Loira do bem ∞ : Dezembro 2013

terça-feira, dezembro 31, 2013

— Feliz Ano Bom o Ano Todo \0/ — Meu desejo a todos!


 
 — Eu gostaria de ir um a um,  todos os que estão atrelados ao meus Perfis, Blog, Facebook, Orkut, Twitter, Youtube..seguidores extras,  para deixar uma mensagem, mas certamente, o suporte do seu "feice", não permitirá, vai bloquear por spam e não quero correr o risco, porque eu gosto muito de estar aqui, entre vocês: — iguais, diferentes, famosos, comuns, não importa... eu gosto de Gente!.
— e para não negar a caracteristica aquariana, que tem como ponto forte, o amor e fraternidade Universal, envolvo todos num mesmo Abraço!!!
— Agradecida pelo ano todo!. —Que todas as mágoas, ressentimentos, perdas, frustrações, fracassos, não sejam maiores que as nossas vitórias, as metas, os sonhos, a paz, e a nossa Vontade! de ousar, vencer, e continuar!
— Sim, há dois caminhos que você pode seguir, mas na longa caminhada
Ainda há tempo de mudar o caminho que você segue! "Stairway To Heaven" by — Led Zeppelin.
PS: e Se os 2 caminhos se fecharem, vamos com 2 pés até encontrar uma nova passagem !hehehe!. \0/... O Futuro é logo ali...vem ...
Fotografia: signo Aquário - Google

segunda-feira, dezembro 30, 2013

Pitaco Filosófico: A arte de Agradar

A arte de Agradar reina em nossos costumes, uma vil e enganosa uniformidade, e todos os espíritos parecem ter sido jogados num mesmo molde; a polidez continuamente exige, o bom tom ordena, continuamente seguimos os costumes, jamais nosso gênio próprio. Não mais ousamos parecer o que somos; e nesta perpétua coerção, os homens que compõem esse rebanho a que chamamos sociedade, colocados na mesma circunstância, farão todas as mesmas coisas, se motivos mais potentes não o impedirem.
Jamais, portanto, saberemos com quem estamos tratando; será preciso, pois, para conhecer o amigo, aguardar as grandes ocasiões, ou seja, aguardar que não haja mais tempo, pois é justamente para estas ocasiões que seria essencial conhecê-lo.
Que cortejo de vícios não acompanhará tal incerteza? Não mais haverá amizades sinceras; não mais estima real; não mais confiança fundada. Esconder-se-ão as suspeitas, as desconfianças, os temores, a frieza, a reserva, o ódio, a traição sob este véu uniforme e pérfido da polidez, sob essa urbanidade tão valorizada. Não mais se realçará o mérito próprio, mas se rebaixará o dos outros.
Não se ultrajará grosseiramente o inimigo, mas será habilmente caluniado. Haverá excessos proscritos, vícios desonrados, mas outros serão decorados com o nome de virtudes, não vejo aí senão o refinamento de intemperança tanto mais indigno do que meu elogio quanto a sua artificiosa simplicidade. Assim é que nos tornamos gente de bem.
—Jean- Jacques Rousseau - em Discurso sobre as Ciências e as Artes. Discurso sobre a Origem e os Fundamentos da Desigualdade entre Homens.
Fotografia: Blog Google.

quinta-feira, dezembro 26, 2013

Receita de ano novo - Por Carlos Drummond de Andrade.

Para você ganhar belíssimo Ano Novo cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido (mal vivido talvez ou sem sentido).
para você ganhar um ano não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens? passa     telegramas?)
Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre. 


"A mudança só ocorre quando é impulsionada por uma força maior que a resistência que ela encontra. Somente mudamos quando somos movidos por uma grande energia motivadora; coisas como uma profunda insatisfação, indignação, tédio ou uma poderosa tomada de consciência." (Marcelo Campos, personal coach e professor de Educação Financeira na EGDS)

