Loira do bem ∞ : Janeiro 2008

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Gabriel Sater um "show" à parte em CG.




Release da participação de Gabriel Sater em CG no show de Almir Sater, sábado dia 19/01, no antigo Palácio Popular da Cultura.

Reportagem extraída do Jornal MS, matéria de Rodrigo Teixeira, de Arte e Lazer.

"Meu coração está na boca", este foi o comentário de Gabriel Sater assim que deixou o palco após a apresentação de quase duas horas de show do violeiro Almir Sater em Campo Grande.

"O show de hoje será especial, com toda a minha família no palco", anunciou Almir logo depois da primeira música.Realmente foi diferente de todos os shows que os fãs e admiradores estão acostumados a assistir;

Ao convidar o filho Gabriel Sater para cima do palco, Almir brincou: "agora vou convidar um garoto que eu conheço desde pequeno";








Gabriel entrou tímido, mas determinado; mais voltado para a música instrumental surpreendeu a plateia optando por iniciar a sua canja cantando "Canoa", de Almir.
Gabriel ficou à vontade para comandar o espetáculo depois. Gabriel tocou "mercedita", tema fronteiriço com o pai ajudando na viola.O público já estava ganho e veio abaixo; Depois disto, Gabriel sugeriu para o pai que tocassem "Corumbá", pedido aceito;

Pensando que sua participação já estava mais do que completada, foi pego de surpresa com a provocação de Almir para cantar mais "uma"."Eu realmente não sabia o que cantar, fiquei em pânico naquela hora", confessou Gabriel após o show;

Tocou então a balada "milhões de Estrelas". A dobradinha entre pai e filho funcionou. relaxado Almir seguiu com os irmãos cantando. Aproximadamente 1.200 pessoas compareceram ao show tendo que colocar 200 cadeiras extras.

Salve Gabriel! milhões de estrelas te esperam!!!

fotos gentilmente cedidas pela fã sul-mato-grossense Nídia Ferrari que ficou literalmente encantada com o carisma, simpatia, simplicidade e tanto de Gabriel Sater.

Contato para shows Gabriel Sater e Banda:
(55)-(67) 999-49773 -
(55)-(67) 9912-8918 - Daniel.
e:mails:gabrielsater@yahoo.com.br ou gabrielsater@hotmail.com

sábado, 19 de janeiro de 2008

Deixar aflorar toda a sua doçura!





O sábado está chuvoso,pensamentos alternados e me deparei com esse texto maravilhoso escrito por Rosana Braga,vide link http://www.medicinaintegrativa.net/textos1.htm

Puxa,como ela tem razão nestas palavras,porque nem sempre conseguimos entender o outro ou nos entender e de repente por trás de alguma reação está na verdade,um pedido de socorro,de amparo ou até um escudo,para ocultar os verdadeiros sentimentos e como não queremos ser considerados frágeis,nos vestimos com armaduras vis,nos protegendo,ou melhor,achando que estamos nos protegendo,quando na verdade,estamos criando mais distanciamento ainda do convivio com os demais.

Deixe aflorar toda a sua doçura!
Rosana Braga

Às vezes, fico me perguntando porque é tão difícil ser transparente... Costumamos acreditar que ser transparente é simplesmente ser sincero,não enganar os outros.

Mas ser transparente é muito mais do que isso.



É ter coragem de se expor, de ser frágil, de chorar, de falar do que a gente sente... Ser transparente é desnudar a alma, é deixar cair as máscaras, baixar as armas, destruir os imensos e grossos muros que nos empenhamos tanto para levantar...

Ser transparente é permitir que toda a nossa doçura aflore, desabroche, transborde! Mas infelizmente, quase sempre, a maioria de nós decide não correr esse risco. Preferimos a dureza da razão à leveza que exporia toda a fragilidade humana.


Preferimos o nó na garganta às lágrimas que brotam do mais profundo de nosso ser... Preferimos nos perder numa busca insana por respostas imediatas à simplesmente nos entregar e admitir que não sabemos, que temos medo!


Por mais doloroso que seja ter de construir uma máscara que nos distancia cada vez mais de quem realmente somos, preferimos assim: manter uma imagem que nos dê a sensação de proteção...


E assim, vamos nos afogando mais e mais em falsas palavras, em falsas atitudes, em falsos sentimentos... Não porque sejamos pessoas mentirosas, mas apenas porque nos perdemos de nós mesmos e já não sabemos onde está nossa brandura, nosso amor mais intenso e não-contaminado...


Com o passar dos anos, um vazio frio e escuro nos faz perceber que já não sabemos dar e nem pedir o que de mais precioso temos a compartilhar... doçura, compaixão... a compreensão de que todos nós sofremos, nos sentimos sós, imensamente tristes e choramos baixinho antes de dormir, num silêncio que nos remete a uma saudade desesperada de nós mesmos... daquilo que pulsa e grita dentro de nós, mas que não temos coragem de mostrar àqueles que mais amamos!


