domingo, agosto 10, 2008

Feliz Dia dos Pais, Meu querido Meu Velho e Meu Amigo



Meu pai um dia me falou
Pra que eu nunca mentisse
Mas ele também se esqueceu
De me dizer a verdade
Da realidade do mundo
Que eu ia saber
Dos traumas que a gente só sente
Depois de crescer
Falou dos anjos que eu conheci...

É meu velho,dia dos Pais..para alguns uma imensa alegria
para outros,descaso,negligência,omissão,distanciamento,
para mim,melancolia,saudade,muita saudade...

Daquele que é até hoje toda a minha referência,
essa ânsia do conhecimento,da busca pela sua propria verdade
tudo herdado dele,essa vontade de devorar livros e mais livros,
A palavra dada,se sim ..sim se não...não..


Enfim não tem muito o que falar,
velhos tempos,tempos estes que ficam para sempre...
Lembranças estas do jeito simples e intríseco de ser,

de gostar da prosa,moda de viola,campo e cigarro de páia
depois na cidade grande,esse vício que não poupa ninguem

saudade de ver vc brincar "cabelo loira vai lá em casa passear"...
ou "arreio meu burrão vou pro meu sertão"

ou ainda do Lourenço & Lourival,
"Vc nao pensou no mal que me fez mas espero um dia chegar a minha vez"...

o Mazzaropi,o circo que tanto aprendi a gostar e assistir,
toda aquela magia,algodão doce, maçã do amor,os palhaços, o malabarista,
os parques de diversões, ainda giram como carrossel em minha mente,

ah que tempo bom, que doces lembranças,
Acho que hoje cabe esse cara,para homenagear esse velho e novo Pai,tão presente
em meu viver, mesmo tão ausente fisicamente, pois está em outros planos,

E desta forma,com RC,da qual,sorrateiro e sabendo que ia me deixar brava,
toda a vez que colocava um apelido pejorativo no meu Rei,ou dizia,que ele
era velho e feio demais,coisas de menina,de adolescente, mas que era a única
maneira dele,me deixar zangada,e claro,eu partia em defesa do Rei.


Meu Querido,Meu Velho,Meu Amigo
Composição:Roberto Carlos e Erasmo Carlos

Esses seus cabelos brancos,bonitos,esse olhar cansado,profundo
Me dizendo coisas,num grito,me ensinando tanto do mundo...
E esses passos lentos,de agora,caminhando sempre comigo,
Já correram tanto na vida,
Meu querido, meu velho, meu amigo
Sua vida cheia de histórias e essas rugas marcadas pelo tempo,
Lembranças de antigas vitórias ou lágrimas choradas, ao vento...
Sua voz macia me acalma e me diz muito mais do que eu digo
Me calando fundo na alma
Meu querido, meu velho, meu amigo
Seu passado vive presente nas experiências
Contidas nesse coração, consciente da beleza das coisas da vida.
Seu sorriso franco me anima, seu conselho certo me ensina,
Beijo suas mãos e lhe digo
Meu querido, meu velho, meu amigo
Eu já lhe falei de tudo,
Mas tudo isso é pouco
Diante do que sinto...
Olhando seus cabelos, tão bonitos,
Beijo suas mãos e digo
Meu querido, meu velho,meu amigo


Não tive oportunidade de ver os passos lentos dele,quis o destino que partisse antes,
Nesta viagem sem volta,mas,que,acredito,até breve Pai !