segunda-feira, setembro 15, 2014

Pitaco Poesia: Esfinge.



Revesti-me de mistério
Por ser frágil,
Pois bem sei que decifrar-me
É destruir-me.
Por ser mulher e pássaro
E leoa,
Tendo forjado em aço
As minhas garras,
É que se espantam
E se apavoram. 
por Myriam Fraga | Trecho do poema A Esfinge.| De O Risco na Pele (1979).
Imagem: Google

Nenhum comentário: