Loira do bem ∞

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Almir Sater em BH - Palácio das Artes

Almir Sater se apresenta em Junho próximo (02) no Palácio das Artes e o espetáculo emocionante será realizado por Jackson Martins Produções & eventos. 

FT: Walter Sornas /PR
No palco, acompanhado por uma banda, o músico revisita suas canções marcantes como "Trem do Pantanal" e as clássicas: "Um Violeiro Toca", "Tocando em Frente" e "Chalana", bem como os seus discos mais atuais, o último solo “7 Sinais” e o inédito “AR”, sem deixar de lado o toque magistral de viola que o tornou consagrado.

Com mais de 35 anos de carreira e 11 discos gravados, o compositor, cantor e violeiro Almir Sater, um dos artistas mais completos, graças ao seu virtuosismo, continua a encantar gerações. Dono de um talento ímpar e versatilidade como instrumentista, Almir Sater foi apontado pela Revista "Rolling Stone Brasil" entre os 30 maiores ícones brasileiros da guitarra e do violão na edição de 2012.

Em 2015, gravou o CD “AR” em parceria com Renato Teixeira e produção do norte-americano Eric Silver, o álbum navega por diversas vertentes e influências musicais, do folk ao rock Anos 70, sem deixar de flertar com o purismo da música caipira e a poesia bucólica. O disco logo caiu nas graças do público, admiradores, fãs, crítica especializada e foi indicado em duas categorias ao Grammy Latino 2016 e premiado como “Melhor Álbum de Música Raízes Brasileiras”( na disputa com os também renomados Alceu Valença e Elba Ramalho), em Las Vegas, novembro passado.

Também obteve grande destaque ao aceitar convites para representar personagem de violeiro em novelas como “Pantanal” e “Rei do Gado”, além de Ana Raio e Zé Trovão e Bicho do Mato (2006). Os Ingressos poderão ser adquiridos pelo Site Ingresso Rápido ou na bilheteria do teatro de segunda-feira a sábado, das 10h às 21h e aos domingos e feriados, das 14h às 20h.



FT Charles Eduardo.

Serviço:
Almir Sater e Banda.
Quando: 02 de junho de 2017 – sexta-feira.
Local: Grande Teatro Palácio das Artes – BH - Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro.
Horário: 21h00.

Ingressos: Setores 1e 2 – Valores 140,00 inteira e 70,00 p/ meia-entrada.
Balcão: Valores 120,00 inteira e 60,00 p/ meia-entrada.
Meia-entrada de acordo com a Lei em vigor no site.
Evento Oficial Facebook: https://www.facebook.com/events/710830842410668
Ponto de Vendas:
Pela internet, acesse: Ingresso Rápido ou televendas 4003-1212.
Ponto físico: Bilheteria do Palácio das Artes: de segunda-feira a sábado, das 10h às 21h e aos domingos e feriados, das 14h às 20h. Tel.: (31) 3236-7400
Realização: Jackson Martins Produções & Eventos.
Assessoria de Imprensa: Paula Granja (31) 99649.2968

segunda-feira, 29 de maio de 2017

COMUNICADO SOBRE CANCELAMENTO DE SHOW

Boa Tarde!
Venho por meio deste repassar o cancelamento do Show de Eduardo Araújo, na próxima quarta (31) através de e-mail enviado por  Paula Granja - Assessoria de Imprensa/ Produtora executiva, conforme comunicado abaixo. Conto com a compreensão de todos e mais uma vez agradeço pela parceria e divulgação em seus conceituados canais midiáticos.



  

O show “Hoje é dia de Rock” com o artista Eduardo Araújo, que seria realizado no dia 31 de maio de 2017 no Pampulha Iate Clube  foi cancelado.
Aos que compraram ingressos informamos que repasse será feito através do site o qual foi comprado Sympla Ingressos.
Cordialmente,
BH News Music

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Zé Ramalho celebra 40 Anos de Música no Terrazzo em Juiz de Fora

Juiz de Fora recebe Zé Ramalho “40 Anos de Música”  um dos mais respeitados artistas brasileiros, no próximo dia 26 de maio, no elegante Terrazzo Centro de Eventos. O Show  será realizado por Jackson Martins Produções & Eventos e a venda dos ingressos online disponíveis pelo site  https://ticketmais.com.br 

 

No palco, acompanhado da banda Z, o artista revive sua trajetória de 40 anos ao relembrar suas canções marcantes  como “Avôhai”, “Frevo Mulher”, “Admirável Gado Novo”, “Chão de Giz”, “Beira-Mar”, “Eternas Ondas”, “Garoto de Aluguel”, “Vila do Sossego”, “Banquete de Signos”, “Sinônimos”, “Mistérios da Meia-Noite”,  além de releituras de Raul Seixas bem como os seus álbuns mais atuais ( “Sinais do Tempo”).

