quinta-feira, abril 25, 2013

Eu quero mais, e você?



Em todas as encruzilhadas da vida é necessário saber o que, como,quando e onde, se pode fazer alguma coisa para mudar, superar, revidar ou mesmo assimilar.
Aceitar os contrapontos aos quais estamos submetidos pela nossa condição de viventes, humanos, cidadãos, membros, eleitores, clientes, estranhos, estrangeiros, pobres ou ricos, intelectuais ou analfabetos, gordos ou magros, participantes ou omissos, vítimas ou réus, entre mil outras facetas que a vida em sociedade nos impõe.
Podemos apenas aceitar o sistema no qual fomos introduzidos e, pacíficos e cordatos, conviver com as estruturas e limites que ora possuímos, ainda que esta atitude corrompa o nosso íntimo e comprometa a nossa esperança.
Ou podemos também utilizar dos instrumentos e ferramentas disponíveis para exercer nossa vocação de inconformismo, para pacificar o nosso lar, para valorizar o nosso ambiente de trabalho, para mudar o nosso meio social, para ampliar o limite de nossas aspirações e, afinal, descobrir que tudo podemos, apenas porque queremos. E fundamental conhecer, diferenciar, avaliar, confiar e agir.

Talvez não seja o caso de toda a humanidade, mas, pelo menos alguns poucos seres terrenos deverão postar-se no alto de suas próprias convicções e poder gritar, em alto e bom som:·.
'À partir deste minuto eu serei uma referência universal pelos meus pensamentos, atitudes e realizações, porque depois de pesquisar, estudar, avaliar, conhecer, entender e compreender,
“Eu sei o que, como, quando e onde, se pode fazer alguma coisa para construir uma meta, realçar a vida, alterar o futuro, procurar a felicidade e, quiçá, reescrever a história, apesar de tudo.”
Fonte: by Danilo Santana –Para ler na íntegra:  http://www.danilosantana.com.br/v1/euqueromais.asp