domingo, 7 de setembro de 2008

SE EU PUDESSE VOLTAR ATRÁS...

Voltar atrás, nem sempre é fácil, há sempre uma linha que separa, não sei se é o medo, receio, orgulho ou desconfiança, enfim, quando, às vezes, deixamos a vida passar, por nós, em branco, só pelo fato de (quase) nunca (querer) ceder ou demonstrar vulnerabilidade;




 De quando algo mal resolvido fica no ar e nunca saberemos qual é esse momento,de recomeço,de transpor essa porta,essa linha que divide e separa as pessoas,

Lembro-me de um poema que diz que "as pessoas são solitárias porque constroem paredes em vez de pontes e as barreiras ficam intransponíveis", e o tempo passa, a vida passa, os momentos passam e de repente percebemos que por tão pouco deixamos escapar pelos dedos de nossas mãos, a oportunidade de rever nosso emprego, relacionamento pessoal, familiar ou até de rever e mudar conceitos,

Como diz, Humberto Gessinger "como é difícil depois encontrar a palavra e o momento certo, para colocar as coisas no lugar ":
Se tens um coração de ferro, bom proveito. O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia, diz José Saramago
Cada pessoa, reage de forma diferente diante de um rechaço ou conduta.
para uns só o tempo pode mostrar a verdadeira essência das coisas;
para outros jamais distinguirão os fatos e viverão num véu de ilusão,
para outros ainda, a vida continua sendo construída com muros, doa o que doer.

SE EU PUDESSE VOLTAR ATRÁS...
Remediar o irremediável.
Provocar rupturas definitivas.
Corrigir erros de estratégia.
Dar ouvidos a sentimentos de arrependimentos variados;
Como o de ter confessado paixão na hora errada; ou nunca ter dito: "eu te amo".
SE EU PUDESSE VOLTAR ATRÁS...
Teria relutado em me comprometer.
Tomaria decisões que não tomei,
por temer perder o momento.
Teria semeado sem olhar o tempo.
Não tentaria segurar a situação,
por temer o sofrimento da decisão.
SE EU PUDESSE VOLTAR ATRÁS...
Segurar o que queria partir,
não relutar em decidir.
Não conseguir só dizer: "vai ser bom pra você"
Não teria ficado tão mal.
Mas, adotei a postura errada.
Tentei correr atrás e resgatar a oportunidade perdida - mas não havia mais saída.
SE EU PUDESSE VOLTAR ATRÁS...
Ficar na minha -; ser discreto.
Parar de trocar olhares, não levar tudo tão a sério.
Teria sido diferente? Ou viveria como indigente!
Escolheria o que escolhi?
Selecionaria melhor as sementes que plantei?
Mudaria de rota, de situação?
Ouviria mais a voz do coração?
Fugiria de experiências fora do tempo?
SE EU PUDESSE VOLTAR ATRÁS...
Cantaria o que nunca cantei.
Pintaria com as cores que nunca usei.
descobriria a vida borbulhando em outras cores.
Seria criativo - deixaria os indecisos.
Visitaria uma estufa de flores.
Evitaria causar dores.
Me envolveria mais -; consolidaria a paz.
Nenhum ponto final seria frustrante.
Amaria a todo instante.
Não haveria um fechamento da história.
Não esperaria só vitória, nem fugiria do confronto.
Mas faria mais concessão.
Andaria uma milha a mais,pelo bem do amor e da paz.
Ouviria mais a voz do silêncio.
Buscaria a leveza.Seria intenso.
Aprenderia com o casamento do vento e o mar;
do casulo e a lagarta;
da flor e o beija-flor.
Neles não há amputação de sentimentos e dependência.
Não procuraria extrair da vida, orgasmos inesquecíveis.
nem faria o inventário de delícias e decepções.
Fugiria de intimidades sem compromisso.
SE EU PUDESSE VOLTAR ATRÁS...
Reagiria a todo carinho.
Não fingiria não estar ligando.
Não faria encenação.
Não violaria o coração.
Não sofreria por não ter expressado, o sentimento de amar e ser amado.
Não terminaria relacionamentos por bobagem.
Suportaria toda bagagem.
Não levaria a fama por deitar na cama.
Abriria o coração e não pediria explicação.
Estaria mais disponível,
sem me tornar muito fácil,e perder o valor diante da vida.
Choraria mais,de alegria e angústia
Assim entenderia a vida adulta.
Não deixaria surgir diferenças entre nós, desataria todos os nós.
Tomaria mais cuidado, pra não ser precipitado e sabotar a felicidade.
Não teria medo de chorar perdas,superar frustrações e seguir a vida.
SE EU PUDESSE VOLTAR ATRÁS.
SE EU PUDESSE...
SE EU...
SE...
autoria: postado by DANIEL S. LEITE - INVERNO DE 2007-

Almir Sater retorna a Brasília num show especial



O compositor,cantor e violeiro Almir Sater fará apresentação única,no próximo dia 19,às 21 horas,na Sala Villa Lobos,do Teatro Nacional.

Em sua apresentação em Brasília,acompanhado de sua banda,reviverá alguns daqueles sucessos e apresentará composições mais recentes.

Violeiro de origens pantaneiras,Sater é respeitado também como instrumentista virtuoso,que conjuga a tradição com o refinamento,ao pontear suas violas afinadas em cebolão e rio-abaixo.

Informações extraídos do site:
http://www.podeir.com.br/noticias.asp?cod_conteudo=24890&cod_link_secundario=40

Serviço:

Onde:Sala Villa Lobos do Teatro Nacional.
Quando:Dia 19/09, às 21h.
Quanto:R$ 120,00(inteira) e R$ 60,00(meia-entrada).

Informações:
Telefone:(61)3325-6239/ 3325-6256

Gabriel Sater concorre como DESTAQUE REGIONAL" no Premio Dynamite



Gabriel Sater está concorrendo ao Prêmio Dynamite de Música Independente na categoria "DESTAQUE REGIONAL" !!

Acesse o site para votar e fazer a diferença para Gabriel.

www.premiodynamite.com.br

é Simles,ao acessar o site,cadastre seu email,
em breve, receberá uma senha em sua caixa postal

retorne ao site e escolha Gabriel Sater como "Destaque Regional"

Aproveite e vote também em Paulo Freire na categoria "CD Instrumental",

A boa música popular brasileira agradece !!! eu também !!