sexta-feira, 30 de outubro de 2015

31 DE OUTUBRO - DIAS BRUXAS - DOCES OU TRAVESSURAS.


Que o dia  nos traga
"doces ou travessuras" 
 Menos Amarguras.

Festa de Halloween, na verdade, equivale ao "Dia de Todos os Santos" e o "Dia de Finados", e foi absorvido pela Igreja Católica para apagar os vínculos pagãos, que originam a festa. Os países de origem hispânica comemoram o Dia dos Mortos e não o Halloween. A palavra Halloween tem origem na Igreja católica. Vem de uma palavra contraída do dia 1 de novembro, "Todo o Dia de Buracos" (ou "Todo o Dia de Santos"), é um dia católico de observância em honra de santos. Mas, no século V DC, na Irlanda Céltica, o verão oficialmente se concluía em 31 de outubro. O feriado era Samhain, o Ano novo céltico. Alguns bruxos acreditam que a origem do nome vem da palavra hallowinas - nome dado às guardiãs femininas do saber oculto das terras do norte (Escandinávia). O Halloween marca o fim oficial do verão e o início do ano-novo. Celebra também o final da terceira e última colheita do ano, o início do armazenamento de provisões para o inverno, o início do período de retorno dos rebanhos do pasto e a renovação de suas leis. Era uma festa com vários nomes: Samhain (fim de verão), Samhein, La Samon, ou ainda, Festa do Sol. Mas o que ficou mesmo foi o escocês Hallowe'en.

Uma das lendas de origem celta fala que os espíritos de todos que morreram ao longo daquele ano voltariam à procura de corpos vivos para possuir e usar pelo próximo ano. Os celtas acreditavam ser a única chance de vida após a morte. Os celtas acreditaram em todas as leis de espaço e tempo, o que permitia que o mundo dos espíritos se misturassem com o dos vivos. Como os vivos não queriam ser possuídos, na noite do dia 31 de outubro, apagavam as tochas e fogueiras de suas casa, para que elas se tornassem frias e desagradáveis, colocavam fantasias e ruidosamente desfilavam em torno do bairro, sendo tão destrutivos quanto possível, a fim de assustar os que procuravam corpos para possuir, (Panati). Os Romanos adotaram as práticas célticas, mas no primeiro século depois de Cristo, eles as abandonaram. O Halloween foi levado para os Estados Unidos em 1840, por imigrantes irlandeses que fugiam da fome pela qual seu país passava e passa ser conhecido como o Dia das Bruxas. A brincadeira de "doces ou travessuras" é originária de um costume europeu do século IX, chamado de "souling" (almejar). No dia 2 de novembro, Dia de Todas as Almas, os cristãos iam de vila em vila pedindo "soul cakes" (bolos de alma), que eram feitos de pequenos quadrados de pão com groselha. Para cada bolo que ganhasse, a pessoa deveria fazer uma oração por um parente morto do doador. Acreditava-se que as almas permaneciam no limbo por um certo tempo após sua morte e que as orações ajudavam-na a ir para o céu.


A ORIGEM DA LANTERNA 
A vela na abóbora provavelmente tem sua origem no folclore irlandês. Um homem chamado Jack, um alcoólatra grosseiro, em um dia 31 reza a lenda que o diabo veio levar sua alma. Desesperado, Jack implora por mais um copo de bebida e o diabo concede. Jack estava sem dinheiro para o último trago e pede ao Diabo que se transformasse em uma moeda. O diabo concorda.Mal vê a moeda sobre a mesa, Jack guarda-a na carteira, que tem um fecho em forma de cruz.Desesperado, o Diabo implora para sair e Jack propõe um trato: libertá-lo em troca de ficar na Terra por mais um ano inteiro. 
Sem opção, o diabo concorda. Feliz com a oportunidade, Jack resolve mudar seu modo de agir e começa a tratar bem a esposa e os filhos, vai à igreja e faz até caridade. Mas a mudança não dura muito tempo, não. No próximo ano, na noite de 31 de outubro, Jack está indo para casa quando o diabo aparece. Jack, esperto como sempre, convence o diabo a pegar uma maçã de uma árvore. O diabo aceita e quando sobe no primeiro galho, Jack pega um canivete em seu bolso e desenha uma cruz no tronco. O diabo promete partir por mais dez anos. 