Porque, infelizmente, aprendemos que é melhor revidar,descontar,agredir,acusar, criticar e julgar do que simplesmente dizer: “você está me machucando... pode parar, por favor?”. Porque aprendemos que dizer isso é ser fraco,é ser bobo,é ser menos do que o outro.Quando,na verdade,se agíssemos com o coração,poderíamos evitar tanta dor,tanta dor...


Sugiro que deixemos explodir toda a nossa doçura! Que consigamos não prender o choro,não conter a gargalhada,não esconder tanto o nosso medo,não desejar parecer tão invencível...


Que consigamos não tentar controlar tanto,responder tanto,competir tanto...Que consigamos docemente viver... sentir, amar... E que você seja todo coração,muito mais sentimento,inundado de um amor transparente,apesar de todo o risco que isso possa significar...

Bom final de semana a Todos e....
Arrisque-se um pouco hoje,amanhã,todos os dias.Viva intensamente o milagre da vida com a qual você foi abençoado.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Começar 2.008 exercitando a "compaixão"....





....Quando a China resolveu invadir o Tibet,em meados dos anos 50 e culminando com a fuga do Dalai Lama,líder máximo do budismo tibetano,que se encontra exilado em Dharamsala na Índia,desde 1959 até os dias atuais.

Muitos monges budistas foram aprisionados,torturados de forma vil e brutal e num destes depoimentos dados tempos depois,um deles me chamou a atenção,foi quando perguntado para um monge,qual teria sido o pior sofrimento,o monge se limitou a dizer:

- O que me doía naquele momento,não foi a língua levando choques,as unhas arrancadas,ou partes do meu corpo sendo dilaceradas...mas conseguir sentir pelo meu algoz a "compaixão",ou seja,mesmo sendo torturado,massacrado,sentir-se no lugar dele e não odia-lo e emitir sentimentos de compaixão,de resignação por eles.

Falando de forma geral,na tradição budista,compaixão e gentileza amorosa são vistas como dois lados da mesma coisa.Segundo Dalai Lama,diz-se que a compaixão é o desejo empático que aspira a ver o objeto de compaixão,o ser senciente,livre do sofrimento.

A gentileza amorosa é a aspiração que deseja felicidade para os outros. Nesse contexto, amor e compaixão não devem ser confundidos com amor e compaixão em seu sentido convencional. Por exemplo, experimentamos uma sensação de proximidade com os seres que nos são queridos.Temos uma sensação de compaixão e empatia para com eles.

Temos também um forte amor por essas pessoas,mas freqüentemente esse amor e compaixão são baseados em nossas autoreferências:"Esse ou aquele é meu amigo","meu esposo","meu filho",e assim por diante.

O que acontece com esse tipo de amor e compaixão,que pode ser forte,é que eles podem ser tingidos por apego,uma vez que eles envolvem considerações auto referenciadas.

Uma vez que haja apego,há também o potencial para o ódio e a raiva aparecerem.

Apego,raiva e ódio andam de mãos dadas.Por exemplo,se a compaixão de um ser por outro é tingida por apego,ao menor incidente ela pode se transformar em seu oposto emocional.Então,ao invés de desejar que essa pessoa seja feliz,desejamos que ela sinta-se mal.

A verdadeira compaixão e o verdadeiro amor,no contexto do treinamento da mente,são baseados no simples reconhecimento que os outros,como eu,naturalmente aspiram à felicidade e à superação do sofrimento,e que eles,como eu, têm o direito de alcançar essa aspiração básica.

A empatia que você desenvolve por outro ser,baseada no reconhecimento desse fato básico,é a compaixão universal.Não há elementos de preconceito ou discriminação.

Essa compaixão pode ser estendida a todos os seres sencientes,uma vez que eles são capazes de experimentar dor e felicidade.Assim,a característica essencial da verdadeira compaixão é que ela é universal sem discriminação.

Assim,treinar a mente no cultivo da compaixão,na tradição budista,envolve primeiramente cultivar pensamentos de mente tranqüila,estável,ou de equanimidade, para com todos os seres sencientes.

Por exemplo,você pode refletir a respeito de que determinada pessoa possa ser seu amigo,seu parente,e assim por diante,nesta vida,mas essa pessoa pode ter sido,do ponto de vista budista,seu pior inimigo em uma vida passada.

Igualmente,você pode aplicar o mesmo raciocínio a quem considere seu inimigo.

Embora essa pessoa possa apresentar-se negativa com você e ser seu inimigo nesta vida,ele ou ela pode ter sido seu melhor amigo/amiga em outra vida,ou pode ter sido seu parente,e assim por diante.

Refletindo sobre a natureza flutuante dos relacionamentos com os outros,e também sobre o potencial de todos os seres sencientes para serem amigos ou inimigos, você desenvolve essa mente estável,ou equânime.

Que díficil..ter esse auto controle,esse equilíbrio..às vezes dá vontade de chutar o balde e vomitar goela abaixo o que certas pessoas fazem com a gente,de forma dissimuladas.O que budismo chama de "apego" eu vejo como"dualidade,comportamento bipolar".Para o monge,dificil foi sentir a verdadeira compaixão e orar pelos seus algozes,para eu,difícil é viver num mundo surreal e convivendo com pessoas de meias verdades,num faz de conta..


