domingo, novembro 20, 2011

QUEM "NÃO É BOM O SUFICIENTE"?

Quantas vezes nos perguntamos: - Quando receberei as bênçãos que mereço depois de todo o bem que fiz aos outros?
Descobrir no final que não foram valorizados pelas pessoas que escolheram servir, fará surgir à vontade de querer voltar atrás. O que significa dizer: “não sou bom o suficiente”, independentemente do quanto me esforce? Como esses sentimentos impedem que coisas boas lhes aconteçam?

Sentir-se inferior, ou não suficientemente bom naquilo que faz, significa que em algum lugar dentro de vocês existe um sentimento de que não são merecedores do amor, e acreditam que para merecê-lo precisam fazer algo.

Essa interpretação equivocada se formou desde a primeira vez em que se sentiram separados do amor. Para muitos, aconteceu na infância. Ou por terem sido criticados por alguma coisa que fizeram ou disseram ou por ouvirem freqüentemente palavras como: “Você foi um mau menino” ou “Não seja uma menina má”. As circunstâncias não são tão importantes quantos os sentimentos despertados. Sentimentos que ainda residem dentro de vocês.

Quando alguém, muito amado, diz que você é “mau”, como querer se sentir “bom” especialmente se foi punido por isso? Há uma internalização da mágoa. E quanto mais experiências dolorosas forem acumuladas, mais acreditarão que é verdade. Logo, aceitam que há algo errado com vocês, e que precisam se esforçar mais para obter a aprovação das pessoas ao seu redor.

E assim, a jornada para o sofrimento começa.Os conflitos internos sobre seu valor.

“Não sou bom o suficiente” é uma parte de vocês que acredita não ser merecedora que coisas boas lhes aconteçam ou de serem amados do jeito que são. É uma parte da sua energia viva – o Espírito que habita – que foi convencida, na tenra infância, que está separada de Deus – você separada dos outros ao seu redor. E esse sentimento ainda os ameaça.

“Não sou bom o suficiente” é também um sabotador. Os impede de escapar dessas crenças. Se ousarem fazer algo que apreciam – algo em que são bons ou que gostem de fazer – serão ameaçados pela crença e finalmente impedidos de realizar. Sentirão que o que verdadeiramente são “não é bom o suficiente”, e por causa disso não há como se sentirem bem com nada. Serão lembrados muitas e muitas vezes até acreditarem nisso.

“Não sou bom o suficiente” irá minar vocês com dúvidas, suspeitas e auto julgamentos a ponto de abandonarem o que lhes dá prazer ou o que apreciam fazer. Se isso não funcionar, espezinhará vocês com a desaprovação das pessoas, assim poderão culpar os outros pela falta de coragem em lidar com os próprios sentimentos de desmerecimento.

Algo lhes soa familiar? Muitos de vocês lutam com isso. O cansaço, o desencorajamento, os sonhos lindos que não se realizam independentemente de quanto se esforcem para isso. Alguns preferem atribuir esses revezes ao processo de ascensão, mas nem sempre é verdade. Às vezes, são apenas fantasias.

Esse tipo de ilusão permite que continuem se sabotando com sentimentos de desvalorização, sem trazê-los à luz da consciência. A ilusão faz com que continuem fingindo que a ascensão se trata de sacrificar aquilo que amam para conseguir crescer em consciência. O que na verdade estão fazendo é sacrificar sua consciência sem crescimento algum.

Sentirão como se ninguém sentisse apreço por vocês ou ao que vocês têm a oferecer. Que nenhum empregador sabe valorizar seu trabalho, ou que seus pais, ou esposa(marido) gostam de vocês da forma como mereciam.
O que fazer então?Sentar num canto e esperar as coisas desabarem? Não, meus queridos, é tempo de verem o jogo que estão fazendo com vocês mesmos.

Como transformar isso?

Conscientizem-se de que são bons o suficiente para viver uma vida de amor, plenamente conectada com a Divindade. Vocês são mais que suficientes. São a Divindade. Deus habita em vocês na forma do Eu interior, e por causa Dele, podem invocar essa capacidade a qualquer tempo e lugar – e toda vez que ouvirem a voz da dúvida de que “Não sou bom o suficiente”.

Quando escolherem conscientemente essa perspectiva superior de Ser, tomam a posição de um Observador neutro. Podem observar a parte de vocês que está confusa e oferecê-la amor. Sentirão compaixão pelo sofrimento, mas não permitirão que isso continue arrasando suas vidas. Lembrem-se amavelmente de Quem Realmente São – Filhos de Deus e, portanto, Deus. Serão novamente bem vindos a casa, à família integrada das qualidades divinas de Deus que portam como individualidades que são.

A maior dádiva da bondade e da reintegração é poder dar ao “Não sou bom o suficiente” um redirecionamento. Digam a ele que são parte do todo, plenamente amados do jeito que São – e que ele também é bem-vindo a este lugar de plenitude. Lembrem-no que estão no controle do amor e quem podem prover todo o amor de que necessita. Para seu próprio bem, peçam a ele para estar vigilante de uma forma diferente; para ficar atento às oportunidades que lhes propiciem bem estar, ao que gostam de fazer e ao que se sintam bem fazendo. Direcionem esse mecanismo de defesa para a generosidade em lugar da sabotagem. Levem-no para a verdade da sua conexão com Deus, e saibam que estarão sustentados nisso. Assim feito, tenham a certeza de que suas vidas serão abençoadas de muitas formas.

Eu Sou Saint Germain.

Mensagem de Saint Germain canalizada por Alexandra Mahlimay e Dan Bennack
Segunda-feira, 17 de Novembro de 2008. Cluj-Napoca, Roménia