Loira do bem ∞ : Junho 2012

sábado, 30 de junho de 2012

Pitaco By Loira do Bem ""Arte da espontaneidade "


Pitaco By Loira do Bem "Viva a traquinice"  e "Arte da espontaneidade "

Tava aqui pensando eu com a minha meninice....esse papo só me faz felizzz !!! 
   

Vou começar meu pitaco de Hoje, parafraseando Almir Sater acima e o Luis Melodia aqui "lava louça todo o dia".. Que agonia.. Antes que eu parta para a concentração geral na divulgação.. Vou pitacar umas babaquices minhas.. hehehe..

Eu descobri que... como é terrível esse serviço domiciliar hem minha gente, não é a toa que as "empreguetes" se rebelaram...risos...e ontem, que preguiça de lavar a louça, mas com o acúmulo ..creio eu que já eram de..alguns dias (eu acho) RS....pasmem..... Desânimo geral, mas acendeu a luzinha no tico e teco, e olha que de noite já fica mais difícil, esse pensar.. Afinal, o dia foi longo ...mas, som de Led Zeppelin a postos, tive a grande ideia de usar fone de áudio,.. e não é minha gente.. que a louça rendeu e eu lavei todinha... nem senti...!

E aí descobri outra coisa, que mantenho a forma, nem é por vaidade, nem por saúde, mas por "preguiça" mesmo de ter que encarar a pia de louça talvez risos.. SIC...

É os testes sobre mapa mental não mentem mesmos... risos...como era a louça da pessoa sinestésica mesmo?(pessoa que age mais pela emoção) - "Adora um bom papo e deixa a louça à espera" ou "quando puder e quiser lavarei"... - Bingo e certeiro!!! 

 

Quase que nem faço o teste, pois o resultado era evidente!!!...: (EU SOU O QUE EU SOU...).. risos.. Capaz que entre um livro, um filme ou a internet eu vou é lavar louça.. nem pensar. Apesar de eu louvar a atitude de mulheres lutando por independência, mas eu fujo à regra, gosto de ser independente, mas não sou feminista mesmo.
 
Falando em preguiça, eu me lembrei do dito popular "Deus ajuda quem cedo madruga"... Dito e feito, e quem disse que consegui acordar antes da 12h00min de Hoje? Resultado.. Fiquei sem o protetor solar que encomendei na farmácia de manipulação... pasmem.. Agora só segunda feira.. Neste caso, barbas brancas me mordam ops "São Pedro"... Se quiser abrir a torneirinha aí do céu... não vou fazer caso nem ficar de bico.. Não.. Por causa de quê.. 



Almir Sater em Cândido Rondon Pr em evento corporativo 29/06/12 
Assim não correrei risco de manchar a pele branquela... hehehe... E entre sombra e água fresca, vou ficando por aqui divulgando show e de em especial de Juiz de Fora, MG em Agosto, devido ao sucesso estrondoso ano passado, muita gente ficou de fora, e como a gente é que nem mineiro, uê uai ..não quero que ninguém perca o trem, cá estou... Sempre Tocando em Frente, pitacando sobre o que é feito com arte e qualidade. Com certeza!!!

E por falar em Arte, Almir Sater arrebentou ontem em Cândido Rondon, PR, como já postei aqui fotos e dizeres sobre o evento corporativo, onde os associados da Sicredi foram convidados, o artista levou mais de 5.000 pessoas, e a procura foi tamanha e muitos ficaram frustrados, por infelizmente, devido a espaço não caber mais gente...
E Hoje, novamente CASA CHEIA, e encerrando a agenda de shows de Junho, Sater fecha com chave de ouro, um evento beneficente, promovido pela "Arte do Bem", com ingressos esgotados, 20 dias antes, em Jaguariúna, SP.

E, para quem como eu, não terá a mesma sorte, só me resta ligar o som na caixa, no PC, entre pitacos e divulgação, ouvir o somzaço "manero" que é o de Almir Sater. ViVa o som folk rock blues.. Sempre atual e diferenciado de ser.

Ah, esse pitaco me fez Lembrar anos atrás quando, uma das leitoras, disse que por eu falar naturalmente o que penso e sinto, na visão dela na época, anos atrás, se falo de algo, por exemplo, que estou no vermelho, com o cartão de crédito ..SIC.  deixo de ostentar a aparência de que eu sou bem sucedida....talvez, porque, ela não teve o "feeling" de se perguntar ..desde quando eu quero ser aquilo que não sou?? e essa é a cara da maioria dos brasileiros, que vivem do resultado da labuta diária, de trabalho honesto, de altos e baixos, como a gangorra financeira e as mudanças bruscas de planos de governo. 

 
Talvez, seja este o grande trunfo, ao meu favor, o de ser natural, espontâneo, sem fazer tipo acho que estamos tão acostumados, com tudo mecânico, programado para agradar os outros ou encantar, criar uma imagem do que não somos, que construímos imagens para serem os "certinhos, exemplares, organizados e verdadeiros" sempre e sem o direito de ser normais humanos e passivos de erros e defeitos, fracasso e sucesso. 

Sempre digo que estou sendo feita, refeita a caminho do Bem. Mas nunca do ser perfeito e intocável. 
Sem perceber, deixamos do lado o principal, o de sermos nós mesmos: naturais.. E que ser bagunçados, desorganizados, desajeitados, não é nenhum bicho de 7 cabeças, acho que temos medo de nos tornar vulneráveis, ou que os outros percam a admiração por nós.. 



E eu acredito que quem nos admira e nos respeita de verdade, são justamente aqueles que nos conhecem como de fatos somos, sem máscaras e maquiagem, como nos comportamos nos piores momentos como humanos e até na hora da discórdia, do dedo em riste, afinal, os humanos, tem reações adversas, como diria o Ivan Cardoso, mestre em Administração, "se quisermos lidar com máquinas, vamos ao caixa eletrônico, máquinas de refrigerantes". 


Talvez seja por isso, que as pessoas, desistem fáceis uma das outras, dos relacionamentos pessoais, familiares ou profissionais,

Perdemos a flexibilidade, a vontade de dialogar ou até de rever conceitos, do que realmente nos importa e faz a diferença em nossas vidas.

Quando eu vejo algumas pessoas (e com todo o respeito) se manifestarem publicamente, que preferem mais a companhia de animais, porque estes não discutem relações, não trazem conflitos ou decepções, eu sinto compaixão, provavelmente um humano as levou para decepções dolorosas, (claro que os animais são dóceis, maravilhosos e devem ser queridos e respeitados, sempre), mas cada um no seu quadrado. 

Em homenagem ao mais ágil e inteligente cão do mundo. #amo.
Se navegarmos dentro de nós mesmos, e estar abertos ao uma reflexão sincera, descobriremos que também decepcionamos os outros, conscientes ou inconscientemente, até, assim os outros nos causam desapontamentos, acho que estamos aqui para aprendizado e não para sermos os condutores ou controladores de emoções, situações e pessoas.  
Aprendi e estou aprendendo que o convívio social exige habilidade, tato, renúncia, jogo de cintura, saber negociar, mediar conflitos, saber recuar e avançar, ou simplesmente perder ou até ceder, quando a situação assim exige. Da vida levamos é nada. 

Neste caso o egoísmo e a vaidade imperam em mim, (risos), pois o ressentimento, mágoa, orgulho e sentimentos negativos enfim, trazem junto doenças e males nocivos a nós mesmos.. e Deus me livre.. junto com eles vem...as rugas, olheiras e afins..melhor ficar na "mea culpa" enfim..:)..longe desses "males"...
Como diz um escritor paranormal, Luiz Carlos Amorim, "O que você deseja ser feliz ou ter razão"?
E como eu aprendi que desejo mais ser feliz do que ter razão... Ramble On.. Perambulando por aí eu vou.. né "cabeludo" Plant by Led Zeppelin...


























Bom final de semana proceis. com muita bagunça e criatividade da nossa criança interior...mas Fiquem ligados.. que novidades sempre vem por aqui...
Paz e Bem!!!











Almir Sater reúne mais de 5.000 em evento corporativo no Paraná

Com mais de cinco mil pessoas presentes, tanto do município rondonense como de cidades vizinhas, o show de Almir Sater encantou o público que lhe aplaudia com alegria a todo tempo. Entre músicas e histórias, o renomado cantor e compositor cantou as mais conhecidas como “Tocando em frente” e “Chalana” entre elas.




 

O show de Almir Sater reúne mais de 5 mil pessoas e emocionou um grande público na noite desta sexta-feira (29/06) em Marechal Cândido Rondon. 
Com ingressos distribuídos em troca de um quilo de alimento aos associados do Sicredi Costa Oeste, o emocionante entretenimento para o público lotou o Centro de Eventos Werner Wanderer. 


Patrocinado pelo Sicredi, além de brindar seus associados, o show serviu para registrar o Ano internacional das Cooperativas, declarado pela Organização das Nações Unidas. ONU.



FONTES: Fonte: http://www.opresente.com.br/ 

sexta-feira, 29 de junho de 2012

ALMIR SATER JUIZ DE FORA MG JÁ COMEÇAM AS VENDAS A PARTIR DO DIA 30


PLANTÃO By Loira do Bem Informa Tem Novidades..Fiquem ligados....
SHOW ALMIR SATER JUIZ DE FORA MG em 04 DE AGOSTO - CINE THEATRO CENTRAL.
Começam Hoje (29)  sexta-feira, as vendas dos ingressos!!!!! As primeiras filas da Platéia A, serão vendidas direto com a produção
Contato Produção: grovaproducoes@gmail.com
Tel.: (21) 9180- 7120 /(21) 3646 -88
Foto: PLANTÃO By Loira do Bem Informa Tem Novidades..Fiquem ligados....
SHOW ALMIR SATER JUIZ DE FORA MG 
04 DE AGOSTO - CINE THEATRO CENTRAL.
Começam amanhã (30) as vendas dos ingressos!!!!! As primeiras filas da Platéia A, serão vendidas direto com a produção 
Contato Produção: grovaproducoes@gmail.com
Tel.: (21) 9180- 7120 /(21) 3646 -88
















SERVIÇO:
Show Almir Sater e Banda.
Quando: 04 de Agosto de 2012 - sábado.
Onde: Theatro Cine Central - Juiz de Fora - MG
Investimento em Valores R$:
Platéia A E B  - R$ 90.00
Balcão Nobre - R$ 80,00
Galeria           -  R$ 70,00
Camarotes     - R$ 550,00
Pontos de Vendas em Juiz de Fora, Minas Gerais:
Leitura Megastore.
Av: Rio Branco,2161 - centro - Tel:(32) 3313-1000
Ótica Juiz de Fora
Rua: Halfeld,792 - centro - Tel:(32) 3215-4487
Estação Digital Zé Kodak - Rua Halfed 608 Lj 105 e Shopping Independência.(32) 3215-3247
ÍNTIMA SEXY
Rua Batista de Oliveira, 776 - centro - (32) 3691-6438 
MENINAS GERAIS: 
Rua São Matheus, 10 e Rua São João, 207 - Tel (32) 3215-1012
Bilheteria do Theatro Cine Central: 
à partir do dia 20 de Julho. 
Inf: Tel.: (32) 3231- 4051
Site: http://www.theatrocentral.com.br/

Realização e Informações:
Contato: Grova Produções
Email: grovaproducoes@gmail.com
Tel. (21) 9180-7120 / (21) 3646-8856


Show de Almir Sater evento corporativo em Rondon supera expectativas.

Pitaco By Loira do bem ALMIR SATER TÁ QUEBRANDO TUDO EM 2012.. ARREBENTANDO ...

O Show fechado de Almir Sater daqui a pouco, causa frisson na região, superando a expectativa e a procura por convites, que foram distribuídos 5.000 de acordo com a capacidade do local .
O diretor presidente da Sicredi, Adolfo Freitag, comenta sobre o show de Almir Sater, destacando ser um dos melhores do Brasil e que infelizmente, não tem como atender a demanda e excesso de procura.
E, euzinha, por ser "evento corporativo" destinado público alvo nem sequer foi comentado nas redes sociais, ou seja fiquei de "bico fechado" literalmente.. Imagine se essa notícia rola, ia ser um chororô maior ainda.. Mas.. Paranaenses, não se afligem, em Agosto (31) e Setembro(01 e 02) Almir Sater vem aí.. fiquem ligados..desde agora..!!!.



Show com Almir Sater para associados da cooperativa Sicredi acontece hoje em Rondon.

29/06/12 10h53 | Marechal Cândido Rondon
A- | A+
Está agendado para hoje no Centro de Eventos Werner Wanderer, um grande show com o Cantor Almir Sater, um expoente da musica brasileira.
O show é reservado somente para os associados da Sicredi, em homenagem ao ano internacional do cooperativismo, e iniciará pontualmente as 20h.
Dentro do centro de eventos Werner Wanderer, já estão armadas arquibancadas e foram distribuídas cadeiras para receber o público, que já receberam os convites.
O diretor presidente da Sicredi, Adolfo Freitag, comenta sobre o show de Almir Sater, destacando ser um dos melhores do Brasil.
GRAVAÇÃO....................
Adolfo Freitag, ressalta que todos os convites já foram distribuídos, e a participação fica restrita para o quadro social da Sicredi, em homenagem pelo ano internacional do cooperativismo.
GRAVAÇÃO....................

Arnaldo Santos.
 
 
Compartilhe

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Para sempre Maluco Beleza Salve Raul Seixas

VIVA RAUL PARA SEMPRE !!!
Foto: Pitaco By Loira do Bem via By Raul Seixas. TOCA RAUL...
Homenagem ao Aniversário do lendário Raulzito
(28/06/1945 - 21/08/1989.
"A Sociedade Alternativa era um movimento de pessoas para consigo mesmas, primeiro que tudo. É o egoísmo, mas o egoísmo no bom sentido. O egoísmo de você saber que é diferente de todo mundo e que todo mundo é diferente de você. É você ter sua própria identidade, fazer o que você quiser. E nada errado. Todo homem tem direito de mover-se pela face do planeta sem usar passaporte. Todo mundo tem direito de pensar o que quiser, todo homem tem direito de ver e de escrever o que ele quiser, porque você é diferente, você é a única coisa que você tem na vida. A sua própria vida é a única coisa que você tem, o resto você não leva nada. É o individualismo. Todo mundo embaixador do seu próprio país, vamos dizer assim" By Raul Seixas.
Hoje, 28 de Junho, seria aniversário de um dos maiores artistas que considero do planeta, assim como Almir Sater, Led Zeppelin, Robert Plant, Roger Waters, etc etc que dispensam comentários: 
Raul Seixas.
E como não poderia deixar de ser, obrigatório se faz deixar minha homenagem no Blog.
Lembro que numa conversa anos atrás, com a empresária do Almir Sater, ela me perguntou:
-que seu gostava também de Raul Seixas e respondi.. Eu com certeza, gosto de artistas com senso critico e social, que agregam... e ela me confidenciou, que fora amiga dele e da esposa na época, a Kika Seixas, e que sem dúvida, Ele tinha uma inteligência acima do nível de entendimento deste século. ou seja, veio antes do previsto. Concordo com suas palavras, certamente !!! e naquele dia, fiquei imensamente feliz, por ela, de certa forma, fazer parte da história de dois artistas que admiro, respeito e dissemino nas redes sociais sobre. 
O legado deles, devem ser para sempre. 

Rock and Roll: Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum!.
"Eu fiz esse disco pros roqueiros ouvirem, para eles não deixarem o Rock and Roll morrer"
"A bossa nova significava ser nacionalista, ser brasileiro, eu me lembro perfeitamente. Gostar de rock era ser reacionário... entreguista, alienado. E eu era o chefe do rock em Salvador... tanto que quando entrei para a faculdade de Direito, eu era superpichado, torto pelo pessoal do diretório e olhado como o idiota do rock, entreguista. Eu não gostava de bossa nova."
"A Sociedade Alternativa era um movimento de pessoas para consigo mesmas, primeiro que tudo. É o egoísmo, mas o egoísmo no bom sentido. O egoísmo de você saber que é diferente de todo mundo e que todo mundo é diferente de você. É você ter sua própria identidade, fazer o que você quiser. E nada errado. Todo homem tem direito de mover-se pela face do planeta sem usar passaporte. Todo mundo tem direito de pensar o que quiser, todo homem tem direito de ver e de escrever o que ele quiser, porque você é diferente, você é a única coisa que você tem na vida. A sua própria vida é a única coisa que você tem, o resto você não leva nada. É o individualismo. Todo mundo embaixador do seu próprio país, vamos dizer assim" By Raul Seixas.
Homenagem ao Aniversário do lendário Raulzito.
(28/06/1945 - 21/08/1989).