terça-feira, dezembro 24, 2013

SÓ DE SACANAGEM





















Meu coração está aos pulos!
Quantas vezes minha esperança será posta à prova?
Por quantas provas terá ela que passar?
Tudo isso que está aí no ar, malas, cuecas que voam
entupidas de dinheiro, do meu dinheiro, que reservo
duramente para educar os meninos mais pobres que eu,
para cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus
pais, esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e
eu não posso mais.
Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança
vai ser posta à prova? Quantas vezes minha esperança
vai esperar no cais?
É certo que tempos difíceis existem para aperfeiçoar o
aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus
brasileiros venha quebrar no nosso nariz.
Meu coração está no escuro, a luz é simples, regada ao
conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e
dos justos que os precederam: "Não roubarás", "Devolva
o lápis do coleguinha",
" Esse apontador não é seu, minha filhinha".
Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido
que escutar.
Até habeas corpus preventivo, coisa da qual nunca
tinha visto falar e sobre a qual minha pobre lógica
ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao
culpado interessará.
Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do
meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear:
mais honesta ainda vou ficar.
Só de sacanagem!
Dirão: "Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo
o mundo rouba" e eu vou dizer: Não importa, será esse
o meu carnaval, vou confiar mais e outra vez. Eu, meu
irmão, meu filho e meus amigos, vamos pagar limpo a
quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês.
Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o
escambau.
Dirão: "É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde
o primeiro homem que veio de Portugal".
Eu direi: Não admito, minha esperança é imortal.
Eu repito, ouviram? IMORTAL!
Sei que não dá para mudar o começo mas, se a gente
quiser, vai dá para mudar o final!   
Poema by Elisa Lucinda.

sábado, dezembro 21, 2013

Novidades! Novidades! abre as asas sobre nós em 2014!

Foto: Novidades! Novidades! abre as asas sobre nós ! . Estamos no final do ano, vá em paz 2013, que venha logo 2014,  o número 7  para elevar a enérgia cósmica, afinal o Sete  é o número da Transformação. O número SETE é sagrado, perfeito e poderoso, afirmou Pitágoras, matemático. E que assim seja, assim é, assim será! Que venha a força transformadora em ações e intenções nobres!
Estamos no final do ano, vá em paz 2013, que venha logo 2014, o número 7 para elevar a enérgia cósmica, afinal o Sete é o número da Transformação. O número SETE é sagrado, perfeito e poderoso, afirmou Pitágoras, matemático. E que assim seja, assim é, assim será! Que venha a força transformadora em ações e intenções nobres!
 Coincidência do Número 7
O número SETE é com certeza o mais presente em toda filosofia e literatura sagrada desde os tempos imemoriais até os nossos dias. O número SETE é sagrado, perfeito e poderoso, afirmou Pitágoras, matemático e Pai da Numerologia. É também considerado um número mágico. É um número místico por excelência. Indica o processo de passagem do conhecido para o desconhecido.
Na Europa Medieval dava-se muita importância aos grupos de sete:
Havia SETE dons do Espírito Santo, representados na arte gótica em forma de Pomba;
SETE eram as virtudes;
SETE eram as artes;
SETE as ciências;
SETE eram os sacramentos;
SETE pecados capitais; e
SETE pedidos expressos no Pai Nosso.
Outras “coincidências” (?) em relação ao SETE: São 7 as notas musicais, foram 7 as pragas do Egito, são 7 os Arcanjos, são 7 as obras de misericórdia. 7 são os níveis de densidade da matéria que nos envolve. O arco-íris tem 7 cores. Nossas células todas mudam de 7 em 7 anos. Temos 7 glândulas endócrinas. São sete os nossos chacras. Os 7 dias da semana também marcam profundamente nossos ritmos.


os ciclos de vida de sete em sete anos.
A cada sete anos encerramos um ciclo de vida e entramos noutro. Todas as grandes mudanças ocorrem entre o final de um ciclo e o início de outro.

Até os 7 anos a criança é INOCENTE.A partir daí, até os 14 anos, ela aprende a ser esperta, a fazer jogos, a usar máscaras. Aos 14 anos desabrocha a sexualidade e ela se interessa pelo outro. Uma nova visão de vida surge e ela começa a sonhar e a fantasiar.

Com 21 anos surge a necessidade de ser poderoso: ter mais dinheiro, tornar-se famoso, conquistar prestígio.

Aos 28 anos ela começa a se assentar, a pensar em segurança, conforto, conta bancária.

Chegando aos 35 anos novamente uma mudança começa a acontecer. Surgem considerações sobre o significado da vida, da morte e entra o medo. É também a idade onde algumas doenças começam a se manifestar.

Com 42 anos uma pessoa começa a ficar religiosa. Agora, a morte e o significado da vida, não são mais só assuntos intelectuais e ela começa a ser dar conta que se quiser realmente quisermos fazer algo, é bom começar logo. Com 42 anos a pessoa precisa de alguma religião, assim como aos 14 ela necessitava um relacionamento sexual.

Ao chegar aos 49 anos ela se assenta em relação à religião. Ela já encontrou algumas respostas que vão além do mundo material e objetivo. Com 56, se as coisas ocorrerem naturalmente e a pessoa seguir seu ritmo, ela começa a ter alguns vislumbres do divino.