O compositor, cantor e poeta nordestino, considerado entre as 100 maiores vozes da música brasileira pela revista Rolling Stone Brasil – na edição 2012, sempre atrai multidões em seus shows. Com sua poesia e música apocalíptica,  nos leva a uma viagem interior, sobre diferentes níveis de percepção e dimensões, e agrega uma verdadeira miscigenação de ritmos e brasilidade, influências de Bob Dylan, Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga, Raul Seixas, além de uma forte mistura da Literatura de Cordel, dos violeiros nordestinos, blues, folk e do rock.

O Músico também coleciona parcerias inesquecíveis - o encontro com Alceu Valença, Elba Ramalho e Geraldo Azevedo um dos mais bem-sucedidos da história da MPB. Os seus discos foram indicados ao Grammy Latino, entre eles - CD/DVD "Zé Ramalho canta Bob Dylan" (Prêmio Nobel de Literatura 2016) - na categoria melhor disco de rock. Dono de uma admirável trajetória artística, Zé Ramalho dispensa maiores apresentações, ao público presente, um espetáculo memorável em todos os sentidos. 


SERVIÇO:
Show Zé Ramalho e Banda Z - 40 Anos de Música”
Quando: 26 de Maio 2017 – sexta-feira.
Horas: 22h00
Local: Terrazzo Centro de Eventos, Juiz de Fora/MG - Avenida Deusdedith Salgado, 5050.
Valores dos Ingressos: 
Lote 3
Mesas com 04 Cadeiras:
Mesa Setor 1 R$ 500,00  Esgotado
Setor 2 R$ 550,00 ( faltam poucas mesas)
Camarote  Individual - em pé R$ 140,00 e Pista R$ 110,00 - meia-entrada R$ 55,00.
Forma de Pagamento:  cartão de crédito parcelado ou boleto ( única parcela).
Vendas Online + Taxa https://ticketmais.com.br    
Físico:
Hotel Green Hill: Av. Deusdedith Salgado, 4.351
👉Shape Suplementos: Independência Shopping 2º Piso
👉
👉Zé Kodak -Santa Cruz Shopping: 1º piso, loja 46
👉
👉👉Zine Cultural: Rua Marechal Floriano Peixoto, 723 – Centro
👉
👉👉👉Soul Planet Music - R. Morais e Castro, 218 - Passos
(Somente Ingresso de Pista e Camarote, pagamento em dinheiro)
Informações (32)9.8819-1296

Realização: Jackson Martins Produções & Eventos.
Assessoria de Imprensa: Paula Granja (31) 99649.2968
Fotos: divulgação.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

VIDA DE INSETO E A REFLEXÃO SOBRE SISTEMA OPRESSOR



“A rebeldia, aos olhos de qualquer pessoa que tenha estudado um pouco de História, é a virtude original do ser humano” – Oscar Wilde.
Vida de Inseto é daqueles filmes, feitos para criança no primeiro olhar, mas vai muito além, e pode até ser feito para crianças, com um objetivo de fazê-las pensar desde cedo, mas é também para as ‘adultas’ sem dúvida. O desenho faz uma analogia entre as classes de opressores (gafanhotos) e das oprimidas (formigas). Os gafanhotos sobrevivem à custa do trabalho e os esforços das formigas, que fornecem a eles, todos os anos, sua colheita em troca de preservação de suas vidas. No entanto, entre a classe oprimida, um rebelde e cheio de imaginação, através de suas ideias e invenções, amenizar o sofrimento dos seus, e facilitar o trabalho penoso de sol a sol e não se conforma com o regime de servidão que lhes são impostos, mas devido a ser sonhador, não deve ser levado a sério, exceto a filha da Rainha, que vê em seu a amigo, um libertador, mesmo que seus inventos sempre provocam confusões ou danos sem querer, e todos os demais são castigados por sua ousadia.
Então, Flick o perdedor como ele é visto parte para uma jornada, em busca de aliados guerreiros, onde a comunidade aprova, não por achar que será uma ótima ideia, mas para livrar de confusões maiores, com ele perto deles. Ao chegar à cidade, conhece uma trupe de teatro que foram despedidos e vê neles a oportunidade de juntar e somar forças, de uma forma ou de outra, embora sejam diferentes, tem algo em comum, também são explorados pelo dono da Cia de teatro. E partem juntos para sua morada, cada um equivocado com o papel que irão fazer na colônia, mas poderão se surpreender com as novas experiências.

Por sua vez, o líder dos gafanhotos tem pleno conhecimento de que não precisa do alimento da colônia, para manter seu reinado, mas ao deixá-los livres do jugo, perderá o controle sobre eles, que são em maior número, e vir a descobrir essa vantagem, como ele diz “ideias são coisas muitos perigosas”, e eles foram colocados no mundo para nos servir.

Porém, Flick, é um visionário e não desiste facilmente dos seus ideais e ideias mirabolantes. Através de seus amigos, assim como ele, considerados os loucos da sociedade, juntos, somam forças para enfrentar o tirano, e na batalha o desmascara, ao abrir enfim, os olhos vedados de toda a colônia, acostumados à servidão, a lida dura, não haviam percebido que os opressores eram em menor número “Somos mais fortes, são vocês que precisam de nós, para ter comida. Então quem é o fraco daqui” ¿.  E começa a revolução.O filme traz uma importante reflexão sobre a luta de classes, uma sempre usa do medo e da força para ter controle e jugo sobre a outra, aqueles que se acovardam, se tornam fantoches nas mãos, e logo doutrinados para servidão, um débito que nunca tem fim. Mas, quando organizadas e determinadas podem se libertar do que é injusto e abusivo. Como diz o sábio Raul Seixas “A formiga é pequena, mas elas são um exército quando juntas”. 
Imagens retiradas do google internet.  

quinta-feira, 27 de abril de 2017

VIVER EM CONDOMÍNIO EXIGE BOM SENSO

Morar em condomínio exige algumas regras básicas: tolerância, jogo de cintura e bom senso, pois “Condomínio” significa “propriedade comum”. A propriedade, portanto, possui vários donos – chamados de coproprietários ou condôminos - e formam um grupo. São pessoas diferentes compartilhando os mesmos espaços. O comportamento cordial e altruísta melhora, e muito, a qualidade de vida de todo o conjunto de condôminos

No entanto, essa consciência de limite e espaço é para poucos, na boca de ‘quase’ todos seja proprietário ou inquilino, quando estão envolvidos em algo que vão atingi-los, a resposta é o jargão pobre “pago condomínio em dia”. Infelizmente esquecemos que “o direito de um termina quando começa o do outro”, e que a propriedade está no limite do seu espaço privado. Então, não cabe justificar atitudes antissociais e tendenciosas, do tipo ‘pagam o condomínio em dia’, que é o “rateio mensal de todas as despesas assumidas em conjunto”, e que todos os demais também arcam e pagam.
Trata-se de um compromisso moral e não o passaporte para liberdades egoístas, ações que vão de alguma forma tumultuar o ambiente por capricho, falta de educação ou excesso de vaidade e ego. Quando uma pessoa se justifica dessa forma os seus excessos, demonstra ser grosseira e soberba de má educação e formação, das quais acha que o mundo gira em torno do seu umbigo, não saiu ainda do estado de “criança mimada” onde suas vontades devem ser sempre satisfeitas e aceitas e sem  nenhuma consideração alheia. Morar em condomínio exige civilidade, empatia e atitudes sensatas, indispensável que aja a efetiva colaboração de cada um.

Morar em prédio é diferente de morar em casa, temos que colocar os interesses coletivos em primeiro lugar, um dos caminhos para resolver os problemas comuns e inerentes ao convívio em condomínio. Para isso o respeito e bom senso devem vir antes do ego, individualidade e da arrogância, e humildade para repensar nossos atos, atitudes e nas situações que ajudam a formar sentimento de coletividade. Ao desrespeitar as normas de convivência, além da moral e dos bons costumes, comprometer o bem-estar de toda a comunidade, também fere a ética cristã (tudo aquilo que causa dor, sofrimento e constrangimento aos outros), não é coisa de Deus, é certo. E se agimos pela omissão "vista grossa" permite que outras pessoas ocupem nosso espaço, fortalecendo-se com ele e, muitas vezes, se impondo em detrimento de muitos que ficaram à margem e excluídos totalmente do processo decisório.

Então, sejamos os fazedores da harmonia, boa convivência e coerentes entre o agir e o falar. Viver em condomínio exige destreza, são para pessoas elegantes em atitudes, educação, bom senso, boas maneiras e que saibam se colocar no lugar dos outros, o dinheiro, objetos e adornos ficam em último lugar, são apenas adereços voláteis, traz segurança e 'respeito' social, mas de nada nos serve, sem qualidade e formação, enquanto indivíduo.
Baseado em fontes consultadas no Google sobre ' difícil arte de (con) viver em condomínios'.
Fotos - Internet Google.