Foto: Pitaco By Loira do Bem via By Raul Seixas.
Rock and Roll: Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum!.
"Eu fiz esse disco pros roqueiros ouvirem, para eles não deixarem o Rock and Roll morrer"
"A bossa nova significava ser nacionalista, ser brasileiro, eu me lembro perfeitamente. Gostar de rock era ser reacionário... entreguista, alienado. E eu era o chefe do rock em Salvador... tanto que quando entrei para a faculdade de Direito, eu era superpichado, torto pelo pessoal do diretório e olhado como o idiota do rock, entreguista. Eu não gostava de bossa nova." 
Feliz Aniversário( 28 Junho 1945 - 21--08-1989)
Toca Raul... ..
Eu prefiro ser.......... Viva Raul .. a irreverencia, o anarquismo e a genialidade de Raulzito.. sempre atual, O céu hoje está revirado do avesso..

terça-feira, 26 de junho de 2012

INGRESSOS ESGOTADOS P/ SHOW DE ALMIR SATER EM JAGUARIUNA

SHOW DE ALMIR SATER PARA JAGUARIUNA, JÁ SE ENCONTRA ESGOTADO.
Segundo o organizador, Arte do Bem, o Show de Almir Sater, para o próximo dia 30 de Junho, já se encontra Esgotado, desde semana passada.
Os shows do violeiro tem sido assim, esgotados com antecedência e com arrebatando multidões.
Ontem em apresentação em praça pública, em Dourados, MS, no encerramento da festa junina, o violeiro levou 30.000 pessoas, em pleno inverno e fim de noite de domingo, às 21:30.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

ALMIR SATER LEVA 30.000 PESSOAS EM DOURADOS | MS.

Pitaco 1: Almir Sater leva mais uma vez, verdadeira multidão e atrai 30.000 pessoas para o show em Dourados, MS, em pleno domingo à noite.


O violeiro Almir Sater foi o responsável pelo recorde de público, no encerramento da festa Junina, um mundaréu de pessoas e aglomeradas, estiveram no domingo, para apreciar o show do artista.
"É muito bom tocar para quem sabe ouvir. Muito obrigado”, disse Almir Sater ao elogiar o público presente em torno 30.000 pessoas durante a sua tão esperada apresentação.
E como é de praxe, o violeiro entrou pontualmente às 21h30, conforme estava marcado o início do seu show, demonstrando todo o respeito que tem para com seus fãs e admiradores que lá estiveram.

Não teve para ninguém... O vendaval e temporal que apresentou durante a semana, ficaram para trás. Com a chegada de Almir Sater e mega banda, que o acompanham, até São João, se rendeu e sem pular fogueira, o tempo foi clareando de vez. ..santo que se preza, tem como companheiro São Pedro que é o dono da festança fim de mês..uê uai...
Os feedbacks e comentários nas redes sociais, são os melhores possíveis, todos elogiando desde a organização do evento, como também o carisma e simpatia de Sater.



Como é de praxe, os fãs não pouparam elogios, e até mesmo a gripe, que o Sr. Sater citou, se não comentasse, passaria desapercebida, tal era a sincronicidade, voz afinada e adocicada que o músico possui, levando a emoção e alegria a multidão.Esse "pequeno detalhe" com certeza, ficou irrelevante. O que se viu ali, foi uma multidão de pessoas, que se aglomeraram, para ver de perto o sonzaço do artista.


O prefeito Murilo ficou muito satisfeito com o resultado da festa: “Estamos vivendo uma noite maravilhosa, quando podemos oferecer à nossa cidade um show de altíssima qualidade, demonstrando que ao trazermos Almir Sater, estamos contribuindo para a cultura douradense. É um dos maiores artistas brasileiros e amigo nosso, que sempre que possível está nos brindando com o seu talento, juntamente com sua excelente banda”, afirmou o prefeito.
 Fonte: facebook Prefeitura de Dourados MS.
http://www.agorams.com.br/jornal/2012/06/almir-sater-leva-30-mil-pessoas-a-festa-junina/ Fotos: Ademir Almeida

MÍDIA SOCIAL A BOLA DA VEZ


O que faz um analista de mídias sociais?

Todos nós já sabemos que as mídias sociais são uma “realidade bem real” dentro das empresas. Muitas têm usado esse “novo” canal de marketing para potencializar os negócios. Sabe-se, também, que quando o trabalho é bem feito, as mídias sociais podem trazer excelentes resultados para a empresa. Basta olharmos vários cases de sucesso e veremos o potencial das mídias sociais.
É verdade, também, que esses bons resultados não são mágicos, já que existem bons profissionais por trás deles. Trabalhar com mídias sociais é papel do famoso analista de mídias sociais. Apesar de já ser uma profissão bem presente no mercado, ainda existem dúvidas sobre ela, ainda existem empregadores que não sabem como contratar e o que esperar desse profissional. Então, vamos ver o que faz um analista de mídias sociais e quais competências ele precisa ter.

Planejamento

É papel do analista de mídias sociais cuidar do planejamento estratégico da empresa nas mídias sociais. Ele tem como tarefa inicial entender o planejamento geral da empresa e trazê-lo para o meio digital. É preciso entender tanto do meio online como do meio off-line. Por isso dizemos que um hard user em mídia sociais não necessariamente será um bom analista. Além de entender muito de mídias sociais, marketing em geral, administração e empreendedorismo são fundamentais para o desenvolvimento de um bom planejamento. O analista precisa ser muito estudioso e gostar de ler, afinal, o mundo na web muda todo dia.

Produção de conteúdo

Outra função do analista de mídias sociais é a produção de conteúdo relevante para as diversas mídias sociais que a empresa está presente. Seja no Twitter, Facebook, blog ou qualquer outra, a empresa precisa de um conteúdo atualizado e voltado para seu público-alvo. O analista fica responsável por produzir o melhor conteúdo possível. É preciso ter uma alta capacidade de leitura, crítica, resenha, escrita e criatividade, sem falar no excelente domínio do português. Essa função pode ser feita por uma pessoa especializada, tirando mais essa responsabilidade do analista.

Relacionamento/atendimento

O analista de mídias sociais também cuidará do relacionamento com os usuários interessados. Essa é uma função delicada e demanda um profissional preparado. Atender pessoas nas mídias sociais é complicado, pois todos estão vendo como a empresa se comportará. As competências necessárias são muito parecidas com as de produção de conteúdo. Eu acrescentaria apenas uma noção de atendimento ao cliente e uma dose de bom senso e educação.

Monitoramento/métricas

Também é função do analista de mídias sociais fazer o monitoramento de tudo o que acontece de interessantes para a empresa no meio. No monitoramento incluo tanto as ações da empresa quanto o monitoramento de tendências. É fundamental para a empresa conhecer os resultados de suas ações nas mídias sociais, e o analista tem esse papel de gerar relatórios e apresentar os resultados e retornos sobre investimento (ROI). Ele também precisa estar atrás das tendências e novidades na web. Entender de números, relatórios financeiros e Excel podem ajudar muito nessa função. Depois do monitoramento voltamos ao novo planejamento e o ciclo de trabalho do analista está completo.
Muita coisa? Pois é, o analista de mídias sociais não é um garoto qualquer que tem Twitter e Facebook. É um profissional multidisciplinar e qualificado. É difícil achar um bom analista de mídias sociais e esse profissional merece ser bem remunerado. Dependendo do tamanho da empresa e da sua atuação nas mídias sociais, será preciso de um número maior desses profissionais.

