domingo, março 27, 2011

Pitaco de Loira: Abaixo a Hipocrisia


Minutos atrás estava eu, a prosear com um blogueiro, que fez uma entrevista com Fabio Assunção recentemente, mas sobre o fato dele estar em "baixa", segundo ele,  devido ao tratamento das drogas, e por ter exposto publicamente sua condição - não saberia se seria interessante divulgar. Sabe qual foi o meu pitaco ?   Sim, porque nem só de máscaras vivem a maioria - e ao meu ver - o ator (que fique registrado) não sou fã dele, nem acompanho seu trabalho, mas por que não falar do homem que teve a coragem de admitir seu vício e erro, publicamente, ao afirmar que não estava preparado para retornar ao mundo das novelas? Enquanto outros vivem na pele de camaleões?
 Eu acho que o Fábio merece todo o respeito, compaixão e empatia, por parte do público, pessoas e da sociedade em geral, sem os pejorativos "drogado", "fundo do poço", ou "coitado", mas de uma pessoa que está tentando dar a volta por cima, e que todos sabem, uma longa e dolorosa jornada, cheia de desafios, intempéries e sobrevida até - que ele tenha "bajuladores" agora também - não só quando é o galã global ou quando as meias verdades aparecem - mas de um ser que se expõe por inteiro - pessoas devem aprender a gostar da autenticidade mesmo que esta venha a ser dolorida, que nos deixem em estado de choque ou cause a princípio, decepção ou frustração.  Apesar dos erros,defeitos e vícios -saber valorizar as forças e qualidades que  os outros têm -
"Todos veem as pingas que tomo menos os tombos que levo"Ao meu ver a figura do artista se tornou mais humanizada, frágil e verdadeira.

  "UM OUTRO OLHAR.
Hoje quero falar de gratidão. Em 2005 estava em cartaz em São Paulo, no teatro Crowne Plaza com meu solo CADA UM COM SEUS POBREMA, quando fui convidado pelo sensacional Silvio de Abreu para fazer a novela Belíssima. Fiquei muito feliz pelo convite em si, e também pela possibilidade de levar meu espetácu...lo para a Cidade Maravilhosa.
O “pobrema” é que sem patrocínio eu não teria condições financeiras de assumir o aluguel do teatro, mídia, técnicos e tudo que uma peça requer para ser realizada. Aí entra na estória, Fábio Assunção.
Ao lado de meus queridos Marco e Giuliano Ricca (que é meu sócio até hoje), ele produziu o espetáculo, ajudou na divulgação, deu entrevistas, me indicou nos programas da emissora, convidou os amigos para “bombar”a estréia, enfim, viabilizou minha ida e a bem-sucedida carreira do CADA UM no Rio.
Muita gente deve estar pensando:- Ué, mas se a peça foi bem e ele era produtor, ele ganhou uma grana!
Posso garantir a todos vocês queridos bloglogados, que ele não fez isso pela grana, ele não precisava do dinheiro da minha peça, visto que quando percebeu que o espetáculo havia se consolidado, me devolveu a produção e mandou eu seguir com meu sucesso.
Fábio fez o que fez porque é uma pessoa extremamente generosa, um pai carinhoso, um bom amigo, além de ser esse ator extremamente talentoso que todos nós sabemos.
Meu queridíssimo Fábio, muito obrigado, para sempre!
Marcelo Médici - 16/11/2008 -
para avaliar:

"A gratidão é um fruto de grande cultura, não se encontra entre gente vulgar"[Samuel Johnson]

Nenhum comentário: