quinta-feira, outubro 11, 2012

Pitaco by Loira do Bem "Libertando a Criança Feliz de dentro de nós"


Pitaco by Loira do Bem "Libertando a Criança Feliz de dentro de nós"

 Boa Tarde, galera do e de Bem ! -
Aqui véspera de feriado, o trem tá quente por aqui que só....se bobear até dói o dente da  
gente.. hehehe... Amanhã dia da criança, mas está liberado desde agora, deixar aflorará-la
e livre dentro de nós..
Ah, se eu pudesse ia entrar dentro de um livro de cordel, de literatura encantada e encaixotada, não mais sair de lá ir direto para o tempo que não volta atrás e de volta ser a criança que um dia eu fui, onde vizinhos nos tratavam como filhos, e todos cuidavam um aos outros, de calçada de pedregulho, que no salto fazia barulho, e como equilibrista,

E, com ares de bailarina sem perder a ginga, girando sem parar, como num carrossel, a cantar, bailar e sonhar andar pelas ruas e agora descalça, sem se importar com os modos, ouvir o apito do trem fazer côro para o relógio da praça, que junto com o sino da matriz a badalar e nos lembrar que é hora de rezar, e neste dim dom, dom dim...

E neste badalo musical, eu fico a esperar que quando a missa acabar, é na praça que eu vou estar e passando de barraquinha em barraquinha, até nos doces chegar

Porém, antes , curiosa que eu sou, vou olhar o relojoeiro a girar a manivela que me dirá:" confira, participe e hoje é seu dia, o da "boa sorte", e enquanto ela( manivela) girar, nada va acabar e começo a sonhar e pulando de um lado "pro" outro, me lambuzar nos doces, feitos de açucar e com afeto, como as vovós fazem para os netos,

..algodão doce rima com infância "delicodoce", pipoca com "engenhoca", pirulito colorido com "divertido", balão com verão, quebra queixo rima com "remeleixo", de tanto morder, quebra "o dente e cuidado voce pode ficar no "desleixo", e sem eixo, quando passar pela barraca do beijo, o menino não vai sentir desejo.


E ainda tem a maçã do amor, mas que não me rime com " dor", que lembra de bruxas mas das malvadas, aquelas de "verruga" na cara ....que sempre, vem para estragar os contos de fadas e das cinderelas que só querem sonhar, mesmo que o príncipe seja o sapo que mora ao lado, e nos faz acordar, para a realidade feia, sem graça e sem praça, a vida de adulto outra vez, sem fantasia, duelando com o corre corre do dia a dia, cheia de "issos", compromissos e deixa disso, contas a pagar, sapos a engulir, relacionamentos a administrar,


Nesta ciranda da vida que sobe e desce, gente que vai e vem, que às vezes, nem sabemos por que vem e deveriam ir e muitas vezes os que vão, deveriam ficar ...tempos idos que não voltam mais.. e o encanto se foi... o relógio párou, a praça sumiu, os doces acabaram, o apito cessou, o sino não bate mais, os vizinhos se trancaram em grades, desconfiados e as bruxas saíram dos contos e  assombram nossa realidade, vivem da mentira, dissimulação e falsidade, que rima com sem noção, ó não.. 


e, o relojoeiro feliz, que fazia tudo girar feito carrossel, voltou encantado para dentro dos livros para não mais voltar mas sopram os bons ventos que os sonhos não envelhecem jamais ! .. Nas palavras de Nietzche, que me faz pensar...


"A vida mais doce é não pensar em nada".....então vamos  continuar a sonhar !---
E eis, que neste turbilhão de ideias e lembranças, do nada, de repente, o que era quente, se transforma em água,  os mensageiros dos ventos em minha janela, na varanda, a agitar e sem parar, vem em dim dom dom dim  anunciar, que uma chuva repentina está a calhar  e sem lembrar da adulta que sou, saio correndo pelas escadas, descalça, com o vestido ao avesso, sem notar antes, me coloco a rodopiar, girar feito uma bailarina a sonhar, e neste gotejar dos pingos bem vindos da chuva, a me renegizar e com esse cheiro de terra molhada, os respingos de chuva em mim,  me deixo levar e  liberar a criança feliz, livre e rebelde que sempre há de existir em mim...
. “Ás vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido ...By Fernando Pessoa.