quinta-feira, novembro 17, 2011

ALMIR SATER PRÓXIMA SEXTA 18 NOV EM TRÊS LAGOAS -MS

O cantor, instrumentista e violeiro Almir Sater comemora mais de 30 anos de carreira e sobe ao palco, para celebrar canções como Trem do Pantanal, Cavaleiro da Lua e as clássicas Tocando em Frente, Um Violeiro Toca e Chalana.

O show mescla as canções conhecidas com o último Álbum,"7 Sinais", sem deixar de lado o toque magistral e ímpar de viola que o tornou consagrado.

Com dez álbuns solos e centena de shows lotados por todas as regiões do país, Sater tornou-se um dos responsáveis pela valoração da viola de 10 cordas, popularmente conhecida como viola caipira.

O músico acrescentou um toque mais sofisticado ao instrumento, estilos como blues e rock, embalados pela pegada do folk, uma,mistura de música folclórica, erudita e popular, considerada atemporal, com influências da cultura do seu estado, como a música andina e paraguaia.
O artista é um dos poucos que não deixou a emoção de lado e a música flui de dentro do coração e do interior da alma.
Almir Sater estará acompanhado pelos músicos renomados de sua banda.









































SERVIÇO:
Data:18/11/11-sexta-feira
Cidade: Três Lagoas-MS
Horário:22h00
Local: Papillon Eventos
Endereço: BR 262 s/n Km 1 -saída Três Lagoas- Campo Grande
Investimento em Valores R$:
MESAS SETOR A (4 PESSOAS) R$500,00
MESAS SETOR B (4 PESSOAS) R$400,00
MESAS SETOR C (4 PESSOAS) R$300,00
INGRESSOS AVULSOS PARA TENDA LATERAL: R$50,00
PONTO DE VENDA:
Companhia do Verde Café -Confeitaria e Padaria -
Endereço:Rua Antonio Trajano, 1085 -atrás da Igreja Matriz
Tel(67) 3221-3104
Informações: (67) 3521-4502 - Cidade FM 102,9 -
Apoio:
Cidade Três lagoas- FM 102,9 -
Realização:
www.mantovanipromocoes.com.br
www.lr1.com.br

Pitaco de Loira: 2012 chega logo "Roger Waters" -

Olá? Há alguém aí?Acene se você puder me ouvir
Há alguém em casa?*̡̡ ̴̡ı̴̴̡ ̡̡͡|̲̲̲͡͡͡ ̲▫̲͡ ̲̲̲͡͡π̲̲͡͡ ̲̲͡▫̲̲͡͡ ̲|̡̡̡ ̡ ̴̡ı̴̡̡ *̡͌l̡*
Não consigo ouvir o que você diz
Quando eu era criança eu tive uma visão fugaz
A criança cresceu e o sonho se foi
Eu me sinto confortavelmente entorpecido...



Decididamente eu não vivo sem Waters..
Nas horas certas, incertas ou  sombrias - ou cheias de dúvidas e traidoras ...é um bálsamo para o ego
e os ouvidos - é fácil entender o por que  sempre será a maior banda do planeta 
e  Roger Waters ...the best !!!
gente e de coisa morna só leite e olha lá...
Os artistas que aprecio tem esse lado irreverente de ser, formadores de opinião, ou com letras que agregam uma crítica social e cultural. Assim é Almir Sater, Roger Waters e Raulzito, Zeca Baleiro e Zé Ramalho..


Acesse o site e acompanhe Turnê Mundial de Roger Waters - 2012 no Brasil, o maior advento do planeta!!!
http://www.roger-waters.com
Acesse o vídeo e descubra  por quê ...

Pitaco de Loira: Cura Interior

A Cura Interior -
Não trate apenas dos sintomas, tentando eliminá-los sem que a causa da enfermidade seja também extinta.A cura real somente acontece do interior para o exterior ...Sim, diga a seu médico que você tem dor no peito,mas diga também que sua dor é dor de tristeza, é dor de angústia.
Conte a seu médico que você tem azia,mas descubra o motivo pelo qual você, com seu gênio, aumenta a produção de ácidos no estômago.
Relate que você tem diabetes, no entanto, não se esqueça de dizer também que não está encontrando mais doçura em sua vida e que está muito difícil suportar o peso de suas frustrações.
Mencione que você sofre de enxaqueca, todavia confesse que padece com seu perfeccionismo, com a autocrítica, que é muito sensível à crítica alheia e demasiadamente ansioso. 
Muitos querem se curar, mas poucos estão dispostos a neutralizar em si o ácido da calúnia, o veneno da inveja, o bacilo do pessimismo e o câncer do egoismo.
Não querem mudar de vida.
Procuram a cura de um câncer, mas se recusam a abrir mão de uma simples mágoa.
Pretendem a desobstrução das artérias coronárias, mas querem continuar com o peito fechado pelo rancor e pela  agressividade.
Almejam a cura de problemas oculares, todavia não retiram dos olhos a venda do criticismo e da maledicência.
Pedem a solução para a depressão, entretanto, não abrem mão do orgulho ferido e do forte sentimento de decepção em relação  as perdas experimentadas.
Suplicam auxílio para os problemas de tireóide, mas não cuidam de suas frustrações e ressentimentos, não levantam a voz para expressarem suas legítimas necessidades.
Imploram a cura de um nódulo de mama, todavia, insistem em manter bloqueada a ternura e a afetividade por conta das feridas emocionais do passado.
Clamam pela intercessão divina, porém permanecem surdos aos gritos de socorro que partem de pessoas muito próximas de si mesmos.
Deus nos fala através de mil modos;a enfermidade é um deles e por certo,o principal recado que lhe chega da sabedoria divina é que está faltando mais amor e harmonia em sua vida.
Toda cura é sempre  uma autocura e o Evangelho de Jesus é a farmácia onde encontraremos os remédios que nos curam  por dentro.
Há dois mil anos esses remédios estão à nossa disposição.
 Quando nos decidiremos?
enviado por Amanda MT - 

