sexta-feira, 19 de outubro de 2007

A ARTE DE CONVIVER ...









Hum...enquanto a agenda do músico não vem..os shows que já sabemos estão mais que bombando...Sexta feira..lua nova...época de renovação, de interação e de reflexão.. Ao ler um artigo numa revista Bons Fluídos..aliás amo essa revista, pois aborda assuntos relacionados a tudo o que gosto e sou assinante há anos da mesma, me deparei sobre o tema da "arte da convivência". Ufa como é dificil agradar e conviver com as pessoas.. Segundo a revista,"Pessoas em grupo são como fios que se cruzam, enlaçam, rompem, alinham-se paralelamente. Para tecer o enredo da humanidade precisam conversar, discutir, interagir, tolerar e respeitar. Todas ações levam a conjugação de outro verbo: CONVIVER.

Segundo o filósofo francês Jacques Rancière"Viver junto requer uma partilha do sensível". Trata-se de um assunto delicado, pois requer habilidade e flexibilidade, já que trata-se de impor limites de liberdade individual e as negociações que devemos fazer diariamente com o coletivo. A curadora da Bienal de Artes, Lisette Lagnado, enfatiza que "sem o diálogo, sem a mediação da linguagem, partimos para brigas, guerras, crimes humanitários.
O poeta Almir Sater bem enfatizou essa questão, quando entrevista no Festival América do Sul, em Corumbá, anos atrás sobre quando disse que sem afinidade entre os povos não haverá desenvolvimento: E o caminho é a cultura. Negócios criam atritos. Insistir em começar a integrar fazendo só negócios é começar criando atritos.E isso não vai a lugar nenhum.Você só se integra com quem você tem afinidades e a cultura é a melhor forma de você criar afinidades com alguém. se você admira alguém – ou uma cultura –, você valoriza esse parceiro. E, aí, a integração será possível.

Sábias palavras do mestre. Voltemos no tempo onde a espécie humana lutava para sobreviver e formava grupos como garantia. O filósofo espanhol ,Fernando Savater afirma: "Ninguém chegar a se tornar humano se está sózinho. Nós nos fazemos humanos uns aos outros". Somos pois frutos do contágio social. "A humanidade é como um vírus que se pega". Contato após contato, emoção depois de emoção. Nem sempre em um processo indolor. "Não seríamos o que somos sem os outros, mas custa-nos ser com os outros" define Savater.

A fórmula da boa convivência então seria ter a possibilidade de "se relacionar com as diferenças" e para isso deve se usar a "comunicação". E o interessante como cita a revista, devido aos atritos, a falta de comunicabilidade surge uma nova profissão: são os mediadores de conflito, que tem como intuito o de apaziguar os ânimos aqui e ali.

Eles estão relacionados com os psicólogos, filósofos, antropólogos ou interessados que assim o almejam. Segundo a Psicóloga Dorit Verea,"ao melhorar a relação entre as pessoas, temos maior chance de evoluir socialmente e reduzir desigualdades". Ou seja, quando se fala em convivência, tudo se resume em partilhar com o outro o que nos é mais sensível e caro.O que temos de bom(ou nem tanto).
Conviver é se abrir..mostrar a alma, mesmo que às vezes não sejamos compreendidos.
Afinal "Tudo vale a pena se a alma não é pequena"(Fernando Pessoa). Por mais difícil que seja conviver..o tempo nos traz amadurecimento e com ele a paciência e tolerância...afinal o poeta já dizia:
"Os caminhos mudam com o Tempo..só o tempo muda um coração"(Almir Sater). Tudo isso me faz pensar e refletir que preciso encontrar o caminho do meio ou seja a busca do equílibrio,"Nem tanto o mar, nem tanto a terra"(Aristóteles).

Que todos tenham um excelente final de semana !!!
E Obrigada a Todos os que fazem parte da minha teia, dos fios da vida!!