Sem aceitar a proposta, Jack ordena que o diabo nunca mais o aborreça.O diabo aceita e Jack o liberta da árvore. Para seu azar, um ano mais tarde, Jack morre. Tenta entrar no céu, mas sua entrada é negada. Sem alternativa, vai para o inferno.O diabo, ainda desconfiado e se sentindo humilhado, também não permite sua entrada, e como castigo, o diabo joga uma brasa para que Jack possa iluminar seu caminho pelo limbo. Jack põe a brasa dentro de um nabo para que dure mais tempo e sai perambulando.Os nabos na Irlanda eram usados como "lanterna do Jack " originalmente. Mas quando os imigrantes vieram para a América, eles acharam que as abóboras eram muito mais abundantes que nabos. Então Jack O'Lantern (Jack da Lanterna). Na América passa a ser uma abóbora, iluminada com uma brasa. Sua alma penada passa a ser conhecida como Jack O'Lantern (Jack da Lanterna). Quem presta atenção vê uma luzinha fraca na noite de 31 de outubro. É Jack, procurando um lugar. A abóbora simboliza a fertilidade e a sabedoria. A vela indica os caminhos para os espíritos do outro plano astral.

O Halloween pelo Mundo
No Oriente, a tradição é ligada às crenças populares de cada país. Como no Brasil, comemora-se o Dia de Todos os Santos em 1º de novembro e Finados no dia seguinte. As pessoas usam as datas para relembrar os mortos, decorando túmulos e lápides de pessoas que já faleceram. 

Robert Plant e Patty Griffin (2011) - na festa do Halloween na vizinhança.
A Irlanda é considerada como o país de origem do Halloween. Nas áreas rurais, as pessoas acendem fogueiras, como os celtas faziam nas origens da festa e as crianças passeiam pelas ruas dizendo o famoso “tricks or treats” (doces ou travessuras). No dia 1º comemora-se o Dia dos Anjinhos, ou Dia dos Santos Inocentes, quando as crianças mortas antes do batismo são relembradas. No México,O Dia dos Mortos (El Dia de los Muertos), 2 de novembro, é bastante comemorado no México. As pessoas oferecem aos mortos aquilo que eles mais gostavam: pratos, bebidas, flores. Na véspera de Finados, família e amigos enfeitam os túmulos dos cemitérios e as pessoas comem, bebem e conversam, esperando a chegada dos mortos na madrugada. Uma tradição bem popular são as caveiras doces, feitas com chocolate, marzipã e açúcar. Nesse país, a Tailândia existe o festival Phi Ta Khon, comemorado com música e desfiles de máscaras acompanhados pela imagem de Buda. Segundo a lenda, fantasmas e espíritos andam entre os homens. A festividade acontece no primeiro dia das festas budistas. No Brasil, além de comemorar o dia das bruxas, também  o Dia do Saci, uma lenda do folclore brasileiro.
Não importa qual a comemoração, 31 de outubro é data para se divertir, refletir e recarregar boas energias. Que venha o Novo!.
Fontes: Diversas da Internet via Google.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

29 de Outubro - Dia Nacional do Livro

Hoje, 29 de outubro é comemorado o dia nacional do livro. 
Porque Ler é preciso!. Os livros nos transportam para lugares incríveis!.
D.João VI então, fundou a Imprensa Régia e o primeiro livro editado foi "Marília de Dirceu", de Tomás Antônio Gonzaga. Sob o pseudônimo de Dirceu, Tomás Antônio Gonzaga declara em suas liras o amor pela adolescente Maria Joaquina Doroteia de Seixas, chamada, nos poemas, de Marília. Um poema que no final nos lembra, uma tragédia ao estilo “shakespeariano”. Reza a lenda que durante o exílio em Moçambique, Tomás Antônio Gonzaga se casou com dona Juliana de Sousa, filha de um rico traficante de escravos, refazendo sua vida, enquanto que Marília vagava pelas ruas de Vila Rica à sua espera, até morrer com 90 anos de idade, situação que deu mais drama à tragédia amorosa. E assim o fez por acreditar que o seu amor por Tomás Antônio Gonzaga fosse eterno e insubstituível, sem, no entanto, prever o fim trágico do romance, que impediu que se colocasse, no adro da Capela de N. Senhora dos Remédios de Cabaceira Grande, em Moçambique, o epitáfio que Gonzaga imaginara para si e sua amada: “Quem quiser ser feliz nos seus amores, siga os exemplos que nos deram estes”.
Não foi desta vez que o Amor venceu!.
Vamos relembrar um trechinho de uma das Liras?.


Marília e Dirceu (Publicado em "O Amor Infeliz de Marília e Dirceu").

Lira V
Marília, tu chamas?

Espera, que eu vou.
Aqui um regato
Corria sereno
Por margens cobertas
De flores, e feno:
À esquerda se erguia
Um bosque fechado,
E o tempo apressado,
Que nada respeita,
Já tudo mudou.
São estes os sítios?
São estes; mas eu
O mesmo não sou.

Para conhecer a história de amor entre eles..clique no link MARÍLIA E DIRCEU

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Almir Sater sobre musical do filho, Gabriel Sater: 'Foi muito emocionante'

   Por Thaís Sant'A do EGO em São Paulo.
Gabriel Sater e Almir Sater (Foto: Celso Tavares/ EGO)
 Almir Sater não escondeu o orgulho do filho mais velho, Gabriel Sater, na estreia do musical "Nuvem de lágrimas", em que ele faz parte, na noite desta segunda-feira, 26, em São Paulo. "Foi muito diferente. Ver que nossos filhos cresceram. Fiquei meio 'absurdado'. Achei muito bonito o espetáculo todo, ele está muito bem, do começo ao fim, foi muito envolvente", disse o cantor ao EGO.
Gabriel também estava emocionado com a presença do pai na plateia. "Foi um dos dias mais incríveis da minha vida e, ao mesmo tempo, um dos mais difíceis. Porque é uma pressão muito grande, porque você ensaia muito, foram 90 dias de imersão no ensaio, sem parar. Foi um dia muito especial, muito difícil, porque requer uma concentração acima do normal. Estava voando borboletas no meu estômago", contou.

Gabriel não chegou a pedir conselhos ao pai, segundo Almir. "Ele nunca pede. Filho não ouve conselho de pai, ouve mais dos amigos (risos). Ele queria que eu viesse aqui pra criticá-lo e minha crítica é a melhor possível. Foi muito emocionante", explicou. Mas Gabriel afirmou que segue sim alguns ensinamentos de Almir: "Ele sempre me passou que, para qualquer arte,  é importante ter dedicação, entrega, seriedade, compromisso e verdade. Se vai fazer um trabalho como esse, se dedique".

Apesar de terem o mesmo talento na música e na atuação, Almir não se vê no filho. "Temos a mesma ansiedade, foco no  trabalho, mas ele é muito mais disciplinado, eu sou muito mais relaxado, vagabundo (risos). Tenho aprendido muito com ele a ser mais determinado", declarou.

Gabriel Sater e Almir Sater (Foto: Celso Tavares/ EGO)
 Fonte: EGO

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

ALMIR SATER FARÁ SHOWS INTIMISTAS EM SÃO PAULO

O Compositor, Violeiro e Cantor Almir Sater retorna ao palco do Theatro NETSP na Vila Olímpia, em Dezembro próximo. O Artista fará dois "shows intimistas" nos dias 15 e 16 (terça e quarta-feira) às 21h, acompanhado de sua banda. 























Com mais de 30 anos de Carreira, Sater faz uma releituras de suas canções mais consagradas como Trem do Pantanal, Comitiva Esperança, Chalana e Tocando em frente, coautoria de Renato Teixeira, considerada um hino motivacional.
O show mescla ainda com o último CD "7 Sinais", sem deixar de lado a técnica ímpar e o magistral toque de viola indispensável nas suas apresentações, que o tornou consagrado. Sua música envolve traços populares e eruditos e tem  como principal característica a sonoridade da viola de 10 cordas, com influências do folk norte-americano, irlandês e da música inglesa, que se completam na mistura com as fronteiriças do seu estado, a paraguaia e andina, os ritmos regionais como guarânias, polcas e chamamés. O artista é um dos poucos que não deixou a emoção de lado e a música flui de seu coração, com originalidade, sem subterfúgios ou aparatos tecnológicos, transborda em sentimentos, na forma real, capaz de penetrar até nas almas mais blindadas e aguçar a comoção.
A interação com o público é tão natural que a impressão, após o show é de ter estado no quintal de casa, completamente à vontade, num tom mais intimista.
 


























Os Ingressos variam de acordo com os setores: 
Inteira:
Plateia Central: R$ 180,00 | Plateia Lateral: R$ 160,00 | Balcão I: R$ 140,00 | Balcão II: R$ 50,00*.

