Loira do bem ∞ : 02/06/14

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Publicidade e apartheid. Carta de Roger Waters a Scarlett sobre Soda Stream


Publicidade e apartheid. Carta de Roger Waters a Scarlett
Roger Waters compra "briga" com Scarlett Johansson, atriz que pediu renúncia como embaixadora da Oxfam, (ONG que trabalha pelos direitos humanos na Palestina), para estrelar a nova propaganda, da SodaStream, empresa que opera em assentamentos israelenses. Cerca de 550 mil israelenses vivem em assentamentos da Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, terras que Israel tomou em 1967, juntamente com a Faixa de Gaza. Os palestinos querem todos esses territórios para a formação de seu futuro Estado. Roger Waters, após não obter respostas da atriz, escreve carta aberta.. 


A note from Roger – February 1, 2014
Alguns dias atrás eu escrevi em particular a Neil Young (uma vez) e Scarlett Johansson (algumas vezes). Essas cartas permanecerão privadas.
Infelizmente, eu não recebi nenhuma resposta deles.
Então escrevo esta nota com uma certa preocupação.
Neil? Eu tenho que ponderar muito bem o que eu escrevo. Nós não nos conhecemos realmente, mas você sempre foi um dos meus ídolos. Estou confuso.
Scarlett? Ah, Scarlett. Conheci Scarlett cerca de um ano atrás. Acho que foi no show dos Cream no Madison Square Garden. Ela era, então, se bem me lembro, ferozmente contra os Neocons, genuinamente aborrecida com a Blackwater (exército privado de Cheney no Iraque), você poderia pensar de estar de frente a uma jovem mulher com força e integridade, que acreditava na verdade, nos direitos humanos e na lei, no amor. Confesso que tinha ficado muito impressionado. Não existe tolo e ingênuo melhor do que um velho tolo como eu.
Não muito tempo depois, a escolha de Scarlett de representar a Soda Stream em vez da Oxfam (ONG que trabalha pelos direitos humanos na Palestina) é uma tal reviravolta política, intelectual e cívica que quantos de nós se preocupam com os oprimidos, os explorados, os empregados estão realmente lutando para superar isso.

Eu gostaria de perguntar uma coisa ou duas àquela Scarlett mais jovem que conheci. Scarlett, por exemplo, você está ciente do fato de que o governo de Israel demoliu uma aldeia beduína no deserto de Negev por 63 vezes, sendo a última vez em 26 de dezembro de 2013? Esta aldeia é a casa dos beduínos. Os beduínos são, naturalmente, os cidadãos israelitas com plenos direitos de cidadania. Bem, talvez não completamente, porque na “democrática” Israel há 50 leis que discriminam os cidadãos não-judeus.
Eu não vou tentar listar quais as leis (que são visíveis a todos no estatuto da Knesset, o parlamento de Israel) ou todas as graves violações dos direitos humanos concluídas pela política interna ou externa de Israel. Levaria muito tempo. Mas, voltando a minha amiga Scarlett Johansson.
Scarlett, eu li suas respostas e justificativas, nessas você afirma que os trabalhadores palestinos daquela fábrica teriam igualdade de remuneração e direitos. É mesmo?  Eles têm os mesmos direitos?
Eles têm o direito de votar?
Eles têm livre acesso a estradas?
Eles podem ir ao seus locais de trabalho sem ter que esperar por horas para passar pelos postos de controle das forças de ocupação?
Eles têm água potável?
Eles têm rede de esgoto?
Eles têm a cidadania?
Eles têm o direito de não ter aquele pequeno probleminha de ver a porta ser derrubada a chutes no meio da noite e verem seus filhos serem levados?
Eles têm o direito de recorrer contra a prisão por tempo indeterminado e desmotivada?
Eles têm o direito de reocupar as terras e as casas abandonadas em 1948?
Eles têm o direito a uma vida familiar decente e normal?
Eles têm o direito à autodeterminação?
Eles têm o direito de continuar a desenvolver uma cultura rica e antiga como a deles?
Se essas perguntas te embaraçam , eu posso responder para você. A resposta é NÃO.
Os trabalhadores da Soda Stream Factory não tem nenhum desses direitos.
Quais são os “direitos iguais” dos quais você fala?
Scarlett, você é inegavelmente bonita, mas se você acha que a Soda Stream está construindo pontes a encontro da paz, então, sem dúvida, você não está prestando atenção.
Con amor, R.
Tradução por Marcieli Partichelli

Fonte: infopal.