Loira do bem ∞ : 11/20/13

quarta-feira, novembro 20, 2013

—Ser bom não é ser bobo —

Ser bom não é ser bobo — por Anderson Coutinho -
Algumas pessoas, acabam por se colocar em situações difíceis que inicialmente não teriam razão de ser. Consideram que ser uma pessoa boa, significa se sujeitar aos escárnios. É certa a necessidade que temos de suportar dores, tolerar impropérios, sofrer com as mazelas, necessidades e carências das pessoas que convivem conosco, seja no lar, entre enamorados, noivos, casados, no trabalho - diante de funcionários difíceis ou chefes irascíveis - entre os amigos e no meio social que vivemos e com tudo isso, nos aperfeiçoarmos como seres humanos em busca de uma condição moral mais valorosa. Indispensável ter a paciência, a resignação, renunciar clamores pessoais da vaidade, do orgulho e de todas as fraquezas características de um mundo de provas e expiações.
Mas é inexorável a necessidade que temos de não adotarmos essa postura diante da maldade gratuita ou dos que pretendem aproveitar-se de nossa bondade para cometerem perversos abusos, sejam de ordem física, moral, judicial ou de qualquer natureza.
O problema é que diante da bondade, a primeira tendência dos maus é considerar que o interesse das pessoas em se tornarem melhores, é um interesse insincero, crendo que ninguém é capaz de ser tão bom se não houver por trás disso uma intenção que o beneficie de alguma forma. A segunda tendência é a de se aproveitar da bondade alheia, levando ao extremo a resistência do outro. E sentem-se de certo modo seguros, porque sabem que os princípios da bondade e da fraternidade sempre falarão mais alto no coração de quem assumiu o papel de agir no bem.
Esse é o equívoco na conduta dos bons, que acabam por dispensar a previdência e não raro, tornam-se joguetes nas mãos dos aproveitadores perniciosos.
É preciso que saibamos nos guardar da devastação gratuita, mesmo que os maus considerem que sempre seremos bobos apenas porque nos dispomos a sermos bons; mas ser bom não significa ser bobo. Vou mais além: ser bom não significa ser parvo; ser bom é sim uma virtude que alguns parvos não compreendem.
A bondade deveria ser entendida como o altruísmo de dedicar uma parte de nós mesmos, de nosso tempo e recursos, para a sociedade, uma causa, um ideal ou uma pessoa. Mas para os desprovidos dos princípios elevados e do entendimento de que a vida é uma troca - recebemos o que damos - ser bom significa ser passível de ser enganado por alguém que utiliza - consciente ou inconscientemente - nossa boa vontade em benefício de si mesmo.
Daí a importância de nos mantermos no caminho do bem -mas sem sermos bobos- fugindo às aquiescências para os perversos.
Defendamos nossa cooperação no bem, ATÉ O FIM!

— Marketing Digital: Profissional de Mídia Social | uma nova profissão

Você já pensou e parou para analisar que faz um "analista de mídia social" ?
Há um pouco mais de dois anos, uma nova profissão surgiu no Brasil impulsionado pelo fenômeno de audiência gerado pelos blogs, Orkut, YouTube, Twitter, Facebook e companhia limitada. Trata-se do analista em mídias sociais. A grosso modo, é um profissional capaz de analisar tendências e ficar antenado com as principais discussões que são repercutidas ou criadas pelos internautas. Mas não é só isso que um analista de mídia social faz. Geralmente, ele cria campanhas publicitárias dirigidas exclusivamente para internet, ou melhor: nas chamadas redes sociais.Um analista de mídias sociais é um profissional que pode trabalhar em agências de publicidades, empresas ou até mesmo por conta própria prestando consultoria e Assessoria. 
Tudo depende da criatividade do analista e da sua percepção de ficar constantemente de olho em tudo que acontece nos sites de relacionamentos.Nem sempre um analista de mídias sociais é, necessariamente um blogueiro, ou um internauta influente nas redes sociais.  Mas apesar de ser um mercado promissor, um analista de mídias sociais precisa também de muita organização e ser uma pessoa antenada, como lembra Gustavo Schmitz, da RIOT. “É um trabalho bastante cansativo, porém muito divertido".

 O trabalho é dividido em quatro etapas: planejamento, conteúdo, redação e atendimento. 
Em termos práticos, primeiro, atendimento. Na sequência, o planejamento desenvolve a estratégia de divulgação. Uma vez aprovada, o conteúdo fará o contato com os blogueiros e os redatores farão a divulgação nos demais núcleos sociais. — fonte google.

— Resumindo um analista, é um bom camarada, que rastreia, filtra, e coloca num mesmo lugar, tudo que se fala sobre a marca ou um produto, a fim de destacar, atrair, conquistar e fidelizar, compradores e consumidores.—