Vendas online podem ser adquiridas pelo Site ingressorapido
 *Meia Entrada: Estudantes de Ensino Fundamental, Médio, Superior e Pós-graduação; Professores da Rede Estadual e Municipal; Maiores de 60 anos; Portadores de Necessidades Especiais.Venda direta, pessoal e intransferível, sendo necessária a identificação original e com foto no ato da compra e entrada do espetáculo. 
Capacidade: 799 lugares
Mais Detalhes no Site Oficial  THEATRO NET SÃO PAULO

ROCK NA CORRENTE DO BEM EM PROL DO SÍTIO AGAR

“Todo o homem é culpado pelo bem que não fez” – Voltaire.

O Rock sempre fez a diferença no social. Então, não é nenhuma surpresa eventos com Bandas de Rock agindo em benefício de entidades ou ONGs. Dia 31 de Outubro, a bruxa está mais solta, para fazer o BEM naturalmente. Mexendo seus pauzinhos e vassouras, em mais um super evento. Desta vez será em favor das crianças e adolescentes portadores do Vírus HIV, para a manutenção do local. No palco, as Bandas de Rock Suburbia e Move Over e o DJ Testa vão animar o espetáculo,  início das 14h até às 22h.  A produção fica a cargo de Pedro Silgar.
Muito mais novidades vêm por aí.
Sobre o Sítio Agar

Com mais de 20 anos de Atividade no Brasil, sítio Agar foi criado graças a uma iniciativa dos Monfortinos, ordem religiosa fundada na França em 1716, da qual frei Antônio faz parte, e de instituições filantrópicas da Holanda, responsáveis pelo investimento na construção, e compra dos primeiros equipamentos para o funcionamento da instituição. Para manter-se, porém, o Sítio precisa da contribuição mensal dos seus associados e da ajuda do Governo e de empresas. Através de várias atividades, o Sítio Agar gera empregos, receita e contribui para a formação profissional dos jovens da instituição e da comunidade da região de Cajamar, como a oficina de costura, informática e padaria. Também gera renda através de um Bazar beneficente na venda de roupas, eletrodomésticos e móveis que foram doados para a instituição. Com custo acessível, onde a renda é revertida para a manutenção da entidade, como principal fonte geradora.

O Bazar  funciona as segundas, terças, quintas e sextas-feiras, das 13h às 16h, e aos sábados, das 8h 30 às 12h. Para realizar doação, basta ligar para (11) 4448-1243.

Sobre a Banda Suburbia:

Suburbia e´uma banda de Rock Nacional que surgiu na Serra da Cantareira em 2010. Seu som se espalhou e a banda desceu a serra para tocar em bares e festas de faculdades de São Paulo. No último semestre de 2014, o Suburbia terminou seu primeiro trabalho autoral, envolvendo DEZ clipes em seu estúdio!
Com excelente feedback em seus canais digitais, a banda adquiriu uma agenda de shows acirrada! Além do talento, Suburbia é composto pelos integrantes Rafa Cameron (vocal), os dois filhos de Almir Sater (dispensa apresentação) Ian Sater (guitarra), Bento Sater (baixo) e Pedro de Souza (bateria), filho de Márcio de Souza, responsável por toda a parte sonora da Turma da Mônica e irmão de Maurício de Sousa e Fabio Azem(guitarra).  Ou seja, a música corre no sangue da banda! Suburbia tem experiência nos melhores palcos de bares de São Paulo. Com agenda cada vez mais lotada e vários shows por mês, Suburbia toca em vários bares famosos, faculdades e festivais no interior de São Paulo. Esse ano ficou entre as 50 bandas mais votadas do Brasil para abrirem o festival Lollapalooza 2015.

Sobre MOVE OVER
Fundada em 2003,  Move Over  considerada uma das principais bandas em atividade. É composta pelos integrantes: Adriane Santana (Voz) /  Leandrinho (Bateria) /Fernanda Horvath (Baixo) / Alex Zambrana (Guitarra). Participa dos eventos mais tradicionais e relevantes do Estado, entre eles Virada Cultural, Festivais de Rock.  Abertura de shows de Creedence Clearwater Revival, IRA, Rita Lee, o show no GOLFEST (Festival da Volkswagen) junto com Titãs e Arnaldo Antunes para 12.000 pessoas no Sambódromo Anhembi – SP, e pelo 1º lugar no XII Aurora Fest Rock, festival da conceituada casa Café Aura, São Paulo, em 2011. Em 2014, a banda participou do reality “SUPERSTAR” da Rede Globo, com recorde de votação, 94% de aprovação do público e recebeu diversos elogios dos jurados já consagrados no meio musical, permanecendo até a semifinal do programa. Atualmente, estão na estrada e com novo CD “Elemento Surpresa”, divulgado em todo o país. 

