Loira do bem ∞ : 07/19/10

segunda-feira, julho 19, 2010

Pitaco de Loira: Imagem positiva no mundo virtual











01/06/2010 - 15h52


Cuidado com a sua imagem no mundo virtual

*Licia Egger Moellwald

Há algum tempo, uma jovem inglesa foi demitida porque escreveu no Orkut que achava o seu trabalho entediante. Passadas duas semanas, a londrina foi convidada a se retirar da empresa sob a alegação de que ferira a imagem da companhia. O caso foi contestado por várias entidades que cuidam dos direitos dos funcionários e a decisão acabou sendo vista por muitos como um sinal de perseguição e rigidez dos ingleses.

Mas, se pensarmos bem, a empresa teve razão. Afinal, o dinheiro que as corporações gastam para conquistar uma imagem de eficiência e de bons serviços não é pouco, e essa imagem não pode ser posta em dúvida porque um funcionário está entediado e resolveu publicar a respeito.

Esta história foi considerada pelos mais radicais como o fim do mundo e lembrou o livro de Orwell, 1984, no qual as pessoas eram vigiadas para não pisarem em falso ou cometerem deslizes que podessem comprometer de alguma forma o governo. Infelizmente, a jovem inglesa, como outros tantos que contribuem com seus comentários e filmes para as redes de relacionamento, blogs e sites, deixou de lado a preocupação com a extensão do que é publicado e acabou se entregando a armadilhas.

As ferramentas de comunicação de massa têm um alcance cada vez maior, que exorbita o imaginado. Pelo menos foi o que ficou claro com a professora baiana que perdeu o emprego depois de ser vista por milhares de pessoas dançando sensualmente no Youtube.

Para quem curte participar das redes sociais ou publicar vídeos pessoais na Internet, sensatez, cautela e reflexão sobre as diversas possibilidades que o conteúdo ganha no mundo virtual são sinais de cuidado com a imagem pessoal.

É preciso lembrar que uma vez publicada, a informação ganha espaço e pode ser acessada por qualquer pessoa - inclusive as menos esperadas.

Seja como for, separei alguns lembretes que considero importantes para a preservação da imagem de quem adora o mundo virtual:

•Reflita se o que publicou não prejudica você ou outra pessoa - demonstra prudência, ética e elegância. Sempre é bom pensar o quanto se está disposto a encarar o desenrolar da história.

•Antes de publicar qualquer filme, foto ou comentário a respeito dos seus sentimentos em relação a qualquer coisa ou pessoa reflita se a ideia pode ser mal interpretada. Em caso de dúvida, não coloque nada.

•Não permita que publiquem comentários desabonadores a seu respeito nas redes de relacionamento. Coisas do tipo: "Você ficou muito engraçado de porre; O pessoal achou você muito doido; Que bom que você finalmente resolveu lembrar dos amigos pobres", não ajudam a construir uma boa imagem.

•Também não se permita escrever sem pensar nas possíveis consequências de questões pessoais, tais como: "Ando de saco cheio de tanto trabalho; Estou a beira de um ataque de nervos com a confusão aqui na empresa; ou Acho que preciso mudar o rumo da minha vida e partir para outra".

•Quando for arrasar na dança, beber além da conta ou fazer qualquer coisa que possa comprometer a imagem pessoal, dê uma checada se quem está ao seu lado gosta mesmo de você ou pode dar um de Judas.

Estas preocupações fazem parte do mundo globalizado e super conectado em que vivemos. É tolice, ingenuidade e inocência acreditar que mesmo na intimidade estamos preservados da curiosidade virtual.

fonte: http://empregocerto.uol.com.br/info/dicas/2010/06/01/ult7031u530.html#rmcl

