Loira do bem ∞ : 05/13/08

terça-feira, 13 de maio de 2008

Fãs ansiosos para ver Almir Sater em Curitiba dia 14/05


Na comunidade de Almir Sater no Orkut não se fala de outra coisa. a impressão que tenho é que os fãs maiores deste violeiro estão concentrados no Paraná,na cidade de Curitiba. Pois o Tópico sobre esse show bomba sem parar, todos afoitos e sedentos para ver o som da viola de Almir Sater ecoar no Teatro Guaíra e a nova banda também.

Os que já assistiram só falam maravilhas, encantados com o ritmo e som de primeira grandeza, uma nova "roupagem" as músicas lindas de Almir Sater.  O jornal gazeta do povo, antenado que só, fez uma bela reportagem com o violeiro sobre esse show, amanhã dia 15, sendo notícia de primeira página e com novidades, para os fãs, pois Almir Sater declara que pretende gravar um CD Instrumental, o III- ainda este ano.

A seguir a entrevista concedida ao jornalista Eduardo Luiz Klisiewicz e publicada dia 11/05/2008 | 00:00 |que agradeço publicamente por escrever e passar o link para eu divulgar na comunidade e blog .
Grata por tamanha gentileza.

Almir Sater volta a Curitiba e dá "aula de viola" no Teatro Guaíra.

O palco do Teatro Guaíra recebe na próxima quarta-feira (14) mais uma aula de viola caipira, musicalidade e talento. O artista – na melhor acepção da palavra – Almir Sater volta à Curitiba para apresentar algumas das canções do seu último CD “7 Sinais” (gravado em 2006), além de presentear o público com suas mais famosas e tradicionais “modas” de viola, como “Tocando em frente”, “Chalana” e “Um violeiro toca”.

Sem rótulos, só música.
É bem difícil encontrar alguém que não saiba pelo menos um trecho, por exemplo, da música “Tocando em frente”, de Almir Sater e Renato Teixeira. Seja em profiles do Orkut, nick names do Messenger ou citações esporádicas, frases como “Ando devagar, porque já tive pressa. E levo esse sorriso, porque já chorei demais” fazem parte do dia-a-dia da maioria dos brasileiros, admiradores ou não das músicas regionais, caipiras ou outro rótulo qualquer.

Hoje, cerca de 30 anos depois que o jovem Almir largou a faculdade de Direito e se encantou com o som carinhoso e companheiro da viola de 10 cordas, a música produzida por ele não ganha mais rótulos, mas chega, na verdade a agrupar muitos deles. É MPB para muitos, caipira para outro tanto e sertanejo por alguns. Mas música de qualidade para todos.

Discípulo do saudoso Tião Carreiro – ídolo de 10 em cada 10 violeiros (sem qualquer receio de exagerar) – Sater relembra com carinho a influência do velho Tião. “Ele foi inspirador de todos da minha geração. Para mim foi decisivo conhecer um violeiro popular, vindo do Norte de Minas, que trabalhou até em circo para chegar onde chegou. O Tião tinha um toque diferenciado, que trazia a fusão do samba com a musica caipira, influenciada com música portuguesa”.

Sem ser radical em relação a novas tecnologias e sons, Almir conserva o bom gosto sertanejo e a tradicional moda de viola, que para muitos remete a alguém ou algum lugar que ficou no passado, mas segue vivo na memória.

Violeiro viajante volta a Curitiba

Novamente em Curitiba, o violeiro resgata a fama de cidade laboratório daqui. “É sempre muito bom tocar aqui. O povo curitibano tem muito bom gosto e Curitiba é famosa pelo seu ponto de vista artístico crítico e de bom gosto. É um prazer estar de volta”.

Sobre o show desta quarta-feira, o músico fala um pouco mais sobre o que está preparando para os fãs curitibanos. “Meus shows são sempre baseados nas minhas canções. Esse é musicalmente um pouco diferente, pois estou trabalhando com acordeom e o baixo acústico, o que é uma novidade. As músicas são minhas músicas. Sou um compositor, um violeiro”.

“Caseiro” por opção, o músico, instrumentista, compositor e cantor sul-mato-grossense vira um simples violeiro viajante para garantir conforto e boa vida para os filhos. Apesar de já ter declarado preferir sua fazenda no Mato Grosso do Sul, Sater hoje fixou residência em uma acolhedora casa de campo na Serra da Cantareira, em São Paulo, onde é vizinho do amigo e também grande artista Renato Teixeira.

Criador de gado nas horas vagas, ele lembra que apesar de enorme prazer que lhe proporciona, tocar ainda é sua profissão. “É o meu trabalho. Cria a minha família. É muito prazeroso, mas também tem suas responsabilidades e seus espinhos. Mas vivo da música e gosto muito disso”.

Futuro jogado “nas cordas”

Depois de construir uma carreira sólida e premiada, Sater atingiu sua maturidade como letrista, mas está longe de alcançar essa mesma maturidade como instrumentista. “Sou menino ainda. Tenho muito a tocar. Muita inspiração ainda vai baixar em mim (risos)”.

Almir Sater revela à Gazeta do Povo seu desejo de mergulhar ainda mais no som instrumental. “Sou um violeiro. A maior vitrine que obtive, o que mais me ajudou s ser o que sou hoje foi a viola. Pelo menos 40% do meu show é instrumental e muitas pessoas vão às minhas apresentações justamente buscando o som de viola”.

Um trabalho preferencialmente autoral, 100% instrumental, pode ser o próximo passo de sua carreira. “Eu trabalho muito com motivação. A hora que algo novo me motivar, eu vou e gravo. Estou bem propenso a fazer um trabalho mais instrumental. Com a banda atual tenho tocado muito aqui em casa. Tenho pensando muito, afinal são toques únicos e valiosos”.

Almir Sater. Quarta-feira (14), às 21h. Teatro Guaíra (Conselheiro Laurindo, s/nº).

Entrada:R$ 100,00 (platéia),R$ 90,00(primeiro balcão)e R$ 70,00(segundo balcão). Cartão fidelidade Teatro Guaíra,clientes da Caixa e do Clube do Assinante da Gazeta do Povo têm 25% de desconto em até dois ingressos.

Pontos de venda:bilheteria do Teatro Guaíra,Disk Ingressos 41-(3315-0808) ou nos quiosques no Shopping Müeller e Curitiba.
Mais informações: (41) 3304-7982.

Link da reportagem:http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/cadernog/conteudo.phtml?tl=1&id=764366&tit=Almir-Sater-volta-a-Curitiba-e-da-aula-de-viola-no-Teatro-Guaira


Contato para shows e assessoria de imprensa de Almir Sater e Banda.
Escritório Claudete Faria:Telefones:55-(18)3323-6324 e 55-(11)7546-3850
e-mail:claudetefaria@uol.com.br