Pedro Pamplona

facebooktwitter
Estudante de administração especializado em marketing digital e social media. Criador e administrador do Novo Setor e blogueiro por hobby e profissão. Doido por web e sempre conectado quando acordado. Vamos trocar idéias, pra isso servem as mídias sociais!


Pitaco By Loira do Bem: Y tú, ¿qué marca eres? (E você, de que marca é?,

Foto: Pitaco By Loira do Bem Bom Diaaa.. Gente 
O dia hoje está bonito ..ensolarado..E quando eu abri as janelas pra Tarde tão bela... e os passarinhos já estão a sobrevoar as arvores no quintal do vizinho...agora só falta uma flor... misturando   Sater e o Rei, não importa, o que importa é a energia que irrradia.. 
Linda semana proceis...! pra mim também claro..cheinho de novidades boas e afins.. !!!..Pitaco By Loira do Bem via by Allan Percy
Oscar Wilde para inquietos - Editora Sextante.
"Qualquer um pode fazer uma coisa. O mérito está em fazer o mundo acreditar que foi você quem a fez"
By Oscar Wilde.
Escolhemos um Carro de determinado modelo, compramos
roupa de certa grife, temos preferência por alguns artigos, mas
marcas e selos de qualidade não são algo exclusivo a produtos.
Vale a pena nos fazermos algumas perguntas:
E eu, de que marca sou? O que “vendo” aos outros? Que imagem projeto?
Em seu livro Y tú, ¿qué marca eres? (E você, de que marca é?,
numa tradução livre), a especialista em marketing Neus Arqués
assegura que a marca pessoal se constrói de dentro para fora,
nunca o oposto.
Não depende da roupa que vestimos ou de imitar outras pessoas, mas de transmitir valores autênticos.
Portanto, para deixarmos nossa marca, devemos antes fazer
um exercício de introspecção e descobrir o que há de mais genuíno em nós. Conhecer nossos valores e virtudes é o que nos
torna singulares e nos permite comunicar essa singularidade ao mundo.

sábado, 23 de junho de 2012

Pitaco By Loira do Bem "Em ritmo de festança junina"

 "Boa Tarde" Gente...
Sábado tem que ser animado..uai.. afinal é dia de festança e São João que fique esperto e acenda a fogueira em nosso coração..


Felizz Sábadaço.. e para alguns em dose dupla.. afinal.. SHOWZAÇO de Almir Sater no Sesc São José dos Campos SP.. a má notícia? que mal começou a vender os ingressos dia 09 de Junho às 14:00 Horas.. na Quarta feira(13) já estavam completamente Esgotados...Santo Antonio pode não ser mais o mesmo para ser "casamenteiro", mas quem diz que para o dinheiro, ele "faia" ? ...e neste ritmo alegre e de festança é que a comitiva esperança chega.. logo mais à noite e amanhã, Dourados, MS vai "tremerrr" ao somzaço pantaneiro ..o velho e sempre novo som de Almir Sater..
... lembrando um arrasta pé daqueles.. Almir Sater no Sesc Itaquera, Julho 2007. pra cabá de alegria..uê uai.... e
Pinha no Pinheiro/Moreninha Linda/Feijão Queimado.
Eu taval lá.. uê uai.. um dos melhores shows que já vi!!!  e é neste ritmo que vou, deixando um  super abraço proceis.. bons shows e maravilhoso fim de semana.. e Aguardem Agenda de Julho de Almir Sater, vem por aí, em breve !!!. Afinal, o show não pode parar ainda mais quando é assim, pura arte e qualidade.

PAZ  E BEM  !!!.


ALMIR SATER NA FEICORTE 2012 "PARCEIRO SENEPOL"


14/06/12  ALMIR SATER MARCOU PRESENÇA NA FEICORTE 2012 COMO PARCEIRO SENEPOL .
E como sempre a raça Senepol faz bonito mais uma vez !!!.

Fonte Foto Almir Sater : www.publique.com 
O Artista além de ser um dos mais respeitados da nossa música brasileira, também é criador da raça Senepol desde 2009 e junto dos seus parceiros, veio divulgar a raça e sobre o desenvovimento do seu criatório em sua fazenda.


Sater declarou em outras oportunidades, que está muito satisfeito com o investimento na raça e pela adaptabilidade do animal nas regiões pantaneiras:“O Senepol vem para contribuir, fornecendo touros para cruzamento industrial. Em todo lugar que se coloca o Senepol, ele responde muito bem. Ainda tem poucos animais da raça no Brasil, mas, aos poucos, é possível ter um desenvolvimento”, explicou o músico em 17ª edição da Feicorte ano passado.(http://senepolmais.com.br)





















O pecuarista, cantor, compositor e ator Almir Sater, criador de animais da raça Senepol, esteve presente na 18ª edição da Feicorte (Feira Internacional da Cadeia Produtiva da Carne), realizada no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo (SP).

Recepcionado pelo médico veterinário Junior Fernandes, da Grama Senepol, Jairo Ferreira Lima, da Genetropic Agropecuária, e Alex Marconato, do criatório Santa Helena Senepol, o criador atraiu a atenção de integrantes do grupo Parceiros do Senepol e de diversos interessados pela raça, apresentando animais consolidados produzidos pela parceria com o Condomínio Brandamundo, de Guilherme Barros Bumlai, sediado em Campo Grande (MS), e também outros mais novos, produzidos em parceria com a Grama, Genetropic e Santa Helena, denominados de PAS (Parceiros Almir Sater), do criatório Senepol da Morraria, de sua propriedade, sediado em Maracajú (MS).

“Conheci o Senepol fazendo uma parceria com o Junior, o Jairo e o Alex. Atualmente, os animais já estão com dois anos e meio, estão em trabalho de aspiração e já produziram vários filhos. Os primeiros deverão nascer no próximo mês de agosto. Os resultados são muito bons, por terem sido produzidos animais com ótima genética”, destacou Sater.

Sobre a o grupo Parceiros do Senepol, ele enfatiza a importância da troca de informações e conhecimento. “Firmamos uma sólida amizade e, por meio dela, uma relação de confiança. Tenho aprendido muito, pois ainda sou novo na raça. Na Feicorte, sinto uma evolução do Senepol ano após ano, pela qualidade e quantidade de animais expostos”, afirmou.

Fonte (www.senepoldagrama.com.br)


Amigos da Senepol, presidente da ABCRS e tambem Almir Sater,
mostrando a beleza e rusticidade de suas matrizes. Fonte: http://mangalargastyle.blogspot.com.br/2012/06/aconteceu-na-feicorte-2012.html

"É Bonito ser Simples".
Embora o artista estivesse num momento "pecuarista", mas já diz o velho ditado que..."Celebridade é Celebridade", afinal o carisma e popularidade de Almir Sater, são imbatíveis e jamais passariam desapercebidos onde quer que vá ou esteja.
Por ser tão querido por seus admiradores, até mesmo quem estava ali trabalhando na Feicorte, não se conteve, e abriram uma exceção, para o momento "tietagem" e aproveitar e tirar uma foto com ele.
Na foto Zen Morbeck e Almir Sater 


Foto Flyer Senepol

Sobre a raça Senepol

Uma raça que adquiriu credibilidade pelo seu potencial genético, fácil adaptação, precocidade e qualidade de carne reconhecida no mercado, já conquistou espaço entre os agropecuaristas, com aceitação de modo geral em todas as regiões do país. Esse é o Senepol, que ainda é recente no Brasil – está por aqui desde 1995, quando foram importadas as primeiras doses de sêmen, envolvendo líderes genéticos da raça.

O Senepol nasceu na Fazenda Grenard’s Estates, de Henry C. Neltropp, localizada nas Ilhas Virgens (Saint Croix), no século 19. Com o cruzamento entre o N’Dama e o Red Poll, surgiu uma nova raça, com o objetivo de precocidade, eficiência maternal, ausência de chifres, cor vermelha, tolerância ao calor e docilidade.

Fonte: http://senepolmais.com.br/

quinta-feira, 21 de junho de 2012

ALMIR SATER ANIMA FESTA JUNINA DE DOURADOS NO DOMINGO 24

Cultura&lazer
21/06/2012 10h47
Douradenses estão otimistas com a Festa Junina que contará com a presença do cantor Almir Sater.



Almir Sater será a grande atração deste ano

Por Maryuska Pavão
Mesmo com quase quatro dias de chuva, a população douradense está otimista com o início da festa junina de Dourados, de acordo com uma pesquisa feita pelo Dourados News, aproximadamente 35,9% dos leitores, que participarão da 35ª Festa Junina, afirmam que a festa será boa, já 25,66% afirmaram que a festa será melhor que a do ano passado.

Para esta edição, a prefeitura contratou o cantor e compositor sul-mato-grossense Almir Sater como a principal atração da festa, que será realizada no estacionamento do estádio Douradão, a partir hoje e terminará no próximo domingo (24).

Na pesquisa, perguntamos ao leitor qual a expectativa para a Festa Junina de Dourados que acontecerá no Douradão, 35.9% disse boa; 25.66% melhor que o ano passado; 23.75% disseram ruim e 14.69% disseram não saber.
RESULTADO DA ENQUETE FEITA PELO DOURADOS NEWS

Os preparativos para a festa estão a todo vapor - Fotos: Assecom

No ano passado além dos cantores regionais, as principais atrações foi o cantor Edson, da dupla Edson e Hudson, as duplas Bruninho e Davi e Jads e Jadson.

Para esse ano a expectativa de público é de que aproximadamente 60 mil pessoas passem pela Festa durante os quatro dias. Nesta quinta-feira, dia da abertura, além de quatro shows com artistas locais, toca também a dupla Luiz Goiano & Girsel da Viola. Amanhã, Alex & Yvan fecham a noite, depois de outras quatro apresentações de artistas douradenses.

Confira a programação da 35ª Festa Junina de Dourados:

Quinta-feira (21): Canta Nordeste (20h00); Bruno e Johnny (20h40); Vitória Vargas (21h20) e Som Matucho (22h00) – Após a apresentação destes artistas locais, acontece o show de Luiz Goiano & Girsel da Viola, às 23 horas.

Sexta-feira (22): Rafael Diego (20h00), Correinha (20h40); Sidney Alves (21h20) e Postal Sul (22h00) – Após os shows locais, apresenta-se a dupla Alex & Yvan, às 23 horas.

Sábado (23): Jedder & Rodrigo (20h00); Franciely e Caroline (21h00); Paulo Cézar & Wanderley (22h20) e Trio TDB, às 23h30.

Domingo: (24): Quarta Estação (19h00); Kleber & Kleberson (20h00) – Às 21h30 o violeiro Almir Sater faz o show de encerramento da Festa Junina.
Os preparativos para a festa estão a todo vapor - Fotos: Assecom
Os preparativos para a festa estão a todo vapor - Fotos: Assecom

5 PERGUNTAS PARA ALMIR SATER


15/05/2012 00:03

Ando devagar porque já tive pressa

Viola-minha-viola-30-anos-almir-sater foto-cleones-ribeiro-31.jpg
5  PERGUNTAS PARA  ALMIR SATER
O mercado da música mudou muito ao longo dos anos. Ficou muito mais difícil fazer sucesso?Acredito na renovação das canções com o tempo, cada vez que são tocadas, causam emoções distintas. Creio que devido a essa renovação as músicas boas se eternizam e continuam fazendo sucesso ao longo dos anos.
O gênero “sertanejo universitário” domina todas as paradas de sucesso. Acredita em modismo ou caminho sem volta?Eu acredito na emoção e para me emocionar tem que ter um pouco de arte. Sem arte, as coisas vão se perder no ar. Gosto de músicas, gêneros e canções artísticas. Se não tem arte, se não tem emoção, não é algo que vá durar para sempre.
Você também é ator com participação em várias novelas. Têm planos para voltar à telinha?Não me considero um ator, nem nunca me considerei. Na época das novelas fiz um “bico”, pois precisavam de um violeiro lá e me chamaram (risos). Atualmente não tenho condições de parar uma agenda de shows para atuar em uma novela. Posso dizer que essa época já passou.
As mulheres que te assistiram na novela Ana Raio e Zé Trovão e hoje frequentam seus shows te intitulam de galã. Gosta do rótulo?Eu sou um músico, gosto de ser reconhecido assim. Em uma escala, eu sempre digo que me considero primeiro um compositor, depois músico e depois um cantor. Gosto que reconheçam o meu trabalho por isso. Ator e galã, não.
Você cuida da sua voz?Não! Tomo gelado, faço tudo que não pode, não tenho cuidado nenhum. Cuido mesmo das minhas unhas, essas sim merecem cuidado pra eu poder tocar minhas violas bem.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

MÚSICAS E SONS -VÍDEO SOBRE A GRAVAÇÃO DO DVD DE "PRATAS DA CASA"

TVU Especial - Músicas e Sons

O dia 22 de maio ficou para a história da música sul-matogrossense. 
A UFMS realizou o projeto "Músicas e Sons", inspirado no grande festival "Prata da Casa", que aconteceu há 30 anos no Teatro Glauce Rocha. 

Almir Sater foi um dos convidados, juntamente com os maiores expoentes do Mato Grosso do Sul, a fazer parte deste grandioso projeto, que sem dúvida, vem a enaltecer ainda mais a música peculiar e ímpar desta estado.
Neste programa você confere como foi a criação do projeto até a noite do primeiro grande show.
Assista e conheça mais sobre os grandes nomes da música sul-matogrossense.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Pitaco da Loira: AJUDEM A ENCONTRAR LEANDRO


'Não há nada oculto que não seja revelado" ...
Meus Caros, Ajudem a encontrar Leandro, compartilhem passem adiante vamos achar logo o Leandro. Unidos somos a força e todos somos Um. Paz e Bem !!!



VAMOS COMPARTILHAR! 



Meu filho desapareceu desde o dia 01/04/2012 na cidade de Araxá-MG, ele se chama Leandro Silva de Oliveira, têm 26 anos, moreno de aproximadamente 1,65 de altura, 65 quilos, ele é bem conhecido na cidade, por ser atleta de natação da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), já participou de diversas competições saindo várias vezes em jornais da cidade, ele tem uma deficiência mental, faz uso de medicamentos controlados e tem certa dificuldade na visão. Ele desapareceu domingo à noite após ter um surto.

Ele sempre foi muito independente apesar da deficiência, andava sozinho, frequentava a igreja da qual ele faz parte, ia às aulas na APAE, nas aulas de natação, dentre outras atividades do seu dia a dia.

Logo depois de seu desaparecimento, tivemos informações que ele foi visto na segunda-feira (02/04/2012) pegando o ônibus sentido ao bairro Pedra Azul e depois a tarde viram ele no centro da cidade, onde ele ate conversou com uma conhecida da família mas a mesma não sabia que ele estava desaparecido, na terça-feira (03/05/2012) ligaram para nossa residência e disseram que o viram na igreja Santa Rita na mesma hora estivemos no local e não encontramos, passamos pelos bairros mostrando a foto e pedindo informações. Fizemos a divulgação através da rede social com fotos e informações e panfletos distribuídos na cidade. No decorrer da semana tivemos algumas informações que o viram no bairro Urciano Lemos e outros bairros próximos, estivemos várias vezes no bairro e em todos os outros bairros, fazendo um apelo e distribuindo fotos pela cidade.

A divulgação do seu desaparecimento foi realizada através de jornais locais, TV, rádios, blogs, panfletos, polícia, etc.

No decorrer desse tempo recebemos ligações passando informações falsas, pessoas querendo saber o valor de recompensa, trotes, aumentando ainda mais a nossa dor, brincadeiras de mau gosto, mas recebemos também o apoio de pessoas conhecidas e desconhecidas oferecendo ajuda, dando uma palavra de conforto, colocando ele e nossa família em orações.

Estamos desesperados com essa situação agonizante, com dúvidas, incertezas e muita dor, toda a família, os amigos e os membros da igreja em que ele participa estão aflitos com a falta de notícia. Ele é um rapaz muito esperto, mas ele pode estar em crise, em surto e até mesmo está passando por perca de memória não sabendo quem ele é direito e não está sabendo voltar para casa.

O dia das mães foi o pior dia desde o seu desaparecimento, um dia muito triste de muita dor, o amor de uma mãe para um filho é incondicional, e passar essa data sem o filho, sabendo que ele pode estar em qualquer lugar passando dificuldades faz um coração despedaçar. Meu coração de mãe sente que ele está por perto.

Ele está fazendo muita falta, amamos muito ele e gostaríamos muito de encontrá-lo o mais rápido possível, dia 31 próximo é o aniversário dele, mais uma data triste de se passar sem ele aqui.

Estamos numa luta incansável para obter noticias concretas do paradeiro dele, e não vamos desistir porem precisamos de ajuda, estamos saindo de carro, a pé, de moto, de todas as formas possíveis atrás dele, a divulgação na rede social continua sendo compartilhada por muitas pessoas e aumentando ainda mais a divulgação, os panfletos foram distribuídos não só em Araxá e estamos visitando várias cidades e fazendas da redondeza.

Eu imagino que ele deve estar mais magro, com a barba e o cabelo maior.

Estamos desesperados e precisamos de ajuda.

Muito obrigada pela atenção e espero que vocês possam divulgar nosso apelo na busca de encontrá-lo.

Denia Ferreira da Silva e família (34) 36614621 / 34 88355840 / 34 91486592 


sábado, 16 de junho de 2012

COM INGRESSOS "ESGOTADOS" ALMIR SATER SE APRESENTA NO SESC SJC PRÓXIMA SEMANA


Informamos que os ingressos para o show de Almir Sater, que acontece dia 23/6, sábado, às 20h30, estão esgotados.
Esse comunicado foi postado hoje, no facebook do Sesc São José dos Campos, os Ingressos dos 1.200 lugares para o show de Almir Sater, no próximo sábado, dia 23 de Junho, Véspera de São João, já se encontram "ESGOTADOS".

O que não causa nenhuma surpresa, pois Almir Sater, ano passado, ao se apresentar na cidade, no evento da Virada Cultural Paulista, dia 14 de Maio, 0:00 em ponto, levou verdadeira multidão numa noite fria e gelada, como atestavam a meteorologia, e compareceu 25.000 pessoas, sendo a terceira cidade, a obter a pontuação de recorde de público, segundo nota divulgada pela Secretaria de Cultura e organizadores da Virada Cultural.A voz e o violão de Almir Sater. O frio não espantou o público. Cerca de 25 mil pessoas acompanharam o show de Almir Sater no Parque da Cidade de São José dos Campos. Sucessos como "Chalana" e "Tocando em frente" foram alguma das músicas que marcaram o show do violeiro. Fonte: http://www.lufernandes.com.br/viradaculturalpaulista/noticia/62/a-voz-e-o-violao-de-almir-sater-/Virada Cultural São José dos Campos SP 14 Maio de 2011.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