Pitaco de Loira: O Rouxinol e a Rosa

O Rouxinol e a Rosa - Oscar Wilde - Resumo



“Ela disse que dançaria comigo se eu lhe trouxesse rosas vermelhas..., porém em todo o meu jardim não existe uma única rosa vermelha.”Um rouxinol escuta o desabafo e encantado com a declaração de amor e o sofrimento do rapaz, fica em silêncio debaixo do carvalho pensando sobre os mistérios do amor. O lagartinho verde, a borboleta e a margarida riem da angústia do rapaz.


O rouxinol alça vôo para encontrar uma rosa vermelha que possa realizar os desejos decantados do jovem. Encontra roseiras de rosas brancas e amarelas e sob a janela do estudante, uma roseira de rosas vermelhas mas que castigada pelo inverno não consegue dar vida a suas flores.Só há um jeito de consegui-la, mas é muito terrível...

“Se quiser uma rosa vermelha, você terá de construí-la de música ao luar, tingindo-a com o sangue do seu próprio coração. Terá de cantar para mim a noite inteira, e o espinho terá de furar o seu coração, e o sangue que o mantém vivo terá de correr para as minhas veias, transformando-se em meu sangue.”


O rouxinol pensa que a vida é um preço alto por uma rosa, porém está convencido de que o amor é melhor do que a vida... Voa novamente como uma sombra pelo jardim e, ao encontrar o jovem ainda deitado na relva, afirma que ele terá sua rosa e só lhe pede em troca que “seja um amante fiel e verdadeiro, pois o Amor é mais sábio do que a Filosofia, embora ela seja sábia, e mais poderoso do que o Poder, embora este seja poderoso.”


O estudante não entende a profundidade das palavras do rouxinol, porque só conhecia as coisas que vêm escritas nos livros, mas o carvalho que abriga o ninho da família do rouxinol entende e pede uma última canção. O jovem diante do forte canto se questiona se o rouxinol teria sentimentos e conclui que como a maioria dos artistas ele é todo estilo, sem qualquer sinceridade. “Ele jamais se sacrificaria pelos outros.”


Quando a lua surgiu, o rouxinol voou para a roseira e cravou seu peito no espinho. Durante toda a noite, ele cantou o amor: o nascimento, a paixão entre a alma de um homem e uma mulher e o amor que fica perfeito com a morte...


A rosa ficou rubra, a lua se esqueceu da madrugada, mas o rouxinol não pode ver as pétalas florescendo ao frio do ar da manhã pois estava caído na relva, morto com um espinho atravessado no peito.O estudante acorda e vê a linda rosa,


Corre para a casa da filha do professor. Encontra a jovem sentada na porta e entrega a rosa vermelha:


“Aqui está a rosa mais vermelha do mundo inteiro. Use-a junto ao seu coração hoje à noite, e enquanto estivermos dançando eu lhe direi o quanto a amo.”


A moça, aborrecida, disse que a rosa não combinaria com seu vestido, além do mais ganhou uma jóia de verdade do sobrinho de um homem ilustre.


O estudante com raiva atira a rosa na rua, onde ela cai na sarjeta e uma carroça acaba passando por cima.O estudante volta para seu quarto e começa a ler um livro empoeirado.

“Que coisa tola é o amor! Não tem a metade da utilidade da Lógica, pois não prova nada, e fica sempre dizendo a todo mundo coisas que não são verdades. Enfim, não é nada prático e, como hoje em dia ser prático é o importante, vou voltar à Filosofia e estudar Metafísica.”


“O Rouxinol e a rosa” é um dos contos do livro “Histórias de fadas”, publicado pela primeira vez em 1888. O autor, Oscar Wilde, escreveu estas histórias para os próprios filhos e sua intenção era mostrar, além dos príncipes, gigantes e rouxinóis, a vida como ela é e como deve ser vivida. A beleza poética das histórias resgata a tristeza do tema: cada personagem assume a beleza e a feiura, a riqueza e a miséria humana. Adaptado por Helena Sut -


foto enviada por Maria Helena Spirindioni - que no meu caso jamais trocaria a rosa !!! Cada um dá aquilo que tem!!!

"Tu Te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" -Exupery-