Serviço:
Halloween do Sítio Agar
Quando: 31/10/15 - Sábado
Onde: PEC – Parque Ecológico de Caieiras – ANTIGO MAC
Rodovia Tancredo Neves, Km 35 – Caieiras/SP.
Informações: (11) 3218-1065
Convites: R$ Somente em Dinheiro.
Adultos: R$ 10,00
Adolescentes de 12 a 18 anos: R$ 5,00
Até 11 anos: Gratuito.
Assessoria de Imprensa:
Luana Dantas
Human Resources
Phone: (5511) 3123-2090
Nextel: (5511) 7857-5442
ID: 55*16673*73



Participe desta Travessura, convide seus amigos e familiares, leve sua fantasia, venha se divertir com alegria, gastronomia, ao som do sempre bom “Rock and Roll”, e em benefício da Corrente do Bem.


sábado, 24 de outubro de 2015

PERDÃO - A CURA PARA NÓS MESMOS.



"Há um tempo para a mágoa e um tempo para ir além da dor, como diria Pessoa, além da dor, o componente fundamental da mágoa é a sua permanência. uma incapacidade de parar de sofrer, mesmo com o passar do tempo". Para quem espera o perdão, o tempo é o maior inimigo, por isso é necessário praticar a paciência. A paciência serve de proteção contra injustiças como as roupas contra o frio. Se você veste mais roupas com o aumento do frio, este não terá nenhum poder para feri-lo. De forma idêntica você deve crescer em paciência quando se encontra em grandes dificuldades e elas serão impotentes para atormentar a sua mente. (Leonardo da Vinci).


Em todos os caminhos de crescimento humano, tanto psicológico quanto espiritual, uma ênfase especial é dada à questão da mágoa. Não só pelo sofrimento que ela produz, mas também pelo transtorno que ela provoca nos relacionamentos. Qualquer que seja o nome que damos a esse sentimento, seja mágoa, rancor, ressentimento ou vingança, ele se caracteriza por uma amargura na alma, uma sensação de injustiça, a partir do mal que alguém nos fez.
Além da dor, o componente fundamental da mágoa é a sua permanência. É uma incapacidade de parar de sofrer, mesmo com o passar do tempo. E como é impossível levarmos nossas vidas sem sermos machucados, de vez em quando pelas outras pessoas, sendo em vista a imperfeição da natureza humana, corremos o risco de acumularmos ferimentos e nos tornarmos pessoas amargas, desiludidas e sofredoras.

A mágoa é uma forma de guardarmos para depois coisas que não resolvemos na hora. Uma das características da vida é que ela só pode ser vivida no presente. O passado e o futuro, apesar de existirem na nossa cabeça, não têm existência real. Seria uma grande tolice imaginarmos que podemos respirar para amanhã, que podemos viver o ontem. O natural é que as coisas sejam vividas, mesmo as ruins, no momento em que elas acontecem.
O sentimento da raiva, que é natural tem por objetivo,  nos ajudar a resolver nossos problemas, incluindo as ofensas, traições ou quaisquer outros atos que as pessoas nos produzem. Quando somos inibidos na nossa raiva, quando temos medo de expressá-la, ela esfria dentro de cada um de nós e se transforma em mágoa. Mágoa é toda raiva que ficou para depois. É a raiva dentro da geladeira. É o medo de resolver nossos conflitos com outras pessoas, no momento em que aparecem. Guimarães Rosa define magistralmente, a mágoa no seu livro, Grande Sertão Veredas: "Mágoa é lamber frio o que o outro cozinhou quente demais para nós”.
 
A pessoa rancorosa apresenta pelo exposto até aqui, as seguintes dificuldades:

1- Em aceitar a imperfeição humana, idealizando uma realidade onde as pessoas nunca falhem com ela.

2- Na expressão da raiva, na colocação clara do seu desagrado diante do outro.

3- Em viver o momento presente, sendo extremamente apegada ao passado.

Por isso, a pessoa que guarda mágoa, em geral é também saudosista e culposa, características de quem vive no passado. Uma vez, porém instalada a mágoa, só nos resta uma saída: o perdão. Se a mágoa nos envenena e machuca, o perdão nos alivia e cura. Pode-se medir a sanidade psicológica de alguém pela sua capacidade de perdoar. O perdão é a ponte que nos faz sair da depressão para a alegria. "Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos aqueles que nos ofenderam." Por que tanta dificuldade em perdoar? Porque há equívocos em torno do perdão que nos dificultam o exercício dele.
 
