terça-feira, setembro 11, 2012

Pitaco by Loira do Bem via by 'O verdadeiro amigo".


Por volta de 1490, dois jovens amigos, Albrecht Dürer e Franz Knigstein, queriam ser artistas, mas estavam enfrentando muitas dificuldades. Por serem pobres, eles trabalhavam para sustentar-se, enquanto aprendiam a pintar quadros.
O trabalho tomava grande parte do tempo deles e, por conseguinte, o progresso nos estudos era lento. Um dia, chegaram a um acordo: tirariam a sorte, e aquele que perdesse trabalharia para sustenta
r os estudos do outro.
Albrecht foi o vencedor e continuou a estudar, enquanto Franz trabalhava em um serviço pesado. Pelo acordo, quando Albrecht se tornasse famoso, sustentaria Franz nos estudos.
Albrecht partiu para as cidades da Europa para concluir os estudos. Hoje, o mundo todo sabe que ele não tinha apenas talento; era um gênio. Quando ficou famoso, ele voltou para cumprir sua parte no acordo com Franz. Logo a seguir, porém, Albrecht constatou o preço enorme que Franz havia pago.
Por ter trabalhado com as mãos executando tarefas pesadas para sustentar o amigo, Franz ficou com os dedos rígidos e tortos. Suas mãos, antes esguias e sensíveis, estavam arruinadas para sempre. Ele não podia mais realizar as delicadas pinceladas necessárias para produzir uma bela pintura.
Apesar de não poder concretizar seus sonhos artísticos, ele não se tornou uma pessoa amargurada.
Ao contrário, alegrou-se com o sucesso do amigo. Um dia, Albrecht encontrou Franz casualmente e o viu ajoelhado, com as mãos retorcidas em atitude de oração, suplicando silenciosamente pelo sucesso do amigo, embora ele próprio não pudesse mais ser um artista.
Albrecht Dürer, o grande gênio, fez um esboço rápido das mãos de seu fiel amigo e, mais tarde, completou a magnífica obra-prima conhecida como As Mãos em Oração. Hoje, as galerias de arte de todos os lugares exibem as obras de Albrecht Dürer, e essa obra-prima em particular retrata uma eloqüente história de amor, sacrifício, trabalho e gratidão.
Nela, os povos do mundo inteiro também encontram conforto, coragem e força. - Extraído do livro Histórias para o Coração United Press.
Ponto de Reflexão:
Sinceramente, eu acho que podemos ter tudo nesta vida, riqueza, felicidade, status, fama, poder, mas não temos nada, se no fim de tudo, não contarmos com a presença de um verdadeiro amigo.
Acho que Albrecht Dürer foi abençoado, e uma pessoa de sucesso verdadeiro na vida, creio eu é ter de fato um amigo como este, ao nosso redor, é o maior tesouro que podemos ter na Terra".
Qual a mais importante lição que devemos tirar disto tudo? -
Ao meu ver, que muitas vezes, não entendemos que, em determinadas situações, ocasiões ou oportunidades que surgem em nossa vida, não somos os protagonistas e sim os coadjuvantes do enredo, e não atentamos para isto, criando uma expectativa equivocada, querendo a todo custo, estar no lugar que não pertence a nós de fato, quando na verdade, estamos ali como âncora, auxiliador para abrir a passagem de outros.
Seria tão mais facil, se cada um de nós, compreendessem a lição, e tivesse o "insigth" para entender, qual o nosso verdadeiro papel em uma determinada situação, e não ficar burlando regras, sabotando pessoas, boicotando o progresso do outro(a), quando na verdade, estamos praticando a autosabotagem e atrasando a nós mesmos, dispersando energia.
Isso faz toda a diferença, entender qual é de fato, nosso papel em cada ato de nossa vida e até das pessoas, que entram e saem dela.
e finalizando com Shakespeare:
"Há certas horas, que só queremos a mão no ombro, o abraço apertado ou mesmo o estar ali, quietinho, ao lado...
Sem nada dizer...Que nos mande calar a boca ou nos evite um gesto impensado...Alguém que nos possa dizer:Acho que você está errado, mas estou do seu lado...
'/>