terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

As lições de um maestro

 "Para mentes modernas e inovadoras, menos para gente estúpida e sem noção de corporativismo e sinergia".
"Se você tem uma maçã e eu tenho uma maçã e trocamos estas maçãs teremos ainda apenas uma maçã, mas se eu tenho uma ideia e você tem uma ideia e trocamos nossas ideias então cada um de nós terá duas ideias."[ by Bernard Schaaw].


"Se um governo vai bem, se uma empresa vai bem, se uma federação vai bem, todo mundo fala que funciona como uma orquestra.
Se um presidente, um governador acha que existe uma campanha contra ele, ele fala que há uma orquestração.
Se um time de futebol joga bem, todo mundo fala que está jogando com música. E isso não é uma terminologia que se usa somente no Brasil.
Então, se numa empresa você vê que todos os departamentos estão se ajudando, você diz que é uma empresa que trabalha com harmonia.
Você tem na orquestra o exemplo de uma empresa que, se todos não funcionarem em razão de um ideia, em razão de um objetivo, se todos eles não tiverem uma meta objetiva, a empresa acaba, aos poucos, perdendo a sua razão de ser.
Você não pode ter um departamento de marketing que, por exemplo, fica jogando contra o financeiro, ou um presidente que não é um maestro capaz de criar harmonia entre os departamentos.
Não adianta um querer se destacar por vaidade pessoal, se todos não trabalharem em conjunto.
Isso você pode entender por um time de futebol. Se um jogador só pensar individualmente no seu ego e quiser fazer tudo sozinho, ele pode ser o maior craque do mundo, mas não vai funcionar.
Ele, mesmo sendo uma pessoa genial, tem que trabalhar harmonicamente com o resto do time. Por isso eu digo que uma orquestra é um exemplo para uma empresa, para um governo, para uma federação, para uma delegação esportiva, para tudo. Porque uma orquestra é símbolo de harmonia. — Maestro João Carlos.