ENTREVISTA 2012: ALMIR SATER EM CASCAVEL /PR CONTA SUAS PAIXÕES

Com mais de 40 anos de vida artística, Almir Sater ainda canta e encanta fãs de todo o Brasil.
O violeiro e sua banda têm marcado presença constante nos últimos anos nas cidades do Oeste do Paraná. No mês de junho, o violeiro mais querido do País tem cerca de 20 shows marcados na sua agenda.
Não dá para negar que Almir Eduardo Melke Sater seja uma pessoa apaixonante. Muito pelo contrário: além de ser bondoso e ajudar muitas pessoas, ainda é educado e sabe tratar todos iguais, desde um varredor de rua até um presidente da república. É músico, violeiro, compositor, instrumentista, ator, enfim, é um artista completo e sabe tirar das pequenas coisas valores imensuráveis; acontecimentos emocionantes e jamais esquecidos nesses 56 anos de vida, sendo 40 só de profissão. Almir Sater poderia ter seguido a carreira jurídica, mas, para sorte de todos, acabou abandonando o curso de Direito, e, sem saber aonde iria parar, acabou seguindo a carreira artística, onde canta e encanta, toca e emociona, compõe lindas músicas com os seus parceiros Renato Teixeira e Paulo Simões, e fala à nossa reportagem que não tem dúvida nenhuma sobre a ajuda da espiritualidade, sendo psicografadas algumas das suas músicas. Esse homem de 1,85m que, a princípio parece durão, fala que se emociona demonstrando muito sentimento quando vê uma fã chorando em suas apresentações. Ele mesmo só não chora nesses momentos porque, segundo ele, homem não pode chorar. O violeiro é um homem simples, espiritualizado, que sabe viver bem, apesar de não lhe sobrar muito tempo para as coisas que gostaria de fazer com mais assiduidade. O que ele também sente falta é de um rio para pescar e uma mata para repor todas as suas energias, depois de uma agenda lotada de shows pelo Brasil, nos quais, sempre com casa cheia, atrai fãs dos oito aos oitenta anos. Almir Sater tem mais algumas paixões que ele mesmo não esconde: além da música, seus filhos Gabriel, que também segue o mesmo caminho do pai, a música; Ian (18) que faz faculdade de publicidade e, segundo o pai, toca muito bem, assim como o filho caçula Bento (15), e ainda sua esposa Ana Paula. Num jeito descontraído e simples, conforme é o seu jeito de ser, saboreando um cacho de uvas, Almir Sater falou à nossa reportagem.
Acompanhe, a seguir, a entrevista com um dos artistas mais completos do Brasil:
Jornal A Voz do Paraná - Qual foi sua primeira apresentação no palco?
Almir Sater
Eu tinha um grupo amador de amigos, lá de Campo Grande e estava na moda aquela música latino americana. Muitos artistas vinham do Peru, Bolívia, desciam e passavam em Campo Grande, então, fomos tendo contato com vários grupos que vinham com aquelas músicas folclóricas peruanas, chilenas. Por brincadeira, montamos um grupo e começamos a tocar charango, viola caipira. O nome do grupo era Tupiara, e escolhemos esse nome porque passamos na frente de um centro espírita que tinha esse nome, então, o colocamos no nosso grupo. Nunca gravamos nada, era um grupo de brincadeira. Fizemos essa apresentação no teatro do colégio Salesiano, onde estudávamos.
Jornal A Voz do Paraná - Em algum momento da sua vida, você pensou em desistir da carreira de músico? Almir Sater
Não. Eu sempre achei muito difícil a carreira de músico. Eu não sabia se teria condições de sustentar a minha futura família, ou a mim mesmo. Não sabia se eu poderia levar por muito tempo esse trabalho, mas eu tive sorte e as coisas foram acontecendo; comecei a trabalhar e não parei mais. Então, nunca pensei e nem quero desistir.
Jornal A Voz do Paraná - Você começou a estudar Direito e parou. Por que você escolheu a profissão de músico? Precisava de um retorno financeiro mais rápido, porque seria famoso, por amor à carreira ou por que descobriu que não levava jeito para a vida jurídica?
Almir Sater
Acho que em relação ao retorno financeiro, o Direito o trás mais rápido. Na música, nós fazemos menos inimigos, já o advogado sempre está contra alguém, é uma área meio barra pesada, enquanto que a música é mais suave. Eu tentei fazer Direito, porque achei que não iria conseguir fazer outra coisa, e era o que mais combinava comigo. Já que eu não gostava de ciências exatas, acabei indo para o lado do Direito. Não que eu tivesse talento, até era algo que eu achava em que poderia trabalhar, mas nisso veio a música.
Jornal A Voz do Paraná - Em que estilo musical você define suas músicas e o que o levou a seguir esse ritmo? Almir Sater
É muito difícil definir meu estilo musical. As pessoas querem saber e eu respondo que eu faço música popular brasileira com viola.
Jornal A Voz do Paraná - Você é um artista que continua fazendo sucesso até hoje, pois seus shows sempre lotam. A quê você atribui isso? Almir Sater
À qualidade das composições, ao instrumento da viola caipira, cuja apreciação é quase unânime no interior do Brasil. As pessoas gostam muito do som da viola caipira, e apesar de ser um instrumento popular brasileiro, não vemos muitos violeiros na nossa frente. Eu, por exemplo, demorei muito para conhecer uma viola caipira. É um instrumento diferente, uma afinação aberta, que provoca um certo encantamento. Então devo muito à viola caipira.
Jornal A Voz do Paraná - Quanto tempo você tem de carreira? Almir Sater Eu gravei meu primeiro disco em 1980, são 32 anos. Para gravar um disco tem que ter um tempo, uma boa estrada, então vai para uns quarenta anos a mais.
Jornal A Voz do Paraná - Então, nesses quarenta anos de estrada, o que você ganhou e o que você perdeu? Almir Sater - Perdi alguns dias com a minha família, perdi de ver meus filhos crescerem, essas coisas que são importantes na vida, então a gente não pode ter tudo. Ainda bem que minha família entende, eles sabem que é o meu trabalho e são felizes assim. É bom também que o casamento dura quando a gente fica um pouco longe de casa. Por outro lado, ganhei amigos, ganhei por conhecer o Brasil inteiro tocando viola, ganhei emoções diferentes a cada show que faço, e percebo que fisicamente é muito bom para mim, me sinto muito bem.
Jornal A Voz do Paraná - Cada música tem uma história. Conta para nós como foi compor a música “Serra de Maracaju”, que encontramos no seu último CD, 7 Sinais
Almir Sater A música Serra de Maracaju foi a primeira música que eu fiz na fazenda que tenho na Serra de Maracaju. Meu parceiro Paulo Simões é dessa região, então, quando eu consegui essa área agradável, que foi uma área com a qual eu sempre sonhei, nós fomos para lá, e o Paulinho ficou muito emocionado de eu ser também um cidadão maracajuense e dali surgiu a música. Começamos a lembrar a história daquele município, de como ele foi criado. Naquele município, que ficava na fronteira com o Paraguai, não tinham muitas leis, mas o povo todo se ajudava, brigavam entre eles, mas, mesmo assim, eram muito unidos, e se chegasse alguém de fora, eles eram contra. Então, essa região era conhecida por ter um povo bravo. Começamos a ver toda a história daquele lugar e surgiu a letra do Paulo Simões. Não digo que seja fato verídico, mas foi algo que foi criado pelo migrantes, pelos mineiros, pelos retirantes e pelos bandeirantes.
Jornal A Voz do Paraná - E a música Cubanita, como surgiu? Almir Sater
Ah, essa eu não posso contar, melhor não. (risos).
Jornal A Voz do Paraná - Minha filhas gostam muito de cantar a música “No Rastro da Lua Cheia”. A letra é muito bonita, música gostosa de se ouvir e cantar. Almir Sater
Essa música é uma parceria com Renato Teixeira. Quando a gente senta para compor nossas músicas, vêm em minutos, e se não vem em minutos não vem mais, esquece, aí vem só no outro dia. Então, eu acho que às vezes ele psicografa, ou melhor, acho não, tenho quase certeza que ele psicografa. Vem quase pronto.
Jornal A Voz do Paraná - As mulheres te assediam muito? Almir Sater
Não. Nunca tive muito assédio de mulheres. Eu, quando comecei minha carreira, falava que era um homem casado; sempre fui casado. Tive meu primeiro casamento aí não deu muito certo. Logo casei depois, sempre tive um relacionamento muito longo. Eu amo muito minha mulher Ana Paula, então não chega a ser um assédio, mas sim, uma demonstração de carinho, por causa da minha música e da emoção que a gente passa.
Jornal A Voz do Paraná - As pessoas costumam cantar no chuveiro. Você canta suas músicas no chuveiro? Que música você canta? Almir Sater
Nenhuma. Nunca cantei em chuveiro, você acredita? Nunca fui de cantar em chuveiro; eu tenho lugar melhor para cantar, então só canta em chuveiro quem não tem lugar melhor para cantar (risos). Eu entro no chuveiro, gosto de tomar um banho quente, gosto de silêncio.
Jornal A Voz do Paraná - O que te deixa de mau humor? Almir Sater
Perceber que eu não consigo ter o tempo pessoal que eu gostaria de ter para mim, para fazer as coisas que eu mais gosto, como me enfiar no meio do mato, ficar no meio do rio pescando por bastante tempo. Já fiz muito isso, mas hoje não consigo mais. Às vezes eu me flagro com tantos compromissos e me pergunto o que eu quero da vida; será que é só trabalho? A música é muito prazerosa, mas o fato de estar sempre longe de casa, longe dos meus, me cansa um pouco, mas tudo tem um preço.
Jornal A Voz do Paraná - Vida de artista é difícil? Almir Sater
Não, não é difícil, tem vidas mais difíceis. Só que quando eu marco um show, eu sou obrigado a ir, mesmo querendo ficar em casa. Às vezes eu marcou um show com oito meses de antecedência, e quando chega no dia eu não estou muito a fim de sair de casa, tô com o sapato apertado, não cortei o cabelo; sabe essas coisas, não é um bom dia para eu sair de casa.
Jornal A Voz do Paraná - Tem uma música sua, Planície de Prata, do último CD, que fala de serenata. Para quem você faria uma serenata? Almir Sater
Eu tenho um amigo que é apaixonado por uma menina.Eles terminaram há muito tempo, mas mesmo depois de uns quatro, cinco anos continua apaixonado por ela. E eu gosto muito desse meu amigo e perguntei se ele não queria fazer uma serenata para ela. Até brinquei com ela e perguntei se eu fizesse uma serenata ela não voltaria com ele, e ela me disse que não. Ai acabei não fazendo uma serenata. Então, serenatas são para esses momentos românticos, para quando você quer despertar alguém. Eu nunca fiz serenata para mim, sempre fiz serenata para os meus amigos. É muito bonito você ir de madrugada, tocar um violão numa hora em que você não espera, um som acústico do meio da noite; geralmente, os interessados conseguem o objetivo.