Com 63 anos, se tudo continuar seu curso natural, ela terá seu primeiro “satori” – compreensão, iluminação. E se isto acontecer nessa idade, ela poderá ter uma morte bonita, pois ela será uma porta para o divino.

A cada sete anos o corpo chega a um ponto aonde o velho vai e o novo se assenta e há um período transitório. Nesse período TRANSITÓRIO, tudo é LÍQUIDO. Se você quiser que alguma nova dimensão penetre em sua vida, este é o momento preciso! Quando as coisas são líquidas, a transformação é fácil.

Dentro dos grandes ciclos do mundo, nós estamos vivendo esse período TRANSITÓRIO, onde tudo é LÍQUIDO. Velhos códigos e mandamentos tornaram-se inúteis e novos padrões ainda não estão assentados.
Este é, portanto, um período onde grandes mudanças podem ocorrer, novos rumos podem ser tomados e toda a humanidade está se dando conta disso.
Fonte: site numberseven/restaurante.

quarta-feira, dezembro 18, 2013

Administração e Marketing: "roube como um artista"


Copiar, você sabe, também é uma forma de criar. Um bom roubo dá créditos. Honra o trabalho original. Não imita; transforma. É o que diz o escritor americano Austin Kleon no livro Steal like an artist (Roube como um Artista, ainda sem tradução para o português), em que lista 10 coisas que ninguém te contou sobre ser criativo.
_ Steal like an artist (roube como um artista)
_ Don’t wait until you know who you are to get started (Não espere até você saber quem é você para começar)
_ Write the book you want to read (Escreva o livro que você quer ler)
_ Use your hands (Use suas mãos)
_ Side projects and hobbies are important (Projetos paralelos e hobbies são importantes)
_ The secret: do good work and share it with people. (O segredo: faça um bom trabalho e compartilhe com as pessoas
_ Geography is no longer our master. (Geografia não é mais o nosso mestre)
_Be nice. (The world is a small town.) (Seja legal: o mundo é uma cidade pequena)
_ Be boring. (It’s the only way to get work done.) (Seja chato: é a única forma de começar o trabalho já feito.)
_ Creativity is subtraction. (criatividade é subtração)
 
Bons artistas copiam, grandes artistas roubam”. Pablo Picasso

Austin Kleon, traduziu e explorou muito bem o significado dessa frase de Picasso, em seu livro “Steal like an Artist” (Roube como um Artista).
Não é um roubar no sentido de tirar do outro, mas no sentido de tomar para si, de tonar aquilo para da sua obra, parte de você, sua fonte de inspiração.
“Quando duas pessoas se cruzam e trocam seus cavalos, cada uma vai para casa com um cavalo; quando elas se cruzam e trocam suas ideias, cada uma vai para casa com duas ideias.” Provérbio chinês,
Um dos pontos do livro é que Nada Vem do Nada, e e se todo trabalho criativo surge do que existiu antes, Nada é Totalmente Original.

Artistas são colecionadores não acumuladores, eles colecionam somente aquilo que gostam de verdade e, por isso,  Kleon que você tenha um caderno de anotações para guardar tudo aquilo que te inspira. Inspire-se por aquilo que fala a tua alma.
Steve Jobs diz melhor do que ninguém: ”Exponha-se para as melhores coisas que seres humanos já fizeram (suas obras)”

Kleon sugere também que você crie sua árvore de inspiração com fotos e obras de seus heróis e que aprenda sobre eles e também sore quem os inspirou. Colete tudo e transforme em algo novo. Mas, seja como um curador e saiba o que deixar de fora.

Lembre-se que você é tão bom quanto as pessoas que te rodeiam. Por isso rodeie-se de pessoa brilhantes. Você é uma combinação de tudo que faz parte da sua vida.

Você pode fingir ser até que seja de verdade. Pode copiar até encontrar-se. Grandes bandas, por exemplo, começaram como covers de outras bandas. Grandes esportistas inspiram suas jogadas em outros, e misturam e adaptam à seu novo e próprio estilo. Mas não imite superficialmente, busque compreender a essência e o que está por detrás do trabalho do artista.
“Não escreva o que sabe, escreva o que gosta.
Escreva os Livros que quer Ler;
Desenhe a Arte que quer Ver;
Comece o Negócio que quer Administrar;
Toque a Música que quer Ouvir;
Crie os Produtos que quer Usar;
Faça o trabalho que quer Feito;”

resenha do Livro:
Você não precisa ser um gênio, só precisa ser você mesmo. Essa é a mensagem de Austin Kleon, um jovem artista convicto de que a criatividade está em toda parte e é para todos. Baseado em uma palestra feita pelo autor na Universidade do Estado de Nova York que em pouco tempo se viralizou na internet, Roube como um artista é um manifesto ilustrado sobre como ser criativo na era digital.