Primeiramente, há uma crença falsa de que o beneficiário do perdão é a pessoa que nos ofendeu. O perdão é algo bom para quem perdoa. Perdoar é ficar livre da dor provocada pelo outro. É ficar livre daqueles que nos magoaram. É um presente dado a mim mesmo. Perdoar não é esquecer. É apenas parar de sofrer. Não nos incomodarmos mais com o que aconteceu no passado. Devemos, porém aprender com a experiência acontecida. Temos de tomar posição diante do que aconteceu, revendo a relação, e por isso mesmo, nos livrando do sofrimento. A mágoa deteriora os relacionamentos porque ao invés de resolvermos os problemas, ainda que com uma briga, guardamos a raiva no coração e ela se transforma em hostilidade, frieza e desprezo na relação, distanciamento sexual, traição e outras formas de vingança. "Que o sol não se ponha sobre nossas iras”. A ira santa é aquela do momento presente, como a experimentada pelas crianças. A ira guardada para amanhã vira mágoa e fecha nossos corações para o amor. Perdoar os outros é o presente que podemos oferecer a nós mesmos. Chega de carregar na alma as ofensas e os que nos ofenderam.

Por Antônio Roberto Soares.

"Tenho paciência e penso: Todo o mal traz consigo algum bem”. –Beethoven.  

terça-feira, 20 de outubro de 2015

DIA DO POETA “Só Dez Por Cento é Mentira”

O que é um poeta?. e sua poesia?. Talvez seja isso, que move nossas emoções, que mexe com nosso inconsciente. Porque o poeta dá vida, asas, voos inimagináveis, fazedores de sonhos, de ideias. Em uma poesia, às vezes, quase sempre, está escancarada nossas mais íntimas emoções. Cada um deles, sob seu ponto de vista e a percepção do mundo, e o que está em sua volta. Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa dá uma ideia do que é uma poeta: "E os meus pensamentos são todos sensações".
Seria, então o poeta um fingidor? Finge tão completamente /Que chega a fingir que é dor/ A dor que deveras sente - Fernando Pessoa assim diz. Em todo o Caso, Manoel de Barros, acha uma boa ideia, ao invés de tentar compreender, melhor sentir. - “Poesia não é para compreender mas para incorporar Entender é parede: procure ser árvore.” Ao invés de compreender, vamos sentir, afinal, Não tenho pressa. Pressa de quê? - Ouça Cantora Lírica Cris d`Avila ao som de orquestra interpretando um poema de Manoel de Barros.
Pensando bem, acho que o poeta tem razão: Não há como compreender, inexplicável é as emoções, que são imensuráveis. Afinal, Só Dez Por Cento é Mentira” segundo Manoel de Barros.
photo Niek Bokkers
Aquela madrugada 
Manoel de Barros.
vinham cheiros em minha boca.
De longe
de todos os matos
vinham cheiros de frutas
que ela vinha.
Vinha o que de noite
os pássaros estavam dormindo
o que os regos
estavam murmurando
e o que as árvores
falam pros joão-pintos...
Vinham também
esses começos de coisas
indistintas:
o que a gente esperou dos sonhos
os cheiros do capim
e o berro dos bezerros
sujos a escamas cruas...

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

8 MANEIRAS DE TORNAR O COTIDIANO MAIS PRODUTIVO

Vivemos num mundo competitivo e muito dinâmico. As coisas se tornam voláteis. O lazer é essencial para uma vida saudável. Reza a lenda, os sábios afirmam, na ociosidade se encontra o caminho para o criativo, a imaginação.Ainda segundo a ciência, esse ócio criativo traz benefícios e impactos direto em nossas funções cerebrais. Coisas simples, mas que exercem influência e reflete em nossa capacidade, estimula nosso cérebro, melhora memória cognitiva e a vida se torna mais prazerosa.A revista Exame  citou 8 destas atividades, segundo a Ciência, que ajudam a impulsionar e aumentar a produtividade. Vou acrescentar a 9 por conta própria, cuidado com que ouves, a vida é muito breve para

* _*
<\--
_/|_ouvir Música ruim.【ツ】


1. Caminhar


Além de fazer bem para a saúde, andar pode melhorar o seu humor e até tornar você mais criativo. Um experimento conduzido por pesquisadores da Stanford University revelou uma associação direta entre a atividade e a capacidade de ter ideias originais. Os participantes da experiência mostraram um aumento de 60% em sua criatividade enquanto caminhavam.