Sabedoria Indígena - Aprenda com o silêncio


Nós os índios, conhecemos o silêncio...
Não temos medo dele. Na verdade, para nós ele é mais poderoso do que as palavras.
Nossos ancestrais foram educados nas maneiras do silêncio e eles nos transmitiram esse conhecimento.
"Observa, escuta, e logo atua", nos diziam. Esta é a maneira correta de viver.
Observa os animais para ver como cuidam de seus filhotes.
Observa os anciães para ver como se comportam.
Observa o homem branco para ver o que quer.
Sempre observa primeiro, com o coração e a mente quietos, e então aprenderás.
Quando tiveres observado o suficiente, então poderás atuar.
Com vocês, brancos, é o contrário. Vocês aprendem falando.
Dão prêmios às crianças que falam mais na escola. Em suas festas, todos tratam de falar.
No trabalho estão sempre tendo reuniões nas quais todos interrompem a todos,e todos falam cinco, dez, cem vezes. E chamam isso de "resolver um problema".
Quando estão numa habitação e há silêncio, ficam nervosos.
Precisam preencher o espaço com sons.
Então, falam compulsivamente, mesmo antes de saberem o que vão dizer.
Vocês gostam de discutir.
Nem sequer permitem que o outro termine uma frase. Sempre interrompem.
Para nós isso é muito desrespeitoso e muito inconveniente, inclusive.
Se começas a falar, eu não vou te interromper.
Te escutarei.
Talvez deixe de escutá-lo se não gostar do que estás dizendo.
Mas não vou interromper.
Quando terminares, tomarei minha decisão sobre o que disseste, mas não te direi se não estou de acordo, a menos que seja importante.
Do contrário, simplesmente ficarei calado e me afastarei.
Terás dito o que preciso saber.
Não há mais nada a dizer. Mas isso não é suficiente para a maioria de vocês.
Deveríamos pensar nas suas palavras como se fossem sementes.
Deveriam plantá-las, e permiti-las crescer em silêncio.
Nossos ancestrais nos ensinaram que a terra está sempre nos falando e que devemos ficar em silêncio para escutá-la.
Existem muitas vozes além das nossas.
Muitas vozes. Só vamos escutá-las em silêncio.
“Não sofremos de falta de comunicação, mas ao contrário, sofremos com todas as forças que nos obrigam a nos exprimir quando não temos grande coisa a dizer”.




































Texto traduzido do Livro " Neither Wolf nor Dog. On Forgotten Roads with an Indian Elder" - Kent Nerburn

Linguagem corporal o corpo fala

O corpo diz mais do que você pensa.

Por Thaís Romanelli.













Você já parou para pensar que seu corpo pode dizer muito sobre a sua personalidade? A postura, os gestos, os movimentos corporais e até mesmo as formas físicas podem revelar sentimentos, angústias, traumas, posicionamentos e desejos de uma pessoa. “Observando a postura e a maneira de caminhar de alguém, já podemos ver quais são as regiões do corpo onde estão localizadas as tensões, retrações e desequilíbrios”, diz o terapeuta psicocorporal morfoanalista Serge Peyrot, criador da terapia morfoanalítica, trabalho que integra o lado emocional ao físico, propiciando uma mudança morfológica associada com a postura na vida, de acordo com as características genéticas de cada um.


Segundo Peyrot, podemos ter uma percepção instantânea dos sentimentos que alguém transmite com o seu jeito - mas não as razões psicoafetivas desses desequilíbrios posturais - pela simples observação visual. Afetado pelo lado emocional, os músculos, a pele e os órgãos liberam os conteúdos do lado efetivo armazenados, refletindo no metabolismo, no posicionamento e nas expressões corporais. “A mesma postura pode esconder memórias emocionais muito diferentes. Uma coluna vertebral corcunda pode ser o resultado de uma relação com um pai exageradamente autoritário ou, então, pode ser a conseqüência do fechamento da região do peito e do coração devido a um traumatismo infantil de perda ou abandono. Neste caso, o tórax empurra para trás e acentua a curva dorsal, que acaba corcunda”, explica o fisioterapeuta.

A questão da segurança também está extremamente relacionada com o corpo, assim como a mentira. “Temos uma sensibilidade inconsciente ao que o corpo das pessoas emite. Existe uma comunicação corporal infra-verbal que nos permite captar sinais emitidos naturalmente pelo outro e nos informa sobre seu estado interno”, diz Serge. Tentar transmitir sensações que não são verdadeiras é fisicamente complicado. O corpo, os gestos e a fala denotam de forma clara o estado interno da pessoa.

