terça-feira, junho 02, 2009

Comportamento: A imperfeição do Ser...a imperfeição no amor...




*Tarde fria cinzenta e muito fria, fico a pensar olhando pela janela umedecida pelo vento e neblina, daqueles que não tem um agasalho, um abrigo, certa melancolia invade meus pensamentos, uns com tanto, outros com menos, uns esbanjando caviar. E outros rogando por um prato de sopa quente e às vezes a dúvida da fé, da crença, do invisível, uma disparidade muito grande, sem querer toma conta e vai diluindo à medida que leio, buscando novas verdades, conhecimentos, refletindo.
Enquanto degusto um chocolate quente e canela, leio este texto, de Pe Fábio, do Livro "Cartas entre amigos”, (Décima Segunda Carta), que ganhei autografado, dos amigos e fãs da comunidade de Almir Sater, Beto e Aninha, onde me chamou atenção a essa frase:- "Tão importante quanto crer é saber duvidar. A construção da fé passa o tempo todo pelo caminho da dúvida". Tem fundamento, e de certa forma, me traz alívio, porque eu vivo às vezes, duvido da fé, porque gosto de tocar, sentir, olhar e crer sem ver, sem comprovar, é difícil, principalmente por causa desta desigualdade social, mas segundo o livro a dúvida resguarda possibilidades, enquanto que a resposta pronta fecha a porta da continuidade. Pensando assim tem fundamento, porque enquanto há dúvida um talvez, significa que a porta ficou entreaberta e com possibilidades de ser aberta outra vez, neste caso creio eu interessante é conviver (ainda) com a dúvida, a incerteza, porque enquanto há dúvida há esperança. O autor vai mais além, "Nem sempre o que sentimos corresponde à verdade”. Considerar a verdade a partir do sentimento é um caminho perigoso, pois pode nos levar a cometer grandes injustiças.
Às vezes o orgulho, a situação, o comodismo, o medo de arriscar, nos leva mesmo a ocultar ou excluir de nossa vida, o que realmente nos importa e continuando o pensamento do Pe, "Já desprezei muita gente importante na minha vida, porque acreditei demais no que sentia". “E mesmo que meu sentimento correspondesse ao que eu conhecia da realidade, eu o elegia como minha verdade". Quantas vezes, erramos e não somos capazes de reparar o erro e ficamos em nosso casulo, usando o ante perdão, como escudo, ou pior ainda o outro errou conosco, mas não damos o braço a torcer, que podemos desculpar porque o outro é especial em nossa vida; e o Padre continua: Por razões mesquinhas e vergonhosas, permiti que o sentimento do momento me fizesse esquecer o que eu verdadeiramente sabia do outro. “Desprezei por motivos pequenos pessoas que eu já havia reconhecido grandes". A Razão ? elegi a ira do momento como verdade absoluta. Permiti que o desapontamento momentâneo prevalecesse sobre as histórias bonitas que já havia experimentado ao lado daquela pessoa.
Percebo em nossos dias uma intolerância cada vez maior com os limites humanos. Temos medo da imperfeição. É por isto, evitamos o outro no momento de sua fragilidade, Corremos o risco de cultivar pessoas e realidades a partir das expectativas, e não de possibilidades. Queremos o outro, mas esse querer fica condicionado. Queremos, mas desde, que absolutamente nada contrarie nosso querer. AH, Padre, neste quesito, eu até sou tolerante, mas difícil é quando deparamos, com uma pessoa assim pela frente, que não admite opiniões divergentes, nem que a gente como humano, erre vez ou outra;
E o filósofo Padre instiga: "O amor que sentimos pelo outro pode ser concreto fora da experiência de limites e imperfeições”? É possível amar alguém sem tocar suas formas mais imperfeitas? O amor consiste somente em reconhecimento de valores.
Tenho aprendido, a partir da minha experiência, que o amor só é concreto, depois de termos necessitado do perdão. Antes disto há qualquer outra coisa, menos amor. “Eu só sei que amo verdadeiramente, depois de ter esbarrado nas imperfeições do outro, depois de ter conhecido sua pior faceta e mesmo assim, continuar reconhecendo-a como parte a que não posso renunciar”. Concordo com seus dizeres não é possível amar alguém pensando na perfeição e quando amamos, de fato, o perdão vem, sem exigências, sem cobranças; Creio eu que amar alguém vai mais além, que às vezes, sangra, como Shakespeare, dizia: - Alguém que te diga, você está errado, mas eu permanecerei do seu lado, é reconhecer no outro seu falhas também, e saber relevá-las e na balança saber dosar aquilo que tu disseste em outra frase, o que o fez reconhecer como grande o outro ser. E finalizando em suas palavras, que fala por si, é o final da carta e reflexão do Padre Fábio: "As pessoas estão cada vez mais temerosas de se mostrarem frágeis”. Por isso simulam uma coragem que não possuem. “Quanto maior a armadura, mais frágil o ser que nela habita". O medo da fragilidade nos faz buscar armaduras. Nós a construímos o tempo todo. No homem sempre sério e incapacitado de um sorriso, mora um homem frágil, desejoso de um abraço. Na mulher emancipada, temida e altamente qualificada profissionalmente, mora uma menina que tem medo de escuro. No grito grosseiro e ríspido do chefe de departamento, mora um menino que tem medo de errar. No momento que não suporto o defeito do outro, o que verdadeiramente rejeito é a minha imagem nele refletida. Minha armadura está posta nela eu me escondo e me justifico. Crio meus dogmas e atrás deles, me posiciono. Eles são meus escudos, minhas guaritas. Neles finjo que estou protegido. Só o amor pode desconstruir essas armaduras. Só o olhar de quem nos ama pode nos encorajar a sermos nós mesmos. Olhares amorosos são olhares de devolução. Eles nos permitem mostrar a fragilidade sem que haja imposição da vergonha.
Com minha benção,
Pe.Fábio
"Trechos do Livro "Cartas Entre Amigos”" sobre medos contemporâneos,
Autoria: Fábio de Melo e Gabriel Chalita.