2. Tocar um instrumento musical

O filósofo Friedrich Nietzsche dizia que, sem música, a vida seria um erro. O benefício trazido pela arte é ainda maior se você é quem está tocando. Uma pesquisa publicada em 2012 no Journal of Neuroscience revelou que treinamento musical - sobretudo na juventude - ajuda a aumentar o corpo caloso do cérebro, isto é, a parte que liga os dois hemisférios. Essa “ajudinha” impulsiona a memória e a capacidade de resolver problemas.

3. Ler

Segundo pesquisadores da Universidade de Sussex, na Inglaterra, meia hora de leitura profunda causa reduz mais o estresse do que qualquer outra técnica tradicional de relaxamento. Outro estudo mostra que a leitura também melhora a capacidade de foco e a concentração, por simular uma espécie de transe parecido com o provocado pela hipnose. 

4. Jogar videogame

Nerds e geeks podem comemorar: jogar certos tipos de videogames melhora o raciocínio estratégico. De acordo com cientistas ingleses, jogos de estratégia em tempo real aceleram a capacidade de raciocinar sob pressão e aprender com erros passados. Já games de ação podem aumentar a capacidade de tomar decisões rapidamente.

5. Jogar golfe


Partidas de golfe podem durar horas. Além de ser um grande exercício de calma e paciência, a prática do esporte incrementa a capacidade de resiliência e o desempenho em atividades diversas, segundo pesquisadores da Princeton University.

6. Aprender uma nova língua
Resultado de imagem para APRENDER FALAR LÍNGUAS
Um estudo conduzido por pesquisadores da Northwestern University revelaram que pessoas bilíngues têm mais facilidade para resolver problemas do que aquelas que falam apenas um idioma. Além disso, cientistas suecos descobriram que a fluência numa segunda língua pode aumentar o córtex cerebral, que controla quase toda a capacidade mental de uma pessoa, da memória à capacidade de planejamento.

7. Fazer exercícios físicos regulares


Um estudo da Dartmouth University tornou evidente a contribuição dos exercícios físicos regulares para o desempenho do cérebro. Em cerca de 60% da população, esse tipo de atividade aumenta o nível de BDNF, uma proteína ligada à inteligência, à concentração e à capacidade de aprendizado.

8. Ouvir música


Não sabe tocar nenhum instrumento? Ainda assim é possível aproveitar as vantagens da música para o seu cérebro. De acordo com cientistas da University of Birmingham, no Reino Unido, escutar música impulsiona o rendimento em atividades diversas. 
Imagens: reproduzida Internet.

sábado, 17 de outubro de 2015

Dia nacional da Música Popular Brasileira | saiba o motivo.

Hoje é comemorado o Dia Nacional da Música Popular Brasileira. A Lei conforme abaixo foi sancionada pela Presidenta Dilma em 2012, em homenagem a Chiquinha Gonzaga, nascida em 17 de Outubro de 1.847, a seguir:
A PRESIDENTA DA REPÚBLICA
Art. 1o Fica instituído, no calendário das efemérides nacionais, o Dia Nacional da Música Popular Brasileira, a ser comemorado no dia 17 de outubro – data natalícia da compositora e maestrina Chiquinha Gonzaga.
Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 9 de maio de 2012; 191o da Independência e 124o da República.
Um pouco sobre Chiquinha
"Ó abre alas" que eu quero passar!
Chiquinha Gonzaga (1847-1935) foi compositora, pianista e regente brasileira. Primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil. Autora da primeira marchinha de carnaval "Ó abre alas". Desde criança mostrou interesse pela música. Dedicou-se ao piano e compôs valsas e polcas. Separada do marido, dava aulas de piano e apresentava-se com o conjunto Choro Carioca, em festas domésticas, tocando piano. Seu primeiro sucesso, com 29 anos, foi a composição "Atraente", um animado choro. Se dedicou a musicar peças para o Teatro de Revista, sofrendo preconceitos, mas finalmente inicia sua carreira de maestrina com a revista "A corte na roça". Sua música faz grande sucesso e recebe vários convites de trabalho. Em 1885 Chiquinha Gonzaga tornou-se a primeira mulher maestrina brasileira. Quatro anos mais tarde, ela regeu, no Imperial Teatro São Pedro de Alcântara, um original concerto de violões, promovendo o instrumento que, na época, ainda estigmatizado.

