segunda-feira, 24 de março de 2008

Uma Segunda CHANCE






A  quaresma chegou ao final, renascimento do Senhor, Páscoa , chocolates, show de Almir Sater "bombando"sem parar nas vendas dos ingressos, no Clube Atlético Aramaçan, em Santo André...ciclo de lua cheia..enfim..agora é tempo de colher o que se plantou...

É Necessário se autoavaliar, reavaliar e se permitir uma segunda chance...

Para repensar sobre as experiências que nos dá lições inestimáveis, porém achar que tudo, em especial os relacionamentos se repete do mesmo jeito pode ser uma armadilha que preparamos a nós mesmos.

O Artigo da revista Bons fluídos,vem agregar e quem sabe fazer refletir sobre determinadas situações, segundo eles,"cristalizar sentimentos, mágoas e opiniões não nos leva adiante". O melhor é viver ao ritmo da canção de Lulu Santos:"Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia" Tudo passa,Tudo sempre passará..

Dê essa chance a Você...

O grego Heráclito, no fim do século 5 a.C. já filosofava: "Um homem não se banha duas vezes no mesmo rio porque nunca é o mesmo homem e nunca é o mesmo rio". De fato, essa é a grande máxima para vivenciar determinadas situações e não encará-las como reprise de um filme.

O tempo todo vale a pena experimentar uma nova abordagem no jeito de olhar a vida e os outros". Segundo Bertolucci, neurologista do comportamento, "Podemos reavaliar circunstâncias e repensar o modo de agir"."Felizmente não podemos apagar da memória o que já vivemos, pois se nós esquecêssemos de tudo, repetiríamos os mesmos erros, o tempo todo, diz o médico.

Nietzche já havia enxergado no século XIX, na repetição de situações uma chance para o aprendizado e solução de conflitos, ou seja, pessoas, lugares, situações se apresentam a nós de maneira recorrente ao longo da vida. A chave, segundo Nietzche está em aceitar essa predisposição para tal experiência, pois é através dos erros que aprendemos.
Sabe aquela música do imortal Rauzito? Tente outra vez...Tente.. Foi assim que Thomas Edison, o inventor da lâmpada fez, buscando uma maneira de mantê-la acessa,experimentou mais de ...10 mil combinações de materiais sem sucesso. E ainda nos deu uma lição de vida: "Não encaro minhas tentativas como fracasso, cada uma delas me leva para mais perto daquela que daria certo". Felizmente para a humanidade, ele não desistiu. Muito gente"cai na roubada", ou seja, firma um conceito sobre determinada pessoa- amigo desatencioso, filho- desleixado- parceiro egoísta e por aí afora e acabamos aprisionando os outros em nosso julgamento, sem notar que houve mudanças de comportamentos no outro.

Arrisque, explore e conquiste-
No ser humano, a curiosidade, por ex é um impulso que conduz à exploração e a conquista de territórios desconhecidos, enfatiza o neurofisiologista Gilberto Xavier, da USP. "Dê um tropeção para a frente", sentencia a consultora de filosofia e érica Grace Cirocco.

"Mudanças de atitudes sempre são desconfortáveis, mas sem elas não há crescimento, avalia."Se quisermos viver integralmente e participar deste milagre chamado vida, precisamos assumir riscos".

Hoje a bola da vez, é falar em "Resiliência", uma palavrinha conhecida no princípio da física, seria "a capacidade de um corpo voltar a forma original depois de ter se submetido a deformação"- Isso quer dizer que quando estivermos sobre pressão, devemos resistir, ser "resilientes" sempre. "Uma pessoa é resiliente quando atravessa por situações difíceis, sob pressão intensa, mas depois recupera a sua integridade". Acreditar que somos capazes de desenvolver a resiliência é mais do que um alento, é uma tática de sobrevivência frente aos desafios. É a capacidade de superar as mágoas, sofrimentos, decepções ou frustrações e não deixar que sentimentos negativos ou derrotistas comprometam nossa capacidade de obter êxito em nossas ações posteriores. Tudo muda o tempo todo, o universo está sempre em mutação e se renova a cada instante, um dos fundamentos do budismo:a impermanência.

Isso nos leva a refletir que nenhuma vivência tem que ser igual a outra."a cada instante nos tornamos uma nova pessoa". Quando algo não está acontecendo de maneira satisfatória, vale a pena repensar se não estamos insistindo em reprisar antigos erros.