terça-feira, 24 de agosto de 2010

Almir Sater: Brasil que as pessoas querem ouvir em Sto.André

Ele está no ar diariamente como o protagonista masculino na reprise do SBT de A História de Ana Raio e Zé Trovão, mas é como intérprete de suas modas de viola que Almir Sater se sente realmente em casa. Amanhã e quinta, o sul-mato-grossense exibe seus dotes como violeiro e cantor no Teatro Municipal de Santo André. Os dois shows serão realizados às 21h.

Sater se diverte relembrando os tempos em que fazia bico como ator, tarefa que começou experimentando pouco antes, em Pantanal (também produzida pela extinta TV Manchete no início dos anos 1990 e reexibida com grande sucesso pela emissora de Silvio Santos). "Parece um pouco aquelas fotografias antigas em que você aparece com a sua família. Você lembra das coisas boas e se esquece das ruins", ri. Do primeiro e único protagonista dessa fase de bico na televisão, porém, ele guarda gratas recordações. "Viajamos todo o Brasil, foi uma novela feita na estrada". O folhetim, escrito por Marcos Caruso e Rita Buzzar, foi ao ar originalmente de dezembro de 1990 a outubro de 1991.

Apesar de se divertir à frente das câmeras, Sater faz questão de frisar: "Eu sou músico. Os papéis que fiz foram uma ‘brincadeira''. Me chamaram porque eram tipos bem segmentados, que tinham a ver com música", pondera. Quem iniciou o violeiro na TV foi o cantor Sérgio Reis, a quem Sater se refere como Serjão. Ele já tinha feito um papel em novela do Benedito Ruy Barbosa (a primeira versão de Paraíso; no remake, exibido no ano passado, o papel coube ao sertanejo Daniel).

Mais do que garantir uma nova função - a de ator - as temporadas na telinha rendem frutos até hoje como músico. "Uma novela que faz sucesso é uma mídia muito forte. Foi um jeito de se mostrar muito legal. Eram personagens que tocavam e eram ligados às coisas boas do Brasil. Desde que fiz Pantanal, nunca mais parei de trabalhar como músico, que é o que eu sempre quis", explica ele, que repetiu os papéis de violeiro em O Rei do Gado (1996), na Globo, e Bicho do Mato (2007), na Record.


VELHO REPERTÓRIO

"O show é praticamente o mesmo há quase 30 anos", ri Sater. "Eu toco o que as pessoas querem ouvir. Fico muito satisfeito em deixar alegre quem vai me ver", comenta o músico sobre a quase obrigatoriedade de incluir as parcerias com Renato Teixeira (Tocando em Frente, Um Violeiro Toca e Peão) e, claro Chalana, canção de Mario Zan e Arlindo Pinto.

A nova geração de violeiros tem revelado grandes instrumentistas, segundo Sater. "Mas ainda não conheci grandes poetas, daqueles parceiros para escrever letras", reclama.

Por gosto pessoal de Sater, os shows recentes têm acrescentado também peças instrumentais, que ele denomina como ‘da fronteira'' (com o Paraguai) e também tem boa aceitação. "O Grande ABC recebe super bem o meu show, porque é um povo que representa bem o Brasil, com gente que veio para São Paulo para trabalhar de todos as partes do mundo", comemora

fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5827409/brasil-que-as-pessoas-querem-ouvir-em-sto-andre.aspx

Almir Sater em Sto André 25 e 26/08 especialmente pra você














Almir Sater amanhã e depois num show exclusivo, diferente e único até no formato.
Vale a pena conferir de perto. Inesquecível !

Onde: Santo André-SP
Datas: 25 e 26 de Agosto - Quarta e Quinta -21h Local: Teatro Municipal de Santo André
Praça IV Centenário, S/No – Centro

Informações: (11) 4433-0786 / 4433-0789 / 4427-4360 / 4427-7986 / 7861-2915

Local de vendas: Somente na bilheteria do teatro. Funcionamento das 14h às 19h. Ou até o início do espetáculo. Aceitamos pagamentos em cheque ou dinheiro.

Valores: Inteira R$ 80,00. Promoção R$ 60,00. (Recorte do Jornal Estação Notícia). Meia R$ 40,00. (Estudantes, aposentados e maiores de 60 anos).

Duração: 90 minutos.

Recomendação: Livre.

Realização:http://www.diversaoearteproducoes.com.br/espetaculo.php?id=20&producao=26