Loira do bem ∞ : 10/01/14

quarta-feira, outubro 01, 2014

Pitaco Filosofia: < Mundo desgovernado>



Imagem: Reprodução Internet. 

Sei que é humanamente e quase impossível compreender o porquê certos indivíduos agem com tamanha crueldade, e ficamos de cabelos literalmente em pé, quando deparamos com essas notícias com esse teor, seja a violência, guerras, conflitos, mortes.
Eu sempre me coloco a pensar o porquê também.  Se for pelo pensamento de Hobbes, o filósofo diria que o egoísmo faz parte de nosso comportamento, e que o homem é mau por natureza. Sendo imprevisível em seus atos, age por instinto e até mesmo por autopreservação.  
Somente a educação e cultura, os freios para conter esses impulsos naturais.  Um estado de paz é possível com uma sociedade civilizada. E isso funciona com o controle absoluto do Estado, que obriga os homens a respeitar as regras sociais para o bom convívio.
Um lugar sem governo está sujeito à baderna e a selvageria e o sobrepujo (de um sobre o outro, mais forte sobre mais fraco).
Enquanto Rousseau acredita que  o homem nasce bom e a sociedade o vicia, o corrompe. Dois pesos, duas medidas.  “Ou melhor, três, Locke “defende “ que no estado de natureza todos são iguais, apenas se diferencia pelas suas experiências”.
Enquanto para Hobbes,  o Estado é a garantia para nossa segurança, para Locke, é a garantia de coibir os excessos oriundos da liberdade individual de casa indivíduo.
É evidente que Hobbes era um ferrenho defensor da Monarquia, do estado absoluto. E que viver em sociedade, não estamos isentos de conflitos, mas que o Estado tem por obrigatoriedade garantir os três direitos fundamentais do indivíduo: a vida, a defesa da própria vida e a propriedade. Assim como temos Direito também deveres.
Neste ponto converge com Hobbes, “dever do cidadão não abrir mão de seus direitos”.  E Rousseau e Locke, defendem a liberdade e igualdade entre os homens.
O certo é que independente do que cada filosofia define a sociedade, costumes e comportamento humano, alarmante  é o aumento da convulsão social, um clamor “Salve-se quem puder”, como se o caminho que nos resta, é uma guerra civil.  E cada um ao seu modo equivocado, a torto e a direito, usa das “próprias mãos”, analogicamente falando, para fazer aquilo que considera como justo, sem discernimento ou até mesmo deixando a imparcialidade do lado. Uma verdadeira combustão, explosão de emoções não compreendidas. Eu prefiro acreditar que o ser humano, embora seja incompleto como pessoa, ainda busque por igualdade, discernimento e respeito para com sua vida e as dos outros. Se me perguntarem se eu tenho algum medo, respondo de forma direta: "de morrer e descobrir que em vida, nada fui mais que um déspota". 
Pesquisa: Internet. 

VIRADA CULTURAL CASCAVEL | OPTA POR SHOW DE QUALIDADE >ALMIR SATER


Evento terá ampla programação de 17 a 19 de outubro em palcos abertos e no Centro Cultural Gilberto Mayer
Em sua quarta edição, a Virada Cultural de Cascavel terá como show de abertura, dia 17 de outubro, o violeiro Almir Sater. A programação iniciará às 22h30, em frente à Prefeitura de Cascavel. Em caso de chuva, o show será transferido para o Ginásio Sérgio Mauro Festugatto. A novidade foi confirmada nesta manhã (13), durante o programa semanal de rádio, Falando com o Prefeito.
“Optamos por fazer nossa própria Virada Cultura, e queríamos um show de qualidade para abrir a programação para os cascavelenses”, define o prefeito Edgar Bueno.
A Virada Cultural começa no dia 17 com o show de Almir Sater e segue até as 19 horas do dia 19 de outubro. A programação envolverá muita dança e música, apresentações do Projeto Colenda e Transformar, oficinas no Centro Cultural Gilberto Mayer, apresentações artísticas em palco aberto de artistas e grupos locais.
Também haverá apresentações de escolas/estúdios e companhias de dança de Cascavel e da região, assim como o Rokão, acústico, com pelo menos dez bandas de rock.


“Temos uma programação alinhavada e todos os artistas interessados em participar podem nos procurar, na Secretaria de Cultura, para incluirmos na programação”, destacou o secretário de Cultura, Valdecir Nath.
A Virada terá um investimento de recursos próprios de aproximadamente R$ 100 mil. O objetivo é promover a maior quantidade possível de apresentações, todas elas gratuitas, em quase 48 horas ininterruptas de atividades culturais.

Sobre Almir Sater
Almir Sater é um exímio violeiro, compositor, cantor e instrumentista brasileiro, nascido em Campo Grande/MS, em 14 de novembro de 1956. Desde 12 anos já tocava viola, gostava do mato e dos sons da natureza. Aos 20 anos mudou-se para o Rio de Janeiro, para estudar Direito, mas desistiu motivado inicialmente por escutar no Largo do Machado, uma dupla tocando viola caipira, onde dedicou ao seu estudo, tendo Tião Carreiro, como mestre.
Retornou a Campo Grande, porém, fascinado pelo instrumento, resolveu ir para São Paulo e dedicar-se na carreira solo. Em 1981 gravou seu primeiro disco "Estradeiro", dando o início de sua trajetória musical, até os dias atuais.
Fez parte da geração "Pratas da Casa" no início dos anos 80, um movimento que juntou os maiores expoentes da música sul-mato-grossense. Com mais de 30 anos de carreira e dez discos- solos gravados, é considerado um dos artistas mais completos, graças ao seu virtuosismo na viola. Reprodução: Prefeitura Municipal de Cascavel. 

Serviço:
Almir Sater e banda

Data: 17| 10| 14 - sexta-feira.
Cidade: CASCAVEL/ PR -

Virada Cultural de Cascavel 2014
Horas: a partir das 22h30.
Local: em frente à Prefeitura de Cascavel.
Entrada: Gratuita.
Nota: Em caso de chuva, o show será transferido para o Ginásio Sérgio Mauro Festugatto.