade. Uma das ferramentas mais eficazes para isso é o network que, aliás, é mais do que uma ferramenta, é um hábito que bem desenvolvido poderá ajudá-lo a:
• Ter acesso a oportunidades no mercado de trabalho;
• Captar informações relevantes para seu dia a dia;
• Divulgar seu trabalho;
• Obter novos clientes;
• Solicitar conselho;
• Captar recursos financeiros para um projeto;
• Recomendar serviços;
• Etc.
Conhecer uma pessoa, pedir seu e-mail e enviar seu currículo não é fazer networking, é ser CHATO! Fazer networking leva tempo e requer muita paciência.
O que preciso fazer para não ser considerado inconveniente?
Se a sua abordagem estiver baseada em alguns valores e seu foco for o ganha-ganha, certamente você não será. Valores indispensáveis não só para networking, mas para todo e qualquer relacionamento (namorado, amigo, filho, pai, profissionais) são: respeito, transparência, lealdade e principalmente reciprocidade, pois além do networking ser uma via de mão dupla, é preciso que o outro QUEIRA e DESEJE me contatar.
E como é que eu faço para que o outro queira e deseje me contatar? Jeffrey Gitomer (M.Books, 2007) nos ajuda com algumas dicas:
1. Ofereça valor: coloque a pessoa diante de contatos que possam resultar em negócios para ela;
2. Seja sincero: mesmo que você comprometa a venda do seu serviço/produto naquele momento irá gerar maior credibilidade para você.
3. Encontre vínculos: encontre algo em comum que os una.
4. Demonstre conhecimento:fale de coisas que interessem à outra pessoa.
5. Esteja presente: mesmo quando você não precisar de nada.
Para expandir ainda mais o seu network, utilize tanto as formas off-line como as formas on-line:
Off-line:
• Família
• Amigos
• Colegas
• Associações
• Cursos On-line:
• Redes sociais.
• Diretórios de negócio. Ex: LinkedIn
• Gerenciadores de contato. Ex: Plaxo
• Fóruns de debate. Ex: Yahoo Group
• Comunicadores. Ex: Skype, MSN
Vale ressaltar que hoje em dia redes de relacionamentos são o quarto segmento mais popular, acima de e-mail pessoal (dados da Nielsen Online), e os resultados são tangíveis, pois encontramos pessoas fazendo negócios e amizades a todo o momento. Mas não fique apenas atrás da telinha, agende um café, um almoço ou um happy hour com seus contatos e procure levar convidados novos para que a rede já comece a se multiplicar e prosperar.
Algumas razões para não praticar o networking:
• Despreparo
• Medo da rejeição
• Vergonha
• Procrastinação
• Auto-imagem limitada
A única maneira de superar o medo é começar a desenvolver autoconfiança por meio de preparo. Treine, treine e treine.
Habilidades que contribuem com o seu networking:
• Ter coragem
• Ser determinado
• Ter empatia
• Saber ouvir
• Ter disciplina
• Ser criativo
Pausa para reflexão
Agora, antes de prosseguir com a leitura, faça uma reflexão sobre como anda seu desempenho em construir network:
1. Estou constantemente conhecendo pessoas novas?
2. Quando conheço pessoas novas consigo interagir logo de início?
3. Conheço as pessoas “mais importantes”da área em que atuo?
4. As pessoas me ligam para que eu as ajude a fazer contatos?
10 Passos para se construir uma rede de relacionamentos
1. Primeiro estabeleça o que você quer, defina o que você está buscando.
2. Faça uma lista das pessoas que você já conheceu na vida e procure manter sempre atualizada.
3. Promova seu perfil nas principais redes de relacionamento.
4. Reflita quem são as 15 pessoas mais “influentes” na sua área e faça uma lista com os respectivos nomes.
5. Verifique se entre as pessoas que você conhece, existe alguém que poderia te apresentar para essas “pessoas influentes” listadas acima e/ou pesquise estes nomes em artigos, livros, cursos, fóruns de discussões.
6. Priorize sua lista, organizando seus contatos em dois grandes grupos:
o Pessoas que irão ajudá-lo imediatamente a atingir seu objetivo
o Pessoas que você contatará assim que concluir os contatos do primeiro grupo
7. Planeje sua abordagem e treine.
8. No contato com estas pessoas, busque informações relevantes e faça com que elas se interessem por você.
9. Atualize a sua lista, anotando data e informações relevantes do último contato e uma periodicidade para contatos futuros e qual o meio escolhido (encontro pessoal, telefone/skype, e-mail, etc.)
10. Para os seus principais contatos descreva quais serão os seus próximos passos e se dedique a executá-los. AÇÃO, AÇÃO e mais AÇÃO!
Importantíssimo: Que este ciclo nunca termine e vire uma rotina na sua vida.
Como fazer seu Networking cada vez melhor
(com base nas vinte e duas dicas para networker, de José Augusto Minarelli – Editora Gente, 2001)
1. Tenha interesse na pessoa. De vez em quando faça contato apenas para saber como vai o outro. William James disse: “O mais profundo princípio da natureza humana é a ânsia (fome humana insaciável) de ser apreciado”.
2. Seja proativo. Não espere que o outro tome iniciativa
3. Preste atenção no que os outros dizem ou contam. Ser escutado tem um grande valor.
4. Seja específico e objetivo. Quando pedir ajuda a alguém, ajude o outro a ajudar você.
5. Seja persistente sempre. Não se aborreça quando sentir certa rejeição, a pessoa pode não estar em seus melhores dias.
6. Esteja sempre pronto para ajudar os outros, mesmo que o gesto não lhe traga nenhum benefício imediato.
7. Sente-se perto de desconhecidos. Não fique sozinho nem passe todo o tempo com aqueles que você já conhece.
8. Nunca faça comentários negativos de ninguém.
Para manter um relacionamento por longo tempo, fique atento aos elementos que devem ser plenamente uitlizados de acordo com Jeffrey Gitomer, autor do Livro Negro do Networking:
PRIMEIRO, deve haver alguma atração intelectual ou emocional.
SEGUNDO, deve haver algum terreno comum, que seja interessante para os dois.
TERCEIRO, deve haver compromisso com uma comunicação regular contendo antes o “dar” do que o “pedir”.
QUARTO, deve haver encontros ocasionais cara a cara.
Desafio sugerido para aplicação das dicas acima
Escolha três contatos valioso da sua lista, e:
• Identifique quem são e o que significam para você;
• Defina de que forma você pode agregar valor para estas pessoas;
• Prepare-se para fazer o contato de forma assertiva (lembre-se do nosso artigo anterior);
• Providencie um encontro ou telefonema;
• Defina os próximos passos.
Agora é com você!
Se você tiver algumas dica, sugestão, um ponte de vista diferente ou case, compartilhe conosco.
Bom trabalho e ótimos contatos.
Literatura sugerida:
• Nunca almoce sozinho – Keith Ferrazzi e Tahl Raz, Actual Editora, 2006
• Como fazer amigos e influenciar pessoas – Dale Carnegie, Companhia Editora Nacional, 2009
• Networking – José Augusto Minarelli, Editora Gente, 2001
A autora convidada da série de artigos sobre Competências, Patrícia Wolff, atua como coach executivo e de equipe, conferencista em Desenvolvimento Humano e é diretora da Quantas Consulting.