O fisioterapeuta ainda explica que “o corpo de uma pessoa segura está solto, os gestos e os movimentos se fazem em harmonia com o entorno psicoafetivo, com naturalidade e espontaneidade; é uma pessoa que transmite uma unidade entre o que diz e faz, e o que diz o corpo dela”. E completa: “esta unidade psicopostural implica que existe um equilíbrio interno neste corpo entre a vida afetiva, sensorial, emocional, sexual, e que essas energias estão em constante comunicação e circulam naturalmente”.

Fazer uma análise do corpo é tarefa extremamente complicada, já que o próprio sujeito só tem uma compreensão parcial do seu corpo. Segundo Serge Peyrot, isso acontece “pois as razões mais profundas estão no inconsciente, fora do alcance dele”. “Só gradualmente poderemos descobrir a linguagem da postura e sua historia, e isto acontece ao se realizar um trabalho corporal global, que integra a dimensão sensorial e afetiva do corpo físico”, explica.

Veja como são interpretados alguns gestos

• Mãos nos quadris: provocativo ou duro. Entretido no assunto. Pode indicar antagonismo ou desafio.
• Mãos juntas sobre o colo ou estômago: um gesto de proteção.
• Mãos nos bolsos: estar em contato com o próprio corpo. Busca de equilíbrio frente a uma possível insegurança.
• Braços cruzados na frente do corpo: o gesto pode indicar inúmeras coisas, dependendo da situação. Pode ser uma forma de se resguardar, de se proteger ou de mostrar medo, timidez, força ou poder. O cruzar dos braços também pode demonstrar frieza, mas de uma forma geral demonstra uma posição defensiva.
• Mãos fechadas demonstram atitude hostil e defensiva.
• Falta de movimento: uma pessoa que mantém o corpo imóvel procura passar despercebida ou é extremamente introspectiva.
• Gestos abertos e fechados: geralmente, os gestos abertos são confiantes, enquanto os fechados indicam corte e retraimento.
• Inclinar-se para a frente ou recostar-se na cadeira: aproximar o corpo pode significar interesse sobre o assunto. Enquanto encostar-se na cadeira indica diminuição de interesse ou até indiferença.
• Pernas cruzadas: de nervosismo à insegurança, a posição é um gesto de apoio que deve ser interpretado conforme o contexto.
• Perna cruzada e presa: sinal de uma pessoa perspicaz, obstinada, com uma postura dura e firme enquanto argumenta ou debate.
• Virar de frente e virar de costas: mesmo que apenas uma parte do corpo, os ombros, por exemplo, vire para você, significa que você está sendo incluído na conversa ou na situação. No entanto, se a pessoa lhe voltar as costas, indica exclusão.
• Erguer a cabeça: manter a cabeça erguida é um sinal de interesse, de estar aberto e receptivo à opinião dos outros.

Apesar das interpretações, não existe uma leitura padrão que seja igual para todos, pois a forma como cada um se move e se expressa é particular, individualizada. “Não se pode padronizar gestos como sinônimo de um sentimento que seja o mesmo para todas as pessoas”, conclui Serge.

fonte:http://dnamulher.uol.com.br/secao_interna.cfm?oid=397

06/08 Almir Sater unica apresentação no Citibank Hall

O Rio está em festa. Almir Sater em única apresentação no Citibank Hall, Rio de Janeiro dia 06 de Agosto.
Este vale a pena "espiar", voce não pode ficar de fora,garanta já os seus ingressos.



















Serviço:
Show Almir Sater.
Onde: Citibank Hall
Cidade: Rio de Janeiro -RJ
Data: 06/08/2010
Horas: 22:00
Valores de Ingressos acesse o site oficial :
Link direto:
http://premier.ticketsforfun.com.br/search/SearchResults.aspx?k=almir+sater&c=&r=&city=&d=