domingo, novembro 02, 2014

Pitaco Leitura: IdenTIdAde HUMAnA (uM novo olhar sobre a vida)

“Palavra puxa palavra, uma ideia traz outra, e assim se faz
um livro, um governo, ou uma revolução, alguns dizem que
assim é que a natureza compôs suas espécies.” Machado de Assis.
Imagem: Internet.
O Prêmio nobel de Literatura Hermann Hesse, em seu livro O lobo da estepe, de maneira magistral explica a dUPLA idEnTidAdE dO SER HUMAnO: gregário por um lado e rebelde por outro.
“Harry é uma pessoa, também chamada de o lobo da estepe. Andava sobre os dois pés, levava roupas e era um homem, mas no fundo era, na verdade, um lobo da estepe.
Havia aprendido muito do que as pessoas com bom entendimento podem aprender e era um homem muito inteligente. Mas não havia aprendido uma coisa: estar satisfeito consigo mesmo e com a sua vida. isso ele não pôde conseguir.”Talvez isso derivasse do fato de que no fundo do seu coração soubesse (ou acreditava saber) que não era realmente um ser humano, mas um lobo da estepe. O ser humano é um animal, com origem características da liberdade da natureza (que nunca nos julgava e se beneficiava do natural), que necessitou viver em matilha para defesa própria e da espécie, mesmo sem saber viver respeitando seu grupo social. No processo de humanização, esse ser natural tornou-se o “homem da caverna”, e agora colocaram nesse homem natural um outro homem, que se diz civilizado, para conviver com diferentes sentimentos, instintos e aprendizados. Foi estabelecido um conflito que nunca mais iremos conseguir entender – até por falta de real interesse – e nos libertar.

A maioria das pessoas não sabe de nada do que acontece na sociedade onde vive e nem sabe que não sabe. Ou, quando sabe que não sabe, prefere continuar não sabendo, por comodidade, acreditando assim não precisar se transformar, esquecendo que tudo se transforma, mesmo não querendo se transformar. ninguém consegue ser o mesmo o tempo todo, pois dependemos sempre das circunstâncias. Essa luta entre o homem e a besta é um desafio constante, até insano, às vezes. Onde se misturam: realidade, imaginação e sensações. Por isso, olhando bem de perto, ninguém é normal (já sugeria a canção de Caetano).
Somos uma besta coberta por uma sensível camada de educação, ou um homem civilizado com resquícios naturais de uma besta?

SOMOS GREGáRiOS POR nECESSidAdE... REBELdES POR VOCAÇÃO.
Imagem: Anatol Knotek
O homem, antes de ser “aquele que sabe” (homo sapiens), sempre teve uma história interessante de relacionamento com o lobo. Há significativos registros históricos, até retratados no cinema, no filme Dança com lobos, de Kevin Costner. Manter o lobo interior possibilita-nos enfrentar sozinhos as nossas dificuldades e refugiar-nos em nossa própria força interior, que deve ser  desenvolvida e aprimorada. Schopenhauer
disse: “O que temos dentro de nós é essencial para a felicidade humana”.

Saber que precisamos estar dentro da matilha é um fato importante, como proteção e aprendizado, mas procurando, nunca nos tornarmos uma cópia de alguém (os outros podem nos servir apenas como exemplo), mesmo porque quem permanece é o original. de vez em quando, necessitamos estar só, separados do grupo, para refletirmos e buscarmos nos tornar pessoas originais. Somente assim conseguimos viver as duas vidas que se completam entre si: GREGá-RiOS e REBELdES. ninguém é só bonzinho. não podemos ser escravo da própria identidade, portanto, toda vez que surgir uma oportunidade de mudança, é preciso pensar para aceitar, se transformar e mudar, mantendo
os princípios fundamentais.
A identidade humana tem como principal característica a singularidade, e, pensando na individualidade das pessoas, podemos concluir que todo indivíduo é ao mesmo tempo
indivíduo e humano. O que possibilita cada um ser diferente dos outros e, ao mesmo tempo, sermos tão parecidos uns com os outros. Existem bilhões de pessoas, que podem
ser agrupadas em pouco mais de meia dúzia de histórias.
“O que reúne e atraí as pessoas não é a semelhança ou identidade de opiniões, senão a identidade do espírito, a mesma espiritualidade ou maneira de ser e entender a vida.”
(Marcel Proust)

Trecho do Livro: Copyright© 2014 por Sergio Mingrone Título Original: Palavras sinceras sobre medo - desejos -  conquistas - prazeres (Um novo olhar sobre a vida).