Jornal A Voz do Paraná - Você já emocionou vários fãs. Alguma vez, já deixou se emocionar por algum? Almir Sater
Quando eu estou cantando uma música, vejo que tem pessoas que se emocionam, o que faz eu me emocionar também, então tenho que respirar fundo, porque não gosto de chorar em público.
Jornal A Voz do Paraná - Dá para citar um momento do qual você nunca se esqueceu em todos esses anos de estrada? Almir Sater
É difícil falar de um momento só. Coisas simples me emocionam. Um dia desses eu estava me perguntando o que já me emocionou, então, me lembrei de uma passagem minha pelo Pantanal. Estava voltando de carro, com o Tavinho Moura e nossas esposas. O carro acabou estragando à noite, e saímos a pé. Nós t tínhamos que atravessar um lugar alagado, e o Pantanal é um lugar de muita cobra. Era uma hora perigosa para andar descalço e de calção, e todos estavam um pouco nervosos. Eu falei para irmos embora, só que não tínhamos lanterna, nem nada. Tínhamos uns 600 metros de água e de repente olhei par acima e vi uma árvore para tudo, que é da família dos ipês, repleta de vagalumes. Parecia que da árvore haviam brotado vagalumes, de tão cheia deles. Foi uma cena tão bonita, que eu cheguei a pensar ‘poxa, com uma coisa tão bonita, acho que não vai ter nada que nos agrida’. Foi um momento muito feliz, no qual fomos andando e cantando, e fomos até lá em casa. Essa cena foi um momento que eu nunca esqueci. Então, a gente vê que as coisa simples nos mostram que está tudo simples.
Jornal A Voz do Paraná - No ano passado você foi convidado para mais uma novela? Por que você não aceitou? Almir Sater
Não consigo mais me dedicar só à novela, e novela exige isso. A novela você perde frente, perde capitulo, ela fica meio incontrolável, e por mais que a pessoa prometa que a gente iria conseguir fazer shows, não havia garantia, e como eu tinha uma agenda já apertada, não iria conseguir conciliar. Então, naquele dia percebi que nunca mais iria voltar a fazer novela.
Jornal A Voz do Paraná - Como é tocar em família, com seus irmãos Gisele e Rodrigo? Almir Sater
Muito bom. Temos muita intimidade. O Rodrigo é um músico fundamental; hoje ele não veio porque vai ter um show dele, mas eu sinto muito a falta dele. E a Gisele faz a parte vocal, tem um trabalho dela também, e está querendo seguir a vida dela com o próprio trabalho, e eu torço para que ela consiga isso. Mas, enquanto isso, ela vai cantando com a gente e isso é muito bom.
Jornal A Voz do Paraná - Falta ainda você realizar alguma coisa na sua vida? Almir Sater
Ah, falta. Falta ainda eu fazer umas quinhentas músicas que eu acredito que ainda virão pela frente.
Jornal A Voz do Paraná - A música Tocando em Frente é eterna; todos conhecem, todos cantam, todos se emocionam até hoje, sendo uma das mais conhecidas do País. Não poderia deixar de falar nela. Como foi compô-la? Almir Sater
Eu estava indo almoçar na casa do Renato Teixeira e não levei instrumento, não levei nada. O almoço estava quase pronto, eu sentei e peguei o violão do filho dele, fiz uma pequena melodia e o Renato saiu escrevendo e o pessoal gritou ‘Está pronto o almoço’, e respondemos ‘Já vamos’. Então, acabamos a música e fomos almoçar. Cheguei em casa e falei que tinha feito uma música com o Renato, e pediram para eu tocar. Eu toquei, e a Ana Paula falou que tinha sido a melhor música que tinha feito ultimamente. Ela veio tão fácil, e parece que quando as coisas vem fáceis a gente não dá tanto valor. Logo depois tocou o telefone; era a Maria Bethânia. Eu nem a conhecia, e fiquei impressionado com a antena dela, porque nisso, ela me perguntou se eu não tinha nenhuma música para ela gravar e eu respondi que não tinha. Mas aí eu acabei falando que tinha acabado de fazer uma música que ia entrar na novela Pantanal e quem iria gravar era o Renato Teixeira. Ela me pediu para que eu cantasse no telefone um pedacinho da música, e disse- ‘Essa música é minha, quero gravar’.’ Então tá bom, pede para o Renato’, eu falei. Então, eu fiquei impressionado com a antena dela, naquele momento me ligar, parece que alguém alertou. A Maria Bethânia é uma pessoa muito espiritualizada, de alma muito boa, uma pessoa muito correta, canta bonito, e foi muito importante aquela música ter sido gravada por ela. A música veio já pronta, então percebemos que têm mistérios no mundo que precisamos observar.
Jornal A Voz do Paraná - Mais um CD pela frente? Almir Sater
Hoje em dia CD virou um pouco filantropia; você grava CD e doa para a humanidade e filantropia você deve fazer quando tá a fim e disposto, e eu tenho viajado muito, não consigo conciliar shows e disco. Para fazer disco, eu tenho que parar. Ou eu trabalho sobre pressão, ou eu sou obrigado a fazer por alguma coisa que me obrigue a fazer naquele momento, ou se eu tiver muito tempo livre. Sobre o último disco que eu gravei, foi quando eu comecei a fazer novela e me pediram cinco músicas para poder entrar na trilha da novela . Eu mandei cinco músicas para eles escolherem e acabaram escolhendo as cinco. Eu gravei mais cinco e lancei o disco 7 Sinais, meio sobre pressão, e a partir do momento em que eles escolheram todas as cinco, eu gravei mais cinco para poder lançar um CD. Poderia ter saído melhor, se tivesse um pouco mais de tempo. Mas pelo menos saiu.
Jornal A Voz do Paraná - Eu achei interessante que você sempre viaja de ônibus com a sua turma de músicos, mesmo podendo viajar de avião e chegar mais rápido. Não acha cansativo? Almir Sater
—  Eu prefiro ônibus porque eu acho muito mais prático. Ontem, nós fizemos show em Ribeirão Preto. Se estivéssemos de avião, já não teríamos descido, por causa do nevoeiro danado. Então de ônibus temos tempo; acaba o show e viemos conversando, lavando roupa suja, lavando roupa limpa, sujando roupa limpa. É muito bom, cada um tem seu banco, sua cama. É muito gostoso, eu gosto da estrada, abro a cortina da frente do ônibus, tenho uma televisão, que é o Brasil que vai mudando a cada curva, e vou conhecendo o Brasil, vou conhecendo as paradas, as pessoas, os restaurantes, as bibocas, as barraquinhas de beira de estrada e, na segunda feira quando a gente chega em casa, tem que mandar três, quatro carros buscar a todos nós e as coisas que compramos, porque é farofa, é vinho de colônia, são queijos, salames, roupas, artesanatos, presentes, e assim é nossa vida.
Jornal A Voz do Paraná - Como é voltar novamente ao Oeste do Paraná? Almir Sater
—  Eu gosto muito daqui. Eu sinto que o povo do Paraná gosta muito do meu som; não só do Oeste, mas o Paraná inteiro gosta desse som de violões, violas. O Paraná é um Estado bem agrícola, possui propriedades que produzem de tudo. O homem do campo tem um gosto meio parecido, e eu também sou um homem do campo, então a gente se identifica. Eu e minha banda somos muito bem recebidos aqui.
Jornal A Voz do Paraná - O Almir Sater é um homem vaidoso?Almir Sater Num ponto certo sim, mas não tenho tempo para praticar exercício físico.
Jornal A Voz do Paraná- O que você faz quando não está tocando e nem compondo? Como é sua vida? Almir Sater
Cozinho para minha família, fico vendo filminho com a minha esposa, fico vendo meus filhos tocando, vou buscá-los e levá-los para o colégio, saio para jantar em São Paulo. Gosto muito de ir a restaurantes para conhecer comidas diferentes, gosto de tomar vinho também, essas coisa normais.
Jornal A Voz do Paraná - Quantos filhos você tem? Almir Sater
Três. O mais velho se chama Gabriel e já está seguindo pela música; o do meio, Ian (18), faz faculdade de publicidade, mas toca muito bem; e o caçula se chama Bento, que faz 16 anos agora em agosto, está estudando e também toca muito bem. Pode ser que eles façam outra coisa, mas todo mundo tem uma facilidade para a música. O primeiro começou a estudar e virou músico; nunca achei que o Gabriel pudesse ser músico, pois sempre o achei muito prático, centrado, rígido e na música a gente é mais largado, não tão rígido, mas ele virou músico e toca muito bem. Pode ser que os outros dois virem músicos também. Procuro não influenciar muito. Às vezes até prefiro que eles trabalhem.
Jornal A Voz do Paraná - Qual a sua descendência? Almir Sater
—  Meu pai é descendente de árabe com paraguaio; meu avô por parte de pai foi para Buenos Aires e se casou com uma paraguaia, e minha mãe nasceu em Santos Filho de Imigrantes Libaneses, sírios, na verdade. Assim, nós temos a cultura muito forte, a cultura da comida árabe é muito boa e eu gosto muito dessa culinária.
Jornal A Voz do Paraná - Você tem um carinho muito grande pelos paraguaios? Almir Sater
Meu pai nasceu no Paraguai, minha avó era paraguaia e minha cultura é muito mais perto do Paraguai do que do Líbano. A música paraguaia influenciou uma geração de artistas de Campo Grande, porque quando a gente saía para almoçar e jantar com a família, todas as músicas que ouvíamos eram músicas paraguaias. Graças a Deus, não existia televisão em restaurante; hoje, em qualquer restaurante que a gente vai tem uma televisão. Isso é um horror deveria ser proibido por lei. Já que querem criar leis, que criem leis que proíbam televisão em restaurantes. Deveria ser obrigatória música ao vivo. Então, naqueles restaurantes tinha aqueles paraguaios tocando harpas, acordeom, baixo de paus, violões e cantando muito bem. Toda a minha formação musical, minhas lembranças de músicas ao vivo vêm desses paraguaios.
Jornal A Voz do Paraná - O que dá para esperar hoje do show? Almir Sater
—  A gente nunca sabe o que dá para esperar de um show. A gente define o repertório, que já trazemos mais ou menos pronto. Espero estar inspirado pra fazer um bom show, e, como hoje o Rodrigo não veio, espero que ele não faça falta e que possamos tocar bem sem ele.
Jornal A Voz do Paraná - Você não nos revelou a história da Cubanita, mas hoje você toca essa música? Almir Sater
Provavelmente não. (risos).



A advogada e diretora do Jornal A Voz do Paraná, Sumaya Klaime Risso, durante entrevista com o violeiro Almir Sater (páginas 06 e 07), concedida ao nosso jornal, em sua apresentação em Cascavel.