quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Almir Sater na campanha pelas arvores do Pantanal-.








Materia sobre Almir Sater extraída da Fonte: Capital do Pantanal - 27/08/2007 - 10:21
Por Alice Sampaio, especial para o Capital do Pantanal.

O cantor e compositor Almir Sater, nascido em Campo Grande e pantaneiro de alma e coração, anda muito preocupado com duas coisas:o desmatamento acelerado do Cerrado e do Pantanal, e o não surgimento de novos talentos na música sul-mato-grossense. Mesmo morando na Serra da Cantareira, em São Paulo,o músico mais famoso de MS não tira os olhos daqui. E, como presidente do Instituto Parque do Pantanal, acompanha de perto tudo o que se refere à sua terra.

Almir acompanha de perto as notícias sobre o desmatamento desregrado que vem acontecendo no Pantanal, denunciado por ambientalistas.E sabe que as indústrias siderúrgicas que estão sendo criadas no Estado utilizam carvão vegetal,o que causa a destruição de milhares de toneladas de árvores.

Em entrevista concedida na Capital,Sater mostrou-se apreensivo com o pólo siderúrgico que está sendo implantado a 40 quilômetros de Corumbá.“Espero que as empresas tomem muito cuidado e usem toda a tecnologia possível para não destruir a região,o que seria imperdoável.Quem mora em São Paulo sabe o que aconteceu em Cubatão.E eu me preocupo mais ainda porque dizem que haverá em Corumbá também um pólo químico! Sou contra qualquer coisa que destrua o Pantanal, claro, e faço um apelo para que as empresas envolvidas sejam absolutamente cuidadosas”.

Sem revelar detalhes“para não vazar para a imprensa ou o governo antes da hora certa”, Almir contou que está orquestrando com diversas entidades civis de Campo Grande uma campanha bastante original para salvar as árvores do Pantanal que poderá vir a receber o apoio maciço das empresas em geral e de toda a população brasileira.“Nossas matas nativas estão realmente ameaçadas. Não posso adiantar ainda como vai ser a campanha, mas a ideia é genialmente simples e acredito que vai pegar. Dentro de poucos meses vamos anunciá-la, e espero que sirva de exemplo até para conter o desmatamento da Amazônia”.



Paz e vida longa aos homens de boa vontade que compactuam de pensamentos ideológicos como os de Almir Sater.Senão Treme a Terra e Perde a Paz - Ultimo Condor -autoria de João Bá e Almir Sater.