Onde quer que eu vá,com quem quer que eu vá,
Possa eu ver a mim mesmo como menos que os outros,e do fundo de meu coração
Possa eu considerá-los supremamente preciosos.(Dalai Lama).

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Ano Novo ? Vida Nova ??

  
Por Patricia Gebrim

Ano vai, ano vem, e muitas vezes o tempo vai simplesmente passando, como areia que escorre por entre os dedos de nossas mãos. A época da virada é sempre marcada, em maior ou menor grau, por certa reflexão. É quando paramos para dar uma última olhadinha para trás, e quando nos abrimos esperançosos para os dias que virão, como se o simples fato de trocarmos nosso velho calendário por um novo, pudesse nos tornar pessoas diferentes, melhores, mais felizes talvez.

Que tal desta vez fazer diferente?






Não que não possamos ser mais felizes, mas NÃO É O PASSAR DO TEMPO QUE VAI FAZER ISSO ACONTECER, e sim algo dentro de nós que decida que é tempo de mudança.

Preste atenção, algo dentro de você deve, de verdade, decidir que você vai mudar. O que acontecerá no seu próximo ano, acredite, não vai depender da cor da sua calcinha, não vai depender do que você vai comer, de uvas, lentilhas, lacinhos, flores, velas... nem de nada assim. Vai depender, isso sim, de quem você escolherá ser por dentro. Vai depender da sua coragem de abandonar pensamentos e atitudes negativos, que vem lhe fazendo mal, vai depender da sua criatividade em se permitir ser maior, vai depender da sua ousadia de arriscar ser alguém diferente do conhecido e ir para além da mera repetição.

VAI DEPENDER DAS SUAS ATITUDES!

Sim, porque não basta 'ter uma boa intenção'. A vida está passando, e podemos seguir infelizes até o seu fim, apenas cultivando boas intenções.

INTENÇÃO SEM AÇÃO = MERA REPETIÇÃO

É preciso que as boas intenções se tornem ações, se tornem as sementes com que semeamos nosso novo caminho.

Eu tenho muitos amigos que gostam de fazer listas no final do ano. Até acho que é uma idéia interessante e útil. Quando colocamos as coisas no papel, lhes conferimos corpo, é como se as tornássemos mais reais, e portanto mais poderosas. Mas o que acontece é que muitas vezes fazemos listas de 'intenções' e esperamos que alguém faça aquilo tudo acontecer . Quem?.... um anjo? ... um mestre iluminado?... um parente milionário?

- Sei lá!!!! Pensamos, mas 'alguém' tem que fazer isso dar certo!!! (nem nos passa pela cabeça que aquela é a NOSSA lista e que somos nós que precisamos lutar para que ela se torne real).

É claro que ao fazermos isso, ao delegarmos a outros aquilo que é nossa tarefa de vida, estamos manifestando a nossa Criança Interna, que espera ingenuamente ser cuidada e salva, e que não se sente capaz de realizar de verdade aquelas coisas que pedimos.

Não que a sua criança não possa, ou não deva, escrever a sua listinha no final do ano! Mas que os seus pedidos da criança sejam coisas como 'brincar mais', 'rir mais', 'passear mais', e por aí vai!

Quanto aos outros pedidos, não os entregue nas mãos da sua Criança. Você precisa de toda a sua força adulta e sábia para DE FATO mudar as coisas para melhor. A mudança não acontece sozinha. Você a faz acontecer, porque se compromete com ela, porque segue ao seu próprio lado, dia após dia, atento, lutando por esse novo Ser.

Aqui vai uma dica para quando você for fazer a sua reflexão ou lista para o próximo ano:

Antes de começar, em silêncio, procure pelo lugar sagrado que existe dentro de você. Saia um pouco da agitação do dia-a-dia, dê a você espaço para um contato com a sua sabedoria, com o seu Eu Superior. Faça um retrospectiva do seu ano, deixe que as imagens passem por sua mente, não tente controlar, apenas observe. E então imagine como gostaria que fosse o seu próximo ano. Veja as situações em que gostaria de estar envolvido, veja as pessoas que quer ao seu redor, imagine que tudo aquilo que tenha estado distorcido em sua vida possa ser curado. Veja harmonia, crescimento e amor. Não 'pense' nessas coisas, procure 'visualizar' como se tudo isso já estivesse acontecendo. Você vai ver como se sentirá melhor só de fazer esse exercício.

Depois que fizer isso, então faça uma lista DE QUEM VOCÊ GOSTARIA DE SER no próximo ano, mas só escreva aquilo com o que você sentir que realmente possa se comprometer. É melhor uma lista de um único ítem com o qual você se comprometa do que uma imensa lista que você esquecerá aos quinze minutos de 2008.

Guarde essa lista como se ela fosse um mapa de um lugar que você queira muito visitar. Volte a lê-la no decorrer do próximo ano, principalmente nos momentos em que se sentir perdido.

Que o melhor nos aconteça sempre de acordo com a vontade divina;
Amém !!!!