Sua carreira ganha prestígio com a marcha-rancho "Ó abre alas" feita para o carnaval de 1899. A peça de teatro "Forrobodó", musicada por Chiquinha Gonzaga, e apresentada em um bairro pobre do Rio de Janeiro, torna-se um sucesso, atingindo 1500 apresentações. As músicas são cantadas por toda cidade. "Forrobodó" torna-se o maior sucesso teatral de Chiquinha e um dos maiores do Teatro de Revista do Brasil. A Compositora também lutou pelos direitos autorais, depois de encontrar em Berlim, várias partituras suas, reproduzidas sem autorização. É fundadora, sócia e patrona da SBAT - Sociedade Brasileira de Autores Teatrais, ocupando a cadeira nº 1. Além de seu inegável talento, era uma mulher ousada, personalidade própria, lutou contra o preconceito e o domínio da sociedade patriarcal na época. Sempre à frente do tempo, combateu a favor dos direitos de igualdades, denunciou o preconceito e, era apoiadora do movimento abolicionista, vendeu partituras suas de porta em porta para arrecadar fundos para a Confederação Libertadora. Comprou a alforria de diversos escravos, entre eles o músico José Flauta. Escandalizou a sociedade mais conservadora e moralista, viveu intensamente sua vida, e veio a falecer  no Rio de Janeiro, em 28 de fevereiro de 1935, aos 87 anos de idade. Sua obra considerada infindável, vasta e criativa, cheia de ritmos e gêneros  Composições de Chiquinha  e deixou um legado eterno, até hoje influenciada em diversos Artistas e novas gerações. Entre elas, Cris d`Avila - Cantora lírica e Intérprete nesta bela performance de Lua Branca. Assista:


Fontes: Internet: Domínio público e Sites  e-biografias      
Site Oficial 

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

ALMIR SATER FAZ SHOWS EM DOIS ESTADOS NESTE FIM DE SEMANA

Foto: Jota Eurípedes - Posse/ G0 ( 09/10/15)
O Compositor, Cantor e Instrumentista, o violeiro Almir Sater faz apresentações imperdíveis, em dois estados diferentes, neste final de semana. Hoje, sexta (16) o artista se apresenta em Minas Gerais, em Uberaba novamente. Sobe ao palco às 23h, para um show no restaurante de comida mineira 4S.

O Show com Almir Sater será open bar e a casa oferece Buffet completo, com atendimento diferenciado. Segundo organização do evento quase 100% de suas mesas esgotadas.

Com um toque de Midas, para onde passa o violeiro atrai grande multidão e fãs - tanto que volta à cidade, 4 meses depois do show realizado em Junho(09) passado, pelo “SESC no Parque” que foi sinônimo de grande sucesso. Depois a "Comitiva Esperança" segue em direção ao Estado de Goiás, na Capital de Goiânia direto para o palco no Centro Cultural Oscar Niemeyer. O Artista esteve na Capital, em 2013 (14/08) onde fez um show emocionante, para celebrar a 26ª Edição da Tradicional festa da Paróquia Nossa Senhora da Assunção, em louvor à padroeira - assista ao vídeo  onde o público torna a segunda voz do Artista, emocionante!

Os portões serão abertos às 22h e o show está programado para as 23h. Segundo notícias,  também está praticamente Esgotado. Para maiores Informações: (61)3931-0505 | 3091-3399

Sobre Almir Sater:

Foto: Cristiane Nogueira.
Com mais de 30 anos de sua carreira, entre os sucessos, não deverá faltar canções como “Tocando em frente”, “Chalana”, “Comitiva Esperança”, "Trem do Pantanal" e “um Violeiro Toca”, não deverão faltar na lista do Artista, assim como suas belas instrumentais, com seu toque de viola ímpar e diferenciado. O Músico é considerado um dos mais completos da Música Popular Brasileira. O seu estilo é focado no experimentalismo e sua música descrita como uma mistura de sons e ritmos, influenciados pelos artistas de sua geração. Agrega uma sonoridade tipicamente caipira da viola de 10 cordas, do folclore norte-americano, irlandês e influências da música inglesa e das fronteiriças com seu estado, como a paraguaia e andina, e os ritmos regionais como guarânias, polcas e chamamés. Também obteve grande destaque como ator nas novelas: "Pantanal" (1990), "Ana Raio e Zé Trovão" (1991), "O Rei do Gado" (1996) e "Bicho do Mato" (2006).