Nada é original, portanto entregue-se à influência. Eduque-se através do trabalho dos outros. Siga seus interesses para onde quer que eles possam levá-lo - o que hoje parece um hobby pode ser transformar no trabalho de sua vida. E esqueça o velho clichê de escrever sobre o que você conhece: escreva o livro que você quer ler, faça o filme que deseje assistir.

Por fim, mantenha-se antenado, fique longe das dívidas e aceite o risco de ser chato em seu dia a dia, garantindo assim o espaço necessário para a ousadia, o improviso, a imaginação. A partir de princípios práticos e inspiradores, Roube como um artista coloca os leitores em contato direto com seu lado artístico.
Fontes: Resenha do Livro: Site Submarino.
Textos: André Faria Gomes (@andrefaria) é Sócio-Diretor de Produtos e Tecnologia na Bluesoft em São Paulo e Associated Trainer na Adaptworks blog andrefaria.com
e Site: baixacultura.org

terça-feira, dezembro 17, 2013

O que eu amo: Led Zeppelin "In My Time Of Dying"



"In My Time Of Dying" Na Hora Do Meu Fim
Na hora do meu fim, não quero ninguém de luto
Só o que eu quero que faça, é levar meu corpo para casa
Bem, bem, bem, para que assim eu morra sossegado
Bem, bem, bem, para que assim eu morra sossegado

Jesus fará a minha cama final
Venha a mim Jesus, venha a mim venha a mim no meio do espaço
Se minhas asas falharem, Senhor,
Por favor venha a mim com um novo par

Bem, bem, bem, para que assim eu morra sossegado
Bem, bem, bem, para que assim eu morra sossegado
Jesus o fará, alguém, alguém
Jesus o fará, Jesus o fará a minha cama final

Oh, São Pedro, nos portões do céu, deixe-me entrar
Eu nunca fiz mal algum, eu nunca fiz nada errado
Oh Gabriel, deixe-me tocar sua trombeta, deixe-me tocar sua trombeta
Oh, eu nunca fiz, nunca fiz mal algum

Eu só fui jovem assim uma única vez
Eu nunca pensei que faria mal a alguém nenhuma vez

Oh, eu fiz bem a alguém
Algo bem a alguém
Oh, eu fiz bem a alguém
Eu devo ter feito bem a alguém

E eu os vejo nas ruas
E os os vejo no campo
E eu os escuto, gritando aos meus pés
E eu sei que esta é a realidade

Oh, Senhor, livrai-me
Tudo de mal que eu fiz
Podes livrar-me, Senhor
Eu só queria um pouco de diversão

Escute os anjos marchando, escute as marchas escute eles marchando
Escute eles marchando, as marchas

Oh meu Jesus, oh meu Jesus
Oh meu Jesus, oh meu Jesus
Oh meu Jesus, oh meu Jesus
Oh meu Jesus, oh meu Jesus

Oh, não faças a minha morte, morte, morte?
Tradução: Site  Letra.mus.br

sexta-feira, dezembro 06, 2013

Cântico negro


"Vem por aqui" — dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...
A minha glória é esta:
Criar desumanidades!
Não acompanhar ninguém.
— Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe
Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...
Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...
Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.

Como, pois, sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...

Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tetos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...
Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém!
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou,
É uma onda que se alevantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!


José Régio
, pseudônimo literário de José Maria dos Reis Pereira, nasceu em Vila do Conde em 1901. Licenciado em Letras em Coimbra, ensinou durante mais de 30 anos no Liceu de Portalegre. Foi um dos fundadores da revista "Presença", e o seu principal animador. Romancista, dramaturgo, ensaísta e crítico, foi, no entanto, como poeta. que primeiramente se impôs e a mais larga audiência depois atingiu. Com o livro de estreia — "Poemas de Deus e do Diabo" (1925) — apresentou quase todo o elenco dos temas que viria a desenvolver nas obras posteriores: os conflitos entre Deus e o Homem, o espírito e a carne, o indivíduo e a sociedade, a consciência da frustração de todo o amor humano, o orgulhoso recurso à solidão, a problemática da sinceridade e do logro perante os outros e perante a si mesmos.
Fonte: Releituras.
Fotografia: google.