terça-feira, 9 de abril de 2013

— Cultura Árabe:— imagem distorcida e equivocada. ---


—Velho mundo, sob o passo do cavalo branco e negro dos dias e das noites."
— Vejo um cavaleiro que se afasta na bruma da tarde. Irá ele atravessar florestas, ou planícies áridas? Aonde vai? Não sei.. —por Omar Khayyam. foto:Sheikh Hamdan - Prince Dubai.
Com a desinformação sobre novos conflitos, a imagem do árabe é distorcida e associada à de terrorista. Desde os anos 70 e principalmente a partir da década de 90, o brasileiro, incentivado por uma mensagem que se constrói lá fora, enxerga os árabes como terroristas. “Hoje a confusão se dá mais pelos conflitos recentes" A atual confusão feita é entre árabes e islâmicos. E como no Brasil há também uma associação equivocada que liga islamismo e terrorismo, os árabes entram nessa equação como homens-bomba violentos. “A imprensa ajuda nessa confusão, pois não define os termos com clareza". Eu já vi publicado que o Irã é um país árabe. Vi político dizendo que o problema na Palestina e Israel é que os dois povos estão brigando há mais de mil anos, mas na verdade não é isso”. Para Foued Saâdaoui, da cidade de Kef, na Tunísia, país árabe, os estereótipos no Brasil não escapam ao que acontece em outros países. “Na cultura, se resume à dança do ventre, na religião, ao islamismo, na política, a homens-bomba”. Ele, que chegou ao Brasil em 2001 e hoje dá aulas particulares de árabe no Rio de Janeiro, culpa os noticiários, que “se concentram em notícias quer chamem a atenção, enquanto projetos e culturas que não se refiram ao conhecido são ignorados”, e à indústria do entretenimento em geral. “A novela ‘O Clone’(Rede Globo) ficou nove meses no ar e não acrescentou nada. Ficou presa à imagem da poligamia, do camelo, da dança do ventre”.
“Isso acontece, é claro que acontece. O brasileiro não conhece e vai falar o quê? Vai falar aquilo que ele lê no jornal”, afirma Safa Jubran.
Fonte: André Gattaz publicou artigo adaptado de seu livro “Do Líbano ao Brasil, história oral dos imigrantes”. Site http://www.icarabe.org/noticias/com-desinformacao-sobre-novos-conflitos-imagem-do-arabe-
PAULO DANIEL ELIAS FARAH Professor na Faculdade de Filosofia,Letras e Ciências Humanas da USP -Tradutor de obras do árabe, persa, francês, inglês e alemão. Autor, entre outros, de O Islã e Glossário de termos islâmicos.A Terra é minha pátria e a humanidade, minha família. ( by Gibran)
 fonte: SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO RIO DE JANEIRO.