FESTANÇAS DE FIM DE SEMANA AO SOM DE ALMIR SATER


...Calendário tá dizendo...sanfoneiro puxa o fole
vai ter folk de Almir Sater neste fim de semana,Voce não pode perder, traga toda a sua família,os vizinhos,amigos,a sogra,o namorado,o parceiro..enfim tá chegando...

e venha festejar e manter acesa a tradição junina, do nosso povo brasileiro..
"somente quando sonha o homem vai ao céu", o resto é pelo chão com o somzaço de Almir Sater e magistral banda voce vai estar no Paraíso.

06/06/09- sábado.
Cidade:Mauá-SP
Local:PAÇO MUNICIPAL DE MAUÁ
Horário:21:00 Horas festança o dia inteiro.
Entrada:Gratis.

07/06/09-Domingo.
Cidade:São Paulo-SP.
Local:AABB- Unidade Cantareira.
Av.Cel.Sezefredo Fagundes, 7.770 - Tremembé - São Paulo
Telefone:(11 2995-2922
Horário:à partir das 12:00 Horas.
Ingressos:*somente para associados e convidados dos associados*.
Valor do convite:R$ 20,00(antecipado)e R$ 30,00 (no dia).Venda de convites para convidados na Unidade Cantareira e no Caixa do Casarão.

Existem várias maneiras de contatar sua criança interna, e uma das melhores é a mais direta. Sempre que tiver chance, torne-se uma criança, desperte em você mesmo o menino ou menina que já foi um dia.
Quando entramos em contato com a criança que já fomos, acessamos a energia e a criatividade do mundo infantil e somos rejuvenescidos pelo influxo dessa nova seiva. A gente se sente renovado, disposto.
Brincar é uma condição necessária para se ser sério. Arquimedes

Paz e Bem !!!
bjos folks proceis...